Cetonas na Urina – O Que Significa, Causas e O Que Fazer

Especialista:
atualizado em 18/10/2018

As cetonas são substâncias químicas produzidas no fígado quando o corpo não tem insulina suficiente para transformar a glicose em energia. Quando isso acontece, o seu corpo precisa de outra fonte de energia e então usa gordura.

Esse costuma ser um processo normal para todos. Em pessoas saudáveis, o corpo trabalha para que os níveis de cetona não fiquem muito altos, mas os diabéticos correm um sério risco de desenvolver cetona no sangue. Se a condição não for gerenciada, as pessoas portadoras de diabetes tipo 1 ficam predispostas a desenvolver cetoacidose diabética. Ainda que seja raro, esse risco também existe para pessoas com diabetes tipo 2.

Abaixo, abordaremos o assunto cetonas na urina para entender o que significa, causas e o que fazer.

Cetonas – O que significa?

As cetonas, também conhecidas como corpos cetônicos, são subprodutos da degradação de ácidos graxos. O corpo humano precisa principalmente da glicose para funcionar corretamente, pois ela é responsável pelo fornecimento de energia. Quando o corpo está com níveis baixos de glicose, seja por alguma dieta que você está realizando que não contém carboidratos suficientes para suprir o corpo com açúcar ou por uma doença como a diabetes, e não tem insulina suficiente para ajudar as células a absorver a glicose, o seu organismo começa a quebrar as gorduras do corpo em busca de energia.

Geralmente, as cetonas são formadas no fígado e decompostas de modo que quantidades muito pequenas aparecem na urina. Porém, quando os carboidratos não estão disponíveis ou não podem ser usados ​​como fonte de energia, a gordura se torna a principal fonte de energia e grandes quantidades de cetonas são produzidas. Portanto, níveis mais altos de cetonas na urina indicam que o corpo está usando gordura como a principal fonte de energia.

Cetonas na urina – Causas

– Dieta com baixo teor de carboidratos

Uma dieta muito popular para induzir esse processo é a dieta cetogênica. Ela envolve a restrição de carboidratos, para que os estoques de glicogênio não sejam reabastecidos, e dessa forma o corpo passa por estágios para usar as gorduras como fonte de energia.

As pessoas que seguem uma dieta pobre em carboidratos devem examinar as cetonas na urina periodicamente para verificar se a gordura está realmente sendo queimada. Por serem subprodutos do metabolismo da gordura, sua presença na urina ou no sangue indica que a gordura está sendo queimada.

– Diabetes descontrolada

A presença de altos níveis de cetonas na urina também pode ser causada pela diabetes descontrolada. A falta de insulina pode incapacitar o corpo de quebrar a glicose e ao contrário de um corpo saudável que usará a glicose como combustível, neste caso a gordura será metabolizada.

– Fome

Cetonas induzidas pela fome são produzidas quando os níveis de glicose no sangue são baixos, e o corpo usa as reservas de gordura ao invés dos carboidratos dos alimentos para obter energia. No processo, o corpo quebra a gordura em ácidos graxos e glicerol. Convertido em glicose, o glicerol é então e usado como combustível. Já os ácidos graxos no fígado são convertidos em cetonas.

Os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) afirmam que os hormônios como o glucagon, epinefrina e hormônios de crescimento aumentam durante o estado de inanição e fazem com que os ácidos graxos sejam liberados da gordura para o sangue.

Normalmente, quando o corpo está faminto, cetonas estão presentes na urina. A fome pode ser provocada por distúrbios como à bulimia, anorexia, pelo alcoolismo e também por uma dieta rigorosa, além de diarreia frequente, jejum, dieta rica em proteínas, dieta pobre em carboidratos e vômitos severos.

– Cetoacidose alcoólica

Quantidades excessivas de álcool também pode ser a causa de cetonas na urina. É considerada uma síndrome metabólica e é chamada de cetoacidose alcoólica.

Geralmente ela é mais presente entre alcoólatras, porém não-alcoólatras de todas as faixas etárias podem desenvolver.

– Exercício 

Durante a prática de exercícios, os músculos queimam a gordura e a glicose para obter energia. Nesse cenário, a gordura será o principal combustível, então caso os níveis de glicose estejam baixos, as cetonas serão produzidas se o corpo queimar gordura sem a ajuda da glicose.

Pessoas magras e eficientes na queima de gordura costumam usar muita glicose, e quando praticam exercícios de alta intensidade, as cetonas são formadas no sangue. Pode acontecer da glicose no sangue subir devido ao exercício, especialmente quando os níveis de insulina estão baixos. Isso porque o fígado converte glicogênio armazenado em glicose durante o exercício para obter energia. Porém, se o nível de insulina estiver baixo, os músculos não podem utilizar glicose, levando a um aumento nos níveis de glicose no sangue.

Para os diabéticos, esse processo precisa ser monitorado, pois quando apresentam vestígios de cetonas e continuam o exercício, o nível de glicose no sangue aumentará, o que também levará ao aumento dos níveis de cetonas. A cetoacidose diabética ocasionada pelo exercício é rara, mas é preciso se precaver.

A American Diabetes Association estabeleceu diretrizes sobre exercícios, glicemia e cetonas. Dessa forma, não realize exercícios se os níveis de glicose no sangue estiverem acima de 250 mg/dl e a presença de cetonas for detectada. Seja cauteloso se os seus níveis de glicose no sangue forem superiores a 300 mg/dl e as cetonas não estiverem presentes.

Agora, se o nível de glicose no sangue for superior a 250 mg/dl e as cetonas não estiverem presentes na urina ou no sangue, você pode se exercitar, mas faça uma pausa após 15 minutos e verifique o nível de glicose no sangue, se ele subiu ou caiu. Se o seu nível de açúcar no sangue estiver bom, então você pode continuar se exercitando.

– Cetoacidose diabética

Como citado acima, a cetose é um processo normal e a maioria das pessoas não precisa se preocupar; porém, para aqueles que têm diabetes, especialmente o tipo 1, a presença de cetonas pode indicar que a diabetes está fora de controle.

Existem algumas situações em que o corpo pode produzir cetonas, como quando você está doente e o corpo está combatendo uma infecção ou altos níveis de estresse. As cetonas são ácidos relativamente fortes e, quando estão presentes no sangue, a capacidade da hemoglobina de se ligar ao oxigênio fica prejudicada, o que pode afetar o funcionamento normal dos músculos e de outros órgãos.

Para pessoas com diabetes tipo 1, os níveis elevados de cetonas podem provocar desidratação e cetoacidose diabética. Pessoas portadoras do tipo 2 dificilmente serão afetadas, pois o pâncreas ainda é capaz de queimar alguma quantidade de glicose.

– Doenças

Doenças como diabetes tipo 1 podem provocar diarreia e vômito devido à gastroenterite causar baixos níveis de glicose no sangue. Se for acompanhada de febre, os níveis de glicose no sangue podem aumentar devido aos altos níveis de estresse. Se permanecer constantemente alto por muitas horas, crianças podem desenvolver sintomas como sede excessiva e micção frequente.

Caso os níveis de cetona aumentem, podem causar náuseas, vômitos, diminuição da ingestão de líquidos e alimentos e desidratação. Em pessoas com diabetes tipo 1, até mesmo doenças comuns podem causar aumento dos níveis de cetona, levando à cetoacidose diabética.

– Gravidez

São comuns níveis moderados de cetonas na urina durante a gestação, e não existem pesquisas definitivas para evidenciar se isso pode afetar o feto.

Durante a gravidez, o corpo se torna resistente à insulina, e ainda que os carboidratos sejam suficientes no corpo, eles não são convertidos adequadamente para obter energia. Dessa forma, pequenas quantidades de cetonas podem aparecer na urina.

Se as quantidades forem excessivas, podem indicar longos intervalos entre as refeições e certos distúrbios nutricionais e uma dieta balanceada contendo carboidratos simples será recomendada pelo médico.

– Outras causas

Os corpos cetônicos também podem aparecer na urina devido a outras condições, como desidratação, hipertireoidismo, distúrbios metabólicos como glicosúria renal, alcalose, lactação e doença de armazenamento de glicogênio.

Principais sintomas de cetonas na urina

  • Sede: Ela é comum porque o corpo perde o excesso de líquido durante o aumento da excreção de cetonas na urina;
  • Micção frequente: O corpo procura uma forma de eliminar as cetonas acumuladas, e a principal é através da urina. Sendo assim, os altos níveis de cetona no corpo estão relacionadas ao aumento do desejo de urinar;
  • Náuseas ou vômitos: Conforme o corpo tenta se livrar do excesso de cetonas na urina ele aumenta a excreção de sais como sódio e potássio. Os baixos níveis desses minerais podem provocar náuseas e vômitos;
  • Desidratação: A perda de líquidos através da micção e vômito pode levar à desidratação;
  • Respiração pesada: A respiração pesada é um sintoma associado a altos níveis de cetonas no sangue;
  • Confusão: Este é um sintoma raro, mas pode ser nocivo porque indicam a presença de cetonas no sangue e no cérebro;
  • Hálito com cheiro de frutas: O cheiro frutado é causado pela presença de acetona.

O que fazer?

– Identificar a presença de cetonas na urina

A primeira providência é testar o sangue ou urina para medir os níveis de cetona. Esse exame pode ser feito em casa através de kits que estão disponíveis para ambos os tipos de testes, embora os testes de urina continuem sendo mais comuns. Os exames de urina também estão disponíveis sem receita médica na maioria das farmácias.

Vale reforçar que o teste deve ser feito para as seguintes situações:

  • O nível de açúcar no sangue está superior a 240 mg/dl;
  • Apresenta sintomas de cetonas;
  • Está doente ou enjoado, independentemente da leitura de açúcar no sangue.

Para realizar um teste de urina, siga corretamente as instruções do fabricante. As tiras de teste de urina contêm produtos químicos especiais que mudam de cor quando reagem com cetonas e a interpretação deve ser feita comparando a tira de teste com a tabela de cores do pacote. Quando você tem cetonas na urina, ela se chama cetonúria.

– Interpretação dos resultados

Os testes individuais vendidos podem variar, mas os resultados costumam ser rotulados como normal/negativo, baixa/moderada, alto e muito alto.

Procure ajuda médica se as cetonas estiverem baixas a moderadas e procure atendimento médico de emergência se os níveis de cetona estiverem altos ou muito altos.

Problemas causados pelos níveis muito altos

As cetonas podem tornar o seu sangue ácido e pode causar cetoacidose diabética. Procure ter um plano de ação no caso de os níveis de cetona ficarem muito altos. Os efeitos mais graves envolvem:

  • Inchaço no cérebro;
  • Perda da consciência;
  • Coma diabético;
  • Morte.

Como reduzir as cetonas na urina?

Para evitar a formação de cetonas na urina, o principal caminho é cuidar da alimentação. Mantenha um nível adequado de carboidratos e poucas gorduras. Se a intenção é seguir uma dieta com baixa ingestão de carboidratos, fale com o médico sobre suas preocupações, ou caso já tenha sentido sintomas de cetonas na urina.

Para as mamães que estão em fase de amamentação, o foco principal deve ser na alimentação, para que ela seja equilibrada. Coma quantidades suficientes de carboidratos, frutas e vegetais frescos. Além disso, como parte da dieta da gravidez, a futura mãe deve comer cereal e laticínios em proporções adequadas.

Uma dica é inserir canela na alimentação, pois ela pode melhorar a digestão do açúcar pelas células do corpo, principalmente para pessoas com diabetes. Para prevenir os efeitos das cetonas na urina, recomenda-se que 2 a 3 gramas de canela após as refeições.

Pratique exercícios regularmente. As atividades associadas a práticas como o yoga podem ajudar a estabilizar o metabolismo e equilibrar o uso de carboidratos e gorduras para fins energéticos. Recomenda-se que o indivíduo se exercite pelo menos quatro vezes por semana durante um período de 15 min.

Como o tratamento é feito para altos níveis de cetona?

O tratamento de altos níveis de cetona pode ajudar imediatamente a evitar a hospitalização. Os níveis moderados podem ser tratados em casa, ou se seus níveis continuarem a subir, você precisará receber tratamento médico. Os tratamentos podem incluir:

  • Reposição de fluidos por via intravenosa: O aumento da micção costuma provocar a perda de fluidos. Reidratar pode ajudar a diluir a glicose extra no sangue.
  • Substituição eletrolítica: Os níveis de potássio, sódio e cloreto tendem a ser baixos nesses casos, então se uma pessoa perde muito desses eletrólitos, o coração e os músculos também não funcionam. É preciso repor.
  • Insulina: Situações de emergência envolvem a aplicação de insulina para melhorar a capacidade de usar o excesso de glicose no sangue para obter energia. Quando isso acontece os níveis de glicose são monitorados de hora em hora. Quando as cetonas e o nível de ácido no sangue começarem a retornar ao normal, a insulina pode não ser mais necessária e o regime normal de terapia com insulina é restabelecido.

A presença de cetonas na urina geralmente indica que, ao invés de carboidratos, o corpo está perdendo gorduras para obter energia. O exame pode ser uma ajuda valiosa para gerenciar e tomar as medidas cabíveis, quando necessário. Não deixe de conversar com o seu médico para controlar o processo e contornar possíveis impactos para o organismo.

Referência adicionais:

Você já sentiu alguns destes sintomas de cetonas na urina? Qual causa acredita ser? O que o médico que diagnosticou recomendou como tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário