Diabético Pode Comer Rapadura?

Especialista:
atualizado em 03/02/2020

Confira se um diabético pode comer rapadura ou se esse ingrediente típico brasileiro precisa realmente estar fora da dieta dos que possuem a condição.

A rapadura é um doce bastante famoso principalmente entre os nordestinos, que é obtido a partir do caldo de cana de açúcar, reduzido até atingir o estado sólido. Para chegar ao seu conhecido formato, parecido com um pequeno tijolo, ela passa por um processo de modelagem em formas de madeira.

Acredita-se que o quitute seja originário da Ilhas Canárias e tenha chegado ao Brasil no ano de 1532, servindo de alimentos para os escravos.

Aproveite e veja em uma análise completa se rapadura engorda e quantas calorias possui. Mas será que é todo mundo pode comer a rapadura sem maiores preocupações? Ou quem tem alguma doença crônica precisa tomar cuidado com ela? Por exemplo, o diabético pode comer rapadura?

A diabetes

Para que possamos compreender se o diabético pode comer rapadura, vamos antes saber um pouco mais a respeito da condição.

Pois bem, um quadro de diabetes envolve níveis muito elevados de glicose (açúcar) no sangue. Essa substância é a maior fonte de energia para o nosso organismo e é oriunda dos alimentos que consumimos nas refeições.

Uma pessoa desenvolve a doença quando o seu corpo não dá conta de produzir uma quantidade suficiente ou qualquer quantia de insulina ou não consegue utilizar o hormônio adequadamente.

Isso faz com que a glicose permaneça no sangue e não atinja as células do organismo, já que a insulina é justamente responsável por auxiliar a glicose obtida através da dieta a chegar até as nossas células e ser utilizada como energia.

Ao descobrir que sofre com a condição, é fundamental que o paciente obedeça a todas as orientações que forem passadas pelo médico para o seu tratamento.

Até porque, com o passar do tempo, ter níveis elevados de glicose no sangue pode gerar uma série de complicações como doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC), doença nos rins, problemas nos olhos, doenças dentárias, danos nos nervos e problemas nos pés. As informações são do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

E então, será que o diabético pode comer rapadura?

Aquela famosa e antiga frase que diz “rapadura é doce, mas não é mole não” já nos indica que os pacientes com diabetes precisam ter certo cuidado com a rapadura.

Tanto que a rapadura é classificada no grupo dos doces e sobremesas à base de açúcar, que devem ser evitados pelas pessoas que sofrem com a diabetes.

Quando uma pessoa tem diabetes, os açúcares de doces como a rapadura precisam ser consumidos moderadamente e de maneira individualizada, ou seja, conforme as necessidades de cada diabético, para que não haja uma piora expressiva no quadro da condição.

Quando há a diabetes, primeiramente os nutricionistas recomendam estabilização da glicemia, que acontece através de uma alimentação saudável e específica para cada paciente.

Ou seja, isso nos leva a concluir que, conforme a fase do tratamento contra a diabetes, as permissões em relação à ingestão de sobremesas como a rapadura podem sofrer pequenas alterações.

Um paciente sob controle, com um quadro glicêmico melhor e menos variações de glicemia em um dia, tem maior flexibilização em sua dieta, o que (pelo menos em teoria) possibilitaria incluir a rapadura como um dos alimentos consumidos uma vez ou outra nas refeições.

Por isso, o ideal mesmo para quem ama esse quitute tão popular da região Nordeste, porém, sofre com a diabetes, é conversar com o médico e nutricionista que acompanham o seu caso para saber se, quando e como pode incluir a rapadura nas refeições, de modo que ela não atrapalhe o controle dos seus níveis de glicose no sangue e não agrave a sua condição.

Esses profissionais são os mais indicados para passar essas instruções com segurança, de acordo com as reais necessidades do quadro de cada paciente. Veja algumas dicas e orientações gerais a respeito da dieta para diabéticos

Lembre-se sempre de que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as recomendações qualificadas e embasadas do médico e do nutricionista.

A questão do peso corporal

Outro importante ponto a se levar em consideração ao analisar se o diabético pode comer rapadura é a elevada quantidade de calorias que o doce pode apresentar. Tanto que o doce representa uma das principais fontes de energia no sertão.

Para você ter uma noção, a rapadura puxa da marca Santo Antônio carrega 72 calorias em cada porção de uma colher de sopa ou 20 g. Transformando isso para 100 g, temos um total de 360 calorias.

Como você provavelmente já deve saber, ingerir muitas calorias em excesso é receita certeira para o aumento de peso. Mas o que será que isso tem a ver com a diabetes?

Segundo a Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos, o peso é um fator de risco para o aparecimento da condição.

Quanto mais tecido de gordura uma pessoa tem, mais resistente à insulina as suas células se tornam, favorecendo assim o desenvolvimento de um quadro de diabetes, esclareceu a organização.

Como se não bastasse, a manutenção de um peso saudável faz parte das estratégias de tratamento da doença, informou a Mayo Clinic. Para quem está com excesso de peso, perder 5% do seu peso corporal já pode fazer uma diferença no controle do açúcar no sangue nos quadros de pré-diabetes ou diabetes do tipo 2, completou a instituição.

Portanto, evitar o ganho de peso é outro motivo pelo qual o diabético precisa tomar bastante cuidado ao comer a rapadura.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já se perguntou se diabético pode comer rapadura? Possui essa condição e precisa evitar o consumo de doces? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário