Sedentarismo aumentou na pandemia, aponta estudo

Especialista da área:
atualizado em 11/03/2021

Em 10 de março, Dia Mundial de Combate ao Sedentarismo, foi divulgada uma pesquisa que demonstrou como o sedentarismo aumentou durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com o levantamento, o índice de pessoas que não pratica exercícios saltou de 35% para 50%.

  Continua Depois da Publicidade  

Antes da pandemia, 65% dos entrevistados praticavam exercícios. Depois da pandemia, o percentual diminuiu para 50%. Além disso, o estudo apontou que apenas 5% dos entrevistados se exercitam todos os dias ao ar livre, em casa ou em academias.

A pesquisa encomendada pela rede de academias Smart Fit e realizada pela Opinion Box contou com a participação de homens e mulheres, com idade entre 18 e 45 anos.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não se exercitam o suficiente.

Além dos motivos já famosos para não se exercitar como falta de tempo, falta de disposição ou vergonha, a pandemia é outra justificativa. Isso porque uma das importantes medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus é ficar em casa e evitar sair sem necessidade.

No entanto, dá para se exercitar sem sair de casa! Por exemplo, conheça um treino iniciante para fazer em casa durante a pandemia.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que todo movimento importa, especialmente devido às restrições da pandemia. De acordo com ele, devemos nos movimentar todos os dias, mas com segurança e criatividade.

Do mesmo modo, o diretor de promoção de saúde da OMS, Ruediger Krech, alertou que se a população não se manter ativa, há risco de que surja uma nova pandemia de problemas de saúde como resultado do sedentarismo.

Mas quais são os perigos do sedentarismo?

Vida sedentária

Quem é sedentário queima menos calorias e pode perder força e resistência muscular, já que não usa tanto os seus músculos. A falta de atividade também pode enfraquecer os ossos e afetar o metabolismo.

O sistema imunológico de um sedentário também pode não funcionar tão bem como deveria e a sua circulação pode ser pior. O organismo do sedentário também pode ter mais inflamação e desenvolver um desequilíbrio hormonal.

  Continua Depois da Publicidade  

Além disso, não praticar exercícios regularmente aumenta os riscos de desenvolver uma série de problemas de saúde, como por exemplo:

  • Obesidade;
  • Doenças no coração, com a doença arterial coronariana e o ataque cardíaco;
  • Pressão alta;
  • Colesterol alto;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Síndrome metabólica;
  • Diabetes do tipo 2;
  • Quedas e osteoporose;
  • Certos tipos de câncer, como o câncer de cólon, o de mama e o de útero;
  • Aumento da sensação de depressão e ansiedade.

Além disso, o sedentarismo pode aumentar os riscos de morte prematura. E quanto mais sedentária uma pessoa for, maiores são os riscos para a sua saúde.

Além dos exercícios, uma dieta de qualidade também é fundamental para a saúde. Por isso, conheça as dicas de reeducação alimentar da nossa nutricionista:

Fontes e Referências Adicionais

Você tem se exercitado durante a pandemia? Então, comente abaixo o que tem feito!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas, educadores físicos. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário