Fenobarbital – Para Que Serve, Mecanismo de Ação, Efeitos Colaterais e Indicação

Especialista:
atualizado em 22/08/2018

Conhecido como um medicamento usado no tratamento de crises de convulsão, o fenobarbital também tem sido explorado para o tratamento de insônia e alguns distúrbios de ansiedade.

Esse texto tem como objetivo explorar os usos do fenobarbital, bem como entender seu mecanismo de ação, seus efeitos colaterais e disponibilizar informações sobre quem deve ou não tomar esse medicamento e até que ponto seu uso é seguro para a saúde.

Fenobarbital – O que é

O fenobarbital é um medicamento usado sozinho ou em conjunto com outros auxiliares para o controle de convulsões. Ele pertence a uma classe de medicamentos conhecidos como barbitúricos anticonvulsionantes e hipnóticos.

Apesar de ser um anticonvulsionante, ele também pode ser prescrito para tratar distúrbios de sono e crises de ansiedade a curto prazo.

Para que serve

Esse remédio funciona controlando a atividade elétrica anormal no cérebro que ocorre durante um episódio de convulsão. Apesar de essa ser sua principal função, o fenobarbital também é utilizado para tratamento de insônia e como um sedativo antes de alguns tipos de cirurgias.

Indicação

O fenobarbital é indicado para pessoas que apresentam quadros convulsivos. Ele ajuda a controlar e reduzir a frequência de convulsões, a reduzir o risco de danos físicos quando uma convulsão acontece, além de reduzir o risco de convulsões fatais.

Apesar de ser extremamente útil no controle de convulsões, ele só deve ser usado a curto prazo para ajudar a acalmar os nervos e a dormir durante períodos de maior ansiedade.

Assim, os principais usos do fenobarbital são:

  • Sedativos: Por ser um hipnótico, esse medicamento é usado para tratamentos a curto prazo de insônia e outros distúrbios do sono. Após um período de 2 semanas, o remédio deixa de fazer o efeito almejado.
  • Anticonvulsionante: O fenobarbital só pode ser usado a longo prazo sob orientação médica para o tratamento de crises convulsionantes. Também pode ser administrado em situações de emergência para o controle de episódios convulsivos agudos.

Mecanismo de ação

O fenobarbital atua afetando partes específicas do cérebro gerando uma espécie de efeito calmante. Ele é um medicamento que atua retardando a atividade no cérebro e no sistema nervoso como um tudo.

De um modo mais específico, o fenobarbital é um derivado do ácido barbitúrico, que apresenta propriedades antipsicóticas. O fenobarbital se liga ao receptor do ácido gama-aminobutírico (GABA) potencializando os seus efeitos ,que incluem a regulação da excitabilidade neuronal e a inibição do sistema nervoso central, resultando em um efeito sedativo. Além disso, através da ativação do GABA por meio do fenobarbital, ocorre uma diminuição de comportamentos agressivos e impulsividade, além da regulação do tônus muscular, controlando episódios convulsivos.

Posologia

O fenobarbital geralmente é usado por via oral com ou sem alimentos uma vez por dia próximo da hora de dormir para o controle de crises convulsivas ou de ansiedade. Para evitar desconfortos estomacais, o medicamento pode ser usado durante uma refeição ou tomado com um copo de leite.

A dose depende da condição única do paciente que deve ser avaliada por um médico e deve ser estabelecida com cautela para evitar efeitos colaterais como sonolência extrema e tontura.

Para um paciente adulto:

  • A dose de fenobarbital como sedativo usado durante o dia costuma variar de 30 a 120 miligramas por dia que devem ser divididas em 2 a 3 doses menores;
  • A dose do medicamento como um hipnótico para dormir a noite pode variar de 100 a 320 miligramas por noite administrada logo antes de se deitar.
  • A dose quando o fenobarbital é usado como um anticonvulsionante pode varia de 20 a 100 miligramas divididas em 2 a 3 doses diárias.

O ideal é que se inicie o tratamento com uma dose baixa e ir aumentando aos poucos conforme a necessidade. Pode ser que demore alguns dias ou semanas até que o médico estabeleça a melhor dosagem que funcione para o seu quadro clínico e para o seu organismo.

O medicamento administrado por via oral se apresenta na forma de comprimidos ou na forma líquida. Estão disponíveis as versões do fenobarbital gotas ou líquido com um dosador em mililitros.

Em casos de crises convulsivas muito fortes, pode ser que o médico aplique fenobarbital injetável para que o efeito seja observado mais rapidamente do que por via oral.

Efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais relacionados ao uso de fenobarbital são:

  • Sonolência: A sonolência é um dos efeitos colaterais mais comuns desse remédio e esse efeito é causado devido a redução do sinal nervoso que é enviado o cérebro para te manter acordado. Embora seja bastante eficaz no tratamento de distúrbios do sono, a sonolência pode continuar até o dia seguinte, afetando a pessoa também durante o dia. Por esse motivo, pessoas em uso de fenobarbital não devem dirigir nem operar máquinas ou fazer outras atividades que exijam atenção e estado de alerta.
  • Dores no corpo: O fenobarbital pode causar alterações em alguns tecidos do corpo, resultando em dor nas articulações, no calcanhar, nas juntas dos dedos, na parte inferior do pé e nos ombros. Também podem ocorrer enrijecimento no ombro e na região do pênis em homens. Ao observar qualquer um desses efeitos adversos, é importante alertar o médico para que ele altere a dose ou o prescreva outro medicamento.

Também são comumente observados efeitos adversos como:

  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Excitação;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Náusea;
  • Vômito.

A maioria das pessoas que tomam esse medicamento não apresentam efeitos adversos graves. Porém, podem ser observados alguns efeitos colaterais sérios que devem ser imediatamente relatados ao médico, tais como:

  • Convulsão;
  • Visão dupla ou embaçada;
  • Alterações na respiração como respiração lenta ou acelerada;
  • Desmaio;
  • Batimento cardíaco lento;
  • Sintomas de depressão;
  • Bipolaridade;
  • Alterações de humor;
  • Crises de ansiedade;
  • Pensamentos suicidas;
  • Tentativas de suicídio.

Além de relatar esses efeitos colaterais, quando observados, é importante atentar para sintomas que podem indicar uma reação alérgica a alguns componentes da fórmula como erupções cutâneas, comichões, inchaço na região do rosto, língua e garganta, tontura e dificuldade para respirar.

Há também alguns relatos de demência em alguns pacientes. Isso pode acontecer porque o fenobarbital pode ser tóxico para a porção do cérebro responsável pela criação e armazenamento de memórias. Assim, o paciente que usa o medicamento a médio ou longo prazo pode apresentar um declínio na memória recente e algumas alterações comportamentais. Caso isso seja observado, o médico deve alterar a dose ou trocar o remédio por um diferente para eliminar esses sintomas.

Contraindicações 

O fenobarbital não é indicado para pessoas que apresentam problemas hormonais ou condições de saúde como:

  • Doença adrenal ou doença de Addison;
  • Problemas hepáticos;
  • Doenças renais;
  • Doenças pulmonares como apneia do sono ou doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Transtornos mentais ou relacionados ao humor como depressão;
  • Histórico familiar de porfiria e deficiências vitamínicas como de ácido fólico ou de vitamina K.

Esse medicamento também não é indicado para pessoas com histórico pessoal ou familiar de dependência química.

Também não é indicado dirigir ou operar equipamentos perigosos ao usar esse medicamento devido ao risco de causar sonolência ou tonturas, por exemplo.

Ele também não é indicado para mulheres grávidas ou amamentando devido ao risco de causar danos ao feto ou bebê. Apenas use se seu médico achar que os benefícios da medicação são maiores do que os riscos ao bebê e não deixe de realizar o acompanhamento médico frequente.

Interações medicamentosas

O uso de fenobarbital pode resultar em interações medicamentosas com outros medicamentos, como por exemplo:

– Anticoagulantes

O fenobarbital pode reduzir os níveis plasmáticos de alguns anticoagulantes como o dicumarol, varafarina, fenprocumon e acenocournarol e causar uma redução da atividade anticoagulante. Além disso, o medicamento pode induzir enzimas microssomais hepáticas que aceleram o metabolismo e diminuem a resposta anticoagulantes e anticoagulantes de uso oral.

– Corticosteroides

O fenobarbital pode acelerar o metabolismo de corticosteroides sintéticos também através da ativação de certas enzimas hepáticas.

– Outros medicamentos

O fenobarbital também pode sofrer interações com medicamentos como darunavir, etravirina, orlistat e rilpivirina. Eles também podem diminuir a eficácia de medicamentos anticoncepcionais e outros fármacos como arteméter, lumefantrina, asunaprevir, atazanavir, boceprevir, cobicistate, lurasidona, ranolazina, sofosbuvir, sorafenibe, voriconazol e bloqueadores de canais de cálcio.

Também há indícios de que o fenobarbital interage de forma negativa com inibidores da monoamina oxidase, com hormônios esteroidais como estradiol e progesterona, com antidepressivos que atuma no sistema nervoso central, com antibióticos como a doxiciclina e com antifúngicos como a griseofulvina.

Além disso, não é indicado usar ervas naturais como a erva-de-São-João, que pode reduzir a eficácia do medicamento.

O mais indicado é informar ao seu médico sobre quaisquer medicamentos, suplementos dietéticos ou ervas que esteja tomando para evitar interações indesejadas.

Cuidados

Nunca pare de tomar um medicamento anticonvulsionante por conta própria. Isso pode piorar o quadro convulsivo e causar uma convulsão muito grave e muito difícil de tratar.

Além disso, esse medicamento pode causar reações relacionadas à abstinência se usado por muito tempo em doses muito altas. Algumas dessas reações incluem ansiedade, alucinações, contração muscular e distúrbios de sono. Dessa forma, apenas pare o uso do medicamento de acordo com instruções médicas, que geralmente envolvem a redução da dose aos poucos até parar de tomar o medicamento de vez.

O fenobarbital pode ser um medicamento perigoso caso as orientações médicas não sejam seguidas. A escolha desse medicamento para o seu tratamento deve ser feita considerando todos os benefícios e riscos que o seu uso pode trazer à sua saúde. Assim, use esse remédio exatamente como o seu médico indicou e nunca comece ou pare de tomá-lo por conta própria.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia ou foi receitado o fenobarbital por um médico? Qual foi o diagnóstico que ele realizou? O medicamento trouxe resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,17 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário