Alimentos que fazem mal para os rins

Especialista:
atualizado em 10/09/2020

Conheça quais são os alimentos que fazem mal para os rins e evite-os na dieta, principalmente se você já tem o histórico de problemas renais.

A sua dieta, ou seja, tudo aquilo que você come, afeta a saúde dos seus rins, principalmente se você sofre com alguma condição renal.

Os rins realizam muitas funções importantes. Por exemplo, eles regulam a quantidade de líquido em seu organismo, ajudam a controlar a pressão arterial, filtram os minerais e proteínas do sangue, removem os resíduos através da urina e são responsáveis pela produção de hormônios.

Rins com problemas podem realizar um trabalho ruim ao filtrar o sangue, fazendo com que os minerais e proteínas se acumulem em seu organismo.

Alimentos que fazem mal para os rins: ajude a evitar as doenças renais!

Existem muitos fatores de risco para as doenças renais. Os mais comuns são diabetes descontrolado e pressão alta, bem como doenças cardíacas, alcoolismo, infecção por HIV e alcoolismo.

Portanto, mudar a sua dieta, evitando ou limitando certos alimentos, pode ajudar a proteger e a diminuir o acúmulo de resíduos no sangue, melhorar a função renal e reduzir vários outros danos.

Uma dieta amiga dos rins limita os alimentos que contêm grandes quantidades de proteínas, gordura saturada e certos minerais como potássio, sódio e fósforo.

Por isso, conheça os alimentos que fazem mal para os rins para que você possa evitar no dia a dia em excesso na sua dieta e consiga prevenir doenças renais.

1. Arroz integral

O arroz integral é um cereal que tem um teor mais elevado de potássio e fósforo em comparação com o arroz branco. Uma xícara de arroz integral cozido contém 154 mg de potássio e 150 mg de fósforo.

A mesma medida de arroz branco cozido contém apenas 54 mg de potássio e 69 mg de fósforo.

Em uma dieta para doenças renais, você pode adotar o arroz integral, mas isso só é possível se a porção for controlada e equilibrada com outros alimentos a fim de evitar a ingestão diária elevada de fósforo e potássio.

2. Pão integral

Escolher o pão ideal para pessoas com doença renal pode ser um pouco complicado, já que as opções integrais são geralmente as mais recomendadas, principalmente quando comparadas ao pão de farinha branca refinada.

Embora esse alimento possa ser uma escolha mais nutritiva, principalmente devido ao seu maior teor de fibras, assim como o arroz, o pão integral possui um alto teor de potássio e fósforo.

Apenas 30 gramas de pão integral contêm 69 mg de potássio e 57 mg de fósforo, enquanto que o pão branco contém apenas 28 mg de fósforo e potássio.

Também é importante notar que a maioria dos pães, independentemente de serem integrais ou brancos, contêm quantidades relativamente altas de sódio. Por isso, nunca deixe de comparar os rótulos nutricionais de vários tipos de pão, escolher a opção com menor teor de sódio.

3. Beterraba, acelga e espinafre

Esses vegetais de folhas verdes contêm grandes quantidades de nutrientes e minerais, incluindo o potássio. Quando consumidos crus, a quantidade de potássio varia de 140 mg a 290 mg por xícara. Embora quando cozidos eles diminuam em tamanho, o teor de potássio permanece o mesmo.

Por exemplo, meia xícara de espinafre cru encolherá para cerca de 1 colher de sopa quando cozido. Ou seja, comer meia xícara de espinafre cozido irá lhe proporcionar uma quantidade muito maior de potássio do que meia xícara do mesmo alimento cru.

Por isso, o ideal é controlar e evitar o excesso da ingestão desses alimentos.

4. Bananas

Banana

As bananas são frutas muito conhecidas devido ao seu alto teor de potássio, o que é verdade, já que uma banana média contém cerca de 422 mg de potássio.

Muitas outras frutas tropicais também têm um alto teor de potássio. O abacaxi, por exemplo, contém substancialmente menos potássio do que outras frutas tropicais e pode ser uma boa alternativa para quem tem doença renal.

5. Carnes processadas

As carnes processadas são alimentos que fazem mal para os rins e que têm sido associados a muitas doenças crônicas. Além disso, não são considerados saudáveis devido à grande quantidade de sal e conservantes adicionados.

Alguns exemplos de carnes processadas são carne seca, calabresa, salsicha, presunto, linguiça e bacon.

Além disso, as carnes processadas são ricas em proteínas. Como dito anteriormente, pessoas com doenças nos rins devem limitar o consumo de proteínas. Sendo assim, a melhor opção é evitar esses alimentos que fazem mal para os rins.

6. Damascos

Os damascos são ricos em vitamina A, vitamina C e fibras, mas também são ricos em potássio. Apenas uma xícara de damascos frescos fornece 427 mg de potássio, enquanto os damascos secos contêm ainda, já que uma xícara fornece mais de 1.500 mg de potássio.

Isso significa 75% dos 2.000 mg de potássio que podem ser consumidos diariamente.

7. Laranjas e sucos de laranja

Embora tanto as laranjas como o suco de laranja sejam alimentos ricos em vitamina C, eles também são ricos em potássio. Uma laranja grande de 184 gramas fornece 333 mg de potássio, e um copo de 236 ml de suco de laranja contém cerca de 473 mg de potássio.

Dado o seu teor de potássio, as laranjas, bem como o seu suco, são alimentos que fazem mal para os rins e precisam ser evitados ou limitados nesse tipo de dieta.

Sucos de uvas e maçãs são bons substitutos para o suco de laranja, já que possuem um teor menor de potássio.

8. Tâmara, uva-passa e ameixa

Tâmaras, uvas-passas e ameixas são frutas secas bastante comuns. Por serem secas, todos os seus nutrientes são concentrados, incluindo o potássio.

Por exemplo, uma xícara de ameixas fornece 1.274 mg de potássio, o que é quase cinco vezes a quantidade de potássio encontrada em uma xícara deste mesmo alimento sem ser seco. Apenas dez uvas-passas fornecem 30 mg de potássio.

Portanto, é melhor deixá-las de lado em uma dieta renal para garantir que seus níveis permaneçam saudáveis.

9. Refeições instantâneas, semi-prontas e embaladas

Os alimentos processados tendem a ser ricos em sódio, e os alimentos instantâneos, semi-prontos e embalados são geralmente os mais processados. Portanto, consequentemente, são os que contêm um maior teor de sódio.

Refeições de micro-ondas, pizzas congeladas e macarrão instantâneo, por exemplo, além de ricos em sódio, são pobres em nutrientes, e por isso, são alimentos que fazem mal para os rins e devem ser evitados.

10. Abacates

Os abacates são muitas vezes elogiados devido às suas qualidades nutritivas. Por exemplo, suas fibras, gorduras e antioxidantes são saudáveis para o coração.

No entanto, pessoas com doenças renais devem evitá-los, pois trata-se de uma fonte muito rica de potássio. Apenas uma xícara de 150 gramas desta fruta fornece 490 mg de potássio, praticamente a quantidade de potássio presente em uma banana média.

11. Salgadinhos, biscoitos e bolachas

Salgadinhos chips

Salgadinhos e biscoitos tendem a ser alimentos pobres em nutrientes e com um teor de sal relativamente alto. Além disso, é muito fácil extrapolar e acabar comendo mais do que o tamanho da porção recomendada desses alimentos, o que leva a um consumo de sal ainda maior.

No caso dos salgadinhos de batata, além de serem ricos em sal e pobres em nutrientes, também contêm uma quantidade significativa de potássio.

12. Tomates

Os tomates são outras frutas que estão na lista dos alimentos que fazem mal para os rins porque são ricos em potássio. Apenas uma xícara de molho de tomate pode conter mais de 800 mg do mineral.

13. Alimentos enlatados

Enlatados

Os alimentos enlatados, como sopas, molhos, legumes e feijão, são muito populares devido ao baixo custo e conveniência. Porém, a maioria desses alimentos contém quantidades elevadas de sódio, já que o sal é adicionado como conservante para aumentar a vida útil.

Por causa dessa grande quantidade de sódio, muitas vezes é recomendado que as pessoas com doença renal evitem ou limitem o consumo dos alimentos enlatados.

Sendo assim, a melhor opção é sempre aqueles produtos com baixo teor de sódio ou que são rotulados como “sem adição de sal”. Além disso, enxaguar os alimentos enlatados pode reduzir de 33% a 80% do teor de sódio, dependendo do produto.

14. Picles e azeitonas em conserva ou salmoura

Azeitonas processadas, picles e condimentos são todos alimentos em conserva ou curados. Por isso, normalmente são adicionadas grandes quantidades de sal. Por exemplo, um pedaço de picles em conserva pode conter mais de 300mg de sódio.

Já as azeitonas em conserva ou em salmoura tendem a passar por esses processos para ficarem mais salgadas e menos amargas. Cinco azeitonas verdes em conserva fornecem cerca de 195 mg de sódio, o que é uma quantidade diária significativa para apenas uma pequena porção.

Algumas marcas já reduziram as quantidades de sódio nesses alimentos. No entanto, mesmo as opções com o teor de sódio reduzido ainda podem ser ricas em sódio. A melhor opção é controlar as porções.

15. Batatas e batata-doce

Tanto as batatas como as batatas-doces são alimentos ricos em potássio. Uma batata média cozida com 156 gramas contém 610 mg de potássio, e uma batata-doce de tamanho médio cozida de 114 gramas contém 541 mg de potássio.

Assim como outros alimentos que fazem mal para os rins, ambos os tipos de batatas podem ser enxaguados para reduzir a quantidade de potássio. Você também pode cortá-las em pedaços pequenos e finos e cozinhá-las por pelo menos 10 minutos para reduzir o teor em cerca de 50%.

Mergulhar as batatas em um recipiente grande com água por pelo menos quatro horas antes de cozinhar faz com que a quantidade de potássio reduza ainda mais, mas isso não significa que todo potássio foi embora.

Mesmo seguindo todos esses passos, as batatas ainda podem ter quantidades consideráveis do mineral. Por isso, o ideal é que, mesmo fazendo isso, controle o tamanho e a quantidade das porções para manter os níveis de potássio sob controle.

16. Laticínios

Os produtos lácteos são ricos em vários nutrientes e vitaminas, porém, também são uma fonte natural de potássio e fósforo, e uma boa fonte de proteína.

Uma xícara de leite integral fornece 222 mg de fósforo e 349 mg de potássio. Por isso, o consumo em excesso de laticínios junto a outros alimentos ricos em fósforo pode ser prejudicial para a saúde óssea das pessoas que sofrem com doença renal.

Isso que pode parecer surpreendente, já que recomenda-se o consumo desses alimentos com frequência por ajudarem as pessoas a terem ossos fortes e uma boa saúde muscular.

No entanto, quando os rins estão danificados, o consumo de fósforo em excesso pode causar o acúmulo deste mineral no sangue, o que pode tornar os ossos mais fracos e finos ao longo do tempo e aumentar o risco de fratura óssea.

Os laticínios também são ricos em proteínas. Apenas uma xícara de leite integral fornece cerca de 8 gramas de proteínas. Se você quer evitar o acúmulo de proteína no sangue, deverá evitar esses produtos.

Há várias alternativas no mercado para o leite de vaca, como o leite de arroz não enriquecido e o leite de amêndoas, que são muito mais pobres em fósforo, potássio e proteína em comparação ao leite de vaca.

17. Refrigerantes tipo cola

Além da grande quantidade de calorias e açúcar que os refrigerantes oferecem, os do tipo cola, bem como aqueles de coloração escura, contêm aditivos que contêm fósforo.

Muitos fabricantes de refrigerantes adicionam o fósforo durante o processamento da bebida para melhorar o sabor, prolongar a duração e evitar a descoloração, e com isso costumam estar entre os alimentos que fazem mal para os rins.

Este fósforo adicionado é muito mais absorvível pelo corpo humano do que o fósforo natural seja ele vegetal ou animal, pois ao contrário do natural, o fósforo na forma de aditivo não está ligado à proteína, pelo contrário, é encontrado sob a forma de sal e é altamente absorvível pelo trato intestinal.

Embora o teor de fósforo aditivo varie dependendo do tipo de cola, acredita-se que a maioria contenha entre 50 a 100 mg em uma porção de 200 ml.

Como resultado, esses refrigerantes, especialmente os de cores escuras, devem ser evitados em uma dieta renal.

Não se esqueça

O ideal é que uma pessoa que sofre com doença renal reduza o consumo de sódio, potássio e fósforo. Por isso, a recomendação é que evite ou limite o consumo dos alimentos que fazem mal para os rins.

Lembre-se de que restrições de dieta e recomendações de ingestão de nutrientes variam de acordo com a gravidade do problema renal. Por isso, converse com o seu médico e um nutricionista para criarem uma dieta específica para as suas necessidades!

Você já conhecia os alimentos que fazem mal para os rins? Pretende excluir alguns da sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário