Alimentos Classificados Como Fit Podem Estimular as Pessoas a Comerem Mais

Especialista:
atualizado em 30/01/2020

Foi o que mostrou uma pesquisa publicada no Journal of Marketing Research (Jornal de Pesquisa do Marketing, tradução livre): os consumidores que costumam comprar alimentos classificados como fit são estimulados a comer quantidades maiores desses produtos e a praticar menos exercícios físicos, o que pode prejudicar o processo de perda de peso ou de manutenção da boa forma.

O estudo foi feito pelos pesquisadores Joerg Koenigstorfer, da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, e Hans Baumgartner, da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Para chegar a essas conclusões, os autores investigaram os efeitos que o uso dessas comidas trazem à dieta e à atividade física dos consumidores chamados de “comedidos”, ou seja, aquelas pessoas que estão constantemente preocupadas com o seu peso.

Durante o experimento, eles pediram que os participantes fingissem que estavam em casa durante uma tarde e que precisavam escolher algum lanchinho para comer. Os cientistas ofereceram duas versões de um mix de frutas secas e nozes: um produto classificado como fit, cuja embalagem tinha a imagem de um par de tênis de corrida, para dar a impressão de que realmente se tratava de algo saudável, e o outro com a embalagem normal de um mix.

Então, essas pessoas tiveram oito minutos para experimentar o lanchinho e avaliá-lo. Depois disso, em outra etapa da pesquisa, os autores disseram que eles poderiam se exercitar na bicicleta ergométrica, realizando um treino da intensidade que desejassem.

Foi aí que Koenigstorfer e Baumgartner perceberam que especialmente aqueles participantes que estavam tentando emagrecer consumiram bem mais o lanchinho classificado como fit e passaram menos tempo se exercitando na última fase do experimento.

Para os pesquisadores, essas pessoas viram o produto fit como uma espécie de substituto da atividade física. Eles também explicaram que, a não ser que determinado alimento esteja proibido na dieta de quem está tentando perder peso, o fato de uma comida ser classificada como fit e exibir essa informação em sua embalagem faz com que as pessoas tenham um consumo maior desse produto.

Os cientistas ainda afirmaram que é necessário que se dê maior ênfase ao modo como o marketing utiliza o fitness para vender seus produtos. “Por exemplo, uma marca poderia oferecer um vale academia ou dicas de exercícios no lugar de apenas insinuar (que uma comida é fit ou saudável) através de um rótulo ou imagem. Lembrar o consumidor de que o exercício ainda é necessário pode ajudar a neutralizar o efeito negativo desses alimentos taxados como fit”, sugeriram.

Você concorda com essa pesquisa? Já percebeu que realmente tende a fazer menos exercícios quando consome esses alimentos fit? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário