Home » Dieta » Alimentos Para Dieta » Diabético Pode Comer Mel?

Diabético Pode Comer Mel?

Mel

Ao ser diagnosticado com uma condição de saúde que exige que aconteçam mudanças na alimentação, é normal que o paciente fique em dúvida em relação a quais alimentos pode e quais não pode consumir.

  Continua Depois da Publicidade  

Uma das doenças que requer tal adaptação é a diabetes, uma condição em que o organismo não é capaz de produzir insulina ou não consegue utilizar adequadamente o hormônio produzido pelo corpo. A insulina trabalha no controle da quantidade de glicose (açúcar) encontrada no sangue.

Além da prática de atividades físicas, da checagem da glicemia, da aplicação de insulina, do uso de medicamentos, do cuidado com a saúde bucal, do controle do estresse, da eliminação do cigarro e da diminuição do consumo de bebidas alcoólicas, o tratamento da diabetes envolve seguir uma alimentação focada no favorecimento do controle nos níveis de glicose no sangue.

Seguir todos os passos e recomendações do tratamento é importante para que não sejam desenvolvidas complicações, causando danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

O diabético pode comer mel?

Um dos questionamentos que pode surgir para a pessoa que acabou de ser diagnosticada com a condição é se o diabético pode comer mel.

  Continua Depois da Publicidade  

De acordo com a médica Regina Castro, em publicação da Mayo Clinic, o consumo de mel é permitido. Entretanto, ele deve ser feito em moderação e os carboidratos presentes no alimento – são 8,2 g encontradas a cada porção de 10 g – devem entrar na conta diária de ingestão total do nutriente.

Mas por que a quantidade de carboidratos do mel importa? O nutriente afeta as taxas de glicose no sangue, tendo em vista que é constituído por pequenos blocos de moléculas de açúcar. Ele é quebrado pelo sistema digestivo e adquire a forma de açúcar para, então, ser utilizado pelo organismo como fonte de energia.

Segundo a Associação Americana de Diabetes, as respostas em relação aos níveis de açúcar no sangue ao consumir determinado alimento variam de pessoa para pessoa.

Isso significa que as porções de mel poderão ser ajustadas dependendo de como as suas taxas de glicose no sangue respondem ao consumo do alimento. Assim, não podemos determinar a porção ideal, já que ela difere para cada indivíduo. Porém, isso poderá ser estabelecido com o auxílio do médico responsável pelo tratamento.

O que você deve ter em mente é que o mel tem uma alta densidade de carboidratos, e por isso é um alimento delicado para diabéticos.

O índice glicêmico

O índice glicêmico é uma medida que avalia a velocidade pela qual um alimento aumenta os níveis de glicose no sangue. Os alimentos que possuem índice glicêmico alto são absorvidos velozmente, provocando rapidamente uma elevação nas taxas de açúcar no sangue. Portanto, eles não são os mais indicados para quem possui diabetes.

  Continua Depois da Publicidade  

Já as comidas com índice glicêmico baixo são absorvidas lentamente, sem causar um aumento súbito nos níveis de glicose no sangue. Assim, é a esse tipo de alimento que os diabéticos devem dar prioridade.

Um alimento é classificado dentro do grupo de índice glicêmico baixo quando apresenta um valor maior ou igual a 55. Já os itens que ficam entre 56 a 69 apresentam o índice glicêmico médio e as comidas com taxa maior ou igual a 70 entram na categoria do índice glicêmico alto.

Neste quesito, o consumo de mel exige um cuidado ainda maior – seu índice glicêmico é de 104. Ou seja, é alto, o que significa que o alimento eleva rapidamente os níveis de glicose no sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

Assim, é importante entender que diabético pode comer mel apenas em pequenas quantidades, e é ideal que venha acompanhado de outros alimentos que apresentam um índice glicêmico baixo.

Pesquisa comparou os efeitos do mel e do açúcar em diabéticos

Por outro lado, os resultados de uma pesquisa podem apontar que o diabético pode comer mel, ainda que seja em pequenas quantidades, como uma alternativa mais saudável que o açúcar de mesa.

De acordo com informações do diettvdisease.org, o experimento indicou que o consumo de mel apresentou um impacto bem mais baixo nas taxas de açúcar sanguíneas em pessoas diagnosticas com diabetes do tipo 2 do que a glicose pura.

Para os portadores de diabetes do tipo 1, o impacto que o mel trouxe em relação aos níveis de glicose no sangue também foi menor do que o efeito trazido pelo açúcar de mesa ou pela glicose pura.

Outra pesquisa focada em pacientes com diabetes do tipo 1, que teve a duração de 12 semanas, demonstrou que adicionar o mel à dieta melhorou os níveis de açúcar no sangue em curto prazo. Porém, como não foram realizadas avaliações de longo prazo, não é possível determinar se o efeito é duradouro ou não.

Por sua vez, outro estudo, dessa vez feito com pessoas diagnosticadas com diabetes do tipo 2, trouxe resultados não tão empolgantes em relação ao mel. O resultado foi que ainda que a adição de mel tenha trazido benefícios em relação aos níveis de lipídios e ao peso corporal, ele causou uma elevação em longo prazo nos níveis de glicose no sangue.

Escute o especialista 

Por mais que essas informações possam ajudar, somente o médico que conhece o seu caso, com suas particularidades, individualidades e necessidades poderá bater o martelo e determinar se você que é diabético por comer mel e ele deve ser inserido na sua dieta. Assim, não deixe de consultá-lo para saber como consumir o ingrediente em seu dia a dia.

Até porque o mel é um alimento saudável, que é fonte de nutrientes como potássio, cálcio, ferro, fósforo magnésio e vitamina C e associado a benefícios como o alívio da dor de garganta, a melhoria da qualidade do sono, ação antioxidante, efeito antimicrobiano, auxílio à saúde do intestino e ao tratamento de problemas respiratórios, diminuição dos riscos de infecção urinária e contribuição com a saúde da pele.

Além de se preocupar com o controle dos níveis de glicose no sangue, como toda pessoa, o diabético deve procurar tem uma alimentação equilibrada, controlada, saudável e nutritiva que traga uma variedade de alimentos.

Assim, melhor do que excluir o mel de uma vez por todas da alimentação, é mais aconselhável aprender como consumi-lo, aproveitando seus benefícios, sem causar estragos nas taxas de açúcar do sangue.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referencias adicionais:

Você já imaginava que diabético pode comer mel apenas em pequenas quantidades? Você já foi diagnosticado com essa condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,17 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

5 comentários

  1. Marcio de lima paludetto

    O metiformina afeta o apetite.

  2. O meu médico proíbe o consumo de mel nas minhas refeições.Segundo ele o mel e um alimento que não deve ser consumido pelo diabético em hipótese nenhuma.

  3. [email protected]
    Sim eu sabia que o mel por ser um produto natural pode ser consumido por diabeticos com moderação, como todo alimento,nao minha opinião o diabetico pode comer todo e qualquer produto não industrializado, sempre com moderação, inclusive deve usar somente produtos integrais, que são ricos em fibras, como arroz pães e macarrão integral

  4. Eu como mel as vezes mas sobe sim um pouco a diabetes fica em 128 por aí tomo metformina uma vez depois do almoço

  5. maria marlene rodrigues cezar

    meu Deus,Patricia!!!Como e´difícil ficar sem comer pão,mel ou frutas secas.”Estou pré diabética”.Suas informações estão sendo preciosas demais.e,vou segui-las ao pé da letra.Obrigada.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*