Aldactone Emagrece? Para Que Serve e Como Usar

Aldactone (espironolactona) é um remédio que pode ser indicado para tratar a hipertensão essencial, que é a elevação da pressão arterial sem causa determinada, e de distúrbios relacionados ao inchaço como edema idiopático (inchaço sem causa aparente) e edema e ascite (acúmulo de líquido dentro do abdome), associados à insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática e síndrome nefrótica (doença renal que provoca a perda de proteína na urina).

O medicamento também pode ser utilizado como terapia auxiliar na hipertensão maligna (tipo grave de pressão arterial elevada) e na prevenção da hipopotassemia (diminuição dos níveis sanguíneos de potássio) e da hipomagnesemia (diminuição dos níveis sanguíneos de magnésio) em pacientes que fazem uso de diuréticos.

Aldactone ainda pode ser usado para o diagnóstico e tratamento do hiperaldosteronismo primário (aumento dos níveis sanguíneos de aldosterona – hormônio renal – sem causa aparente) e para o tratamento pré-operatório de pacientes com hiperaldosteronismo primário.

O remédio é de uso oral e pediátrico e pode ser comercializado somente com a apresentação da receita médica. As informações são da bula de Aldactone da Wyeth, disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

E então, será que Aldactone emagrece?

Agora que já sabemos para que serve o medicamento, podemos verificar se Aldactone emagrece ou não. Para tentar descobrir isso, resolvemos consultar a bula do medicamento.

Pois bem, não foram encontradas no documento informações a respeito de efeitos colaterais do remédio que podem provocar, pelo menos de maneira direta, a diminuição do peso. O que não nos concede segurança para afirmar que Aldactone emagrece.

Entretanto, como o medicamento pode ser utilizado para tratar distúrbios relacionados ao inchaço, é possível que o seu uso deixe o corpo do paciente menos inchado, o que não quer dizer que ele promova a perda de peso na forma de gordura.

De qualquer maneira, caso você perceba que emagreceu, principalmente se isso acontecer de maneira significativa, informe o médico a respeito da reação para saber como deve proceder.

Vale lembrar que, assim como o aumento de peso expressivo, a diminuição considerável do peso também pode representar problemas para a saúde.

Efeitos colaterais de Aldactone

Ainda de acordo com informações da bula de Aldactone da Wyeth, disponibilizada pela ANVISA, o medicamento pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

Reações muito comuns – ocorrem em mais de 10% dos pacientes de utilizam o medicamento:

  • Hiperpotassemia – elevação dos níveis de potássio no sangue;

Reações comuns – ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam o medicamento:

  • Estado de confusão mental;
  • Tontura, náusea;
  • Prurido (coceira)
  • Rash (erupção cutânea);
  • Cãibras nas pernas;
  • Insuficiência renal aguda;
  • Ginecomastia (aumento das mamas);
  • Dor nas mamas (em homens);
  • Mal-estar;

Reações incomuns – ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam o medicamento:

  • Neoplasma (tumor) benigno de mama (em homens);
  • Distúrbios eletrolíticos (distúrbios dos minerais do sangue);
  • Função hepática (do fígado) anormal;
  • Urticária (alergia de pele);
  • Distúrbios menstruais;
  • Dor nas mamas (em mulheres).

Reações com frequência desconhecida – que não puderam ser estimadas a partir dos dados disponíveis:

  • Agranulocitose (diminuição severa do número de glóbulos brancos que aumenta a probabilidade de infecções);
  • Leucopenia (diminuição dos glóbulos brancos no sangue);
  • Trombocitopenia (diminuição do número de plaquetas no sangue);
  • Alteração na libido (desejo sexual);
  • Distúrbio gastrointestinal;
  • Necrólise epidérmica tóxica (NET);
  • Síndrome de Stevens-Johnson (SJS);
  • Erupção ao medicamento com eosinofilia e sintomas sistêmicos (DRESS);
  • Alopecia (perda de cabelo);
  • Hipertricose (crescimento anormal de pelos).

Ao experimentar algum dos efeitos colaterais mencionados na lista acima ou ainda qualquer outro tipo de reação, por menos grave que aparente ser, é fundamental procurar rapidamente o auxílio do médico.

Isso é necessário para verificar a seriedade da reação, receber o tratamento apropriado caso seja preciso e saber como proceder em relação à continuidade do tratamento com Aldactone.

A bula alerta que o tratamento com Aldactone não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico.

Contraindicações e cuidados com Aldactone

O remédio não pode ser utilizado pelos seguintes grupos de pessoas:

  • Que sofram com hipersensibilidade (alergia) à espironolactona ou a qualquer outro componente da fórmula de Aldactone;
  • Que sofram com a insuficiência renal aguda;
  • Que sofram com a diminuição significativa da função renal;
  • Que sofram com a anúria – que é a perda da capacidade de urinar.
  • Que sofram com a doença de Addison – produção insuficiente de hormônios por parte das glândulas adrenais;
  • Que sofram com a hipercalemia ou hiperpotassemia – elevação dos níveis de potássio no sangue;
  • Que façam uso de epleronona;
  • Mulheres que estejam amamentando – a não ser que o médico considere essencial o uso do medicamento, neste caso, deverá ser instituído outro método de alimentação para a criança.

As mulheres grávidas podem usar o remédio somente quando o médico autorizar, depois de avaliar os riscos e os benefícios que Aldactone pode provocar à mãe ou ao feto.

Com isso, as pacientes precisam informar ao médico caso estejam grávidas ou amamentando.

Todo paciente que estiver fazendo uso de qualquer medicamento, suplemento ou planta medicinal deve informar ao médico antes de iniciar o tratamento com Aldactone para que o profissional verifique se não faz utilizar Aldactone e o remédio em questão ao mesmo tempo.

É essencial que o médico monitore e ajuste o potássio sérico (no sangue) em pacientes com insuficiência cardíaca grave recebendo espironolactona (Aldactone).

Como o medicamento pode provocar sonolência ou tontura, a recomendação é ter cautela quanto à execução de atividades que podem ser arriscadas como dirigir veículos ou operar máquinas durante o tratamento, tendo em vista que esses sintomas podem interferir nas habilidades físicas ou psíquicas. As informações são da bula de Aldactone da Wyeth, disponibilizada pela ANVISA.

Como usar Aldactone

A bula de Aldactone da Wyeth esclarece que, para os adultos, a dosagem diária do medicamento pode ser tomada de uma só vez ou fracionada ao longo do dia. Sempre conforme as indicações do médico, obviamente.

Essa dosagem varia de acordo com a condição para a qual o medicamento é utilizado e dever ser definida pelo médico. A bula do remédio alerta que é necessário obedecer a todas as recomendações do médico em relação à dosagem, os horários e a duração do tratamento com Aldactone.

O documento também destaca que o medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Atenção

Este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a consulta ao médico e a leitura da bula do remédio antes do início do tratamento. Não comece a usar um medicamento sem antes conversar com o médico e ler toda a bula. Confira por aqui a bula de Aldactone na íntegra.

Você conhece alguém que tenha usado e afirme que o Aldactone emagrece? Seu médico já recomendou esse remédio para você? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário