Espironolactona emagrece ou engorda?

Especialista da área:
atualizado em 10/02/2022

O uso de medicamentos diuréticos, como a espironolactona, é algo bastante comum, e sempre vem acompanhado de dúvidas, como: Será que ela emagrece ou engorda?

Seu uso se deve, principalmente, à ocorrência de doenças cardiovasculares, como a pressão arterial alta, e hormonais, como a síndrome dos ovários policísticos, embora ela possa ser usada em outros tipos de tratamento.

  Continua Depois da Publicidade  

Então, a seguir vamos conhecer melhor a espironolactona, os seus efeitos positivos e negativos no corpo e entender como ela deve ser usada, além de descobrir se ela emagrece ou engorda.

O que é espironolactona? 

A espironolactona é um medicamento com ação diurética, ou seja, atua no aumento da quantidade de líquido excretado pelo corpo.

Mas, diferente de outros tipos de diuréticos, a espironolactona elimina menos potássio através da urina, o que é benéfico para as pessoas que sofrem com baixas taxas do mineral no organismo. Por isso, ele é classificado como um diurético poupador de potássio.

Além disso, a substância tem uma ação antiandrógena que se liga ao receptor androgênico, impedindo a ação de hormônios masculinos.

Para que serve?

Pressão alta
A espironolactona é indicada para casos de hipertensão maligna, por exemplo

Devido à sua dupla ação, diurética e antiandrogênica, a espironolactona pode ser usada para tratar doenças cardiovasculares, renais e problemas hormonais, como:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Síndrome Nefrótica: um distúrbio renal que causa excreção de grandes quantidades de proteínas pela urina, causando sintomas como urina com espuma ou inchaços nos tornozelos e pés.
  • Insuficiência cardíaca congestiva: um problema que ocorre quando seu coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às necessidades do organismo.
  • Hipertensão arterial essencial: pressão arterial elevada sem causas identificadas ou explícitas.
  • Retenção de líquidos, com ou sem causas conhecidas.
  • Síndrome dos ovários policísticos.
  • Hipertensão maligna: pressão arterial bastante alta que se não for tratada pode levar altas taxas de mortalidade.
  • Hipopotassemia: diminuição dos níveis de potássio no sangue.
  • Aldosteronismo primário: descontrole hormonal que aumenta a pressão arterial.
  • Pré-operatório de hiperaldosteronismo primário
  • Acne
  • Hirsutismo: excesso de pelos no corpo.

Espironolactona emagrece? 

Não, a espironolactona não emagrece, ao menos não diretamente. Entretanto, como ela possui um efeito diurético, pessoas que sofrem com edema e retenção de líquidos relatam a perda de peso, uma vez que o excesso de líquido do corpo é eliminado através da urina.

Mas esse emagrecimento não é o resultado da perda de peso, e por isso não podemos dizer que o medicamento emagrece.

Além disso, pessoas com síndrome dos ovários policísticos frequentemente têm problemas para emagrecer, então, após o controle hormonal e a melhora do quadro, há a chance de perda dos quilinhos extras.

Portanto, se você precisa emagrecer, não utilize o Espironolactona para esse fim. O jeito mais recomendado de perder peso ainda é manter uma alimentação saudável e equilibrada e praticar exercícios físicos com regularidade.

Espironolactona engorda? 

O ganho de peso não é um dos efeitos colaterais da espironolactona. Entretanto, como o cansaço pode ser um dos efeitos causados pelo medicamento, e isso pode fazer com que o usuário se torne uma pessoa menos ativa, neste caso o ganho de quilos pode acontecer, mesmo que indiretamente. 

Mas se trata de um efeito transitório, que tende a melhorar rapidamente. Então, o medicamento não costuma causar ganho de peso.

  Continua Depois da Publicidade  

Outros efeitos colaterais 

Confira na lista abaixo alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem surgir em decorrência do uso Espironolactona:

  • Aumento os níveis de potássio no organismo
  • Ginecomastia, ou o aumento das mamas nos homens
  • Alterações menstruais
  • Mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Tontura
  • Cãibra
  • Dor de cabeça
  • Dor nas mamas
  • Diarreia
  • Cólica
  • Vômito
  • Disfunção erétil
  • Sangramento pós-menopausa
  • Cansaço
  • Problemas renais e hepáticos
  • Erupção cutânea
  • Alopecia, ou queda de cabelo
  • Urticária
  • Alterações na libido.

Além disso, apesar de ter sido observada a ocorrência de câncer de mama em pacientes que fizeram o uso de Espironolactona, não foi comprovada nenhuma associação entre a ingestão do medicamento e a doença.

Como usar?

O uso de espironolactona pode ser feito em doses fracionadas ou em dose única, de acordo com a recomendação médica.

Além disso, as doses mais usuais variam de 25 a 100 mg, a depender do problema a ser tratado, nunca ultrapassando 200 mg por dia.

Contraindicações e precauções

A espironolactona é um medicamento considerado bastante seguro, e não costuma ter efeitos colaterais perigosos quando utilizada de forma correta.

Mas, alguns grupos de pessoas não devem usar este medicamento, ou devem ter maior cautela quando for necessário o uso. São eles:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Pessoas com alergia a algum dos componentes da formulação.
  • Portadores de insuficiência renal aguda ou diminuição significativa da função renal.
  • Aqueles diagnosticados com doença de Addison (incapacidade das glândulas adrenais de produzir as quantidades necessárias de seus hormônios.
  • Pessoas com hiperpotassemia, ou seja, taxas altas de potássio no sangue.

O medicamento também não é recomendado para mulheres que estejam grávidas ou em processo de amamentação de seus bebês.

Dicas e cuidados

Espironolactona
Existem alguns cuidados a tomar antes de consumir a espironolactona

Não utilize medicamentos sem a indicação do médico, para evitar a ocorrência de efeitos indesejados e interações medicamentosas. 

Além disso, para qualquer um dos casos em que a substância é indicada, é fundamental que um profissional de saúde especializado faça o acompanhamento, para determinar as doses que devem ser administradas e o tempo de tratamento.

Por fim, caso deseje perder peso ou tenha episódios recorrentes de retenção de líquidos, procure um profissional especializado para lidar com esses problemas, e evite automedicação.

Seu médico te receitou esse medicamento, e alguma pessoa que já tomou te avisou que a Espironolactona emagrece? Por qual motivo ela foi receitada a você? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (212 votos, média 3,97)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

Deixe um comentário

10 comentários em “Espironolactona emagrece ou engorda?”

  1. A espironolactona foi receitada para mim pelo dermatologista, para auxiliar no tratamento da alopécia androgenética

    Responder
  2. Estou tomando espironolactona à 8meses, aumentou a mama, muita dor,nódulos náuseas,mal esta,fraqueza, cansada.

    Responder
  3. Tomo porque sou cardiopata ,tive 2 infartos tenho 2 stent e 4 cateterismo meu médico receitou junto com outros remédios ,carvedilol,ass,copidogrel,vastarel,hidroxicloroquina tenho lúpus tbem enfim artrite reumatóide tomo abatacepte tbem enfim muitos remédios.

    Responder
  4. Vou tomar espironolactona para tratamento hormonal trans sou mulher trans e me disseram que ele bloqueia a testosterona

    Responder
  5. Oi me chamo Ana meu ginicologista me passou o espironolactona de 50 duas vezes ao dia por causa de dores frequente no útero durante a relação, sendo que,
    eu já fazia uso do metformina de 500 duas vezes ao dia
    se passando 3 dias de uso do espironolactona estou com muita dor nos rins e normal ou devo ir ao médico

    Responder
  6. Minha ginecologista receitou para tratamento de uso contínuo para síndrome de ovário policístico e seus efeitos

    Responder
  7. Tenho queda de cabelo constante após passar por um período de tratamento de câncer de endométrio, Então minha dermatologista, recomendou o Espironolactona de 50, duas vezes ao dia. Mas meu cabelo continua caindo. Alguém tem algo a dizer?!?

    Responder
  8. Fui ao deatologista e ele me indicou esse remédio, como uma forma alternativa de tratar a acne da mulher adulta.
    Pois,há anos tomo Selene mas pelo fato de ter mais de 40 anos minha ginecologista suspendeu o uso do anticoncepcional para não causar trombose.
    E me encaminhou ao Dermatologista.
    E hoje ele então,me prescreveu essa medicação.
    Mas estou com receio de tomar esse medicamento.

    Responder
  9. Eu preciso tomar remédio para a pressão,esse remédio abaixa as plaquetas no sangue,estou preocupada com isso,por causa do coronavirus,fica vulnerável a ter essa doença,queria ter uma resposta sobre isso.

    Responder