Efedrina Emagrece Mesmo? Vale a Pena?

🕐 7/05/2015

Cada dia mais procurado em academias na área de musculação pelos desavisados, a Efedrina é um composto derivado de várias espécies de plantas que quando sintetizado pode se tornar um poderoso e perigoso medicamento.

Quando é tomado por aqueles que não querem esperar para ter o corpo musculoso e definido, podem lhes custar a saúde e seus efeitos colaterais severos podem dar origem a inúmeras complicações, desde um ataque cardíaco até uma doença hepática crônica. Ainda assim, as pessoas escolhem correr o risco pela ideia de que a Efedrina emagrece.

O Emagrecimento a Qualquer Custo

A Efedrina é um dos medicamentos usados nos coqueteis tomados muitas vezes com o intuito de acelerar o processo de perda de peso e ganho muscular, mas seus efeitos colaterais graves tornam o processo menos saudável e com graves riscos à saúde do paciente, fazendo-a uma fraca alternativa ao processo tradicional, mais lento, mas que não afeta a saúde do paciente de forma tão grave.

O emagrecimento é um processo que envolve perseverança, e às vezes o ritmo acelerado em que vivemos nos faz acreditar que mesmo esta transformação, que é algo ditado pelo organismo de cada um, deveria ser rápida.

Na ânsia de obtermos resultados, recorremos a medicamentos como a efedrina, que fornecem tanto os resultados que desejamos quanto efeitos colaterais sérios e por vezes irreversíveis. Portanto, muita responsabilidade deve ser a chave para se obter e usar o produto, pela conta e risco do paciente.

Vale lembrar que qualquer procedimento de emagrecimento que requer o uso de remédios e substâncias químicas deve ser acompanhado de perto por um médico, seja ele um nutricionista ou um endocrinologista.

A Efedrina

A Efedrina é um derivado das plantas da família das efedráceas, e já era usada por chineses há séculos no tratamento de doenças respiratórias como a asma e a bronquite, pois sua composição causa a desobstrução das vias aéreas através do aumento no fluxo sanguíneo. Contudo, estudos científicos identificaram os graves perigos do uso desta substância, e por isso seu uso mesmo em casos de tratamento de doenças respiratórias como a asma é desaconselhável atualmente, sendo preferível procurar outras alternativas.

O efedrina emagrece no aumento da pressão arterial e circulação sanguínea, o que aumenta o metabolismo do paciente e impulsiona a produção de adrenalina, causando a queima de gordura mais rápida. Neste aspecto seu efeito é bastante similar ao dos medicamentos derivados de anfetaminas, bem como os riscos, como a forte tendência a dependência em seus usuários e episódios de taquicardia e problemas de irritabilidade. Após a ingestão, ela é completamente absorvida pelo trato intestinal, aumentando sua eficácia, mas também seus efeitos colaterais.

A Efedrina emagrece?

Além de fornecer altos riscos à saúde de quem consome – não apenas na superdosagem, mas em qualquer quantidade – a efedrina também é pouco eficaz, e seus resultados, segundo estudos científicos, não são significativos, e quando o paciente os obtém são a curto prazo, desaparecem assim que se interrompe o uso.

Isso também pode levar à ilusão de que se está consumindo pouco do remédio, e estimular a dosagem extrema e irresponsável por parte daqueles em busca de músculos de forma rápida. Ou seja, se a efedrina emagrece, não é exatamente de uma forma eficaz ou desejável.

Quando combinada com cafeína e aspirina se transforma na famosa ECA, termogênico muito usado e que, apesar de fornecer real emagrecimento, traz os mesmos riscos da efedrina normal, somado aos próprios efeitos causados pelos outros dois componentes.

Riscos e Efeitos Colaterais

Quando usada em sua quantidade “normal”, a efedrina causa vasoconstrição (a contração dos vasos sanguíneos, devido ao aumento na pressão arterial), aumento dos batimentos cardíacos, broncodilatação (dilatação das vias respiratórias, causando aumento na frequência respiratória), dilatação das pupilas, braquicardia (frequência cardíaca irregular ou lenta), e em alguns casos até danos hepáticos, hipertensão, e congestão nasal. Alguns dos efeitos mais graves são ataques cardíacos, convulsões, derrames, estado de alerta, entre outros.

Não deve ser usado em hipótese alguma em mulheres lactantes, pois é uma substância que se transfere para o leite materno e altera sua composição, indo até a criança. Outros riscos dependem de organismo para organismo, e em caso de ingestão do produto, um médico deverá ser consultado para que se evitem maiores danos à saúde.

Saúde em Primeiro Lugar

Conhecendo os riscos de seu consumo, mesmo sabendo que a efedrina emagrece, não se torna viável o consumo desta substância, e é preferível recorrer a outros métodos fitoterápicos para atingir o emagrecimento ideal, aliado sempre a uma alimentação equilibrada e exercícios físicos.

Atingir a boa forma não é um processo fácil, mas de fato não compensa prejudicar o organismo com a ingestão do medicamento, uma vez que os efeitos colaterais – de curto e longo prazo – ainda são muito graves para compensar o emagrecimento. Se a efedrina emagrece, pouco vale a pena correr os riscos.

Além disso, a longo prazo o efeito emagrecedor do remédio perderá efeito, pois o corpo desenvolve resistência a ele, sobrando apenas os graves efeitos colaterais, pondo em risco sua saúde e bem-estar.

Você se arriscaria a tomar Efedrina para emagrecer mesmo sabendo de todos os riscos e efeitos colaterais da mesma? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (65 votos, média: 3,95 de 5)
Loading...

2 comentários em “Efedrina Emagrece Mesmo? Vale a Pena?”

Deixe um comentário