Especialista da Área:

Ciprofibrato – Para Que Serve, Indicações, Efeitos Colaterais e Posologia

Conheça as indicações e posologia do remédio ciprofibrato, para que serve esse medicamento e os possíveis efeitos colaterais relacionados ao seu uso.

O colesterol alto é uma condição de saúde que pode aumentar o risco de problemas cardiovasculares. Felizmente, altos níveis de lipídios como o colesterol e os triglicerídeos podem ser controlados com uma dieta para baixar o colesterol e com a prática de exercícios físicos.

No entanto, quando alterações na dieta e nos hábitos diários não são suficientes para reduzir os níveis de lipídios no sangue, medicamentos como o ciprofibrato podem ser prescritos. Conheça também detalhes acerca do bezafibrato para reduzir os lipídios no sangue.

Ciprofibrato

O ciprofibrato é um medicamento regulador de lipídios. Trata-se de um tipo de fibrato que é indicado em casos de hiperlipidemia – concentração alta de lipídios no sangue – em adultos.

Os lipídios são gorduras presentes no nosso organismo, como o colesterol e os triglicerídeos. Se a concentração de lipídios no sangue é alta demais, é possível que você seja diagnosticado com hiperlipidemia.

O excesso de lipídios é um problema porque o acúmulo de gordura no sangue pode prejudicar o fluxo sanguíneo e causar complicações de saúde como doenças cardíacas, problemas de circulação e derrames.

Para que serve

O ciprofibrato atua reduzindo os níveis de lipídios no sangue e, assim, ajuda a prevenir problemas cardíacos decorrentes do excesso de gordura depositado nos vasos sanguíneos.

Esse remédio é usado principalmente quando há um excesso de triglicerídeos no sangue, mas o ciprofibrato também pode ser prescrito para tratar outros casos de hiperlipidemia, especialmente quando as estatinas (outra classe de remédio usada para tratar a hiperlipidemia) não podem ser usadas.

Controlar o colesterol e os triglicerídeos é muito importante para diminuir o risco de doenças como a aterosclerose, que ocorre quando a gordura em excesso se deposita nos principais vasos sanguíneos. Isso limita o fluxo sanguíneo e pode reduzir a quantidade de oxigênio transportado para o músculo cardíaco, resultando em angina (dor no peito) ou até mesmo causando um ataque cardíaco.

Mecanismo de ação do ciprofibrato

O ciprofibrato age estimulando a ação de duas enzimas que decompõem os triglicerídeos: a lipoproteína lipase – encontrada no tecido muscular e no tecido adiposo – e a lipoproteína lipase hepática – presente no fígado.

Tais enzimas aumentam a degradação dos triglicerídeos no sangue e ajudam a reduzir os níveis de lipídios no sangue.

Além disso, o ciprofibrato também reduz a produção de triglicerídeos pelo fígado, contribuindo ainda mais para a diminuição dos níveis de triglicerídeos.

O ciprofibrato também reduz a quantidade de colesterol do tipo LDL (colesterol ruim) produzida pelo fígado. Isso faz com que as células do fígado possam absorver o excesso de colesterol presente no sangue.

O remédio também é capaz de elevar os níveis de colesterol do tipo HDL (colesterol bom).

Indicações

O ciprofibrato é indicado quando os níveis altos de lipídios não podem ser reduzidos apenas com uma dieta saudável e com a prática de atividades físicas.

Ainda que esse seja seu caso, é importante combinar o uso do medicamento com uma alimentação mais equilibrada e com um plano de exercícios para que o tratamento seja mais eficaz.

Contraindicações

O ciprofibrato não é indicado se:

  • Você for mulher e estiver grávida, amamentando ou tentando engravidar;
  • Você tiver problemas na vesícula biliar;
  • Você apresentar problemas nos rins ou no fígado;
  • Você tem uma glândula tireoide hiperativa;
  • Você tem alergia ao medicamento;
  • Você usa outros remédios ou substâncias que podem interagir com o ciprofibrato.

Como tomar

Segundo informações da bula do ciprofibrato, a posologia usual do medicamento é de 100 miligramas por dia, mas a dose pode variar de acordo com as orientações médicas. Pacientes que têm problemas renais geralmente são orientados a tomar a dose em dias alternados.

A dose deve ser tomada aproximadamente na mesma hora do dia todos os dias. Isso não é uma regra, mas é importante pois ajuda a não esquecer de tomar o remédio.

Se você esquecer de tomar uma dose, tome o comprimido assim que se lembrar, mas se já estiver quase na hora de tomar a próxima dose, pule a dose perdida e volte a tomar o medicamento normalmente. Nunca tome mais de uma dose ao mesmo tempo para compensar uma dose esquecida.

O remédio pode ser tomado com ou sem alimentos e além dele, é recomendado seguir uma dieta com pouca gordura além de praticar exercícios e tentar perder peso.

Além do ciprofibrato, existem outros remédios que podem ajudar na luta contra altos níveis de lipídios. Confira os remédios para colesterol mais usados e também os remédios para triglicerídeos alto mais conhecidos.

Efeitos colaterais

O ciprofibrato pode causar alguns efeitos adversos como:

  • Indigestão;
  • Dor de cabeça;
  • Enjoo;
  • Dor de estômago;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Dores ou inflamações musculares;
  • Queda de cabelo;
  • Erupção cutânea;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Problemas de equilíbrio.

É importante fazer exames de sangue regularmente para monitorar a função hepática, a função muscular e a função renal durante o uso de ciprofibrato.

Interações medicamentosas

Antes de iniciar o tratamento com qualquer medicamento, é importante informar ao médico sobre o uso de outros remédios, ervas ou suplementos pois nem sempre combinar o ciprofibrato com outras substâncias é seguro.

O risco de efeitos adversos nos músculos, por exemplo, é maior quando o ciprofibrato é tomado em conjunto com medicamentos como:

  • Colchicina;
  • Estatinas como a sinvastatina;
  • Outros fibratos como o bezafibrato ou o gemfibrozil;
  • Antibiótico daptomicina.

O uso do ciprofibrato com o remédio ezetimiba pode aumentar o risco de desenvolver cálculos biliares. Além do mais, o ciprofibrato pode aumentar o efeito anticoagulante de medicamentos como a varfarina, podendo elevar o risco de sangramento nesses pacientes.

O ciprofibrato também pode potencializar o efeito de medicamentos antidiabéticos e, assim, pode ser necessário ajustar a dose para evitar problemas.

Outras dicas para reduzir a gordura no sangue

Além de seguir o tratamento medicamentoso, é importante adotar hábitos mais saudáveis para evitar ou reduzir os altos níveis de gordura, como:

1. Exercitar-se com regularidade

A falta de atividade física é um fator de risco para doenças cardíacas. Praticar exercícios físicos regularmente ajuda a reduzir o colesterol LDL (colesterol ruim) e aumentar o colesterol HDL (colesterol bom).

De acordo com as recomendações da American Heart Association, o ideal é praticar ao menos 150 minutos por semana de alguma atividade física moderada ou intensa para melhorar a função cardiovascular.

Conheça mais dicas e orientações dietéticas para reduzir o colesterol LDL no sangue.

2. Manter um peso saudável

Pessoas obesas ou com sobrepeso têm um risco maior de desenvolver hiperlipidemia e doenças cardíacas. Nesses casos, perder peso pode ajudar a controlar os níveis de lipídios no sangue além de evitar outros problemas de saúde como a diabetes, por exemplo.

3. Ingerir gorduras saudáveis

Boas fontes de gordura como o azeite, o abacate e as amêndoas, por exemplo, são ótimas para melhorar os níveis de colesterol HDL e reduzir a quantidade de colesterol LDL e triglicerídeos no sangue.

4. Limitar ou evitar o consumo de certos tipos de gorduras

As gorduras saturadas e as gorduras trans devem ser evitadas na dieta, pois em excesso elas podem prejudicar a função cardíaca e piorar o quadro de hiperlipidemia.

5. Consumir muitos alimentos nutritivos

Aumentar o consumo de alimentos como frutas, feijões, legumes, nozes, grãos integrais e peixes é bom não só para reduzir o excesso de gordura no organismo como também para melhorar a absorção de nutrientes.

Evitar a ingestão de carne vermelha e de alimentos processados como a salsicha, os frios e o bacon também é necessário pois esses alimentos podem prejudicar o coração.

6. Parar de fumar

Fumar pode contribuir para o desenvolvimento de doenças cardíacas. Isso acontece porque o fumo pode aumentar os níveis de colesterol LDL, estimular a inflamação no corpo e promover a formação de coágulos sanguíneos.

Parar de fumar pode contribuir para a redução dos níveis lipídicos e para a diminuição do risco de ter problemas cardíacos.

Quando não tratada, a hiperlipidemia aumenta o risco de doenças cardíacas como a aterosclerose e também eleva o risco de ataque cardíaco e derrame. Não deixe de fazer seus exames regularmente para checar os níveis de lipídios no sangue e de se esforçar para ter um estilo de vida mais saudável.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências adicionais:

Você já conhecia o medicamento ciprofibrato? Conhece alguém que faz uso ou foi receitado pelo seu médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário