Clomid Engorda? Como Funciona e Efeitos Colaterais

Especialista:
atualizado em 23/02/2015

O sonho de muitas mulheres ainda é ser mãe. Muitas conseguem engravidar naturalmente, outras encontram dificuldades por vários fatores, e um deles é a infertilidade feminina.

Quando essa infertilidade tem como causa a ausência de ovulação, há alguns medicamentos que poderão ser utilizados, estimulando a ovulação e permitindo, dessa forma, que a mulher engravide.

O que é Clomid?

Clomid é o nome comercial de uma substância chamada Clomifeno. Sua função é promover a ovulação, e dessa forma, tornar mulheres férteis para que possam engravidar. Boatos afirmam que o Clomid engorda, mas vamos destrinchar melhor todas as suas informações e descobrir a veracidade disso.

Como funciona?

Obviamente, essas indicações deverão partir de um médico, mas, de um modo geral, o medicamento faz com que a ovulação ocorra 7 dias após a interrupção da ingestão do Clomid.

Esse é o momento em que se fará necessário aumentar o número de relações sexuais.

Se após 15 dias de interrupção do uso do Clomid a menstruação não descer, um teste de gravidez deverá ser realizado, podendo, inicialmente, ser um teste comum de farmácia. Dando positivo, procura-se um médico para avaliação mais aprofundada e específica.

Efeitos colaterais do Clomid

Todo medicamento apresenta efeitos colaterais, que poderão ou não ser sentidos, dependendo da sensibilidade de quem os toma.

Por esse motivo, devem ser prescritos por um médico, que saberá indicar a dosagem e posologia.

No caso do Clomid, os principais efeitos colaterais são:

– Ondas de calor

É um efeito colateral comum, relatado por aproximadamente 10% das mulheres. Elas surgem de repente, fazendo com que a pessoa se sinta extremamente quente, o rosto fica vermelho e há sudorese. Poderá ocorrer aceleração dos batimentos cardíacos. Isso tudo pode terminar com a mulher sentindo frio.

Apesar de irritantes, as ondas de calor não se configuram como um evento perigoso, apenas incômodo e desconfortável.

– Inchaço e desconforto abdominal

Em estudos laboratoriais, esses efeitos foram relatados por 5% das mulheres.

Também fazem parte do tratamento e não são tratados como sintomas perigosos, desde que estejam dentro do normal para o caso. Quando esse inchaço for exagerado, ou houver cólicas, seu médico deverá ser avisado.

– Dor de cabeça

Nesses casos, os médicos costumam mudar o horário do medicamento, sugerindo que a paciente passe a tomá-lo à noite. Mas, nos ensaios clínicos, somente 1% das mulheres apresentaram esse problema.

– Secura vaginal

Esse é um dos efeitos mais indesejados, porque o muco vaginal ajuda no transporte do esperma até o colo do útero, portanto, quando o Clomid provoca esse efeito colateral, as chances de engravidar diminuem.

Converse com seu médico. Talvez ele mude o medicamento ou prescreva um lubrificante vaginal.

– Visão turva

1,5% das mulheres relataram esse problema. A visão turva e luzes piscando podem ocorrer com quem está tomando doses maiores. Não é um efeito perigoso, mas assustador e irritante. Passa assim que se interrompe o uso da droga.

– Sensibilidade das mamas

Durante os ensaios clínicos, 2% das mulheres relataram estar sentindo esse efeito.

Só considere perigoso se a sensibilidade se transformar em dor.

– Aumento do volume menstrual

Somente 1% das mulheres apresentaram esse sintoma.

Se houver, além disso, sintomas agregados, como dor abdominal, náuseas, vômitos, febre, etc, procure seu médico.

– Náuseas, tonturas, vômito

2% das mulheres relataram esse efeito colateral quando submetidas ao Clomid.

É algo que costuma passar e não interfere drasticamente o cotidiano da mulher, porém, em alguns casos, quando esses sintomas forem exacerbados, poderá estar ocorrendo a síndrome de hiperestimulação ovariana, esse sim um efeito colateral perigoso.

– Reações alérgicas

Urticárias, erupções e vermelhidão pelo corpo.

– Outros efeitos relatados

Em menos de 1% das mulheres: queda de cabelo, nervosismo, depressão, aumento do tamanho dos ovários, fadiga, indisposição, insônia, sangramento uterino fora do comum, aumento da frequência urinária, edemas.

– Ganho de peso

Algumas mulheres relataram que Clomid engorda. Vamos entender isso melhor a seguir.

Clomid engorda mesmo?

Vamos entender primeiramente o seguinte: ganhar peso é diferente de ganhar gordura.

A maioria das mulheres que se submetem a terapias hormonais percebem o ganho de peso durante o tratamento. O Clomid aumenta a retenção hídrica, e inevitavelmente os ponteiros da balança acusarão esse novo peso acima do habitual.

Outro fato relatado por mulheres em tratamento com Clomid é o aumento de apetite, outro motivo que reforça o argumento que Clomid engorda. Nesse caso, estará havendo ganho de massa gorda, principalmente se forem ingeridos alimentos mais calóricos.

Alterações hormonais podem mexer com o humor da mulher, e isso muitas vezes desencadeia a ansiedade. Algumas mulheres tentam resolver essa questão através da comida. Mais uma vez, nesse caso, haverá ganho de gordura, e poderemos dizer que Clomid engorda.

São situações diferenciadas, mas, é bom estar atento e saber de onde vêm os números maiores registrados pela balança.

Contraindicações

  • Por se tratar de medicamento para infertilidade, obviamente, mulheres grávidas ou lactantes não deverão tomá-lo;
  • Pacientes com insuficiência hepática.
  • Mulheres com problemas de cistos ovarianos;
  • Mulheres que apresentem metrorragia, também conhecida como hemorragia uterina.

Riscos do Clomid

– Gravidez gemelar

Muitas mulheres que se submetem a tratamentos para infertilidade costumam gerar gêmeos. Não é uma regra, mas também não é algo a ser desconsiderado.

Em alguns casos, mais até que dois bebês. Alguns dados interessantes: 6,9% das mulheres tiveram gestações gemelares; 0,5% foram trigêmeos; 0,3% de quadrigêmeos e 0,1% eram quíntuplos.

Alguns médicos costumam iniciar o tratamento com doses menores, tentando evitar esses riscos.

– Cistos ovarianos

Esses cistos serão desenvolvidos por menos de 1% das mulheres. Geralmente são benignos, e costumam sumir por conta própria. Raramente necessitarão de intervenção cirúrgica.

– Câncer de ovário

Alguns estudos isolados apontam o risco de desenvolvimento de câncer de ovário em mulheres que estejam tomando Clomid por mais de um ano.

Aviso importante

Nem todos os efeitos colaterais, contraindicações, reações adversas e riscos do medicamento foram listados nesse artigo. Mulheres que estiverem sentindo efeitos estranhos, sintomas incomuns, desconforto, ou qualquer outro tipo de reação, entrem em contato com seu médico.

As informações contidas nesse artigo não substituem uma consulta médica profissional.

Você conhece alguém que tenha tomado e afirmado que Clomid engorda? Está pensando em utilizar este medicamento para engravidar, mas tem medo dos efeitos colaterais? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (77 votos, média: 3,62 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário