Dieta mediterrânea

Dieta Mediterrânea Pode Reduzir o Risco de Câncer de Mama Mortal em 40%

Aderir uma dieta mediterrânea pode ajudar a reduzir o risco de um dos piores tipos de câncer em 40%, sugere um importante estudo da World Cancer Research Fund.

A pesquisa, que rastreou mais de 60.000 mulheres ao longo de duas décadas, descobriu que aquelas que tinham uma dieta rica em frutas, legumes, peixes, nozes, grãos integrais e azeite tinham uma chance muito menor de desenvolver uma forma mais agressiva da doença.

A cada ano, mais de 50.000 mulheres são diagnosticadas com câncer de mama no Brasil.

O novo estudo financiado pelo World Cancer Research Fund, que acompanhou mulheres com idades entre 55 e 69 anos por 20 anos, descobriu que aquelas que aderiram a uma dieta mediterrânea a maior parte do tempo tinham uma chance muito menor de sofrer com a doença.

Em geral, elas tiveram um risco reduzido de 40% para o câncer de mama com receptores de estrogênio negativos. Cerca de um a cada três casos de câncer de mama se enquadra nesta categoria, que é mais mortal do que outros tipos da doença.

O padrão da dieta mediterrânea é aquele que inclui uma alta ingestão de proteínas vegetais, como nozes, lentilhas e feijões, grãos integrais, peixes e gorduras monoinsaturadas – também conhecidas como “gorduras boas”, como o azeite.

Esta dieta também tem uma baixa ingestão de grãos refinados, como pão branco ou arroz branco, carne vermelha e doces.

Embora a dieta mediterrânea tradicional envolva o consumo moderado de álcool, neste estudo o álcool foi excluído dos critérios, porque este é um fator de risco conhecido para o câncer de mama, e relacionado a 12.000 casos anualmente.

Cerca de 40% de todos os tipos de câncer estão ligados ao estilo de vida, sendo os riscos de câncer de mama aumentados pelo excesso de peso, pela má alimentação, consumo de álcool e tabagismo.

Dr. Panagiota Mitrou, Diretor de Pesquisa no World Cancer Research Fund, disse:

“Este importante estudo mostrou que seguir um padrão alimentar como a dieta mediterrânea pode ajudar a reduzir o risco de câncer de mama – particularmente este subtipo com um pior prognóstico. Com o câncer da mama sendo tão comum no mundo todo, a prevenção é fundamental se queremos ver uma diminuição no número de mulheres que desenvolvem a doença.”

“Nós aguardamos mais pesquisas que nos ajudem a entender melhor os fatores de risco para os diferentes subtipos de câncer de mama”.

O professor Piet van den Brandt, pesquisador líder do estudo na Universidade de Maastricht, disse:

“Nossa pesquisa pode evidenciar como os padrões de dieta podem afetar nosso risco de câncer.”

“Encontramos uma forte ligação entre a Dieta Mediterrânea e o risco reduzido deste tipo de câncer de mama entre as mulheres pós-menopausa, mesmo em uma população não Mediterrânea. Este tipo de câncer de mama geralmente tem um pior prognóstico do que outros”.

Emma Pennery, Diretora Clínica no Breast Cancer Care, disse que os resultados foram “intrigantes”.

“Este estudo suporta a evidência de que uma dieta saudável, cheia de gorduras boas de baixa saturação, desempenha um importante papel na redução do risco da doença”, disse ela.

“No entanto, é importante lembrar que apesar de que boas escolhas de estilo de vida como ter uma dieta equilibrada e fazer exercícios regulares podem ajudar a reduzir o risco de câncer, elas não garantem a prevenção. Portanto, é crucial que as mulheres conheçam os sinais e sintomas do câncer de mama, e entrem em contato com seu médico após qualquer preocupação”.

Dieta rica em soja para mulheres já em tratamento

Outra pesquisa liderada pelos EUA descobriu que as mulheres que já estão sendo tratadas para câncer de mama poderiam aumentar as chances de sobrevivência comendo uma dieta rica em soja.

Mulheres com câncer de mama com receptores de estrogênio negativos que adicionaram a soja à sua dieta foram capazes de reduzir seu risco de morte em até um quinto, descobriu o estudo.

Os cientistas descobriram que os alimentos ricos em isoflavonas – o ingrediente ativo da soja – pareciam aumentar essa taxa de sobrevivência.

O ingrediente é encontrado em alimentos de substituição de carne, como tofu, bem como em molho de soja, sopa Missô, leite de soja e feijão edamame.

Esther John, do Instituto de Prevenção ao Câncer da Califórnia, disse: “Se os fatores do estilo de vida podem melhorar a sobrevivência após o diagnóstico, é uma questão importante para as mulheres diagnosticadas com esse tipo mais agressivo de câncer de mama.”

“Nossos resultados sugerem que a sobrevivência pode ser melhor em pacientes com um maior consumo de isoflavonas.”

Você já experimentou fazer a dieta Mediterrânea em seu dia a dia? Pretende inserir os ingredientes da dieta em sua alimentação para ajudar a reduzir o risco deste câncer? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*