Primeiros Sintomas de Gravidez e Quando Aparecem

Especialista:
atualizado em 22/10/2019

Um dos primeiros sintomas de gravidez e o mais clássico é certamente o atraso na menstruação, mas existem outros sinais precoces que podem indicar que uma mulher está grávida, que podem incluir a náusea, o vômito, a micção frequente, a fadiga e a sensibilidade nas mamas, por exemplo.

Algumas mulheres podem observar sintomas da gestação logo depois do óvulo ser implantado, o que acontece de 8 a 14 dias depois da ovulação. Estudos indicam que 90% das mulheres já experimentam sintomas gestacionais antes de completar 8 semanas de gravidez.

Porém, não há uma regra, cada corpo reage de uma maneira diferente e os primeiros sintomas de gravidez podem diferir de mulher para mulher.

Aqui, você vai conferir quais são os primeiros sintomas de gravidez mais comuns e quando eles costumam aparecer para que você possa detectar uma gestação rapidamente e iniciar os preparativos para a chegada do bebê.

Como saber se estou grávida?

Muitas vezes, os primeiros sintomas de gravidez podem ser confundidos com alguns sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

E apesar de o atraso na menstruação ser um dos sinais mais claros de que uma mulher está grávida, nem sempre esse atraso é fácil de ser identificado, já que há mulheres que apresentam ciclos menstruais irregulares e também há casos em que o período menstrual pode atrasar mesmo sem existir uma gravidez.

Para saber de fato se você está grávida, é preciso fazer um teste de gravidez de urina encontrado em farmácias ou um exame de sangue. Mas há alguns sintomas precoces que podem te ajudar a identificar uma gravidez logo nas primeiras semanas.

Os primeiros sintomas de gravidez

1. Sangramento vaginal

No início da gestação, o óvulo fertilizado cria um blastócito, que é um grupo de células cheias de líquido que servirão de base para compor os órgãos e os membros do corpo do bebê. Esse blastócito só é implantado no revestimento do útero na terceira ou quarta semana de gravidez e a implantação pode causar um leve sangramento de implantação, o que pode ocasionar um pequeno sangramento vaginal.

A cor desse sangramento pode ser rosa, avermelhada ou marrom e pode lembrar bastante uma menstruação regular. O sangramento de implantação dura menos de 3 dias e pode causar uma leve dor.

2. Ausência de menstruação

A ausência de menstruação é um dos sinais mais óbvios de gravidez. Isso ocorre porque, quando a implantação está completa, o corpo produz gonadotrofina coriônica humana (hCG), um hormônio que ajuda a preservar a gravidez. É esse hormônio que manda um sinal para os ovários pararem de liberar óvulos.

Dessa forma, a mulher não menstrua mais. Porém, mulheres com período menstrual irregular podem ter mais dificuldade de identificar esse sintoma como um sinal de gravidez.

Além disso, outros motivos podem causar o atraso da menstruação como: desequilíbrios hormonais, estresse, alterações no método de controle de natalidade, mudança nos exercícios físicos e algumas doenças.

3. Enjoo matinal, náuseas e vômitos

A náusea – conhecida na gravidez como enjoo matinal por afetar muitas mulheres durante o período da manhã – é comum em mulheres grávidas. Vale lembrar que nem todas as grávidas sentem náuseas durante a gestação, mas a maioria tende a apresentar esse sintoma em algum momento.

Algumas mulheres podem sentir náuseas a partir da 5ª semana de gestação, mas a maioria das gestantes sente apenas na 8ª semana de gravidez.

A sensação de enjoo e mal-estar costuma passar quando a gravidez entra no segundo trimestre.

4. Aumento da temperatura corporal

A temperatura corporal basal – que é a temperatura do corpo assim que a mulher acorda – pode aumentar no início da gravidez devido aos hormônios. A temperatura também pode aumentar com mais facilidade em climas quentes ou durante a prática de exercícios físicos. É importante beber bastante água para evitar a desidratação.

5. Mudanças nos seios

Alterações mamárias podem ser um dos primeiros sintomas de gravidez, especialmente se for a primeira gestação da mulher.

Isso acontece porque o tecido mamário aumenta de tamanho para se preparar para a produção de leite materno. Além do aumento do tamanho, as veias podem ficar mais perceptíveis nos seios e os mamilos podem ficar mais escuros do que antes.

Também é comum que seios e mamilos fiquem mais sensíveis ao toque ou doloridos. Tais sintomas podem ocorrer a partir da 4ª semana de gestação e depois o corpo tende a se acostumar com as mudanças e ele desaparecem.

6. Micção frequente

A vontade frequente de urinar pode acontecer logo no início da gestação. Esse desejo quase que constante se deve ao crescimento do útero e às alterações hormonais que aumentam a circulação sanguínea na região da pelve.

Muitas mulheres sentem uma vontade de urinar com maior urgência nos primeiros 3 meses da gestação e depois a vontade passa a ser mais controlável. No entanto, conforme o feto vai crescendo e pressionando a bexiga, a micção pode se tornar ainda mais urgente e frequente do que antes.

7. Fadiga e sonolência

Um dos primeiros sintomas de gravidez mais comuns é a fadiga. Em geral, a fadiga é observada no primeiro trimestre da gravidez e depois os níveis de energia voltam a aumentar. Porém, há mulheres que podem sentir cansaço excessivo em vários momentos da gravidez. Além disso, a elevação nos níveis de progesterona pode deixar a grávida mais sonolenta.

Para minimizar a fadiga, é indicado que as mulheres grávidas durmam mais, mantenham uma dieta saudável e pratiquem exercícios físicos adequados regularmente.

8. Cólicas

Cólicas uterinas leves sem sangramento são normais durante os 3 primeiros meses de gestação. Elas ocorrem devido ao aumento do tamanho do útero.

Sintomas como constipação, azia e inchaço abdominal também são comuns não só no início da gestação como também ao longo das 40 semanas.

9. Congestão nasal

Muitas vezes ignorado, a congestão nasal também é um dos primeiros sintomas de gravidez. Conforme o suprimento de sangue aumenta, pode ocorrer um inchaço nas passagens nasais que acaba congestionando as narinas.

10. Desejos ou aversões

Desejos e aversões a alimentos são comuns durante a gravidez inteira. O mais importante nesse caso não é satisfazer todos os desejos imediatamente, mas sim garantir a ingestão de alimentos saudáveis e ricos em nutrientes para preservar a boa saúde da mãe e do feto. O consumo de nutrientes como proteínas e ácido fólico são cruciais para que o bebê se desenvolva bem.

A sensibilidade aos odores também pode ser identificada logo no início da gestação. Sentir os cheiros com mais intensidade pode inclusive gerar outros sintomas como náuseas e vômitos e causar uma grande aversão a certos tipos de alimentos.

11. Alteração de humor

Na gravidez, é normal que a mulher fique mais sensível emocionalmente e que mude de humor abruptamente. Essas mudanças podem ter relação com alterações hormonais nos níveis de estrogênio e progesterona que ficam mais altos com o estresse e com a fadiga que acompanham o início da gestação.

É importante buscar ajuda profissional se essas alterações no humor afetarem o seu dia a dia e os seus relacionamentos, já que a gravidez pode agravar condições de saúde pré-existentes como a ansiedade e a depressão.

12. Inchaço e constipação

O inchaço pode ser observado no início da gestação por causa das mudanças hormonais. Tais mudanças também podem interferir no funcionamento do sistema digestivo já que o aumento nos níveis de progesterona pode tornar a digestão mais lenta, o que faz com que a mulher sofra com prisão de ventre.

13. Tontura e pressão alta

A tontura pode acontecer por causa de mudanças no volume de sangue e na pressão sanguínea da mulher grávida. Além disso, alterações de peso ou anemia por deficiência de ferro (condição bastante comum na gravidez) podem causar tontura.

A sensação tende a ser sentida principalmente ao mudar de uma posição rapidamente e só deve ser motivo de preocupação se o sintoma persistir mesmo quando a mulher estiver parada descansando.

Ingerir líquidos, alimentar-se constantemente e mudar de posição mais lentamente pode contribuir para diminui a tontura.

14. Dor de cabeça

A dor de cabeça no começo da gravidez pode ocorrer como resultado de mudanças hormonais que ocorrem na gestação.

15. Aumento da frequência cardíaca

A partir do segundo mês de gestação, é provável que a mulher sinta o batimento cardíaco mais acelerado porque o coração passa a bombear mais sangue. Arritmias ou palpitações também podem ocorrer devido as alterações hormonais.

16. Azia

Os hormônios podem causar o relaxamento da válvula que fica entre o estômago e o esôfago, o que pode causar o escape do ácido estomacal para o esôfago e resultar na azia na gravidez.

Quando aparecem os primeiros sintomas de gravidez?

Para você saber exatamente quando esperar cada um dos sintomas mencionados acima, preparamos uma descrição do que acontece no corpo da mulher durante os primeiros 2 meses de gravidez e os sintomas que podem ser esperados em cada semana da gestação até completar o primeiro trimestre.

Semana 1

Apesar de soar estranho, a gravidez é contada a partir da data do último período menstrual da mulher, mesmo se nessa data a mulher ainda não estava grávida. Essa é a data considerada para calcular a provável chegada do bebê, que – em situações ideais – só deve nascer ao completar 40 semanas de gestação.

É por isso que na primeira semana de gravidez dificilmente algum sintoma é observado, mas a partir da segunda semana já é possível observar alguns sinais de que há um bebê a caminho.

Semana 2

De acordo com a data do último período menstrual, é possível que na segunda semana de gravidez a mulher ainda esteja ovulando e prestes a engravidar.

Há relatos de mulheres que sentiram sintomas como cólicas nessa etapa, mas provavelmente as cólicas ainda eram relacionadas ao ciclo menstrual e não à gestação.

Semana 3

Na terceira semana de gravidez, o óvulo com certeza já foi fertilizado e se inicia o processo de divisão celular em que o óvulo atravessa as trompas de Falópio para chegar até o útero.

Não é comum a observação de sintomas na terceira semana, mas algumas mulheres mais sensíveis ao próprio corpo podem notar um leve corrimento vaginal e sintomas como cólicas leves, sensibilidade nos seios, náuseas, aumento da micção, olfato aguçado e aversões alimentares.

Aproximadamente 25% das mulheres apresentam corrimento ou pequeno sangramento vaginal no começo da gravidez e, em geral, isso não é motivo de preocupação.

Semana 4

Um dos primeiros sintomas de gravidez nessa etapa é a menstruação que não vem. Algumas mulheres podem começar a sentir dor nos seios, fadiga, náusea e micção frequente. É estimado que cerca de um terço das mulheres sentem náuseas na quarta semana de gravidez.

Semana 5

Na quinta semana, o desenvolvimento do feto já pode se tornar mais perceptível. Sintomas como fadiga, dor nos seios, náuseas e aumento da micção continuam sendo observados, e além da dor nos seios, eles também podem ficar inchados.

Semana 6

Nessa etapa da gravidez, a maioria das mulheres começa a sentir enjoo matinal, além de exaustão e mudanças de humor que podem ter a ver com alterações hormonais e também com a descoberta da gravidez.

Semana 7

Na sétima semana, os enjoos continuam e podem até piorar. A partir desse ponto, é possível começar a notar um pequeno ganho de peso, já que o útero passa a ter o dobro do tamanho que era antes.

A vontade de urinar passa a ser mais frequente por causa do aumento da pressão do útero sobre a bexiga. Além disso, aumenta a quantidade de sangue que é filtrado pelos rins e isso faz com que a micção aumente.

Semana 8

Na oitava semana, é comum que náuseas e vômitos ainda estejam acontecendo. Além disso, o cansaço se torna maior e os seios começam a aumentar de tamanho devido aos níveis mais altos de hormônios, que servem para começar a estimular a produção de leite.

A insônia também pode surgir nessa etapa devido ao aumento da vontade de urinar durante a noite. Mulheres que costumam dormir de bruços também podem ter dificuldades para dormir, uma vez que os seios estão bem mais sensíveis do que antes.

Semanas 9 a 12

Outros sintomas que podem ocorrer a partir do segundo mês de gestação incluem: azia, prisão de ventre, falta de ar, congestão nasal, inchaço abdominal, tontura, cólicas uterinas, escurecimento de algumas regiões da pele (como as aureolas), formigamento nas palmas das mãos e desejos ou aversões por comida.

Lá pelo terceiro mês da gestação, você provavelmente já saberá que está grávida. Nessa etapa, as glândulas sebáceas podem se tornar mais ativas por causa do aumento do fluxo sanguíneo e das alterações hormonais, deixando a pele mais brilhante. Infelizmente, esse aumento de produção de sebo pode gerar acne. O ganho de peso também se torna perceptível a partir do terceiro ou quarto mês da gestação.

Confirmando a gravidez

Alguns sintomas da gravidez podem ocorrer por causa de problemas de saúde e é importante fazer um diagnóstico para confirmar a gestação ou investigar o que está causando os sintomas.

Existem 3 formas seguras de detectar uma gravidez:

1. Exame de sangue e de urina

A presença do hormônio gonadotrofina coriônica (HCG) indica que uma mulher está grávida já que esse hormônio só é produzido depois da implantação do óvulo fecundado no útero.

Porém, algumas condições de saúde e doenças raras podem causar um falso positivo, ou seja, podem causar o aumento desse hormônio sem que a pessoa esteja esperando um bebê. Por isso, é importante fazer também um exame de ultrassom.

2. Teste de ultrassom

O exame de ultrassom cria uma imagem do feto através do uso de ondas de ultrassom. Ele é muito usado para confirmar a gravidez após o resultado positivo dos exames de sangue e de urina.

3. Ultrassonografia com Doppler

A ultrassonografia com Doppler serve para confirmar a gravidez após a décima semana. Com essa ultrassonografia é possível checar o bebê e ouvir o batimento cardíaco do feto.

Considerações

Assim que houver a confirmação da gestação, é importante iniciar o acompanhamento pré-natal, que consiste em um monitoramento constante da saúde da mãe e do bebê durante toda a gravidez.

Vale lembrar que cada mulher percebe a gravidez de uma maneira diferente e que nem sempre os sintomas serão observados em uma ordem específica e nem todos os sintomas são perceptíveis. Inclusive, uma mulher que engravida duas vezes, por exemplo, pode apresentar sintomas diferentes ou em momentos diferentes em cada uma das gestações.

O mais importante é que na dúvida você procure observar mais os sinais do seu corpo e faça exames para confirmar a gestação e tomar os cuidados necessários com a saúde.

Fontes e Referências Adicionais:

Quais foram os primeiros sintomas de gravidez que você sentiu? Está com suspeita de gravidez agora por conta deles? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário