Anemia na gravidez: tipos, sintomas, riscos e tratamentos

Especialista da área:
atualizado em 20/04/2022

A anemia na gravidez é uma condição comum e frequente entre as gestantes. Normalmente, esse problema ocorre entre o segundo e o terceiro trimestres da gestação. 

Durante o período de gestação, o seu corpo precisa produzir mais sangue para o desenvolvimento do feto, placenta e cordão umbilical. Por isso, se o seu corpo estiver com déficit de ferro ou algum outro nutriente, seu organismo não dará conta de produzir hemácias e hemoglobinas suficientes para aumentar a quantidade de sangue, resultando na anemia.

  Continua Depois da Publicidade  

A anemia pode deixar você com a sensação de cansaço e de fraqueza e, se não for tratada, pode trazer sérios riscos para você e o bebê, como a diminuição da sua imunidade no período pós-parto, depressão pós-parto, atraso no crescimento do bebê e parto prematuro.  

Durante a gestação, é muito importante que você tenha o acompanhamento de um médico ou médica ginecologista-obstetra, que poderá contar com a ajuda de um hematologista para acompanhar a anemia na gravidez. Esses profissionais poderão indicar o tratamento mais adequado para o seu caso e, assim, evitar que ela cause complicações graves. 

Veja quais são os tipos de anemia mais comuns na gravidez, os sintomas, os riscos e como são feitos o diagnóstico e o tratamento. 

Tipos de anemia na gravidez

Grávida doente
Deficiências nutricionais e doenças podem causar anemia na gravidez

Não há apenas um tipo de anemia e algumas são mais comuns no período gestacional, estando relacionadas com a deficiência de nutrientes importantes na gravidez. 

A perda de sangue durante e após o parto também podem causar anemia. 

  Continua Depois da Publicidade  

Anemia por deficiência de ferro

Esse tipo de anemia acontece quando o corpo não tem ferro suficiente para produzir quantidades adequadas de hemoglobina, uma importante proteína das hemácias, que são os glóbulos vermelhos do sangue. 

Essa proteína é responsável por conferir a cor vermelha ao sangue e transportar oxigênio vindo dos pulmões para todos os tecidos do corpo. 

A combinação do aumento da demanda de ferro, por causa do desenvolvimento do bebê, com a deficiência nutricional ou falta de suplementação desse nutriente resulta na anemia ferropriva, o tipo mais comum de anemia na gravidez. 

Anemia por deficiência de folato 

Vegetais de folhas verde-escuras, como espinafre, brócolis, couve, salsa, e miúdos (fígado de animais), são alimentos ricos em folato. A carência nutricional desse nutriente pode resultar na anemia megaloblástica.  

O corpo precisa de folato para produzir novas células, incluindo as hemácias. Durante a gestação, as mulheres precisam de folato extra, para produzirem células suficientes para as suas necessidades e para o desenvolvimento do bebê.

Esse nutriente é tão essencial para o período gestacional, que mulheres que estão planejando engravidar fazem a suplementação com ácido fólico antes da gravidez

  Continua Depois da Publicidade  

Isso porque o folato está relacionado com o desenvolvimento do sistema nervoso central do bebê e a sua falta pode causar malformações congênitas, como anencefalia, espinha bífida, fissura lábio-palatina e, ainda, o bebê pode nascer com baixo peso. 

Anemia por deficiência de vitamina B12

Quando uma gestante não ingere vitamina B12 suficiente em sua dieta, a produção de hemácias na medula óssea fica prejudicada, podendo resultar em uma anemia megaloblástica. 

A vitamina B12 é facilmente encontrada em laticínios, ovos, proteínas de origem animal e frutos do mar. Gestantes que não ingerem vitamina B12 suficiente ou não fazem a suplementação, no caso das vegetarianas estritas, podem ter um parto prematuro e o bebê pode nascer com malformações congênitas. 

Outras causas e tipos de anemia na gravidez

Também existem outras possíveis causas de anemia durante a gravidez e estão relacionadas com doenças que afetam a medula óssea e prejudicam diretamente a produção de hemácias:

  • Leucemia
  • Linfoma
  • Aplasia da medula óssea 
  • Infecções da medula óssea

Algumas mutações genéticas afetam a produção das hemácias, resultando em células com formatos e tamanhos anormais, por exemplo a anemia falciforme e a talassemia.

Sintomas da anemia na gravidez

mulher gravida cansada e com sono
A sonolência é um dos sintomas da anemia na gravidez

Os sintomas da anemia na gravidez podem apresentar algumas variações de acordo com cada tipo. 

  Continua Depois da Publicidade  

Na maior parte das vezes, passam quase despercebidos, pois se confundem com os sintomas comuns da gravidez. Por isso, é muito importante o acompanhamento médico e a realização dos exames de rotina, incluindo o exame de sangue. 

Os sintomas mais comuns são: 

  • Dor de cabeça
  • Sonolência
  • Fraqueza
  • Fadiga
  • Dificuldade de concentração 
  • Tontura
  • Taquicardia 
  • Falta de ar
  • Queda de pressão arterial 
  • Pele e lábios pálidos
  • Olhos descorados 
  • Dores nas pernas 
  • Falta de apetite

Ao perceber os primeiros sinais e suspeitar de anemia na gravidez, comunique o seu médico ou médica, que poderá solicitar exames e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível, para evitar complicações durante e após o parto. 

Riscos da anemia na gravidez

A anemia durante a gestação pode gerar grandes riscos, principalmente para a mãe, que fica com o sistema imunológico debilitado e, por isso, mais suscetível a infecções pós-parto e alterações na cicatrização.  

Se a mulher tiver anemia ferropriva na gravidez e não tratá-la, há maiores riscos do bebê nascer prematuro, com baixo peso e ter atrasos em seu desenvolvimento, além de poder nascer com anemia. A mãe tem um risco aumentado de sofrer com depressão pós-parto e necessitar de transfusão de sangue, caso perca muito sangue durante o parto. 

No caso de anemia megaloblástica por deficiência de folato ou vitamina B12, o bebê pode nascer com malformações congênitas e prematuro.

Em casos muito graves de anemia, especialmente de anemia falciforme, há o risco de morte materna, se o devido tratamento não for realizado.  

Diagnóstico da anemia na gravidez

Um dos primeiros exames solicitados no pré-natal é o hemograma, que permite a contagem das células sanguíneas e do nível de hemoglobina. Neste exame, também são feitas a dosagem de ferro, ferritina e das vitaminas B12 e folato no sangue. 

Com este exame, é possível determinar se a mulher tem anemia e qual o tipo. Se, neste exame inicial, o resultado for negativo para anemia, o médico pode solicitar outro exame no segundo ou terceiro trimestre da gestação, para acompanhar os índices no sangue. 

Tratamento da anemia na gravidez

Suplementos para anemia na gravidez
A grávida que tem anemia precisa repor nutrientes

Se você estiver com anemia na gravidez, terá que tomar suplementos do mineral ou da vitamina que está faltando no seu organismo, bem como aumentar a ingestão desses nutrientes através dos alimentos. 

A reposição dos nutrientes pode ser por via oral ou endovenosa (na veia), em casos mais graves. Depois de um período de tratamento, os exames são repetidos, para verificar se estão sendo efetivos ou se há necessidade de regular a dosagem dos suplementos. 

Os suplementos de sulfato ferroso podem deixar as fezes mais escuras e causar prisão de ventre. O melhor horário para tomar o suplemento de ferro é pela manhã, com um suco de laranja, que aumenta a absorção de ferro.  

Quando a causa da anemia na gravidez é a perda de sangue, o tratamento pode incluir a transfusão de sangue. 

Alimentação na gravidez

O ferro pode ser encontrado em alguns alimentos, na forma de ferro heme e não heme. O ferro heme é encontrado nos alimentos de origem animal e são mais facilmente absorvidos pelo nosso organismo: 

  • Carnes vermelhas
  • Aves 
  • Peixes 
  • Ovos
  • Fígado de animais

O ferro não heme é encontrado nos alimentos de origem vegetal, mas em concentração menor e menos biodisponível, ou seja, são menos absorvidos pelo organismo: 

  • Vegetais de folhas verde-escuras: espinafre, couve, brócolis, salsa e agrião.
  • Leguminosas: feijão, lentilha, grão-de-bico e ervilha.
  • Frutas: castanhas, amêndoas, nozes, maçã e uva. 

Consuma os alimentos ricos em ferro sempre acompanhados de uma fonte de vitamina C e evite consumi-los com leite e derivados de leite, pois, ao contrário da vitamina C que ajuda, os laticínios atrapalham a absorção do ferro. 

A vitamina B12 também está presente nas proteínas de origem animal:

  • Carnes de vaca, boi, frango e miúdos.
  • Peixes: atum, salmão, sardinha e cavala do atlântico
  • Frutos do mar: mexilhão e caranguejo.
  • Lacticínios
  • Ovos

O folato pode ser encontrado nos vegetais, principalmente os de folha verde-escura e no fígado de boi e de galinha. Algumas frutas, como abacate, mamão, laranja, morango e framboesa também são ricas em folato. As leguminosas, sementes de girassol e as nozes também concentram grandes quantidades de folato. Veja outros alimentos ricos em ácido fólico

Fontes e referências adicionais

Quais riscos da anemia na gravidez mais te surpreenderam? Você fez algum tipo de suplementação antes ou durante a gravidez? Qual? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário