Até 80% das Pessoas Infectadas Pelo COVID-19 Não Sabem Que Têm o Vírus, Indicam Estudos

Especialista:
atualizado em 08/06/2020

Receber a notícia de que tem a COVID-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, não é algo fácil de ouvir. Afinal, além do que o novo coronavírus pode causar no organismo de uma pessoa, quem foi infectado por ele tem grandes chances de contaminar outros com o vírus e precisa permanecer em isolamento.

Entretanto, muita gente pode ter COVID-19 sem saber, o que representa um grande desafio a controle da doença para a qual ainda não existe vacina ou medicamento comprovado. Isso explica por que os números do coronavírus podem ser maiores do que imaginamos.

Em abril, o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês) dos Estados Unidos, Robert Redfield disse em uma entrevista concedida a uma afiliada da Rádio Pública Nacional americana que o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus que permanece sem sintomas pode ser de 25%.

Dias depois, foi relatado que um laboratório conduziu testes do novo coronavírus 9 mil pessoas na Islândia. Desses, 1% tiveram resultados positivos para COVID-19 e entre as pessoas que testaram positivo para o vírus, 50% estavam assintomáticas.

No final de abril, foi noticiado que a primeira pessoa que se sabe que morreu com COVID-19 nos Estados Unidos, Patricia Dowd de 57 anos de idade, não apresentou sintomas do novo coronavírus. Na época, achou-se que a sua morte havia sido provocada por um ataque cardíaco, entretanto, ela aparentava ter uma boa saúde.

Mais dois estudos publicados em maio apontaram que uma porcentagem elevada de pessoas pode ter a COVID-19 e não manifestar sintomas. Em um deles, os pesquisadores indicaram que aproximadamente 81% (104 pessoas de um grupo de 128) dos ocupantes de um navio de cruzeiro que testaram positivo para o novo coronavírus estavam assintomáticas.

Em outra pesquisa, entre um total de 78 pessoas com teste positivo para o novo coronavírus, em torno de 42% não apresentou sintomas da doença.

Quais são os perigos?

Sem saber que pode estar com o novo coronavírus por não apresentar sintomas, uma pessoa pode não ver problemas em sair de casa, uma vez que a quarentena começou a ser flexibilizada, e corre o risco de contaminar outros com o vírus sem nem saber.

Um informe do CDC relatou que pesquisadores de Cingapura identificaram sete grupos de casos nos quais a transmissão pré-sintomática, ou seja, antes do aparecimento dos sintomas, foi a explicação mais provável para a ocorrência de casos secundários de COVID-19.

O informe do órgão de saúde americano foi respaldado por um estudo publicado no meio de abril, que apontou que pessoas sem sintomas foram a fonte de 44% de casos diagnosticados da doença provocada pelo novo coronavírus dentro do número de casos avaliados pela pesquisa.

Outro estudo publicado mais ou menos no mesmo período indicou que as pessoas podem ficar mais contagiosas no estágio anterior à manifestação de sintomas da doença provocada pelo novo coronavírus.

O diretor do CDC dos Estados Unidos, Robert Redfield, afirmou que aparentemente uma pessoa derrama significativamente o vírus no seu compartimento orofaríngeo provavelmente até 48 horas antes de apresentar sintomas. “Isso ajuda a explicar como esse vírus continua a se espalhar rapidamente pelo país: porque nós temos transmissores assintomáticos”, completou Redfield.

Portanto, mesmo com a flexibilização da quarentena é fundamental que todos continuem a reforçar muito bem todos os cuidados para se proteger e proteger os outros contra o contágio pelo novo coronavírus, que incluem usar corretamente máscaras faciais de pano sempre que precisar sair de casa, lavar muito bem as mãos com água e sabão ou passar álcool em gel 70% várias vezes ao dia, manter uma distância de dois metros em relação às outras pessoas, cobrir o rosto com um lenço descartável ou com o antebraço ao tossir e espirrar, não tocar os olhos, nariz ou boca com as mãos, evitar contato direto como beijos, abraços e apertos de mão com outras pessoas, manter os ambientes bem ventilados, não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas e evitar sair de casa sem necessidade.

Fontes e Referências Adicionais:

Você conhece alguém que tenha tido o diagnóstico confirmado de COVID-19? Já teve os sintomas do coronavírus e não chegou a testar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário