Grávida Pode Comer Camarão?

Especialista da área:
atualizado em 26/12/2019

Uma alimentação saudável, equilibrada e nutritiva é a base para mantermos o organismo forte e capaz de impulsionar a saúde. No entanto, se a mulher está grávida, esse tema torna-se essencial, pois a boa alimentação é responsável por ajudar o bebê a se desenvolver e crescer, além de garantir uma gravidez mais tranquila e com menos riscos.

  Continua Depois da Publicidade  

Tendo em vista que esse assunto é de extrema importância, muitas mulheres procuram orientação sobre o que devem ou não comer, pois é comum que existam dúvidas sobre o que incluir ou evitar nesta fase. Por exemplo, um questionamento frequente é se grávida pode comer camarão, ou se é prudente evitar para impedir qualquer tipo de complicação para a sua saúde e do bebê.

Informações gerais sobre o camarão

Para compreender potenciais riscos e se a grávida pode comer camarão ou não, vamos começar conhecendo melhor o perfil nutricional do camarão, que é um dos tipos mais comuns de marisco consumidos mundialmente.

Ele é considerado um alimento bastante nutritivo, capaz de entregar quantidades elevadas de certos nutrientes. O camarão também é uma das melhores fontes alimentares de iodo, necessário para a função tireoidiana adequada e para a saúde do cérebro. Também é uma boa fonte de ácidos graxos ômega-6 e ômega-3, além de conter antioxidantes astaxantínicos, que podem ter uma variedade de benefícios à saúde.

Além disso, o camarão é muito baixo em calorias, não contém carboidratos, tanto que aproximadamente 90% das calorias do camarão vêm da proteína, e o restante da gordura.

Uma porção pesando 85 gramas fornece mais de 20 vitaminas e minerais diferentes, incluindo 50% das necessidades diárias de selênio, um mineral que pode ajudar a reduzir a inflamação e promover a saúde do coração e também de outros nutrientes. Confira:

  • 84 calorias;
  • 18 gramas de proteína;
  • 21% das necessidades diárias de vitamina B12;
  • 15% das necessidades diárias de ferro;
  • 12% das necessidades diárias de fósforo;
  • 11% das necessidades diárias de niacina;
  • 09% das necessidades diárias de zinco;
  • 07% das necessidades diárias de magnésio.

Além de todos os nutrientes citados acima, outros pontos relacionados ao camarão também devem ser considerados:

  Continua Depois da Publicidade  

1. Camarão é rico em colesterol

Aproximadamente 85 gramas de camarão contêm 166 mg de colesterol, ou seja, quase 85% a mais do que a quantidade de colesterol presente em outros alimentos, como o atum, por exemplo.

Embora muitas pessoas evitem alimentos ricos em colesterol, pesquisas mostraram que apenas um quarto da população é sensível ao colesterol proveniente da dieta e que os demais costumam sofrer minimamente com essa condição. Isso ocorre porque a maior parte do colesterol que está presente no sangue é produzida pelo fígado. Quando ingerimos alimentos ricos em colesterol, o fígado costuma produzir uma quantidade menor, para equilibrar.

Embora o camarão seja rico em colesterol, devemos considerar que ele contém vários nutrientes, como os ácidos graxos ômega-3 e os antioxidantes astaxantínicos que fazem o contraponto. Um estudo evidenciou que adultos que fizeram uma ingestão de 300 gramas de camarão diariamente aumentaram seus níveis de colesterol HDL (bom) em 12% e diminuíram seus triglicerídeos em 13%.

Outro estudo descobriu que 356 mulheres que consumiam moluscos, incluindo camarão, tinham níveis de triglicérides e pressão arterial significativamente mais baixos, e a pesquisa também mostrou que as pessoas que consomem camarão regularmente não apresentam um risco maior de doença cardíaca.

2. Camarão contém antioxidantes

  Continua Depois da Publicidade  

Os antioxidantes são benéficos para o organismo porque ajudam a combater os radicais livres. O principal tipo de antioxidante do camarão é um carotenóide chamado astaxantina, que é um componente das algas que são comumente consumidas pelo camarão.

A ingestão de astaxantina pode ajudar a proteger o corpo contra a inflamação, impedindo que os radicais livres danifiquem as células. Ela também tem sido estudada para compreender seu real papel na redução do risco de várias doenças crônicas, pois foi evidenciado que a astaxantina pode ajudar a fortalecer as artérias e a aumentar os níveis de colesterol bom, ambos importantes para a saúde do coração.

A astaxantina pode ser benéfica também para a saúde do cérebro, pois suas propriedades anti-inflamatórias podem prevenir danos às células cerebrais.

Apesar de ser animador, mais pesquisas com humanos são necessárias para determinar o papel que a astaxantina presente no camarão pode ter na saúde geral.

Grávida pode comer camarão?

Se antes da gravidez você costumava ingerir o marisco e não apresentava nenhuma reação negativa, então você não precisa evitar esse alimento durante a gravidez. O camarão é seguro para comer, porque se enquadra na categoria de frutos do mar com baixo teor de mercúrio, que também inclui peixes como salmão, sardinha e bagre. Ele pode contribuir positivamente com a gestação saudável, pois como vimos é rico em proteínas, ferro e vários ácidos, e também contêm muitos microelementos úteis sem adicionar calorias.

Confira alguns componentes presentes no camarão que podem contribuir com a gravidez:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Contém ácidos graxos ômega-3: O nosso corpo não é capaz de produzir os ácidos graxos essenciais, por esse motivo precisamos de fontes externas, e o camarão aparece como a segunda fonte mais importante de ácidos graxos ômega-3. Por exemplo, o ácido graxo docosahexaenóico ajuda no desenvolvimento do cérebro, sistema nervoso central e olhos do bebê que está em formação. Um estudo que analisou mulheres grávidas mostrou que aquelas que consumiram frutos do mar tiveram crianças com melhores habilidades cognitivas e neurodesenvolvimento.
  • É rico em proteína: Aproximadamente 100 gramas de camarão fresco entregam cerca de 19,4 gramas de proteína. Geralmente 75% da parte comestível do camarão é água e o restante é proteína. Além disso, o camarão também é rico em aminoácidos, ambos fundamentais para o crescimento fetal.
  • Minerais essenciais: Apenas 100 gramas de camarão fresco oferece 100mg de cálcio, 300mg de fósforo e 40 mg de selênio, que são minerais essenciais durante a gravidez. Eles estimulam a saúde dos ossos, regulam a produção de enzimas e mantêm o equilíbrio de fluidos.

Os camarões também contêm 1,8mg de ferro nessa quantidade, e o ferro ajuda a reduzir o risco de anemia durante a gravidez e impulsiona o fornecimento adequado de sangue ao feto.

Cuidados com o consumo de camarão durante a gravidez

– Quantidade

Embora seja verdade que a grávida pode comer camarão, o consumo excessivo deve ser evitado. Segundo Laura Riley, diretora de trabalho de parto do Massachusetts General Hospital, as mulheres grávidas devem limitar a ingestão de camarões e peixes. A quantidade semanal recomendada é de três porções, ou 150 gramas.

– Procedência

As gestantes também devem considerar que o camarão deve ter procedência, pois muitos são criados em cativeiros e contêm altos níveis de mercúrio, que é muito prejudicial para adultos e pode ser mortalmente perigoso para o bebê.

Além disso, o criadouro pode expor o marisco a antibióticos e outras substâncias prejudiciais, então é fundamental comprar camarões de lojas que fornecem produtos de qualidade, tanto em relação à procedência quanto às regras de manipulação.

  Continua Depois da Publicidade  

Se preferir comprar aqueles já temperados, confira se existe muito vinagre, excesso de especiarias e conservantes, pois eles podem provocar irritação na mucosa gástrica e causar azia.

– Alergia

Os mariscos, incluindo camarão, são classificados como um dos principais alimentos que podem provocar alergias alimentares, juntamente com amendoim, nozes, trigo, leite e soja.

O gatilho mais comum de alergia ao camarão é a tropomiosina, uma proteína encontrada nos mariscos. No entanto, a arginina quinase e hemocianina também podem desencadear uma reação alérgica.

Os sintomas de alergia a camarão variam e podem incluir comichão, inchaço das mãos, pés, rosto, corrimento nasal, falta de ar, vermelhidão dos olhos, formigamento na boca, problemas digestivos, congestão nasal ou reações cutâneas após a ingestão. Algumas pessoas também podem ter reações anafiláticas, que são súbitas, perigosas e podem levar a convulsões, inconsciência e até a morte, se não forem tratadas imediatamente.

Após a 22 semana de gestação, o sistema imunológico do bebê começa a trabalhar sozinho, então os produtos com alto risco de alergia devem ser evitados, como o camarão. Embora não seja um alérgeno forte, eles ainda podem desenvolver uma alergia no bebê, ainda no útero.

– Cozimento

Não é seguro comer camarão cru ou mal cozido quando a mulher está grávida (e mesmo quando não), pois eles podem conter vermes e parasitas que podem provocar doenças na mãe e no bebê. Além disso, eles contêm listeria, que causa uma infecção bacteriana e pode passar pela placenta, infectar o feto e em alguns casos, causam um aborto espontâneo.

Dicas para preparar o camarão

Os cuidados na hora de preparar o camarão são importantes, pois dessa forma você minimizará as chances de infecções. Tome nota de algumas dicas:

  1. Se eles estiverem congelados, descongele-os completamente;
  2. Use água morna para limpar o camarão. “Escalde” o camarão e remova com uma faca afinada os intestinos e a veia traseira, que são facilmente visíveis.
  3. O cozimento é o melhor método para preparar os camarões. Garanta uma temperatura mínima de 74ºC, pois as bactérias já podem ser eliminadas a essa temperatura.
  4. Se for refogar ou fritar, faça isso somente após o cozimento completo.

Os camarões preparados em casa costumam ser mais seguros do que os feitos em restaurantes, justamente porque você poderá garantir o cozimento adequado. Procure também evitar saladas com camarão, sushi e sashimis, pois podem conter camarão cru.

Palavras finais

Diferente do que muitas pessoas pensam, a mulher grávida pode comer camarão sim, e ele inclusive é um alimento capaz de contribuir com muitas vitaminas, minerais, proteínas e gorduras saudáveis para suportar uma gestão saudável. No entanto, algumas precauções são necessárias; não é recomendado que o seu consumo seja feito em excesso, é preciso verificar a procedência para garantir um produto livre de quantidades exageradas de mercúrio, antibióticos e outros produtos químicos, e na hora de preparar é fundamental certificar-se de que ele está completamente cozido, impedindo assim o consumo de parasitas e bactérias que podem prejudicar a gravidez.

Se todos esses cuidados forem tomados, a grávida pode comer camarão sim e não deve ser motivo de preocupações.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já imaginava que grávida pode comer camarão ou tinha ouvido o contrário? Consumiu camarão durante a sua gravidez? Gosta muito desse fruto do mar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média 4,40)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário