SARMs – O Que é, Tipos, Para Que Serve e Efeitos Colaterais

Especialista da área:
atualizado em 03/02/2022

Os SARMs prometem facilitar o aumento da massa muscular para fisiculturistas e prevenir a perda de massa muscular em pessoas com determinadas doenças. Mas qual será o custo disso para a sua saúde?

Na busca por um corpo mais definido, mas também tentando correr menos riscos, muitas pessoas estão preferindo utilizar os chamados SARMs ao invés dos esteroides anabolizantes, mesmo sem saber direito o que é e como agem no corpo.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, a seguir vamos falar sobre o que é SARMs, como eles funcionam e quais os efeitos colaterais que eles podem causar, além de descobrir as diferenças entre eles e os anabolizantes comuns.

Seu você tem interesse em aumentar sua massa muscular, conheça também algumas dicas fundamentais para a hipertrofia muscular.

SARMs: o que é?

SARMs é uma abreviação do termo em inglês “selective androgen receptor modulators”, ou moduladores seletivos de receptores androgênicos, em português.

Essas substâncias, assim como os esteroides anabolizantes, são utilizadas com o objetivo de potencializar o ganho de massa muscular e a queima de gordura, sem, teoricamente, muitos efeitos colaterais.

Entretanto, atualmente, em muitos países eles não são aprovados para uso em seres humanos, mas ainda assim é possível encontrar esse tipo de medicamento facilmente na internet.

  Continua Depois da Publicidade  

Para que serve

SARMs
Os SARMs são muito procurados por fisiculturistas e adeptos da hipertrofia

Os SARMs parecem ter um potencial para prevenir a perda de massa muscular em pacientes com doenças que prejudicam os ossos e os músculos, mas o uso “off-label” desse composto é o que mais chama atenção hoje em dia.

Entretanto, apesar de ilegal em vários países, o SARM é muito procurado por fisiculturistas e adeptos da hipertrofia, na tentativa de maximizar os resultados dos exercícios.

Diferenças entre esteroides comuns e SARMs

As principais diferenças entre esteroides e SARMs tem a ver com perfil de efeitos colaterais apresentados por cada um deles, como veremos a seguir:

Esteroides androgênicos

Os esteroides androgênicos, como as formulações de testosterona, contribuem para o desenvolvimento muscular, mas podem causar uma série de efeitos desagradáveis.

Seus efeitos se devem ao fato de que os esteroides se ligam a estruturas específicas no interior das células e desencadeiam reações que aumentam a produção de proteínas. Por isso, eles são muito utilizados no tratamento de doenças em que o paciente perde massa óssea e massa muscular em excesso.

Porém, o uso prolongado desses hormônios pode causar efeitos colaterais sérios e é preciso evitar ao máximo usá-los sem orientação médica. Os principais são:

  Continua Depois da Publicidade  

Já nas mulheres, além dos problemas cardiovasculares e hepáticos, podemos observar efeitos masculinizantes, como:

  • Aumento do crescimento de pelos no corpo, incluindo a face
  • Engrossamento da voz
  • Aumento do tamanho do clitóris.

SARMs

De acordo com uma publicação de 2009 do Journal of Medicinal Chemistry, os SARMs podem ser uma classe mais segura de suplementos androgênicos, mas ainda são necessários mais estudos para avaliar melhor os seus efeitos.

Essa maior segurança se deve, em teoria, a uma melhor seletividade de suas moléculas, que se conectam apenas aos receptores dos músculos esqueléticos e, assim, a síntese de proteína é estimulada sem causar os efeitos colaterais dos esteroides anabolizantes tradicionais.

Além disso, os SARMs foram bem tolerados em ensaios clínicos, embora nenhum deles tenha sido ainda aprovado por um órgão regulador.

Entretanto, em uma pesquisa realizada nos EUA e publicada no International journal of impotence research, os pesquisadores encontraram que cerca de 50% dos homens entrevistados apresentam os seguintes efeitos colaterais:

  • Mudanças de humor
  • Redução do tamanho dos testículos
  • Acne.

Assim, apesar da suposta seletividade e segurança, muitos usuários reportam alguns efeitos negativos semelhantes aos anabolizantes comuns.

  Continua Depois da Publicidade  

Tipos de SARMs

O tipo de SARM mais conhecido é a Ostarina, que inclusive já passou por testes clínicos de fase III, a penúltima fase de testes de um produto.

A fase III de um estudo clínico compreende grandes estudos de longo prazo envolvendo milhares de pacientes. E é nessa fase que dados sobre eficácia, segurança e interações entre medicamentos são obtidos com mais detalhes para que a bula e o rótulo da substância possam ser desenvolvidos e para que o produto seja registrado e aprovado para uso comercial.

Mas, além da Ostarina, existem outros SARMs em testes, que são frequentemente comprados e utilizados de forma ilegal. São eles:

  • Andarine (S4)
  • LGD-4033 (Ligandrol)
  • LGD-3033
  • TT-701
  • RAD140 (Testolone)
  • S23.

Efeitos colaterais

Toxicidade hepática
O risco de toxicidade hepática é um dos principais problemas dos SARMs

Embora os SARMs pareçam ser mais seguros do que os esteroides andrógenos tradicionais, eles não são isentos de efeitos adversos.

Segundo a FDA, os SARMs podem causar:

  • Toxicidade hepática
  • Aumento do risco de ataque cardíaco
  • Maior risco de sofrer um derrame
  • Mudanças no perfil lipídico, com redução do colesterol HDL (colesterol bom)
  • Irritabilidade
  • Náuseas
  • Dor de cabeça
  • Dor nas articulações
  • Redução da libido.

Além disso, o órgão de saúde americano afirma que os efeitos colaterais a longo prazo ainda não são conhecidos e é preciso ter muita cautela.

Riscos adicionais

Mesmo sem a aprovação de órgãos de saúde, muitas vezes os SARMs são vendidos como suplementos alimentares, sem passar por todos os estudos de pré-comercialização. Isso pode ser um problema não só por causa da falta de estudos sobre a segurança e eficácia do produto, mas também no que diz respeito à composição desses suplementos.

Assim, conforme dados publicados em 2017 no Journal of the American Medical Association, em uma avaliação da composição química de produtos comercializados como SARMs, foi observado que apenas metade deles continha SARMs em sua fórmula e aproximadamente 60% apresentavam ingredientes diferentes dos que estavam listados no rótulo.

Além do mais, quase 10% dos suplementos testados não continham nenhum ingrediente ativo.

Isso tudo torna uso dos SARMs uma questão muito grave, pois além de se expor aos efeitos adversos desconhecidos, você pode estar tomando um suplemento que não contém a substância ou que contém ingredientes que não trazem nenhum tipo de benefício e que, na pior das hipóteses, ainda podem fazer mal para a sua saúde.

Veja também: 7 dicas para maximizar o anabolismo

Os SARMs realmente funcionam?

Homem musculoso
É fato que os SARMs trazem resultados aparentes para a massa muscular

De acordo com usuários desse medicamento, o uso de SARMs realmente parece funcionar, trazendo efeitos como:

  • Aumento do volume e da força muscular
  • Redução da quantidade de gordura corporal.

Além disso, essas substâncias apresentam um menor potencial de efeitos colaterais, embora estudos demonstrem que elas existem, e podem ser graves.

É seguro usar SARMs?

Por conta de um suposto melhor perfil de segurança, sugerido em algumas pesquisas, muitos homens passaram a utilizar essas substâncias, mesmo sem acompanhamento médico adequado.

Mas a verdade é que, pessoas que utilizam SARMs apresentam níveis ruins de colesterol e aumento das enzimas hepáticas, que é um indicativo de aumento da pressão sobre o fígado. Além disso, muitos relatam outros sintomas, como:

  • Redução no desejo sexual
  • Acne
  • Irritabilidade
  • Perda de cabelo.

Outro ponto a ser avaliado é que os SARMs são substâncias que não têm aprovação da FDA nos EUA e nem da Anvisa no Brasil, o que por si só já é um bom motivo para evitar o uso.

Assim, o mais indicado e seguro para preservar a sua saúde é aguardar novas pesquisas com mais detalhes sobre o mecanismo de ação, a eficácia e a segurança dos SARMs antes de começar a utilizar o suplemento ilegalmente e sem orientação médica.

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar dos SARMs? Já experimentou alguma vez e teve bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média 4,63)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

Deixe um comentário

1 comentário em “SARMs – O Que é, Tipos, Para Que Serve e Efeitos Colaterais”

  1. Entre esteroides e sarms prefiro esteroides, pois alguns deles se consegue compra na farmácia e estão há vários anos no Mercado e já foram incansávelmente estudados e já sabemos os Seus riscos e como evitar.

    Responder