Qual é a idade mais perigosa para beber? Cientistas respondem

Especialista da área:
atualizado em 08/02/2021

Com a chegada do verão, nada melhor do que uma boa cerveja gelada para muita gente. Podemos estar impedidos de ir à praia devido a pandemia do novo coronavírus, mas os drinques ainda fazem parte da nossa rotina de verão em casa.

  Continua Depois da Publicidade  

Os cientistas, no entanto, avisam que é preciso ter cautela. Com a pandemia, os efeitos negativos do álcool podem ser acentuados. Além disso, um estudo recente demonstrou que beber após os 65 anos pode ser prejudicial para o seu cérebro.

Dessa forma, você precisa saber como beber em segurança, qual é a melhor idade para consumir álcool e o que fazer quando exagerar.

Sedo assim, selecionamos algumas informações importantes para responder a todas estas questões. Aproveite seu verão com segurança e de forma saudável, sem exagerar na bebida!

Estudo aponta que beber após os 65 anos pode ser prejudicial para o cérebro

Recentemente, um novo estudo detalhou alguns efeitos do álcool em pessoas com mais de 65 anos. A pesquisa foi publicada na revista BMJ, publicação britânica que é uma das mais conceituadas na área médica.

Conforme a pesquisa, beber excessivamente após os 65 anos pode ser prejudicial para o cérebro. Segundo o estudo, o consumo excessivo de álcool pode fazer com que os neurônios de pessoas idosas atrofiem de maneira mais rápida.

Na velhice, de acordo com os pesquisadores, seu cérebro começa a atrofiar mais rápido à medida que seus neurônios se tornam menores e suas partes componentes se quebram.

Portanto, beber durante este período pode causar danos irreparáveis ​​ao seu processo cognitivo.

E não se trata apenas de consumo excessivo. O estudo aponta que mesmo o consumo moderado de álcool está associado a uma pequena, mas significativa, perda de volume cerebral.

Pesquisa ainda alerta para consumo de álcool em outras fases da vida

Assim como na velhice, beber durante a adolescência pode causar prejuízos ao cérebro. Isso porque, de acordo com os especialistas, este também é um período de mudanças na estrutura cerebral.

  Continua Depois da Publicidade  

De acordo com os pesquisadores, a transição para o consumo excessivo de álcool na adolescência está associada à redução do volume do cérebro, por exemplo.

Do mesmo modo, o consumo exagerado de álcool entre os 15 e os 19 anos pode acarretar num pior desenvolvimento da substância branca. Esta substância é fundamental para o funcionamento eficiente do cérebro.

Sendo assim, o adolescente pode sofrer de déficits pequenos a moderados em uma série de funções cognitivas no futuro.

Igualmente perigoso é beber durante a gravidez, alertam os pesquisadores. Evidências recentes indicam que mesmo o consumo baixo ou moderado de álcool durante a gravidez está significativamente associado a problemas de comportamentos e doenças psicológicas na criança.

Especialistas alertam que não há consumo de álcool seguro

Para beber de forma segura, antes de mais nada você precisa entender que, conforme acreditam os especialistas, não existe nível seguro de consumo. Portanto, é importante conhecer os efeitos que o álcool pode ter em seu corpo.

De acordo com um estudo que faz parte das pesquisas da organização Fardo Global das Doenças (GBF) a forte associação entre o consumo de álcool e o risco de câncer, lesões e doenças infecciosas compensa os efeitos protetores contra doenças cardíacas.

De acordo com os pesquisadores, embora os riscos para a saúde do álcool comecem pequenos com uma dose por dia, eles crescem rapidamente. Este risco cresce ainda mais à medida que as pessoas bebem.

Além disso, os especialistas também alertam para algumas condições que podem afetar seu corpo graças ao consumo de álcool. Por exemplo, o comprometimento motor, a perda dos reflexos, os vômitos, os problemas na fala e até mesmo o coma.

  Continua Depois da Publicidade  

bebida

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda liga o agravamento de algumas doenças psíquicas e até mesmo o aumento de violência ao consumo exagerado de álcool.

Como beber em segurança?

Como vimos, não existe um nível seguro de consumo de álcool. No entanto, existem algumas atitudes que você pode tomar para diminuir os problemas causados por aquele drink a mais. Primeiramente, beba com moderação. Procure conhecer o seu limite.

Não se esqueça de beber água e se alimentar. Isto evitará que você fique desidratado.

Se exagerar ou estiver bebendo fora de casa, certifique-se de que esteja com alguém que confia e deixe bem guardados os seus objetos pessoais.

Acima de tudo, para beber em segurança é necessário saber a hora de parar. Do mesmo modo, você deve buscar ajuda caso sinta que a bebida está interferindo com a sua vida ou está passando do limite.

Fale com alguém que você confia. Existem grupos especializados que estão prontos para ajudar para quem precisa. Estes grupos ainda atendem de forma confidencial, se você preferir. A opção mais conhecida para estes casos é o Alcoólicos Anônimos.

Para pedir ajuda ou obter mais informações sobre o grupo basta acessar o site oficial da organização: https://www.aa.org.br/

E você? Qual é o seu drink preferido? Quais as precauções toma na hora de beber? Conte tudo para a gente nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário