Melancia na Gravidez Faz Bem? Grávida Pode Comer Melancia Afinal?

Será que todo mundo, inclusive as gestantes, pode aproveitar a melancia sem maiores preocupações ou a ingestão de melancia na gravidez não é adequada?

Além de ser uma fruta extremamente refrescante e saborosa, a melancia é nutritiva – serve como fonte de potássio, magnésio, cobre, vitamina A, vitamina B5, vitamina B6 e vitamina C para o organismo.

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) classificou a melancia dentro do grupo de frutas que podem aparecer na dieta de uma gestante.

De acordo com especialistas, o consumo da melancia na gravidez faz bem porque a fruta pode ajudar a amenizar a azia e o inchaço e contém minerais que podem contribuir com a prevenção de cãibras musculares do terceiro trimestre da gestação.

Eles destacam também que o alimento possui açúcares típicos das frutas e um elevado teor de água que podem auxiliar a aliviar a desidratação e o enjoo matinal.

No mesmo sentido, por ser composta por uma quantidade elevada de água, a melancia é uma ótima alternativa para as futuras mamães que necessitam de um reforço na sua hidratação.

Além disso, nutrientes encontrados na fruta – potássio, magnésio, vitamina A, vitamina B6 e vitamina C – são considerados importantes para o desenvolvimento da visão, do cérebro, do sistema nervoso e do sistema imunológico do filho.

O potássio também merece destaque para a saúde da mãe, tendo em vista que atua na regulação no equilíbrio hídrico no sangue e nos tecidos corporais durante a gestação.

Logicamente, não é apenas o consumo da melancia que satisfaz as necessidades nutricionais de uma gestação, porém, a ingestão da fruta pode colaborar com o fornecimento dos nutrientes necessários para a gestante e seu bebê.

Quantidade recomendada

Se a grávida pode comer melancia, também precisamos lembrar que o consumo da fruta precisa estar associado a uma alimentação equilibrada – que contemple outros grupos alimentares e nutrientes necessários para uma gravidez – e acontecer em uma quantidade apropriada, sem exageros.

A Associação Americana da Gravidez recomenda o consumo de duas a quatro porções de frutas diariamente ao longo da gestação.

De maneira geral, uma porção de fruta corresponde a um pedaço médio de uma fruta inteira – aproximadamente do tamanho de uma bola de tênis – ou a uma xícara de fruta cortada.

Vale destacar que é importante que o consumo diário de frutas na gestação não seja composto por uma única fruta, mas sim por uma variedade delas para que a alimentação seja mais completa e equilibrada.

Outras recomendações sobre o consumo da melancia na gravidez

Sempre que for possível, é aconselhável que a gestante compre melancias e outras frutas na versão orgânica, que não tenham sido tratados com pesticidas sintéticos e fertilizantes.

Antes de comer qualquer fruta, inclusive a melancia, a gestante deve lavar bem e por completo o alimento (mesmo que ela já tenha sido pré-lavada) para evitar a contaminação por alguma substância perigosa como bactérias ou resíduos químicos, já que um feto em desenvolvimento pode ser particularmente sensível a eles.

Para diminuir os riscos de contaminação por pesticidas e bactérias nas melancias e em outras frutas, valem as seguintes orientações: remover áreas machucadas da fruta onde a bactéria pode se esconder, evitar as frutas pré-cortadas ou comê-las imediatamente depois que elas forem cortadas e armazená-las na geladeira longe das carnes cruas.

Além de saber se a grávida pode comer melancia

É fundamental que a futura mamãe tenha o acompanhamento do médico e do nutricionista desde o momento em que descobre que está esperando um neném para saber todos os cuidados que precisa tomar, o que inclui como a alimentação precisa ser a partir de então.

Isso é essencial para assegurar que a mulher esteja ciente do que necessita comer e o que deve evitar para que ela e o seu bebê recebam os nutrientes que necessitam em quantidades apropriadas, de modo que o bebê se desenvolva dentro dos conformes e a saúde da futura mãe seja preservada.

Durante essa conversa com o médico e o nutricionista, ela precisa descobrir qual a quantidade de cada nutriente deve ingerir por dia – as necessidades nutricionais mudam durante a gestação – e aprender com quais alimentos consegue atingir esses valores.

Já o uso de suplementos deve ocorrer somente com a autorização e o acompanhamento dos profissionais para garantir que a quantidade de nutrientes a ser ingerida realmente esteja no conforme. Assim como as faltas, os excessos de nutrientes podem fazer mal.

Esse acompanhamento individualizado do médico e do nutricionista torna-se ainda mais importante quando lembramos que cada gestação apresenta as suas particularidades, podendo haver diferentes riscos e necessidades para cada mulher e neném.

Lembre-se de que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a opinião e as recomendações do médico e do nutricionista.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você consumiu ou consome bastante melancia na gravidez? É uma de suas frutas preferidas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário