Alergia ao Frio – Sintomas e Como Tratar

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Entenda o que é e como funciona a alergia ao frio, quais são seus sintomas, como tratar e veja se a condição tem cura ou não.

O sistema imunológico é uma complexa rede interconectada projetada para proteger o corpo especialmente do perigo da invasão de organismos infecciosos de todos os tipos ou até mesmo das próprias células cancerígenas.

Esse sistema é composto por muitos tipos de glóbulos brancos, linfonodos, vasos linfáticos, uma série de anticorpos específicos, cílios (células ciliadas para varrer partículas indesejadas), amígdalas, baço, adenóides e o maior órgão – a pele.

Uma alergia acontece quando parte do sistema imunológico não funciona direito e, para te proteger, a resposta do sistema imunológico às vezes é tão forte que pode ser até pior do que o que iria “te atacar”.

Existem vários tipos de alergias, que vão desde alergias respiratórias até alergias alimentares e algumas pessoas têm uma resposta alérgica a temperaturas mais frias.

O que é e como ocorre a alergia ao frio

A alergia ao frio é uma forma relativamente incomum de alergia que se desenvolve após a pessoa ser exposta ao frio.

Trata-se de uma reação da pele que aparece após a exposição ao frio e desenvolve vergões avermelhados e coceira (urticária).

Pessoas com alergia ao frio experimentam sintomas muito diferentes. Alguns têm reações menores enquanto outros têm reações mais graves.

Ela ocorre com maior frequência em adultos jovens e pode ocorrer de várias maneiras, como por exemplo:

  • Ao tomar banho ou nadar em água fria;
  • Sair ao ar livre em um dia frio;
  • Entrar em um espaço com ar-condicionado ou mantido em temperaturas baixas.

Em geral, para desenvolver os sintomas desta alergia, a pessoa deve ser exposta a uma temperatura menor que 4° C.

Se você tem alergia ao frio, a exposição a essas baixas temperaturas faz com que seu corpo libere histaminas, o que desencadeia os sintomas.

Sintomas da alergia ao frio

Os sintomas graves da alergia ao frio mas que a pessoa não corre risco de vida são:

  • Sensação de queimação na pele à medida que o seu corpo se aquece;
  • Urticária, erupções avermelhadas na pele com coceira e vergões elevados no local de exposição ao frio;
  • Inchaço no local de exposição;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga;
  • Dor nas articulações;
  • Febre;
  • Ansiedade.

Os sintomas graves de alergia ao frio que requerem atenção médica imediata podem incluir:

  • Desmaio;
  • Anafilaxia – reação alérgica aguda grave;
  • Inchaço da garganta e da língua;
  • Problemas respiratórios, como chiado no peito;
  • Palpitações cardíacas;
  • Queda na pressão sanguínea;

A aparência dos sintomas da alergia ao frio pode variar.

Algumas vezes os sintomas podem ocorrer quase que imediatamente (entre 2 a 5 minutos) após a exposição a temperaturas baixas e podem desaparecer em 1 ou 2 horas, enquanto que em outras, a reação pode começar muito tempo após a exposição ao frio, dentro de algumas horas ou até mesmo alguns dias e pode levar até 2 dias para desaparecer.

Se os sintomas demoram para aparecer, pode ser que você herdou essa condição de saúde.

Diagnóstico

Para saber se você tem alergia ao frio, deverá consultar o seu médico para que ele possa diagnosticar seus sintomas, já que existem algumas condições que apresentam sintomas semelhantes, como por exemplo:

  • Doença de Raynaud;
  • Hemoglobinúria paroxística ao frio;
  • Geladura ou úlcera de frio;
  • Doença de aglutinina fria.

Se os seus sintomas forem graves, deve procurar atendimento médico imediatamente.

Durante a consulta com o seu médico, fale sobre os seus sintomas e histórico de saúde. Ele fará um exame físico e também poderá realizar um teste de alergia com um cubo de gelo para observar a reação do seu corpo a temperaturas baixas.

Durante esse exame, o médico aplicará um cubo de gelo em um saco plástico sob uma parte da sua pele durante alguns minutos e, em seguida, verificará se há alergia ou outros sintomas.

Se você herdou essa condição de saúde, sua pele pode não reagir imediatamente, já que os sintomas da alergia ao frio hereditária podem levar pelo menos de 20 a 30 minutos para aparecer.

O seu médico também pode solicitar exames de sangue para determinar ou descartar as causas subjacentes dos seus sintomas. Veja mais opções de teste de alergia que existem para diagnosticar os mais variados tipos da condição.

Tratamento para alergia ao frio

Assim como todas as alergias, a alergia ao frio não tem cura, mas você pode controlar os sintomas ao fazer o tratamento correto.

O tratamento para a alergia ao frio envolve evitar o frio sempre que possível e tomar anti-histamínicos ou, como são popularmente conhecidos, antialérgicos.

O mais recomendado é tomar os anti-histamínicos antes da exposição a baixas temperaturas para bloquear parte da liberação de histamina.

Pacientes com alergia ao frio devem aprender a se proteger de uma rápida queda na temperatura corporal e deve prestar mais atenção na hora de praticar atividades aquáticas como natação e surf.

Pacientes que desenvolvem reações anafiláticas devem receber epinefrina ou como também é conhecida adrenalina de emergência.

Antialérgicos para alergia ao frio

No geral, as doses regulares de anti-histamínicos convencionais provaram ser ineficazes no tratamento da alergia ao frio, porém altas doses de anti-histamínicos não sedativos podem ser eficazes, como por exemplo até 40 mg por dia de cetirizina.

Alguns medicamentos relacionados que foram considerados eficazes neste tratamento incluem Cetotifeno, Cipro-heptadina e Doxepina.

Houve relatos de sucesso no tratamento com corticosteroides sistêmicos, dapsona, antagonistas do receptor de leucotrienos, ciclosporina, antibióticos orais e o hormônio sintético danazol.

Se você está preocupado em sofrer com sonolência devido ao anti-histamínico, você pode perguntar para o seu médico a respeito dos antialérgicos que não dão sono.

Prevenção

As dicas a seguir podem ajudar a prevenir um episódio recorrente de alergia ao frio:

  1. Tome os medicamentos conforme o seu médico prescreveu;
  2. Tome um anti-histamínico de venda livre antes da exposição ao frio;
  3. Evite alimentos e bebidas geladas para evitar inchaço da garganta;
  4. Proteja sua pele das mudanças de temperatura frias e repentinas. Por exemplo, se você for nadar primeiro mergulhe sua mão na água e veja se ocorre uma reação da pele;
  5. Se o seu médico receitou um autoinjetor de epinefrina, mantenha-o com você para ajudar a evitar reações graves;
  6. Se estiver programado para você passar por uma cirurgia, converse com antecedência com o seu cirurgião sobre sua alergia ao frio.

A equipe cirúrgica pode tomar medidas para ajudar a prevenir os sintomas induzidos pelo frio na sala de cirurgia.

Antes de começar qualquer tratamento para a alergia ao frio, fale com o seu médico para que ele possa fazer o diagnóstico adequado.

Referências Adicionais:

Você já conhecia a alergia ao frio? Conhece alguém que passa por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário