Alergia a Medicamentos – Sintomas e Como Tratar

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Saiba reconhecer os principais sintomas de uma alergia a medicamentos, descubra se essa alergia tem cura e aprenda como tratar e como evitar crises alérgicas no futuro.

Provavelmente você já conhece vários remédios para alergia. Geralmente são anti-histamínicos, descongestionantes nasais ou esteroides que ajudam a aliviar os sintomas de vários tipos de alergia.

Mas será que você sabe o que fazer se um medicamento for a causa da sua alergia e não a solução? Você sabe identificar os sintomas de uma alergia a medicamentos? Ou ainda, será que você consegue agir corretamente em um momento tão delicado como esse?

Às vezes, uma alergia a um princípio ativo que faz parte da fórmula do remédio ou até mesmo uma alergia a corantes que podem estar presentes no medicamento pode desencadear os sintomas alérgicos.

Veja a seguir os sinais que seu corpo dá durante uma reação alérgica a um remédio e saiba exatamente o que você deve fazer para ficar bem.

Alergia a medicamentos

A alergia a medicamentos ocorre quando o sistema imunológico reage a um remédio como se ele fosse uma substância nociva para a saúde.

Segundo a American Academy of Allergy, Asthma & Immunology (AAAAI), apenas entre 5 e 10% das reações negativas ao uso de medicamentos são de fato uma alergia. Em grande parte dos casos, os sintomas são efeitos colaterais do medicamento.

Isso significa que é importante saber diferenciar os sintomas de uma alergia, que podem representar um sério risco à saúde, de efeito adversos relacionados ao uso do remédio em questão.

Como acontece uma alergia a medicamentos?

O sistema imune é programado para proteger o corpo contra doenças. No caso de uma alergia a um medicamento, o sistema imunológico confunde o remédio como uma ameaça para a saúde e começa a produzir anticorpos para atacar a substância.

A resposta imune desencadeada acaba causando sintomas desagradáveis e aumentando os marcadores de inflamação no organismo.

Em algumas pessoas, essa resposta imune pode acontecer na primeira vez que o medicamento é tomado, mas em outros casos pode ser que a alergia só aconteça depois de você já ter tomado o remédio várias vezes sem nunca ter sofrido nenhum efeito ruim.

Isso acontece porque na primeira vez que você usa um medicamento que o seu sistema imunológico reconhece como um invasor o corpo ainda pode estar produzindo anticorpos contra ele e, assim, os sintomas de alergia não são observados.

No entanto, na próxima vez que você tomar o mesmo remédio, é bem provável que os anticorpos já estejam prontos para se defender e causem os sintomas desagradáveis e, muitas vezes, perigosos de uma alergia.

Outro tipo grave e comum de alergia é a alergia a certos alimentos. Fique atento aos principais sintomas de alergias alimentares e saiba o que fazer.

Como diferenciar um efeito colateral de uma alergia a medicamentos?

A alergia a um medicamento afeta apenas algumas pessoas e não é algo tão comum. Já os efeitos colaterais podem afetar qualquer pessoa usando qualquer tipo de medicamento.

Além disso, uma alergia sempre envolve uma resposta negativa do sistema imunológico e um efeito colateral normalmente não afeta o sistema imune.

Outra coisa a ser notada é que um efeito colateral é qualquer ação que o medicamento causa no corpo que não está relacionada à sua principal função e que pode ser negativa ou positiva.

A aspirina, por exemplo, pode causar um efeito colateral negativo que é a dor de estômago, mas também pode causar um efeito adverso positivo que é a redução do risco de ataque cardíaco e derrame. Ou seja, um efeito colateral pode ser positivo ou negativo, enquanto que um sintoma de alergia a um medicamento é sempre prejudicial à saúde.

Sintomas de alergia a medicamentos

Nem sempre uma alergia a um medicamento é algo preocupante. Se a reação for muito leve, pode ser que você nem perceba ou então note apenas uma erupção cutânea leve na pele.

Já em uma reação um pouco mais grave, podem ocorrer sintomas mais perceptíveis como:

  • Erupções cutâneas ou urticária;
  • Febre;
  • Vômito;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Nariz escorrendo;
  • Coceira;
  • Inchaço;
  • Tontura;
  • Chiado no peito;
  • Dificuldade para respirar;
  • Anafilaxia.

– Anafilaxia

A anafilaxia é uma reação alérgica rara, mas muito grave que faz com que vários sistemas do organismo entrem em colapso. Os sintomas de anafilaxia são:

  • Muita dificuldade para respirar;
  • Diarreia;
  • Vômito intenso;
  • Redução na pressão arterial sanguínea;
  • Sensação de apreensão;
  • Náuseas;
  • Pulso fraco ou rápido demais;
  • Desmaio.

Como a anafilaxia é uma reação repentina que representa um risco de vida, é indispensável procurar ajuda médica imediata.

– Reações raras

Normalmente, os sintomas de alergia a um medicamento surgem algumas horas depois do uso do remédio. Mas há casos menos comuns em que a reação alérgica é notada dias ou até semanas depois da exposição ao medicamento. Isso geralmente ocorre em pessoas com uma das seguintes condições de saúde:

  • Doença sérica: condição que causa febre, erupção cutânea, inchaço, náusea e dor nas articulações;
  • Inflamação nos rins: a nefrite pode causar febre, inchaço, confusão mental e presença de sangue na urina;
  • Anemia induzida por medicamentos: trata-se de uma redução na quantidade de glóbulos vermelhos no sangue que pode causar fadiga, falta de ar e batimentos cardíacos irregulares;
  • Erupção medicamentosa com eosinofilia e sintomas sistêmicos: condição que causa erupções cutâneas, alta contagem de glóbulos brancos no sangue, inchaço, linfonodos inchados e recorrência de infecção por hepatite.

Medicamentos que mais causam reações alérgicas

Existem alguns tipos de medicamentos que causam mais reações alérgicas do que outros. Exemplos incluem:

  • Antibióticos como a penicilina;
  • Anti-inflamatórios não esteroides como o ibuprofeno;
  • Analgésicos como a aspirina;
  • Quimioterápicos como o paclitaxel, o docetaxel e a procarbazina;
  • Anticonvulsivos como a lamotrigina e a carbamazepina;
  • Remédios usados no tratamento de doenças autoimunes como a artrite reumatoide;
  • Medicamentos usados na terapia de anticorpos monoclonais;

Reações medicamentosas não alérgicas

Alguns medicamentos podem causar algumas reações que parecem uma reação alérgica, mas que na verdade não são. Exemplos incluem:

  • Opiáceos para o tratamento da dor como a morfina;
  • Aspirina;
  • Anestésicos locais;
  • Corantes usados em alguns exames de imagem;
  • Alguns remédios quimioterápicos.

Tais remédios podem causar sintomas de anafilaxia, especialmente na primeira vez que são usados, mas não se trata de uma alergia verdadeira pois as reações observadas não envolvem o sistema imunológico.

Nesses casos, a condição é chamada de reação de hipersensibilidade não alérgica ou reação medicamentosa pseudoalérgica. Ainda assim, é importante procurar atendimento médico para tratar os sintomas.

Fatores de risco

Qualquer um pode sofrer com alergia a medicamentos, mas alguns fatores como os indicados abaixo podem aumentar esse risco:

  • Históricos de outros tipos de alergia;
  • Histórico pessoal ou familiar de alergia a um medicamento.
  • Exposição alta a um medicamento como uso repetitivo, uso prolongado ou uso em altas doses;
  • Doenças associadas a reações alérgicas como as infecções pelo vírus HIV ou pelo vírus Epstein-Barr.

Como tratar

O tratamento da alergia a um medicamento depende da gravidade da reação alérgica. A primeira coisa a ser feita é interromper o uso do medicamento que te causou alergia e procurar um substituto similar que não cause o mesmo problema.

O médico também pode receitar um remédio para aliviar os seus sintomas. Medicamentos que podem ser usados para bloquear a resposta imune do organismo e reduzir os sintomas da alergia são:

– Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos agem bloqueando a produção de histamina, substância liberada pelo organismo durante uma reação alérgica que desencadeia os sintomas da alergia. Ao bloquear a liberação da histamina, os anti-histamínicos diminuem os sintomas da reação alérgica.

Dependendo do tipo de reação alérgica que você apresentar, o médico pode receitar um anti-histamínico na forma de comprimidos, cremes de uso tópico, colírios ou sprays nasais.

– Corticosteroides

Quando a reação alérgica causa inchaço nas vias aéreas ou outros sintomas graves, os corticosteroides podem ser usados para diminuir a inflamação rapidamente. Eles podem ser encontrados na forma de comprimidos, colírios, cremes e sprays nasais.

Em casos de emergência, os corticosteroides podem ser administrados na forma injetável.

– Broncodilatadores

Os broncodilatadores são remédios úteis quando a alergia a um medicamento causa tosse ou chiado no peito. Um broncodilatador atua abrindo as vias aéreas, o que facilita a respiração e reduz os sintomas que afetam as vias aéreas. E por isso eles também são muito usados em casos de alergia respiratória.

– Chás

Para quem prefere formas mais naturais para aliviar os sintomas, existem vários chás para alergia que podem reduzir o desconforto em casos de alergia leve.

Alergia a medicamentos tem cura?

Não é possível afirmar se a alergia a medicamentos tem cura. Isso porque o sistema imune do nosso corpo pode mudar ao longo do tempo e pode ser que a alergia fique mais fraca, fique pior ou desapareça.

Mesmo que exista a possibilidade de a sua alergia desaparecer, uma vez que uma reação a um medicamento é detectada, o médico provavelmente vai recomendar que você evite o uso dele no futuro – especialmente se a reação que você apresentou foi grave.

Previna-se:

– Informe aos profissionais de saúde sobre sua alergia

Se você já identificou uma reação alérgica a um medicamento, informe seus familiares e médicos sobre essa alergia. É importante avisar inclusive o seu dentista e qualquer outro profissional de saúde que você tem alergia a um determinado princípio ativo para evitar novas crises e complicações.

– Use uma pulseira de alerta para casos de emergência

Caso você já tenha tido uma reação anafilática a um medicamento, é importantíssimo que você não tenha mais contato com o remédio. Nesses casos, vale a pena usar uma pulseira que mostre que você tem a alergia ou tenha um cartão na sua carteira com essa informação. Hoje em dia, algumas pessoas até tatuam na pele o tipo sanguíneo e o tipo de alergia que elas têm como medida preventiva.

Lembre-se de que qualquer remédio – seja ele um medicamento de venda livre, um suplemento ou uma erva – pode causar uma alergia. Por esse e outros motivos é tão importante evitar a automedicação e sempre consultar um profissional para te orientar.

Fontes e Referências adicionais:

Você já tinha ouvido falar de alergia a medicamentos? Conhece alguém que passa por isso? Qual medicamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário