Como Plantar Brócolis em Casa – Passo a Passo e Cuidados

Especialista:
atualizado em 18/02/2020

Por que devemos aprender como plantar brócolis em casa? Vale a pena lembrarmos por qual razão incluir o alimento nas refeições é uma escolha bastante sábia.

O brócolis serve como fonte de uma série de nutrientes importantes para o nosso organismo funcionar como fibras, ferro, potássio, manganês, vitamina B9, vitamina C e vitamina K. Confira em detalhes todos os benefícios do brócolis para a saúde e boa forma.

Além disso, é interessantes aprendermos como plantar brócolis em casa para consumir o vegetal de forma 100% orgânica, visto que existem várias doenças causadas por agrotóxicos nos alimentos, como veremos mais abaixo.

Sobre os agrotóxicos

A Lei brasileira apresenta os agrotóxicos como “produtos e agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos; substâncias e produtos, empregados como desfolhantes, dessecantes, estimuladores e inibidores de crescimento”, segundo informou o portal do Ministério da Saúde.

Essas substâncias também são donas de uma má reputação, o que motiva algumas pessoas a decidirem não consumir alimentos que possam conter algum tipo de agrotóxico em sua composição.

Uma alternativa para assegurar que as refeições sejam realmente livres desses compostos é se responsabilizar pelo cultivo dos alimentos que irão integrar as suas refeições, ou seja, plantá-los em sua própria casa.

Pensando nisso, vamos aprender como plantar brócolis em casa.

E então, como plantar brócolis em casa?

Confira a seguir um passo a passo de como plantar brócolis em vaso:

1 – Para começo de conversa, é importante saber que o brócolis produz melhor em solos pesados ou argilosos, desde que sejam ricos em matéria orgânica. O solo também deve ser fértil, ter um teor elevado de matéria orgânica, ser bem drenado e ter um pH entre 6 e 7.

2 – O brócolis prefere um clima ameno: a variedade brócolis-de-cabeça dificilmente cresce bem onde a temperatura é maior do que 23º C. Embora tolere temperaturas menores por curtos períodos, esse tipo de brócolis prefere um clima entre 6º C a 23º C. Já os chamados brócolis-ramosos suportam melhor o calor e podem crescer bem em climas mais quentes, de até 28º C. Entretanto, é possível encontrar sementes específicas para o verão e para o inverno em lojas agropecuárias, mercados municipais e supermercados;

3 – O vegetal também requer alta luminosidade para crescer, com luz solar direta durante, no mínimo, algumas horas por dia. Se as mudas não receberam uma quantidade suficiente de luz solar, se tornarão muito finas e moles;

4 – Como o brócolis é exigente em relação aos micronutrientes boro e molibdênio, é necessário utilizar compostos orgânicos e adubos químicos que contenham essas substâncias, caso o solo seja deficiente nelas. Entretanto, deve-se tomar cuidado com a aplicação de soluções no solo ou nas folhas da planta porque o excesso de boro também pode ser prejudicial;

5 – Recomenda-se que apenas um brócolis seja plantado em casa vaso com capacidade de aproximadamente 20 ml. Já nos vasos com capacidade de em torno de 55 ml pode ser feito o cultivo de duas a três plantas. Esses vasos devem ter furos de 25,4 a 30,48 cm de diâmetro na base para que a água seja drenada e apresentar entre 20,32 cm a 40,48 cm de altura. O cultivo nos vasos cuidados em relação à temperatura, inclusive após a germinação. Por isso, recomenda-se não utilizar vasos pretos porque eles podem esquentar muito no sol, enquanto o recipiente que recebeu o plantio do brócolis não deve ultrapassar os cerca de 27º C. Outra orientação é posicionar os vasos de modo que eles fiquem completamente na sombra e os brócolis fiquem em sombra parcial;

6 – Outros materiais necessários para o plantio do brócolis em vaso são: composto orgânico ensacado, terra ou substrato orgânico para vaso, luvas, borrifador de jardim, espátula, sementes, bandeja de germinação e filtros de café;

7 – Misturar o composto orgânico e a terra ou substrato orgânico em porções iguais no vaso em uma quantidade suficiente para encher uma bandeja de germinação. Então encher a bandeja de germinação com a mistura obtida;

8 – Colocar de três a quatro sementes de brócolis na superfície da mistura. Cobrir as sementes com uma camada pequena de mistura de solo para vasos. Aguar o solo apenas um pouquinho, apenas para deixa-lo úmido, sem inundá-lo;

9 – Ficar de olho no desenvolvimento: as sementes começam a germinar alguns dias após a semeadura e, dentro de quatro a seis semanas, as mudas se tornam maduras o suficiente para serem transplantadas. Conforme as mudas forem crescendo, será necessário afinar cada leva para permitir que somente a muda mais forte fique em cada vaso. E não precisa ser a mais alta, mas deve ser aquela com o caule mais grosso e com mais folhas;

10 – Antes de transplantar, cobrir o fundo do vaso com o filtro de café. Misturar a terra ou substrato orgânico para vaso ensacado e o composto orgânico ensacado em uma proporção de uma parte de composto orgânico para três partes de terra ou substrato orgânico. Mexer a mistura com as mãos para se livrar dos grumos. Finalmente, encher o vaso com a preparação, que deve permanecer solta (não endurecida) no recipiente, e deixar aproximadamente 2,5 cm de espaço na borda superior do vaso;

11 – Delicadamente, apertar a lateral da bandeja de germinação, girar o copinho de lado e cuidadosamente deslizar todo o bloco de solo na mão, de modo que a mudinha de brócolis não seja danificada. Então, colocar todo o bloco no centro do vaso maior. Para isso, faça um buraco bem no meio da mistura de terra no vazo, aproximadamente do mesmo tanto do bloco de solo com a muda de brócolis e coloque-a nesse buraco. Com o auxílio da espátula, coloque a terra de volta ao redor do bloco.

12 – Irrigação: a rega deve ser feita de modo que o solo fique sempre úmido, porém, sem tornar-se encharcado. O brócolis requer uma umidade consistente, portanto, para começar, águe o vaso até que a água comece a sair dos buracos de drenagem. Aguar novamente quando o solo na superfície do vaso começar a ficar seco;

13 – Checar regularmente por qualquer sinal de doenças ou pestes na sua planta. Se o cultivo do brócolis for externo, é possível que borboletas deixem ovos no vegetal, que é um dos seus alimentos favoritos. O problema é que as lagartas podem trazer muitos danos para a planta. Para solucionar o problema, você pode tirá-las com as mãos. Outra possibilidade é impedir que as borboletas deixem seus ovos: basta cobrir as plantas com um tecido fino e translúcido de malha e amarrá-lo frouxamente ao redor do caule da planta, acima da linha do solo. Porém, certifique-se de ajustar o tecido conforme a planta for crescendo;

14 – É preciso tomar um cuidado especial quando a cabecinha do brócolis aparecer. Quando isso acontecer, monitore bem te perto e colha quando as cabeças começarem a ficar com aproximadamente 10 cm a 17,7 cm de largura. Já se você perceber uma pitada amarela na cabeça do brócolis, colha imediatamente. O amarelo indica que as florezinhas estão florescendo e o brócolis se torna amargo depois que floresce;

Outras dicas

  1. Na hora em que for colher o brócolis, escolha um ponto aproximadamente 12 cm abaixo da cabeça do vegetal e corte cuidadosa e rapidamente com uma faca afiada. Entretanto, evite o movimento de serrar porque isso pode provocar danos desnecessários às plantas. Não deixe a planta cortada de lado e continue a tomar conta dela, já que novos rebentos crescerão nela;
  2. Cuidado com a composição dos substratos, terras e compostos que você utilizar para cultivar o brócolis – muito nitrogênio pode prejudicar o caule da planta;
  3. O cultivo de brócolis também pode sofrer com a invasão de lesmas, caracóis e vermes que se alimentam das plantas e devem ser removidos imediatamente pois podem danificá-las.

E qual é o grande problema com os agrotóxicos?

O portal do Ministério da Saúde informa que o uso contínuo, indiscriminado e inadequado dessas substâncias é considerado um relevante problema ambiental e de saúde pública.

Segundo a publicação, “os efeitos à saúde humana, decorrentes da exposição direta ou indireta aos agrotóxicos podem variar de acordo (com) a toxicidade, tipo de princípio ativo, dose, tempo de exposição e via de exposição”.

Estudos realizados pelo aluno de doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Ensp/Fiocruz), Cleber Cremonese, indicaram que parte dos agrotóxicos pode desregular o sistema endócrino, alterando os níveis de hormônios sexuais e provocando efeitos prejudiciais, especialmente para o sistema reprodutor.

Essas reações podem incluir os riscos de câncer de mama, câncer de ovário, câncer de testículo, câncer de próstata, desregulação do ciclo menstrual, infertilidade, baixa na qualidade do sêmen e malformação de órgãos reprodutivos.

Em suas pesquisas, Cremonese avaliou moradores de Farroupilha (RS) – em um primeiro estudo, ele trabalhou com homens e mulheres adultos, trabalhadores rurais e seus familiares, que tinham entre 18 a 69 anos; no segundo ele analisou jovens das zonas rurais e urbanas com idade entre 18 a 23 anos.

Para chegar aos resultados apontados, o doutorando coletou amostras de sangue e sêmen e aplicou questionários.

Ele concluiu que seus estudos sugerem que as exposições crônicas aos agrotóxicos interferem na regulação dos hormônios sexuais nos adultos e na qualidade do sêmen dos jovens nas regiões onde o estudo foi conduzido.

Cleber afirmou ainda que o uso dos agrotóxicos já foi associado a outros problemas de saúde como doenças neurodegenerativas como Parkinson, distúrbios cognitivos, transtornos psiquiátricos, alterações respiratórias e imunológicas, problemas no fígado e nos rins e complicações na gestação como aborto, malformações congênitas e baixo peso ao nascer.

O doutorando defende intervenções de curto, médio e longo prazo para diminuir ou minimizar os problemas causados à saúde, pelos alimentos com agrotóxicos, dos grupos de risco em relação aos efeitos dessas substâncias.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

O que você achou dessas dicas de como plantar brócolis em casa? Pretende começar a cultivar seus próprios alimentos? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário