Diabetes

11 Sintomas da Diabetes Tipo 1

A diabetes é uma doença grave que atingiu mais de 177 milhões de pessoas em 2000, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. A expectativa é que este número só aumente, com estimativa de atingir mais de 350 milhões de pessoas em 2025 ao redor do mundo. No Brasil, por exemplo, são mais de 10 milhões de portadores dessa doença.

Ter informações adequadas sobre a doença pode ajudar bastante no cuidado e no tratamento de pacientes e também no auxílio aos familiares que precisam conviver com a doença. Conheça abaixo 11 sintomas da diabetes tipo 1 e saiba como lidar com esta doença no dia a dia.

O que é a diabetes?

A diabetes mellitus é uma doença crônica caracterizada pela destruição parcial ou total das células pancreáticas, causando a incapacidade de se produzir o hormônio insulina de forma progressiva. Este processo de destruição pode levar meses ou anos e os sintomas surgem de forma mais efetiva a partir da destruição de pelo menos 80% destas células.

O hormônio insulina é responsável pelo transporte da glicose do sangue para dentro das células para que esta seja utilizada como fonte de energia. Quando não há liberação total da insulina necessária, a utilização da glicose como fonte de energia é prejudicada e, como consequência, ocorre um aumento dos níveis de açúcar no sangue.

A insulina é um hormônio fundamental para o organismo, atuando no metabolismo da glicose, das proteínas e das gorduras, transportando a glicose para as células, promovendo o armazenamento da mesma, em forma de glicogênio, nos músculos e nas células do fígado, auxiliando no processo de entrada dos aminoácidos nas células para realizar a síntese proteica e também influenciando no acúmulo de gordura corporal.

Quais os tipos de diabetes?

Existem dois tipos de diabetes. A conhecida como “tipo 1”, que é de caráter genético, é mais frequente em jovens e crianças. A diabetes tipo 1 é caracterizada pela insuficiência na produção de insulina pelas células presentes no pâncreas. Já a diabetes conhecida como “tipo 2” é adquirida ao longo da vida, sendo normalmente diagnosticada na fase adulta, e é associada aos maus hábitos alimentares, ao excesso de peso e ao sedentarismo.

A diabetes tipo 1 é uma doença que requer muitos cuidados diários com a alimentação, com o estilo de vida e também com o tipo de tratamento que será realizado. Portanto, todos na família precisam entender como funcionam os sintomas da diabetes tipo 1 para conhecer adequadamente a doença e também saber quais são os cuidados necessários com o paciente.

A alimentação do paciente com diabetes tipo 1 deve ser constantemente monitorada para garantir um equilíbrio de glicose no sangue, devendo-se fazer uma alimentação completa, balanceada e nutritiva que possa ajudar no controle adequado da glicemia sem que haja prejuízos graves em relação a outros aspectos da saúde.

Diversos estudos já mostraram que o treinamento físico adequado pode aumentar a qualidade de vida dos pacientes com diabetes, auxiliando no aumento da sensibilidade ao hormônio insulina, promovendo melhor controle do metabolismo e também ajudando na prevenção de doenças cardiovasculares, que são bastante comuns nos pacientes com diabetes.

A diabetes tipo 1 é uma doença crônica e progressiva que não possui cura, mas que pode ser facilmente controlada com alguns cuidados diários. O tratamento básico realizado por muitos pacientes é o uso da insulina, que deve se iniciar assim que for diagnosticada a doença e pode ser realizado com aplicações múltiplas de doses de insulina com o uso de seringas, canetas ou sistema de infusão contínua.

Com o acúmulo de glicose e a falta do transporte da mesma para as células, os tecidos passam a não receber energia de forma adequada. Isto pode causar inúmeros sintomas da diabetes tipo 1, como será mostrado a seguir.

Quais são os sintomas da diabetes tipo 1?

A diabetes é uma doença que afeta todo o organismo, podendo ter complicações e sintomas mais graves, caso não venha a ser diagnosticada de forma correta e precoce, ou caso a doença não seja controlada de forma adequada.

Estas complicações podem afetar de forma considerável a qualidade de vida dos pacientes, principalmente daqueles que permanecem com altas taxas de glicose no sangue durante muitos anos.

A diabetes tipo 1 é geralmente diagnosticada na infância e na adolescência. O paciente não tem produção de insulina pelo pâncreas e a glicose não entra na célula, causando o aumento dos níveis desta no sangue.

O quadro de hiperglicemia, que ocorre em função das altas taxas de glicose no sangue, causa a redução da eficiência das células em absorver aminoácidos e outros nutrientes fundamentais, provocando diversos problemas ao organismo. Conheça, a seguir, 11 sintomas da diabetes tipo 1:

1. Necessidade de urinar várias vezes ao dia

Um dos sintomas da diabetes tipo 1 mais simples e mais presentes é o aumento da vontade de urinar. Normalmente, este sintoma ocorre de forma repentina e sem motivo aparente. Ele é causado por um processo chamado de diurese osmótica, ou seja, é o aumento da vontade de urinar em função da presença de algumas substâncias nos tubos renais.

2. Excesso de fome

O excesso de fome também é outro sintoma bastante característico da diabetes tipo 1 e ocorre porque quando a glicose não chega de forma adequada às células, o organismo passa a enviar novamente a mensagem para o cérebro de que o corpo precisa ser alimentado para ter energia suficiente. O organismo não consegue guardar a glicose dentro das células e passa a estar sempre com fome.

3. Emagrecimento

Um dos sintomas da diabetes tipo 1 é o emagrecimento que acontece apesar de o paciente ter uma alimentação adequada. Isto ocorre pois a glicose que é ingerida através dos alimentos não é aproveitada pelo metabolismo de forma correta, devido aos baixos níveis do hormônio insulina.

Desta forma, para conseguir obter energia, o organismo passa a utilizar a gordura armazenada como fonte alternativa e causa o processo de emagrecimento.

4. Sede excessiva

Quando a insulina não consegue transportar toda a glicose presente no sangue, uma parte deste excesso é eliminada pela urina, causando a vontade constante de urinar e, desta forma, o organismo passa a sentir muita sede em função da eliminação de líquidos que precisam ser repostos.

5. Diminuição da função dos rins

Os rins, que são responsáveis pela filtragem do sangue, passam a ficar sobrecarregados em função do aumento dos níveis de glicose, e estes podem sofrer pequenas lesões nos vasos sanguíneos, causando prejuízos na função renal.

Os casos graves de insuficiência renal crônica são irreversíveis e podem ser letais, sendo necessário, para estes casos, um processo chamado de hemodiálise, que substitui a filtragem realizada pelos rins.

6. Problemas de cicatrização

Com o aumento da quantidade de glicose no sangue e com a redução da entrada deste nutriente nas células, os tecidos passam a não receber energia de forma adequada, causando problemas de vascularização e aumentando a dificuldade de cicatrização.

7. Cansaço e falta de energia

A glicose é a principal fonte de energia para as células e quando esta não chega adequadamente, o organismo passa a trabalhar com baixa quantidade de combustível, causando sintomas bem aparentes de cansaço, fadiga, falta de concentração e foco, entre outros.

8. Presença de problemas oculares

Os olhos sofrem bastante com a má circulação sanguínea que ocorre em função do acúmulo de glicose no sangue, causando diversas lesões oculares que acontecem, muitas vezes, de forma lenta. São bastante comuns os casos de visão embaçada, problemas de catarata, glaucomas e, em situações mais graves da doença, até mesmo os casos de cegueira em pacientes com diabetes tipo 1.

9. Sensação de formigamento

Outra região bastante prejudicada com a má circulação sanguínea é o cérebro, causando muitas complicações neurológicas nos pacientes com diabetes. São relatados muitos sintomas da diabetes tipo 1 como a falta de sensibilidade em mãos e pés, sensações de formigamento, entre outros.

10. Aumento dos problemas vasculares

Os pacientes com diabetes tipo 1 apresentam maior risco de desenvolver doenças que estejam relacionadas ao coração, aos problemas vasculares, tais como o acidente vascular cerebral (AVC) e às doenças das artérias em braços e pernas. Desta forma, os cuidados relacionados à alimentação adequada e à prática de exercícios físicos ajudam no controle destes problemas e também auxiliam no controle das taxas de colesterol.

11. Aumento da quantidade de cetonas no sangue

Quando a produção de insulina é insuficiência para que se faça todo o transporte da glicose para as células, estas começam a utilizar a gordura armazenada no corpo para obter a energia necessária, produzindo durante este processo um grupo de substâncias chamadas de cetonas.

As cetonas são ácidos que se acumulam na corrente sanguínea e na urina, causando um envenenamento do organismo. Quando estes níveis são muito elevados, ocorre um quadro chamado de cetoacidose diabética. Esta condição é grave e pode levar o paciente a estado de coma ou mesmo a óbito.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você já percebeu algum destes sintomas da diabetes tipo 1 em si mesmo ou algum familiar? Acredita uqe possa ter a condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,17 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. Olá.

    Só passando para informar que o diabetes tipo I não é hereditário, ou genético. É uma doença autoimune. Diferente do diabetes tipo II que pode ser adquirido ao longo da vida por maus hábitos, ou genética. Grata

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*