Alimentos orgânicos

Alimentos Orgânicos – O Que São, Benefícios, Tipos e Dicas

Cada vez mais cresce a oferta de alimentos orgânicos não só em lojas de produtos naturais mas também em supermercados, feiras e hortifrutis. Mas afinal, o que são alimentos orgânicos e quais seus benefícios? Eles são realmente mais saudáveis?

Vamos mostrar abaixo os tipos de alimentos orgânicos que existem, discutir suas vantagens e desvantagens e dar dicas de consumo desse tipo de alimento.

Alimentos orgânicos – O que são

Alimentos orgânicos vêm ganhando popularidade nos últimos anos. O aumento da sua demanda surgiu com a busca por hábitos mais saudáveis. Porém, muita gente nem sabe o que é orgânico.

Um alimento orgânico refere-se a um produto alimentício que é produzido através de normas bem estabelecidas por um órgão de certificação orgânica. De um modo geral, alimentos orgânicos são preparados e processados sem o uso de produtos como fertilizantes químicos, pesticidas, conservantes, hormônios, antibióticos, organismos geneticamente modificados ou processos de irradiação.

Assim, o alimento orgânico tem mais a ver com o processo de produção do que com os componentes do produto.

Tipos

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, existem diversos tipos de alimentos orgânicos que variam na porcentagem de componentes produzidos organicamente.

  • Alimentos 100% orgânicos são aqueles que contêm 100% de ingredientes produzidos através de processos orgânicos.
  • Alimentos orgânicos devem apresentar pelo menos 95% de ingredientes orgânicos.
  • Alimentos feitos de ingredientes orgânicos não são totalmente orgânicos, mas precisam conter pelo menos 70% de seus componentes produzidos a partir de processos orgânicos.
  • Além disso, não são apenas frutas, verduras e legumes que podem ser orgânicos. Vários produtos como grãos, arroz, leite, manteiga, biscoitos, cereais e até refrigerantes são tipos de alimentos orgânicos disponíveis para consumo.

Benefícios dos alimentos orgânicos

1. Sem adição de produtos químicos

Produtores orgânicos não usam produtos químicos como agrotóxicos, pesticidas e fertilizantes nas plantações e nem adotam o uso de hormônios nas criações de animais para estimular a produção de leite e ovos, por exemplo.

Agricultores de alimentos orgânicos não usam esses produtos, que são conhecidos por aumentar a produção e pelo potencial de deixar resíduos nos alimentos durante sua produção. Além disso, regulamentos de alimentos orgânicos impedem o uso de adoçantes artificiais, conservantes e outros aditivos químicos normalmente presentes em alimentos processados.

Existem pesquisas que mostram que resquícios de pesticidas e fertilizantes prejudiciais nos alimentos podem atravessar a placenta de mulheres grávidas, causando danos ao feto. Dessa forma, se você está grávida pode ser interessante dar uma chance aos alimentos orgânicos.

2. Proteção ao meio ambiente

A agricultura para produção de alimentos orgânicos é amiga do meio ambiente. A remoção de produtos químicos e de outros métodos de cultivo artificiais resulta em economia de solo e água, além da redução da poluição e contaminação do solo e lençóis freáticos com fertilizantes e agrotóxicos, por exemplo.

3. Capacidade antioxidante

O poder antioxidante de alimentos orgânicos traz diversos benefícios para a saúde. Uma série de estudos mostra que os antioxidantes tendem a ter um impacto maior na nossa saúde quando provenientes de fontes orgânicas. Isso pode ser explicado pelo fato de os alimentos não interagirem com uma imensidão de produtos químicos que podem alterar suas propriedades.

Dessa forma, os alimentos orgânicos podem promover uma maior absorção de substâncias antioxidantes e reduzir a exposição de quem consome esses alimentos a metais pesados tóxicos ou outros contaminantes.

4. Saúde do coração

Um aumento na quantidade de ácido linoleico conjugado está relacionado a uma melhor saúde do coração. Esse ácido graxo está envolvido na proteção cardiovascular e pode ser encontrado em maiores quantidades em alimentos como leite e carne de animais criados em ambientes livres de hormônios e outras substâncias usadas para aumentar a produção. Além disso, os alimentos orgânicos são livres de gordura trans. A ausência desse tipo de gordura traz benefícios para a saúde do coração pois reduz o risco de desenvolver doenças cardíacas.

5. Ausência de antibióticos

Muitas vezes os animais criados para produção de alimentos são submetidos a tratamentos de saúde com diversas vacinas e antibióticos para manter a saúde em dia. Porém, esses antibióticos podem atuar enfraquecendo o sistema imunológico de quem consome esses alimentos, pois eles aumentam a resistência de bactérias, o que pode ser um perigo para a nossa saúde. Os alimentos orgânicos não trazem esse risco para a nossa saúde, já que nesses casos os animais são criados com rações naturais.

6. Sabor natural

Algumas pessoas alegam que os alimentos orgânicos têm um sabor mais agradável que os outros alimentos. Apesar de não ser provado e isso variar de paladar para paladar, os alimentos orgânicos podem ser mais gostosos por não conter substâncias como aditivos e conservantes que podem alterar o sabor dos alimentos. Além disso, os alimentos orgânicos tendem a ser mais frescos, o que dá um sabor diferente.

7. Qualidade nutricional

Apesar de não ser provado que a qualidade nutricional de alimentos orgânicos é superior à de alimentos processados, é claro o fato de que pessoas que consomem comida orgânica estão menos expostas a resíduos de pesticidas, a bactérias resistentes a antibióticos e a hormônios usados na produção em massa.

Os estudos nessa área ainda são controversos. Alguns alimentos parecem ter um teor nutricional superior por ser orgânico e outros não fazem tanta diferença assim. Evidências científicas mostram que os alimentos cultivados organicamente têm mais antioxidantes e nutrientes em sua composição. Além disso, vários estudos descobriram um alto teor de minerais e micronutrientes importantes como vitamina C, zinco e ferro nos alimentos orgânicos.

Realmente faz diferença um alimento ser orgânico ou não?

Como mencionado acima, existem alguns alimentos que não fazem diferença se são orgânicos ou não. Há evidências científicas que indicam que o fato de ser orgânico não garante uma superioridade nutricional em relação a outros alimentos.

Alguns alimentos como tomate e leite orgânicos já foram estudados sobre os seus benefícios e, nesses casos, o orgânico sai ganhando. Isso porque pesquisas recentes com leite orgânico mostram que ele apresenta mais substâncias antioxidantes, vitaminas e ácidos graxos do tipo ômega 3 do que o leite não-orgânico. Além disso, o teor de hormônios na composição do leite orgânico é muito menor do que o leite processado.

No caso dos tomates, um estudo realizado pela Universidade da Califórnia no EUA mostra que os tomates orgânicos são produzidos em um ambiente com menor oferta de nutrientes, já que não são adicionados fertilizantes na terra de cultivo. Isso leva a uma alta formação de substâncias antioxidantes no tomate orgânico, que são benéficas para nossa saúde em geral, diminuindo inclusive as chances de desenvolver doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

Por outro lado, existem estudos que alegam que os alimentos orgânicos podem estar mais suscetíveis à contaminação por micro-organismos como bactérias e vírus, impactando a saúde do consumidor desses produtos. Em contrapartida, os alimentos orgânicos não apresentam contaminação por produtos químicos usados em sua produção.

Desta forma, mais estudos precisam ser realizados para poder afirmar se alimentos orgânicos são sempre mais benéficos ou não.

Vantagens e Desvantagens

Embora não seja possível afirmar que os alimentos orgânicos são realmente melhores que os demais, podemos listar algumas das vantagens e desvantagens do consumo de orgânicos para que você tire suas próprias conclusões.

Dentre as principais vantagens de consumir produtos orgânicos, destacam-se:

  • Ausência de resquícios de substâncias nocivas à saúde como agrotóxicos, pesticidas e fertilizantes sintéticos;
  • Redução do teor de hormônios na produção de alimentos de origem animal como leite e ovos;
  • Alimentos frescos;
  • Teor nutricional mais elevado que alimentos análogos processados na maioria dos casos;
  • Sabor natural.

Já as desvantagens incluem:

  • Plantações menores que resultam em menor produção de alimentos e maior custo para o consumidor;
  • Produtos bastante perecíveis já que não são adicionadas substâncias como conservantes em sua composição, exigindo a venda apenas para a comunidade local;
  • Remoção de pragas e ervas daninhas através de processos manuais também encarecem o alimento orgânico disponível para o consumidor;
  • Possibilidade de contaminação por bactérias como a Coli durante o cultivo dos alimentos;
  • Um pouco difícil de encontrar devido as limitações regionais da agricultura orgânica.

Dicas

Se for difícil encontrar alimentos orgânicos na sua região ou eles forem muito caros, uma alternativa é você plantar o seu próprio alimento. Isso pode ser feito em um pedaço do seu jardim ou fazendo uma horta em vasos pequenos para plantação de hortaliças e legumes, por exemplo.

Se plantar for inviável e você não quiser gastar muito, sempre procure frutas e legumes da estação, que costumam ser mais baratos do que produtos fora de época.

Não compre alimentos orgânicos em grande quantidade, pois eles tendem a estragar mais rápido devido à ausência de conservantes.

O que levar em conta na escolha de um alimento orgânico

Como a qualidade nutricional não varia muito e o preço nem sempre é tão acessível, o que mais devemos levar em conta são os efeitos benéficos dos alimentos orgânicos relacionados à diminuição de produtos residuais que podem ser tóxicos ao ser humano provenientes de pesticidas, fertilizantes sintéticos, hormônios, dentre outros. Existe uma Organização Não Governamental nos EUA (Environmental Working Group) que avalia diversos alimentos e oferece uma lista que é atualizada anualmente sobre os níveis de pesticidas presentes em alguns tipos de alimentos. Dessa forma, fica mais fácil escolher entre um produto industrializado e um produto orgânico.

Os frutos e vegetais em destaque abaixo, por exemplo, costumam apresentar níveis muito elevados de pesticidas que podem fazer mal à nossa saúde. Por esse motivo, esses alimentos são mais saudáveis se sua versão orgânica for consumida:

  • Maça;
  • Pimentão;
  • Aipo;
  • Pepino;
  • Batata;
  • Uva;
  • Tomate cereja;
  • Abobrinha;
  • Couve;
  • Nectarinas;
  • Espinafre;
  • Pêssego;
  • Morango.

Já a lista abaixo dá dicas de alguns alimentos que apresentam poucos ou nenhum pesticida impregnados durante a produção e você não precisa se preocupar tanto em obter as versões orgânicas deles. A lista inclui produtos como:

  • Aspargos;
  • Milho;
  • Cogumelo;
  • Abacate;
  • Repolho;
  • Berinjela;
  • Kiwi;
  • Manga;
  • Mamão;
  • Abacaxi;
  • Cebola;
  • Batata doce;
  • Toranja;
  • Cantalupo.

Produtos como carne, ovos e derivados do leite orgânicos costumam ser mais saudáveis que os produzidos por processos convencionais, já que não são enriquecidos com hormônios.

O que conta mais na sua decisão sobre o tipo de alimento que irá consumir é o bom senso já que não existem estudos detalhados sobre a superioridade de alimentos orgânicos em relação aos produzidos em larga escala com uso de produtos e processos químicos. Embora não seja totalmente provado, existem muitos benefícios associados ao uso de alimentos orgânicos. Seguindo as dicas dadas nesse artigo, é possível aproveitar os benefícios dos alimentos orgânicos e ter uma vida mais saudável.

Referências adicionais:

Você tem o costume de consumir alimentos orgânicos em sua dieta? Conhecia todos os benefícios que eles podem promover à nossa saúde? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*