Como Essa Jovem Venceu a Anorexia e Hoje Tem um Corpo Exuberante

Abby Pollock é uma amante da boa forma de 23 anos que vive em Toronto, no Canadá. Embora ela tenha um bumbum extremamente definido e empinado e um corpo do qual ela está muito orgulhosa, ela nem sempre foi tão forte e confiante assim.

Em 2012, durante seu primeiro ano da faculdade de Engenharia, Abby estava cerca de 10 quilos abaixo do peso ideal e lutando com sintomas de anorexia e bulimia. Ela estava infeliz em seu relacionamento e sentia uma enorme pressão para conseguir um estágio de Engenharia quando descobriu que seu pai tinha câncer.

Era como se todos os aspectos de sua vida estivessem fora de seu controle – exceto quando se tratava de sua dieta. “A comida era o meu espaço seguro, mas de uma maneira bastante estranha e distorcida”, ela conta.

Usando um aplicativo de celular para rastrear sua dieta, Abby diz que costumava comer o mínimo necessário para manter seu cérebro funcionando: 900 a 1.000 calorias por dia. Ela cresceu obcecada com a perda de peso, tentando dietas cada vez mais restritivas, que saíram de uma simples dieta “saudável”, para a dieta paleo, depois a vegana, e em seguida a vegana crua.

“Eu dizia a mim mesma que estava seguindo essas dietas por razões éticas, quando na realidade eu estava usando-as como um meio para restringir ainda mais calorias e esconder meus hábitos desordenados”, ela agora admite.

Em um dia típico durante essa fase mais restritiva, ela bebia um smoothie verde no café da manhã, e cuidadosamente repartia ingredientes de salada para o almoço e jantar. Às vezes, ela lanchava alguns vegetais crus durante o dia, mas só se chegasse ao ponto em que achava que pudesse desmaiar se não comesse nada.

Como ela percebeu que precisava mudar

Em 2013, Abby suspeitava que seu namorado tinha a traído e descobriu que o prognóstico do câncer de seu pai tinha progredido para terminal. E dessa vez, Abby finalmente estendeu a mão para pedir ajuda. “Eu decidi que não iria mais me fazer de vítima e acabar com a minha própria vida”, diz ela sobre sua decisão de contratar um nutricionista holístico e um personal trainer. Sua primeira meta foi aumentar gradualmente a ingestão de alimentos para 2.000 calorias por dia.

“Comer 1.000 calorias por dia requeria uma força de vontade constante”, Abby escreveu em um recente post em seu Instagram. “Eu estava fisicamente esgotada de comer tão pouco, e mentalmente cansada da obsessão sobre uma parte tão trivial da vida.”

Como é sua dieta hoje em dia

Agora, Abby segue um plano alimentar muito mais flexível, comendo o que quiser, desde que se encaixe em sua cota de calorias diárias, agora de 1.700 calorias, conforme determinado por seu nutricionista para suas metas de boa forma, e de proteínas, carboidratos e gorduras saudáveis.

Em um dia normal, Abby agora come cerca de quatro refeições, como você confere a seguir

  1. Começando com ovos mexidos com peito de peru acompanhado de legumes para a primeira e altamente proteica refeição;
  2. Uma maçã e cenouras baby quando ela sente que precisa de um lanche;
  3. Aveia, clara de ovo, leite de amêndoas, cacau e stevia para a segunda refeição;
  4. Espaguete de abóbora com peito de peru, vegetais e molho de queijo feito com leite de amêndoas para a terceira refeição;
  5. E finalmente, uma shake proteico pós-treino feito com proteína em pó, uma banana, leite de amêndoas e gelo.

A única coisa que Abby realmente restringe são suas horas de comer. Ela pratica o jejum intermitente, o que significa que ela jejua entre 16 e 18 horas por dia. É uma estratégia de dieta que pode melhorar a sensibilidade à insulina, ajudando o seu corpo a produzir mais energia sustentável a partir dos alimentos que você come, de acordo com pesquisas emergentes.

“Isso me ajudou a mudar o meu relacionamento com a comida, a me tornar mais ciente das minhas sugestões de fome, e permitiu a flexibilidade para comer refeições maiores continuando a progredir no meu objetivo”, explica Abby, acrescentando que está atualmente treinando para corridas com obstáculos.

Pelo menos uma vez por semana, ela dá uma escapada de sua dieta com um de seus alimentos favoritos – geralmente, comida japonesa. E mesmo não sendo uma grande consumidora de bebidas alcoólicas, ainda se satisfaz de vez em quando.

E agora, em vez de se sentir culpada por cada caloria que consome, Abby vê cada refeição como uma oportunidade para alimentar seu corpo para ser mais forte – física e mentalmente.

Como é o treino de Abby hoje

Por tudo isso, é bom que a equipe de recuperação de Abby também a tenha ajudado a reformar sua rotina de exercícios físicos, que na época em ela não estava saudável, chegou a fazer até duas horas de aeróbico por dia.

Abby diminuiu para duas sessões mais curtas de aeróbico por semana, incluindo quatro sessões de musculação na semana trabalhando até a falha muscular.

Uma vez que começou a levantar pesos maiores – algo que ela sempre evitou por medo de ganhar peso – seu corpo mudou de maneira surpreendente. Em vez de inchar o corpo, ela notou seu bumbum crescendo enquanto a cintura estava ficando menor, criando um efeito de ampulheta impressionante e um corpo exuberante.

Agora, Abby passa uma hora na academia, quatro vezes por semana. Ela passa um dia malhando suas costas e bíceps, um outro trabalhando seus ombros e tríceps, e dois dias trabalhando os músculos inferiores, praticando exercícios como agachamento, levantamento terra, afundo e muito mais.

De vez em quando, ela pratica 30 minutos de aeróbico, mas só depois que passou a maior parte do dia malhando o bumbum. Ela tem menos tempo para a academia agora, pois trabalha longas horas do dia em sua empresa, uma plataforma de educação motivacional.

A composição corporal

E se você está se perguntando se a sua nova dieta e série de musculação a levou a ganhar peso, a resposta é que sim… Com 1,70m de altura, Abby pesa 68 quilos – um número que uma vez a chocou quando ela costumava se preocupar com a balança acima de 55 quilos. Mas agora, isso não a assusta nem um pouco, especialmente porque ela sabe que tem um corpo mais musculoso, atlético e se sente mais feliz do que nunca.

Hoje, a prioridade de Abby é ajudar os outros a iniciarem suas próprias buscar pela boa forma. “A transformação não acontece quando você encontra o momento, o plano de treino ou dieta perfeitos”, diz ela. “Ele vem de agir, de aprender através de suas falhas, ao invés de desistir.” E ela sabe bem disso.

Você conhece alguém que passe ou já tenha passado por sintomas de anorexia e bulimia e hoje vive uma nova vida como Abby? O que achou da história dela? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*