Como Comer Bem Sem Sair do Orçamento Durante a Pandemia do Novo Coronavírus – 7 Dicas

Especialista:
atualizado em 17/04/2020

Se normalmente já é essencial alimentar-se de maneira saudável e seguir uma dieta balanceada, quando vivemos um período de pandemia pelo novo coronavírus, isso se torna ainda mais importante. Afinal, mais do que nunca, precisamos que os nossos sistemas imunológicos estejam muito bem fortalecidos.

Entretanto, a alimentação saudável pode ser prejudicada por um outro aspecto afetado pela pandemia: o econômico. Embora a saúde e a manutenção da vida das pessoas seja o mais importante no momento, não dá para negar que a população também é atingida financeiramente.

Nem todos conseguem fazer home office ou teletrabalho e enquanto alguns estabelecimentos fecham temporariamente outras empresas funcionam em jornada reduzida, resultando na perda de empregos ou no corte dos salários.

Com uma renda mensal mais baixa, pode tornar-se bastante desafiador manter a despensa cheia de alimentos saudáveis, especialmente quando se é responsável pelo sustento de toda uma família.

Entretanto, a tarefa não é impossível e existem estratégias que podem ajudar a passar pela quarentena bem alimentado:

1. Pesquisar os preços

Quando o objetivo é economizar ou não sair do orçamento, planejamento deve ser a palavra-chave. O primeiro passo neste sentido é pesquisar qual estabelecimento fornece os melhores preços. Para fazer isso, não precisa ir em cada supermercado para conferir os preços – isso seria imprudente pois todas as saídas para fazer pesquisa aumentariam as chances de contrair o novo coronavírus.

Inclusive, para todas as situações em que for imprescindível, existem dicas de como evitar o contágio pelo novo coronavírus quando precisar sair de casa.

No entanto, dá para fazer a comparação de preços sem sair de casa, ao acessar as redes sociais ou os sites dos estabelecimentos. Muitos deles divulgam ofertas nas páginas ou publicam a imagem de seus folhetos de ofertas da semana. Algumas empresas também enviam as ofertas diretamente para o e-mail ou WhatsApp do cliente, então, para facilitar a pesquisa, vale a pena se cadastrar para recebê-las.

Caso não encontre as ofertas de algum supermercado na internet, você pode mandar uma mensagem ou telefonar para perguntar pelos preços. Então, com os valores de alguns produtos em mãos, dá para fazer uma comparação e ter uma noção de qual estabelecimento vai permitir gastar menos.

2. Levar a lista de compras

A recomendação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês) dos Estados Unidos é sair para fazer compras no mercado somente quando for realmente necessário. Outra orientação que se escuta é que apenas uma pessoa por família deve sair de casa para fazer as compras.

Para aqueles com dinheiro para comprar e espaço disponível em casa para armazenar, fazer compras maiores torna-se uma boa solução para evitar sair de casa com muita frequência. Vale a pena saber como estocar alimentos por conta do coronavírus, logicamente, de forma responsável sem cometer exageros e sem acabar com os estoques do supermercado, para não impedir o abastecimento de outras famílias que não conseguem fazer compras grandes.

No entanto, para quem não consegue fazer compras maiores, torna-se inevitável precisar ir às compras com mais frequência. Além de tomar todos os devidos cuidados, é preciso aderir a uma estratégia crucial para não sair do orçamento: fazer a boa e velha lista de compras antes de sair de casa.

Planejar as compras com antecedência e montar uma lista orientada com base no dinheiro disponível pode ajudar a cortar qualquer gasto extra. Para isso, a regra de comprar somente o que estiver descrito na lista precisa ser obedecida.

Isso sem contar que ao não levar uma lista de compras consigo e confiar apenas na memória corre-se grandes riscos de esquecer algo que precisava comprar e ter que sair de casa novamente para ir ao supermercado, aumentando o risco de ser exposto ao contágio do novo coronavírus.

3. Ficar de olho nos programas de fidelidade e promoções

Caso o supermercado onde você faz as suas compras tenha algum tipo de programa de fidelidade, em que você ganha desconto ou recebe produtos em troca de determinada quantidade de compras feitas no local, pesquise e analise se não vale a pena fazer parte do programa, pois isso poderá ajudar a economizar.

Assim que chegar ao supermercado, também vale a pena procurar pelas ofertas do dia ou pelos anúncios de promoções. Pode ser que você tenha deixado alguma coisa escapar na pesquisa prévia e ao checar as ofertas e promoções da hora, você não corre o risco de deixar alguma chance de economia passar.

4. Priorizar os alimentos baratos e altamente nutritivos

Em momentos estressantes e de crise, não é incomum que as pessoas queiram comer besteiras e alimentos como frituras, guloseimas e sobremesas cheias de calorias, açúcar, sódio e gorduras ruins e pobres em nutrientes para ter algum prazer e sentir-se melhor.

Entretanto, quando o orçamento está apertado, não dá para desperdiçar recursos nessas comidas que não ajudam em nada a saúde e o sistema imunológico – pelo contrário, atrapalham bastante – e costumam ser caras.

Portanto, o ideal é que elas nem apareçam na lista de compras e que a prioridade seja dada aos alimentos baratos e altamente nutritivos, com as frutas, verduras, grãos integrais e comidas ricas em proteínas.

Entre eles, um dos que merece destaque é o ovo, que é uma excelente fonte de proteínas, ao mesmo tempo em que é fonte de vitaminas e minerais. Outro alimento bom e que não é tão caro é a aveia em flocos. A aveia serve como fonte de proteínas e fibras, mas também fornece vitaminas e minerais.

O feijão é outro dos alimentos que se encaixa na categoria de alimento saudável que pode ser encontrado por um bom preço – conheça os benefícios e as informações nutricionais do feijão. A lentilha também é outra comida saudável que não costuma ter um preço tão exorbitante assim – aproveita e conheça também os benefícios da lentilha.

Não dá para esquecer também das carnes – em tempos de aperto, a escolha acaba sendo pelos cortes mais baratos, que também podem ser aqueles com mais gordura.

Para não consumir tanta gordura saturada por meio das carnes, o que não será bom para a saúde, a dica é remover a gordura dessas carnes e prepará-las grelhadas ou assadas (quando for possível), de modo que não adicione óleo – e consequentemente mais gorduras – à preparação.

Outro truque para levar alimentos saudáveis por um bom preço é passar pela sessão de frutas, legumes e verduras para analisar os preços desses alimentos e levar para casa aqueles que estiverem mais em conta. Dica: as frutas e os vegetais da estação geralmente são mais baratos que os outros.

Quando se fala em frutas, legumes e verduras ainda pode ser vantajoso verificar o preço dos produtores que entregam em casa em tempos de pandemia. Isso porque o valor pode estar mais em conta do que o dos supermercados.

Dá para comprar algumas frutas, verduras e legumes que estiverem baratas no supermercado e deixar para encomendar outras variedades desses alimentos de um produtor que entregue em casa e tenha um preço melhor. Assim, garante-se uma maior diversidade de nutrientes nas refeições, algo bem importante para a alimentação saudável.

5. Fazer as contas para realmente pagar menos

Como nos supermercados estão disponíveis diversas marcas para um mesmo produto, vale seguir aquela tática de procurar pelo que estiver mais barato. Entretanto, tome o cuidado de verificar que está comparando a mesma quantidade em gramas ou mililitros – algumas embalagens podem parecer maiores, ter um preço menor, porém conter um teor mais reduzido do alimento do que outras versões mais caras.

Uma boa forma de saber qual marca cobra menos ao comparar dois produtos com quantidades diferentes é dividir o preço pela quantidade total em gramas ou mililitros. Por exemplo, em um produto que custa R$ 4 por 200 gramas, a grama sai por R$ 0,02; já um produto de R$ 3,75 por R$ 150 gramas, a grama sai por 0,025. Logo, compensa mais comprar o primeiro.

6. Evitar desperdícios

Quando o orçamento é apertado não dá nem para sonhar em dar chance ao desperdício. Por isso, ao fazer as compras é importante olhar não somente o preço, mas também o prazo de validade dos produtos. Isso porque aqueles com a data de validade próxima de expirar podem ser mais baratos.

Se eles forem consumidos rapidamente na sua casa, então é bem vantajoso comprá-los. Caso contrário, não será uma boa ideia, pois os produtos terão que ser jogados fora – o que será como jogar dinheiro no lixo.

Outra alternativa para evitar desperdícios pode ser comprar frutas e vegetais congelados, se não houver uma grande diferença no custo. Isso porque os alimentos congelados duram mais que os frescos, evitando assim os desperdícios que podem acontecer quando se compra uma grande quantidade de uma fruta ou vegetal fresco e não consegue consumir tudo antes de estragar.

Mas quando se fala em desperdício, os cuidados não referem-se somente a não deixar um produto estragar, mas também a aproveitar tudo o que ele tem a oferecer. Por exemplo, o óleo do atum em lata pode ser reaproveitado em uma receita de tempero para saladas.

Como se não bastasse, as cascas das frutas podem ser aproveitadas em outras receitas: a casca de abacaxi pode ser usada para preparar sucos e outras receitas, existem receitas com a casca de batata e dá para fazer sobremesas light e outras preparações com casca de manga.

Isso sem contar as receitas com casca de maçã, casca de melão, casca de laranja, casca de melancia, a farinha de casca de abóbora e a farinha de casca de banana.

Outra dica contra o desperdício é não jogar fora as extremidades salientes e os núcleos (miolos) de vegetais como cebola, cenoura, aipo e pimentão e armazená-las no congelador. Então, quando tiver completado pelo menos quatro xícaras dessas estruturas dos vegetais, você pode levá-las para cozinhar em fogo brando e fazer um caldo de vegetais caseiro.

7. Procurar ajuda

Se as coisas estiverem bastante apertadas e faltar dinheiro para preencher a despensa, não tenha vergonha de pedir ajuda, afinal são tempos realmente difíceis. Além de solicitar o benefício de auxílio emergencial do governo, você pode ligar para a assistência social da sua cidade e checar se a prefeitura não está fornecendo algum tipo de ajuda aos cidadãos. Por exemplo, em algumas cidades há a distribuição de cestas básicas.

Existem ainda os projetos de ações sociais, em que os próprios cidadãos recolhem doações para montar e distribuir cestas de alimentos e de higiene aos necessitados ou organizam barracas em que a população pode pegar alimentos de graça. Procure saber se não há uma ação do tipo na sua cidade e entre em contato com os organizadores para buscar ajuda.

Você tem tido dificuldades no orçamento desde que a pandemia do novo coronavírus surgiu? Como tem feito para se alimentar bem em casa? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário