Como evitar outra pedra nos rins

Especialista da área:
atualizado em 16/05/2022

Certamente, a última coisa que alguém que já sofreu com pedras nos rins quer é passar novamente por uma crise de cálculo renal. Por isso, é bem importante estar ciente das estratégias para evitar outra pedra nos rins.

Mas, para prevenir o retorno do problema com mais eficiência é importante conhecer melhor o tipo de cálculo renal que se teve no passado. 

  Continua Depois da Publicidade  

Os tipos de pedra nos rins e como evitar que elas voltem

Beber água
Beber água é um dos passos importantes para evitar outra pedra nos rins, mas não é o único

Embora seja fundamental, a ingestão correta de água pode não ser o suficiente para evitar o surgimento de outra pedra nos rins. Existem mais alguns passos a serem seguidos, que variam conforme o tipo de cálculo renal e também ajudam a prevenir o retorno do problema.

Portanto, conheça alguns tipos de pedras nos rins, saiba quais alimentos você deve evitar e quais deve consumir mais para evitar cada tipo de cálculo renal:

Pedra de ácido úrico

Se você já teve uma pedra de ácido úrico, deve tomar cuidado com o consumo das proteínas. Apesar de serem benéficas para a maioria das pessoas, elas aumentam a quantidade de ácido úrico no organismo. 

Seja cauteloso quanto ao consumo de carne, peixe, frango, ovos e leite. Diversas bebidas alcoólicas também devem ser evitadas, especialmente a cerveja. Além disso, é essencial evitar também os alimentos ricos em sal.

Por outro lado, aumente o consumo de tomate, castanhas e morangos. Atente-se também à ingestão de água. A quantidade ideal é no mínimo 2 litros por dia.

  Continua Depois da Publicidade  

Pedra de oxalato de cálcio

O segundo tipo de pedra nos rins é a pedra de oxalato de cálcio. Como o próprio nome sugere, a melhor forma de evitar esse tipo de pedra é diminuindo bastante o consumo de alimentos ricos em oxalato. Os principais são:

  • Chocolate
  • Batata doce
  • Couve 
  • Brócolis 
  • Cacau em pó
  • Chá preto
  • Soja
  • Castanhas ou nozes
  • Beterraba 
  • Framboesa 
  • Laranja 
  • Abacate 
  • Morango 
  • Espinafre 
  • Café 
  • Azeitona 

Além disso, tome cuidado com suplementos, pois alguns contêm compostos que podem piorar o problema. Isso ocorre principalmente com suplementos de vitamina C, vitamina D e cálcio. 

Isso não significa que você deve evitar qualquer tipo de suplemento, mas que é necessário consultar um médico para que ele te diga quais você pode tomar e quais deve evitar.

Utilize uma quantidade mais baixa de sal nas refeições e evite alimentos ricos em sal, pois ele aumenta a quantidade de cálcio nos rins, facilitando a formação de outra pedra.

Por fim, eleve o consumo de legumes e frutas, tomando cuidado é claro, com aqueles que contêm muito oxalato. Saiba mais sobre os alimentos ricos em oxalato e como diminuir a absorção.

Pedra de cistina

Muito sal
Abusar do sal não é uma boa ideia para quem quer evitar outra pedra nos rins

As pedras de cistina costumam ser muito raras. Para esse tipo, não há tantas especificações. Aumente a ingestão de água, evite o sal e também os alimentos ricos em sal, como linguiça, molhos e caldos industrializados, por exemplo.

  Continua Depois da Publicidade  

Pedra de estruvita

As pedras de estruvita são normalmente causadas após infecções urinárias, pois elas aumentam o pH da urina, gerando a formação do cálculo renal. 

Para evitar a formação da pedra, aumente a ingestão de água e procure fortalecer o seu sistema imunológico. Faça atividades físicas com frequência e melhore os seus hábitos alimentares.

Como ela é geralmente causada pelas infecções urinárias, se atente às formas de prevenção da própria infecção. Veja algumas dicas:

  • Não reter urina. Esse é um hábito extremamente prejudicial para o seu organismo.
  • Se atente às suas roupas íntimas. Roupas muito apertadas podem facilitar a proliferação de diversas bactérias na região, contribuindo ainda mais para a infecção. Use peças mais largas, como saias e vestidos. 
  • Troque o absorvente pelo coletor menstrual. Os absorventes geram calor e umidade na região e caso não sejam trocados com frequência, podem aumentar o risco de infecções.
  • Realize uma boa higiene íntima. Utilize sabonete líquido íntimo, pois ele contém o pH ideal para a região. Os sabonetes corporais desregulam o pH e contêm um excesso de perfumes, o que também é prejudicial.
  • Após o banho, seque bem a região íntima. Caso contrário, isso facilitará a proliferação de fungos e bactérias. A região já é bastante úmida naturalmente e não necessita de mais umidade.

É importante lembrar que, para realizar uma prevenção mais efetiva, é essencial consultar um médico de confiança. Isso porque ele saberá o que é melhor para o seu organismo, afinal, cada corpo é individual e funciona de forma diferente.

Uma dica extra: evite as bebidas industrializadas, principalmente os refrigerantes. Além disso, aumente o consumo do suco de limão natural. Ele é extremamente benéfico para a saúde em todos os sentidos e pode contribuir com a prevenção do cálculo renal.

Fontes e referências adicionais

Você já teve cálculo renal? De qual tipo? O que faz para evitar outra pedra nos rins? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela UFRJ em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento em transplantes no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela UFRJ em 2010. Dr. Lucio Pacheco é autor de diversos livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D'Or e do Hospital Copa D'Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Para mais informações, entre em contato.

Deixe um comentário