Anticoncepcional Siblima Engorda ou Emagrece?

Especialista:
atualizado em 03/06/2016

Uma das maiores preocupações das mulheres é com o seu peso, seja em manter o seu peso ideal ou emagrecer. Uma minoria das mulheres está satisfeita com o seu corpo ou deseja engordar, por isso, a escolha do anticoncepcional pode ser um problema para muitas delas. Isso se deve aos boatos de que anticoncepcional pode engordar ou emagrecer, dependendo da marca e da composição de cada um. Essa dúvida acompanha todas as mulheres alguma vez na vida e talvez este seja um dos questionamentos mais recorrentes nos consultórios ginecológicos.

A dúvida sobre se o anticoncepcional Siblima engorda ou emagrece é bastante difundida pelas usuárias, umas dizem que engorda outras dizem que emagrece. O que se sabe é que, como todos os outros tipos de medicamentos, pode causar reações bem diferentes no organismo. O Siblima contém Gestodeno em dosagem de 60 mcg e Etinilestradiol em dosagem de 15 mcg.

Como age o Siblima?

O Siblima tem a função de impedir a gravidez, por meio da inibição da ovulação que suprime a liberação do gonadotrofi, o que promove alterações na região do muco cervical, e isso faz com que ocorra a impossibilidade de penetração de espermas no útero. Além de ser usado para prevenção da gravidez, o anticoncepcional é utilizado em alguns casos para tratamento de acne, regulação de distúrbios hormonais, redução dos sintomas da TPM, redução da seborreia (diminuição da caspa) e para atenuar o excesso de pelo de algumas mulheres.

O anticoncepcional começa a fazer efeito na primeira cartela utilizada, porém, o tempo ideal para observar as mudanças e efeitos é a partir do terceiro mês de uso quando o organismo já está adaptado ao medicamento. A prevenção da gravidez já acontece desde a ingestão da primeira pílula, mas o tratamento deve ser ininterrupto e diário para ser seguro.

Anticoncepcional Siblima engorda?

Assim como qualquer outro anticoncepcional, na descrição da bula, no item de reações adversas é comum mencionar alterações no peso, porém nada é especificado quanto ao ganho de peso ou emagrecimento. Aliás, esta não é uma afirmação assertiva, pois pode ou não ocorrer dependendo do organismo de cada mulher e de como ela reage à composição presente na fórmula. Qualquer uma dessas alterações ocorrem, geralmente, em casos bastante específicos.

Aliás, o ganho de peso pode estar associado ao aumento da ansiedade e, consequentemente, ao aumento de consumo de comidas calóricas, em horários desregulados ou em excesso. Por isso é importante atenção para perceber se esse ganho de peso surgiu após o início de medicação com o Siblima e se houve alterações nos hábitos alimentares nessa época. Em caso de dúvida ou desconfiança, procure seu ginecologista para uma indicação mais adequada.

Anticoncepcional e ganho de peso

Historicamente esta afirmação de que o anticoncepcional Sublima engorda (e outros no geral) sempre foi repassada de geração em geração, mas nunca houve nenhum embasamento científico sobre o assunto. Sempre se acreditou que o uso do anticoncepcional estivesse diretamente ou pelo menos indiretamente relacionado ao aumento do peso nas mulheres. Porém, há poucos estudos sobre isso e nenhum que evidencie, através de pesquisas e estudos de caso, essa suposição. Por isso, não se deve se basear em suposições de outras mulheres, pois cada uma possui suas especificidades de metabolismo, hormônios, enfim, orgânicas no geral.

Contribuições e pesquisas

Uma pesquisa realizada sobe o assunto foi realizada há algum tempo comparando 49 mulheres saudáveis que haviam iniciado um contraceptivo oral contendo 30 mcg de etinilestradiol e 75 mcg de gestodeno, com mulheres de idade e peso semelhantes, mas que não tomavam pílula anteriormente.

Após 6 meses de acompanhamento, quando os dois grupos foram comparados, notou-se que não havia diferenças relevantes em relação ao ganho de peso, IMC, percentual de gordura e aumento do quadril. Em ambos os grupos cerca de 30% das mulheres ganharam pelo menos meio quilo de peso neste intervalo e cerca de 20% perderam mais de meio quilo, demonstrando que a variação de peso não necessariamente tem a ver com o uso da pílula. Esses dados comprovam que as alegações de usuárias de que o anticoncepcional Siblima engorda não se baseiam em nenhuma sustentação científica e por isso não devem ser utilizadas como parâmetro.

Contraindicações do Siblima

O uso do medicamento é contraindicado para mulheres grávidas, que tenham distúrbios de funções hepáticas, registros de tumores atuais ou de tumores hepáticos, processos tromboembólicos, icterícia idiopática, diabetes de tipo grave, anemias falciformes, tumores de hormônios, sangramento genital anormal de causa desconhecida, otoosclerose durante gravidez, síndromes de Dubin, fibrilação atrial, endometriose, antecedentes de herpes ou distúrbios do metabolismo lipídico.

Reações adversas do medicamento

As reações adversas do Siblima, assim como grande parte dos anticoncepcionais, estão relacionadas a dores de cabeça, sinusite, manchas escuras no rosto, alterações no estômago, náuseas, inchaço das mamas, sangramentos, alterações do peso, alterações da libido, cloasma e sintomas de depressão. Em alguns casos mais isolados, pode ocorrer a sensibilidade dos olhos ao uso de lentes de contato, sendo necessário o uso de óculos ou troca do medicamento.

Casos mais comuns de efeitos colaterais

1. Sangramento fora do período menstrual

O sangramento escape é o nome que se dá ao sangramento que ocorre fora do período menstrual e, portanto, diferente da menstruação. É um dos efeitos mais usuais dos contraceptivos orais, principalmente no início do uso. O sangramento de escape não indica falha na eficácia da pílula, como muitas mulheres podem supor, e nem é considerado uma menstruação fora de hora.

O sangramento geralmente ocorre nos primeiros ciclos de uso da pílula pela fragilidade da parede do útero, pois o organismo não está acostumado ainda ao medicamento e a parede do útero pode atrofiar ligeiramente. Geralmente, as pílulas com doses baixas de estrogênio são as que mais provocam sangramento fora de época, mas essa reação costuma desaparecer ou, ao menos, diminuir com o tempo.

Porém, se o sangramento persistir meses e meses depois da ingestão da medicação, é possível que o problema tenha outra causa, como por exemplo o esquecimento da ingestão do medicamento diário ou causas mais graves que devem ser verificadas caso a caso com um especialista.

2. Ausência de menstruação

A amenorreia é o nome que se dá quando acontece a ausência de menstruação. A amenorreia nas mulheres que usam pílula pode ser intencional ou não. Isso porque algumas têm realmente o objetivo de interromper a menstruação e, neste caso, fazem o uso contínuo do anticoncepcional sem o intervalo de quatro a sete dias. Neste caso em específico a ausência de menstruação é programada, mas quando ocorre a menorreia mesmo com a pausa é possível que haja algum problema.

A ausência de menstruação nestes casos costuma estar relacionada ao uso de pílulas com baixa dose de estrogênio (20 mcg de etinilestradiol). A troca por pílulas com doses mais altas desse hormônio (30 ou 35 mcg de etinilestradiol) pode resolver o problema, mas antes de realizar a troca consulte seu ginecologista.

Outro caso mais específico de amenorreia é quando uma mulher para de usar a pílula e, geralmente, de 1 a 2 meses pode ser que a mulher não menstrue. Isso é natural devido ao longo período de tempo em que foi utilizado o anticoncepcional, mas em 3 meses isso já deve ser estabilizado. Caso contrário, procure um médico especialista.

3. Redução da libido

A redução do prazer pode ocorrer com frequência nas mulheres, porém, alguns outros dados apontam o contrário, relatando um aumento da libido e mais frequência do ato sexual dos casais. Esses resultados indicam que as causas podem estar mais relacionadas com fatores psicológicos do que necessariamente com os anticoncepcionais. Porém, se o problema persistir, talvez a mulher possa trocar a fórmula do anticoncepcional.

Você já tinha ouvido falar que o anticoncepcional Siblima emagrece ou engorda? Alguém o indicou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (82 votos, média: 3,74 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

3 comentários em “Anticoncepcional Siblima Engorda ou Emagrece?”

  1. Eu estou tomando sublima a dois meses ,e no segundo mês me deu escape ,já é o terceiro remédio que não me adapto ,fora isso ele é ótimo e não tem muitas reações adversas

  2. Depois que comecei a tomar o siblima, tive um aumento absurdo na quantidade de celulite e também reteve muito líquido. Só percebi depois de um ano tomando. Não tomo refrigerante e não como gordura em excesso. Então só pode ter sido ele.