Especialista da Área:

Lesão ou Rompimento de Ligamentos do Tornozelo – Como Tratar

O tornozelo está localizado entre a perna e o pé e ele é uma junta articulada que permite movimentos para cima e para baixo. Essa região possui muitos ossos que são mantidos por fortes faixas de tecido chamadas de ligamentos.

Eles são compostos por muitos fios ou fibras de colágeno, que é uma proteína abundante no nosso corpo e tem a função de fornecer um limite passivo para a quantidade de movimento entre os ossos.

Ainda que as lesões estejam mais relacionadas à prática de exercícios, elas podem ocorrer em diversas situações, quando o pé repentinamente se retorce ou rola, forçando a sua articulação da posição normal. Então, o fato de tropeçar ou cair, aterrissar desajeitadamente depois de um salto, andar ou correr em superfícies irregulares, torcer ou girar o tornozelo ou virar o pé podem causar uma lesão como o rompimento de ligamentos do tornozelo.

Continue sua leitura e entenda o que é uma lesão ou rompimento de ligamentos do tornozelo e como tratar.

Lesão ou rompimento de ligamentos do tornozelo

O tornozelo é formado pelo encontro de três ossos: a tíbia e fíbula da parte inferior da perna com o tálus do pé. Estes ossos são unidos na articulação do tornozelo por ligamentos, que são fortes faixas elásticas de tecido conjuntivo que mantêm os ossos no lugar, permitindo o movimento normal do tornozelo e tendões que prendem os músculos aos ossos para permitir a movimentação do tornozelo e o pé, e ajudam a manter os movimentos estáveis.

Embora as lesões estejam mais relacionadas à prática de exercícios, uma lesão ou rompimento de ligamentos do tornozelo pode ocorrer quando o pé repentinamente se retorce ou rola, forçando a sua articulação da posição normal. Isso pode acontecer durante a atividade física e também com um movimento repentino ou inesperado como tropeçar ou cair, aterrissar desajeitadamente depois de um salto, andar ou correr em superfícies irregulares, torcer ou girar o tornozelo ou virar o pé.

As lesões no tornozelo são diferentes e geralmente são classificadas de acordo com sua gravidade.

Causas

As lesões costumam ser provocadas por uma entorse, que é mais conhecida como torção, o que significa que o osso não está ferido. Geralmente, os ligamentos que sustentam o tornozelo foram alongados demais, causando ferimentos. Existem dois tipos de entorses:

  • Entorse por inversão: Acontece quando seu pé vira para dentro e os ligamentos externos são esticados demais. Essa condição provoca uma dor do lado de fora do seu tornozelo.
  • Entorse de eversão:Quando seu pé é torcido para fora e o ligamento interno é esticado. Neste caso, a dor será sentida no interior do tornozelo.

Diagnóstico

Durante uma consulta, o médico irá realizar um exame físico para determinar qual o tipo de lesão. Ele pode realizar um exame físico em que move a articulação do tornozelo de várias maneiras para verificar a amplitude de movimento.

Além disso, exames de imagem como o raio-X também podem ser solicitados para descartar uma fratura óssea. Uma ressonância magnética pode ser feita se o seu médico suspeitar de uma fratura, uma lesão grave nos ligamentos, ou danos na superfície da articulação do tornozelo.

Elas são classificadas de forma diferente, de acordo com a gravidade, e independentemente do tipo, o ortopedista irá avaliar sua gravidade usando uma escala de três graus. 

  • Grau I: Os ligamentos do pé esticaram muito, mas não se rasgaram.
  • Grau II: É o tipo mais comum e resulta em uma ruptura parcial do ligamento.
  • Grau III: É o tipo mais grave de lesão e isso significa que o ligamento foi completamente rompido.

Quando um ligamento sofre uma lesão, ele pode ainda estar preso ao osso, mas foi danificado de alguma forma. Mas, quando acontece uma ruptura, já é algo mais grave. O diagnóstico de um ligamento rompido indica que o ligamento se afastou do osso ou se rompeu completamente ao meio.

Sintomas

  • Grau I: Neste caso, os sintomas presentes são dor leve e inchaço, rigidez e instabilidade articular limitadas e desconforto ao andar.
  • Grau II: Sintomas como inchaços e hematomas, dor moderada, perda de movimento ou uso de seu tornozelo e dificuldades para andar estão presentes.
  • Grau III: Os sintomas são grave inchaço e dor, instabilidade da articulação, extrema perda de movimento e dor significativa durante a caminhada.

Como tratar

O tratamento dependerá da gravidade do rompimento de ligamentos do tornozelo, e geralmente a cirurgia não é uma opção, exceto se o dano for extenso e envolver mais de dois ligamentos do pé ou quando as outras opções de tratamento não forem eficazes.

Em média, o tratamento inicial inclui repouso e proteção do tornozelo até o inchaço diminuir por cerca de uma semana. Isso é seguido por um período de uma a duas semanas de exercício para restaurar a amplitude de movimento, força e flexibilidade. Pode levar várias semanas a vários meses para retornar gradualmente às suas atividades normais enquanto você continua a se exercitar. Anti-inflamatórios orais ou injetáveis ​​para reduzir a dor podem ser recomendados.

– Lesão grau I

As lesões leves ou de grau I costumam ser tratadas com um protocolo RICE por vários dias até que a dor e inchaço melhorem. RICE significa repouso, gelo, compressão e elevação, e é considerada uma técnica simples de autocuidado que ajuda a reduzir o inchaço, aliviar a dor e acelerar a cicatrização.

Esse tratamento pode ser feito em casa e o tempo de recuperação costuma ser inferior a duas semanas.

  • Repouso: Se está sentindo alguma dor, é um sinal de que alguma coisa está errada, então se isso acontecer, pare o que está fazendo. Procure repousar ao máximo nos primeiros dois dias após um diagnóstico de lesão no tornozelo. Forçar uma entorse de tornozelo moderado ou grave costuma piorar a lesão e atrasar a recuperação. A recomendação é evitar colocar peso no pé pelo período de 24 a 48 horas. Além disso, descansar também ajudará a evitar mais lesões.
  • Gelo: Uma compressa de gelo é uma ferramenta comprovada para reduzir a dor e o inchaço. O gelo nunca deve ser aplicado diretamente na pele, pois ele pode provocar queimaduras, então utilize uma toalha ou pano para aplicar e deixe no local por 10 minutos. Em seguida, remova por 10 minutos. Repita o processo várias vezes nas primeiras 24 a 48 horas após a lesão. Caso não tenha gelo, legumes congelados ou uma bolsa específica podem ajudar.
  • Compressão: A compressão pode ser feita envolvendo a área lesionada para evitar inchaço. Uma bandagem médica elástica ou faixa pode ser usada, mas ela precisa estar confortável, pois se estiver muito apertada pode interromper o fluxo de sangue. Outro ponto importante é observar a região, pois se ficar azul ou parecer fria, entorpecida ou dolorida, a compressão deve ser removida.
  • Elevação: O pé deve ser elevado, ou seja, estar acima do nível do coração. Essa condição ajuda a reduzir a dor, o latejamento e qualquer sangramento interno que possa causar hematomas. Procure apoiar a perna em travesseiros enquanto está sentado no sofá ou na cama. Mantenha essa elevação o máximo de tempo que conseguir durante o seu repouso, inclusive quando estiver aplicando a compressa fria.

– Lesão grau II

As lesões classificadas como grau II também usarão a abordagem RICE, mas durante um tempo maior. Nestes casos o médico também pode recomendar um dispositivo como uma bota ou uma tala para imobilizar o tornozelo.

Alguns exercícios também podem ser recomendados para melhorar primeiro a amplitude de movimento e depois alongar e fortalecer o tornozelo, então a fisioterapia pode ser receitada para ajudar a recuperar o pleno uso do tornozelo.

  • Mobilidade e exercícios de alongamentoCom a finalidade de evitar a rigidez, alguns exercícios que envolvem a amplitude de movimento ou movimentos controlados do tornozelo sem resistência podem ser feitos.
  • Exercícios de fortalecimento: Quando já é possível suportar o peso sem provocar um aumento na dor ou inchaço, os exercícios para fortalecer os músculos e tendões na frente e nas costas da perna e pé podem ser adicionados ao plano de tratamento. Exercícios de fortalecimento realizados no solo como a elevação de dedos podem ser feitos, mas se eles são muito dolorosos uma alternativa pode ser os exercícios aquáticos. Exercícios com resistência são adicionados conforme o tolerado.
  • Treinamento de equilíbrio: Geralmente, a falta de equilíbrio pode provocar novas torções e instabilidade do tornozelo. Um bom exercício de equilíbrio é ficar de pé e levantar a perna saudável.
  • Exercícios de resistência e agilidade: Quando não existe mais dor, exercícios de resistência e agilidade podem ser adicionados ao plano de tratamento. Mas eles devem ser realizados de forma gradual, para aumentar a força e a amplitude de movimento à medida que o equilíbrio melhora com o tempo.

– Lesão grau III

A lesão grave envolve uma ruptura completa ou ruptura de um ligamento e leva consideravelmente mais tempo para cicatrizar. Geralmente o tratamento envolve a imobilização da articulação seguida de um longo período de fisioterapia para amplitude de movimento, alongamento e fortalecimento da musculatura.

Ocasionalmente, especialmente se a entorse não cicatrizar em um tempo razoável, a cirurgia será considerada para reconstruir os ligamentos rompidos.

Cirurgia

Como vimos, a cirurgia para tratamento de um rompimento de ligamentos do tornozelo é rara e se acontecer será o último recurso. Pode ser realizada quando os danos aos ligamentos são muito graves e não apresentaram melhora com o tratamento não cirúrgico.

O tipo de cirurgia necessária dependerá da gravidade e do nível de atividade. Após a cirurgia, a reabilitação é uma parte importante do processo de recuperação, então haverá consultas regulares de acompanhamento e fisioterapia para recuperar o movimento e fortalecer o músculo em volta do tornozelo.

Dependendo da extensão da lesão e do tipo de cirurgia, a reabilitação pode levar semanas ou meses. As opções cirúrgicas incluem: 

  • Artroscopia: Durante uma artroscopia, procura-se ver dentro da articulação se há algum fragmento solto de osso ou cartilagem e se houver realizar os reparos.
  • Reconstrução: Para cirurgias de reconstrução, um cirurgião reparará o ligamento rompido com pontos. Ele também pode usar outros ligamentos ou tendões ao redor do pé ou tornozelo para reparar os ligamentos danificados.

Como evitar a lesão ou rompimento de ligamentos do tornozelo

  1. Evitar os exercícios ou a prática de esportes quando estiver cansado ou com dores.
  2. Procurar abastecer o corpo com alimentos ricos em nutrientes para manter os músculos fortes.
  3. Manter um peso saudável para não sobrecarregar os tornozelos.
  4. Evitar a prática de exercícios em locais que possam provocar uma queda.
  5. Investir em calçados apropriados que se ajustem bem e que sejam adequados para a atividade que você está fazendo.
  6. Não usar calçados com a sola desgastada de um lado.
  7. Manter o condicionamento adequado para qualquer esporte que você esteja praticando.
  8. Não pular nenhuma etapa. Faça o aquecimento e alongamento antes e também depois de se exercitar ou praticar um esporte.
  9. Se o esporte que pratica requer um equipamento de segurança, não deixe de usar.
  10. Se for correr, procure superfícies planas e que não sejam escorregadias.
  11. Realize exercícios de fortalecimento para a região dos tornozelos.
  12. Interrompa qualquer atividade se estiver se sentindo fatigado ou se houver a presença de dor.

Essas são algumas práticas que podem ser utilizadas para evitar uma lesão no tornozelo.

Referências adicionais:

Você já teve uma lesão de rompimento de ligamentos do tornozelo? Como foi o grau da lesão e que tipo de tratamento fez? Já se recuperou completamente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (32 votos, média: 4,09 de 5)
Loading...

10 comentários em “Lesão ou Rompimento de Ligamentos do Tornozelo – Como Tratar”

  1. Não fiz cirurgia, estou com a bota a uma semana, será que vou me recuperar?sinto dor quando piso e o inchaço já passou.

  2. Cai na escada e torci o tornozelo tendo rompido 2 ligamentos completos e mais 2 parciais. Isso ja faz 2 meses, o medico optou por nao fazer a cirurgia. Vou fazer 30 sessoes de fisio. Sera que vai adiantar? Estou imobilizada com tala aircast, mas ainda doi muito e incha bastante.

  3. Fiz uma cirurgia dos ligamentos do tornozelo dia 05/09/2019 mas ainda não estou liberado para fisioterapia oque posso fazer para ir obtendo uma melhora

  4. Procure um especialista em tornozelo. Ter um diagnóstico correto e tirar todas as suas dúvidas é muito importante. Depois, é fisioterapia. Estou fazendo e, pelo que a fisioterapeuta me disse, serão várias sessões até a liberação completa.

  5. Cirurgião disse que e grau 2 e grau 3 , em caminhou para o ortopedista que só fez raio-x e colocou tala , não guento mais a dor isso já tem uma semana , não posso tomar anti-inflamatório por conta de uma doença tenho reto colite ulcerativa

    • Olá boa noite fiz uma cirurgia reconstrução de ligamento trabalho como coletor será que vou poder voltar a minha função normal ou teria que mudar

  6. Eu caí de bicicleta tem uns sete anos meu tornozelo saiu do lugar
    Engessou por 15 dias o médico não disse mais nada é até hoje sinto dores as vezes doi até na panturrilha
    Pra subir morro so na ponta dos pés porque meu pé não apoia em subidas
    Se eu colocar ele pra cima durante uns dez minutos quase não consigo andar depois de tanto que dói
    Gostaria de saber o que fazer

  7. eu tive semana passada no dia 25.01.2019 um rompimento de ligamento do tornozelo e estou em faze de tratamento ainda…

    • Tem 2 anos que rompi o ligamento do tornozelo, virando o pé numa caminhada, fiz ressonância e fiz fisioterapia por +- 6 meses, até hj sinto muitas dores, uso uma tornozeleira para aliviar um pouco a dor. Gostaria de fazer uma cirurgia para se curar. Será que irei me livrar das dores com a cirurgia?

      • Eu fiz cirurgia de reconstrução do ligamento fazem 2 anos e realmente melhorou muito minha qualidade de vida após a operação, antes sentia dores constantes

Deixe um comentário