Boldo para Ressaca Funciona?

Especialista:
atualizado em 02/03/2020

Veja se tomar chá de boldo para ressaca funciona mesmo ou se esse é mais um dos mitos que existem acerca de coisas que podem ajudar no dia seguinte à bebedeira.

Que pessoa que tem o costume de beber no final de semana com os amigo, nunca teve que enfrentar um período de ressaca que parecia interminável? Mas embora ela possa durar até 24 horas, uma hora a indesejável condição vai embora.

O problema é ter que lidar com os sintomas da ressaca, que geralmente começam a dar as caras quando os níveis de açúcar no sangue caem bastante e chegam próximo ou atingem o zero.

Esses sinais encontram-se em pleno vigor na manhã anterior a uma noitada de bebedeira e, dependendo de quanto a pessoa bebeu, eles podem incluir: fadiga, fraqueza, sede excessiva, boca seca, dor de cabeça, dores musculares, sono diminuído ou de baixa qualidade, aumento da sensibilidade à luz e ao som, tontura, sensação de que o local está girando, tremedeira, redução da habilidade para se concentrar, distúrbios de humor e batimento cardíaco acelerado.

Isso sem contar que ter ressaca pode causar prejuízos na performance profissional e gerar conflitos no trabalho. Aproveite para conhecer também os melhores remédios para ressaca e ver como melhorar a dor de cabeça de ressaca.

Já ouviu falar do uso do boldo para ressaca?

Uma pessoa de ressaca certamente vai querer livrar-se rapidamente do problema, e ao ouvir a respeito de receitas que prometem aliviar a condição, é bem capaz que se empolgue e queira testá-los rapidamente.

Entretanto, antes de aderir a essas receitas é importante saber se elas realmente podem funcionar para não se frustrar e, principalmente, não utilizar algo que faça mal ao organismo, agravando a situação.

Pensando nisso, vamos investigar se é verdade que o boldo para ressaca funciona. De fato, o boldo é muito apontado, até mesmo por especialistas, como uma das apostas para combater os sintomas da ressaca, já que a planta contribui com a metabolização do álcool.

Além disso, o chá de boldo neutraliza o efeito do acetaldeído, substância causadora do mal-estar e da dor de cabeça que são característicos de um quadro de ressaca.

O acetaldeído é gerado depois da bebedeira exagerada quando as enzimas do fígado responsáveis por metabolizar o álcool não dão conta de fazer todo o seu trabalho justamente por conta desse excesso.

Especialistas apontam o boldo como uma alternativa para o tratamento da ressaca justificando que ele auxilia a estimular o fígado, o que resulta na eliminação do álcool do organismo e, consequentemente, faz com que o mal-estar passe mais depressa.

No mesmo sentido, uma reportagem afirmou que o boldo pode ser útil para um quadro de ressaca porque pode ajudar a desintoxicar as células do fígado que estão intoxicadas em decorrência do consumo de bebidas alcoólicas.

Vale a pena conhecer também essa receita especial de recuperação pós carnaval – suco detox para o fígado poderoso. Ela serve muito bem para qualquer período pós-bebedeira.

Uma outra publicação promoveu o uso do boldo para ressaca porque a planta possui uma substância hepatoprotetora (de proteção ao fígado) conhecida pelo nome de boldina, que desintoxica e contribui com o estímulo da bile.

Isso significa que ela justamente protege as células do fígado que forem sobrecarregadas depois da ingestão de bebidas alcoólicas.

Mas atenção: há quem trabalhe com saúde e não defenda o boldo para ressaca

A Mayo Clinic adverte que, embora existam muitos remédios naturais que prometem auxiliar em relação à ressaca, as pesquisas ainda não encontraram alternativas naturais que melhorem consistentemente os sintomas da condição.

A organização aconselha consultar o médico antes de aderir a um produto alternativo como o boldo para ressaca e adverte que nem sempre natural significa seguro.

A verdade é o melhor remédio para curar ressaca é beber muita água – tanto durante a bebedeira quanto no dia seguinte.

Além de esperar a ressaca passar com o tempo e beber água, o recomendado é fazer um lanche com alimentos suaves como biscoito de sal e torradas, o que pode aumentar o açúcar no sangue e acalmar o estômago, ou sopas e caldos para repor o sal e o potássio perdidos.

A orientação é ir para a cama descansar e tomar um analgésico para amenizar a dor de cabeça. Entretanto, a aspirina pode irritar o estômago e o acetaminofeno ou paracetamol (presente em Tylenol e outros medicamentos do tipo) pode provocar danos sérios no fígado das pessoas que consomem bebidas alcoólicas em excesso com regularidade, mesmo se estivermos falando de doses previamente consideradas seguras do remédio.

Quando não se trata de simples ressaca e sim de uma emergência médica

Existem sinais mais severos que podem surgir após uma sessão de bebedeira, em que não cabe mais perguntar se o boldo para ressaca funciona – no lugar disso, a única saída é ir imediatamente até um hospital, já que pode ser um caso de intoxicação alcoólica.

Esses sintomas graves incluem: confusão, vômito, convulsões, respiração lenta (menos de oito respirações por minuto), respiração irregular (lacuna de mais de 10 segundos entre as respirações), pele pálida ou azulada, baixa temperatura corporal (hipotermia), dificuldade de se manter consciente e desmaiar sem poder ser despertado.

É importante ressaltar que uma pessoa inconsciente ou que não pode ser acordada está em risco de morrer. Ao desconfiar que alguém sofreu uma intoxicação alcoólica, mesmo que ela não apresente os sinais descritos, leve-a rapidamente ao médico.

Os tipos de boldo que não devem ser utilizados em nenhuma situação

De acordo com o que o engenheiro agrônomo e especialista em plantas medicinais Amaury Júnior ensinou, o chamado falso-boldo ou tapete-de-oxalá, planta que sempre forma uma moita e tem folhas miúdas, carnudas e com cheiro forte, é bastante perigoso e não deve ser utilizado.

Outro tipo que deve ser descartado, segundo Amaury, é o que é conhecido como boldo-da-terra ou boldo-de-jardim, que tem galhos longos e folhas grandes e aveludadas. Os pesquisadores alertam que, ao ser utilizada em excesso, essa planta pode irritar o estômago.

Amaury afirmou que não recomenda outros tipos de boldo (além do brasileiro ou chileno) porque eles trazem uma substância tóxica, conhecida pelo nome de foscolina, que tem atividade sobre o sistema nervoso central, é um forte irritante gástrico e pode provocar convulsões, em casos mais extremos, quando há o exagero na dosagem.

Efeitos coletareis, contraindicações e cuidados gerais com o boldo

O boldo pode causar efeitos colaterais como aborto, vômitos, diarreia, problemas no sistema nervoso e a sua aplicação na pele pode provocar irritação.

Além disso, a planta pode aumentar o fluxo da bile, líquido produzido pelo fígado e armazenado na vesícula biliar, que passa por pequenos canais, também chamados de dutos.

Como esses dutos podem ser obstruídos, existe a preocupação de que um fluxo maior da bile provocado pelo boldo possa fazer mal para pessoas que já sofrem com a obstrução das vias biliares.

Recomenda-se usar preparações do boldo que sejam livres de ascaridol, uma substância que pode provocar dano hepático quando ingerido via oral. Outra orientação importante é deixar de utilizar a planta pelo menos duas semanas antes da data marcada para a realização de uma cirurgia.

O boldo é contraindicado para mulheres que estejam grávidas ou amamentando e para pessoas com inflamação e obstrução nas vias biliares, problemas no fígado ou pancreatite.

Antes de usar o boldo para qualquer fim, consulte o seu médico para saber se ele é adequado para você, certificar-se de que não te fará mal e verificar em que dosagem e frequência você pode utilizá-lo.

Essa recomendação é importante para todos, mas principalmente para crianças, idosos, adolescentes e pessoas que sofrem com algum tipo de doença ou condição específica de saúde.

Outro conselho que merece destaque é o de checar com o médico se o boldo não pode interagir com algum medicamento, suplemento ou planta medicinal que você esteja utilizando no momento. Por exemplo, o boldo não pode ser usado por pessoas que tomem medicamentos anticoagulantes.

De acordo com o que o hepatologista Raymundo Paraná alertou, o boldo também não pode ser consumido por quem faz uso de remédios anticonvulsivantes.

Caso você passe mal ao fazer uso do boldo, procure rapidamente o socorro do médico, mesmo que não julgue a reação experimentada muito grave. Isso é importante para checar a real seriedade do sintoma apresentado, receber o tratamento necessário e saber se pode ou não pode continuar a utilizar o boldo.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que tomar boldo para ressaca funciona? Já experimentou alguma vez? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário