A Dieta do Abdômen: Como Funciona, Cardápio e Dicas

Especialista:
atualizado em 09/12/2019

A promessa é grande: queimar até seis quilos de gordura abdominal em duas semanas, o que ajuda a perder a barriga e até, quem sabe, conseguir a tal “barriga tanquinho”. Ao ler isso, você deve estar pensando que esta é mais uma dieta louca, sem base científica.

Na verdade, esta dieta lançada por David Zinczenko, autor do livro de mesmo nome da dieta, nos Estados Unidos é muito bem vista por profissionais das áreas médicas. Focando em alimentos superpoderosos, esta dieta busca a perda de gordura corporal através do reajuste do metabolismo. Conheça um pouco mais sobre a dieta do abdômen.

Como funciona a dieta do abdômen

A dieta do abdômen é um plano alimentar para ser seguido por seis semanas. Investindo pesado em 12 alimentos superpoderosos (vários nutrientes em um só), a dieta do abdômen busca estimular o crescimento muscular e o reajuste do metabolismo, deixando-o mais eficaz para queima de gordura. Deve-se comer seis vezes ao dia, de modo que este fracionamento não deixa nem que você passe fome e nem que fique sem energia.

David acredita que a contagem de calorias é contraproducente, uma vez que contar calorias em um regime restritivo pode levar as pessoas a desistirem com rapidez do plano. As refeições (principais e lanches) sempre contêm proteínas porque elas saciam por mais tempo e são essenciais para o desenvolvimento muscular e a presença de músculos acelera a queima de gordura.

Estrutura da dieta – Cardápio

6 semanas, 6 refeições diárias. As refeições se distribuem assim:

– Café da manhã

– Lanche (duas horas antes do almoço)

– Almoço

– Lanche (duas horas antes do jantar)

– Jantar

– Lanche (duas horas depois do jantar)

Comidas permitidas

Cada refeição deve conter no mínimo dois alimentos da lista de “supercomidas”:

  • Ovos
  • Carne magra (peru, peixe etc.)
  • Laticínios com pouca ou nenhuma gordura (leite, iogurte, queijo)
  • Leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.)
  • Verduras de cor verde escura
  • Frutas silvestres como framboesa, morango, mirtilo
  • Whey protein (suplemento de proteína)
  • Cereais integrais
  • Aveia
  • Nozes (castanhas, amêndoas, nozes)
  • Azeite de oliva
  • Manteiga de amendoim

Além dessas comidas, é possível incluir versões integrais de carboidratos como pães, massas, arroz, outras frutas e verduras. Comidas com açúcar ou excesso de gordura devem ser evitadas, pois além de serem calóricas e promover o ganho de peso, o açúcar atrapalha no crescimento muscular.

Você tem direito, no entanto, a colocar o pé fora da dieta. Álcool é liberado em doses moderadas (três porções no máximo, por semana). Você também tem direito a uma refeição por semana para comer o que quiser.

Calorias

Embora não haja contagem de caloria, a média fica entre 1400 a 1600 calorias por dia. As porções são controladas de acordo com cada tipo de alimento.

Exercícios

Os exercícios são opcionais nas duas primeiras semanas. A partir da terceira você deve começar incluindo 20 minutos de exercícios ao menos 3 vezes por semana. O treino inclui musculação, caminhada e abdominais. Se você acha que tem levado uma vida sedentária e que terá preguiça de fazer isso, encontre motivação para fazer exercícios físicos o quanto antes. Você precisará disso! O livro de David também traz sugestões de exercícios em casa e na academia. Há um dia de descanso na rotina de exercícios.

Versão feminina

A dieta do abdômen foi lançada inicialmente na revista masculina Men’s Health. Com o sucesso do programa, muitas mulheres também começaram a fazer, adaptando as porções para as necessidades femininas. Depois, David lançou um livro destinado apenas para as mulheres e se chama “A Dieta do Abdômen Para mulheres”.

Vale a pena fazer a dieta do abdômen?

De maneira geral, sim. Há vários pontos a favor dela:

  • Não é restritiva demais, portanto a pessoa não corre o risco de passar fome;
  • É variada, incluindo possibilidades de comer guloseimas;
  • É fácil de seguir por não ser cheia de regras e nem contar calorias;
  • Estimula a atividade física.

Há algo contra a dieta do abdômen?

A dieta do abdômen possui algumas brechas que podem deixar dúvidas.

  • Não há estudos científicos por trás dela. David é um empresário que entende bastante de nutrição e atividade física, mas não é nenhum profissional da área da saúde. A dieta dele, no entanto, baseia-se em princípios comprovados cientificamente, mas se você procura algo que tenha sido de fato estudado, essa dieta não é para você;
  • Temporário: esta dieta tem um limite de tempo, 6 semanas. Isso pode trazer complicações para a manutenção do peso perdido;
  • Precisa de suplementação: apesar de ter um cardápio variado, o próprio David recomenda o uso de um suplemento de vitamina e minerais, de preferência um que contenha cromo, vitamina B6 e B12;
  • A falta da contagem de calorias pode ser perigosa para pessoas menos disciplinadas;
  • Os exercícios são focados demais na região abdominal, esquecendo-se de trabalhar igualmente outras áreas.

O que achou da dieta do abdômen? Você acha que se daria bem com essa dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (41 votos, média: 4,41 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário