Creatinina baixa – O que significa, sintomas e o que fazer!

Especialista da área:
atualizado em 30/10/2020

No dia 12 de março nós comemoramos o Dia Mundial do Rim. Nesse ano, como em todos os anos desde 2006, o governo fez campanhas incentivando os cidadãos a fazer exame de sangue, onde o resultado dos níveis de creatinina pode prevenir possíveis problemas renais.

  Continua Depois da Publicidade  

Dados comprovam que níveis muito altos dessa substância no sangue podem indicar falha no sistema de filtragem desse órgão.

No entanto, a creatinina não serve apenas como um alarme para alertar de que seus rins não andam bem. Níveis muito baixos dela também podem ser um sinal de que seu fígado ou músculos estão com algum problema.

exame de sangue

Nesse artigo você irá descobrir o que significa apresentar creatinina baixa, quando resultados como esses são preocupantes ou não, quais os principais sintomas e o que fazer se níveis baixos dessa substância forem detectados no seu organismo.

Mas o que é Creatinina?

Antes de falar sobre a creatinina, vamos explicar o que é a creatina.

A creatina é uma substância importante, usada pelos nossos músculos quando fazemos exercícios. Sua principal função é fornecer energia para o corpo. O nosso organismo consegue sintetizá-la naturalmente, obtendo apenas uma pequena parte por meio da alimentação.

Após ser produzida pelo fígado, a creatina é armazenada nas fibras musculares e usada como combustível para os músculos. A creatinina nada mais é do que o resíduo resultante da atividade muscular.

Depois de ser formada a partir da creatina, a creatinina entra na corrente sanguínea e os rins são responsáveis por removê-la do sangue e eliminá-la por meio da urina.

A creatinina não é uma substância nociva ao organismo, tampouco benéfica, mas ela pode ser considerada um indicador importante do seu estado de saúde.

O seu alto índice no sangue pode ser um sinal de que os rins estão com problemas para filtrar o sangue (um dos sintomas da disfunção renal). O que, por sua vez, pode significar que outras substâncias, como toxinas, por exemplo, não estão sendo filtradas por eles.

  Continua Depois da Publicidade  

Por outro lado, baixas concentrações de creatinina podem apenas apontar que o indivíduo está levemente abaixo do peso ou sinalizar alguns problemas de saúde, os quais veremos logo mais.

Valores de referência

Os níveis de creatinina considerados normais podem variar, dependendo da massa muscular e do peso corporal de cada pessoa. Por isso, existem valores de referência diferentes para homens e mulheres.

GêneroValores de referência
Homens0,7 a 1,3 mg/dL
Mulheres0,6 a 1,2 mg/dL
Fonte: Fundação Pró-Rim

Creatinina baixa – Fatores de risco

Nem todos os casos de creatinina baixa são problemas sérios de saúde. Apresentar níveis baixos dessa substância pode estar relacionado a vários fatores, como por exemplo:

  • Pouca massa muscular: o indivíduo perde massa muscular com facilidade ou possui pouca, os níveis dessa substância serão naturalmente baixos no organismo. Por isso pessoas idosas que normalmente tem menos massa muscular, com frequência apresentam níveis de creatinina baixos;
  • Baixo peso corporal: Pessoas abaixo do peso corporal ideal podem apresentar baixos níveis de creatinina também;
  • Estar doente: Ao combater uma doença como um resfriado ou uma virose por exemplo, a quebra da creatina em creatinina fica em segundo plano, porque as suas energias estarão voltadas a combater a doença, e com isso os níveis de creatinina ficarão baixos.

No entanto, em indivíduos jovens e saudáveis, a creatinina baixa pode indicar problemas de saúde como a desnutrição, problemas no fígado ou uma dieta inadequada que precisa ser corrigida para evitar complicações.

Possíveis causas da creatinina baixa

Baixos níveis de creatinina podem ocorrer pelos seguintes motivos:

1. Danos musculares

Doenças como a distrofia muscular podem resultar em baixos níveis de creatinina no sangue. Neste caso, os músculos ficam mais fracos e começam a se deteriorar, reduzindo a quantidade de creatinina. Sintomas da doença podem incluir fraqueza e rigidez muscular, dor e redução da mobilidade.

2. Danos no fígado

O mau funcionamento do fígado pode afetar a produção normal de creatina que, por sua vez, causa uma redução na quantidade de creatinina. Portanto, em casos de doenças crônicas no fígado, esse órgão pode produzir até 50% menos creatina do que o normal.

Sintomas de problemas hepáticos costumam incluir dor e inchaço abdominal, mudança de cor nas fezes e icterícia (presença de cor amarelada nos olhos, pele e mucosas).

  Continua Depois da Publicidade  

3. Perda de água em excesso

O uso de certos medicamentos diuréticos ou até mesmo a ingestão de água em excesso podem causar a redução nos níveis de creatinina devido à elevada perda de água através da urina.

4. Gravidez

Condições temporárias como a gravidez podem resultar em creatinina baixa apenas durante o período gestacional. Os níveis tendem a se normalizar logo após o parto.

5. Dieta inadequada

Como o nosso corpo obtém uma pequena quantidade de creatina através dos alimentos, uma dieta inadequada pode causar uma redução nos níveis de creatinina no organismo.

Pessoas que ingerem pouca proteína, veganos e vegetarianos que não consomem proteínas vegetais em quantidades suficientes, pessoas que fazem jejuns prolongados e aquelas que têm dificuldades para comer por causa de alguma doença ou distúrbio alimentar, também podem ter alterações nos níveis de creatinina.

O que fazer?

Você pode saber quais como estão os seus níveis de creatinina por meio de exames de sangue ou urina. Alguns médicos podem solicitar os dois tipos para facilitar o diagnóstico.

Se seus níveis de creatinina estiverem baixos seu médico provavelmente vai pedir mais exames. O primeiro passo é confirmar o diagnóstico para, então, tratar a causa.

1. Tratamento para baixa massa muscular

Há casos em que a redução da massa muscular é normal e apenas algumas mudanças no estilo de vida são suficientes para favorecer o aumento dos níveis de creatinina, como por exemplo: caminhadas, ciclismo, treinamentos com pesos, natação e outros exercícios aeróbicos.

Entretanto, para pessoas diagnosticadas com uma doença muscular, o tratamento pode focar em soluções para reduzir a dor e a fraqueza e evitar o progresso da degeneração dos músculos. Para isso, o médico pode indicar fisioterapia e uso de medicamentos anti-inflamatórios.

2. Uso de medicamentos

Se os níveis baixos de creatinina são causados pelo uso de medicamentos específicos, vale conversar com seu médico para trocar o remédio por um similar ou alterar a dosagem.

3. Estratégia para problemas na dieta ou desnutrição

Se os baixos níveis de creatinina forem causados por uma má alimentação ou desnutrição, o médico pode recomendar ajustes na dieta, como aumentar a ingestão de boas fontes de proteína e caprichar em outros alimentos saudáveis como frutas e legumes.

Além disso, outra boa dica é ter mais refeições durante o dia em porções reduzidas e saudáveis. Assim, em vez de comer apenas as 3 refeições principais, você pode reduzir um pouco as porções e se alimentar de 5 a 6 vezes por dia.

4. Tratamento para doenças hepáticas

Se os exames apontarem problemas no fígado, o médico irá indicar os medicamentos necessários para o tratamento e solicitar que o paciente adote mudanças no estilo de vida: uma dieta mais saudável e equilibrada, e restrição ao consumo de bebidas alcoólicas, por exemplo.

Mas e a suplementação? É necessária?

As pessoas que praticam atividades físicas regularmente têm o uso de suplementos de creatina como uma prática comum. Mas, se você segue uma boa dieta, essa suplementação é desnecessária para você, pois seu próprio corpo é capaz de suprir suas necessidades básicas e manter os níveis ideais de creatina em seu organismo.

Fontes e Referências Adicionais

Você já foi diagnosticado com creatinina baixa? Qual tratamento recomendado pelo seu médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (13 votos, média 3,85)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

1 comentário em “Creatinina baixa – O que significa, sintomas e o que fazer!”

  1. O médico me recomendou beber mais água.
    Ingerir a quantidade certa de água ao dia, deve ser pra melhorar o desempenho hepático.

    Responder