Grávida Pode Entrar na Piscina? Existe Risco?

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Muita gente se pergunta se a mulher grávida pode entrar na piscina, pois muitos dizem que gravidez não é doença. Entretanto, assim como as pessoas que sofrem com determinados problemas de saúde, as gestantes precisam tomar certos cuidados, o que coloca uma porção de dúvidas na cabeça da mulher. Descubra a seguir se gestação e piscina são duas coisas que combinam e se a grávida está liberada para isso.

Se além de curtir uma piscina, você é daquelas gestantes que já gostava da academia antes de descobrir que está esperando um neném, confira se a grávida pode malhar.

As gestantes e as piscinas

Desde que autorizada pelo médico e feita sob o acompanhamento de um educador físico especializado para atender as grávidas, a natação pode ser uma boa ideia para uma gestante porque a água oferece suporte ao peso maior que a futura mamãe apresenta.

De acordo com o personal trainer pós-graduado em treinamento de força e atividade física Carlos Bruce, a hidroginástica, que é um programa de exercício praticado na piscina, traz benefícios como aliviar e prevenir as dores nas costas, promover relaxamento, fortalecer os músculos, auxiliar a controlar o peso, ajudar a ter um sono mais calmo e tranquilo, melhorar a circulação e aumentar o equilíbrio corporal.

“Além destas vantagens, o fato da hidroginástica ser feita dentro de água, facilita os movimentos, pois há sensação de menor peso corporal, além de levar à diminuição do impacto para as articulações, principalmente dos joelhos”, completou o personal trainer.

Como se não bastasse, uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) indicou que a prática da hidroginástica pode diminuir as dores na hora do parto.

O estudo examinou 71 grávidas, das quais 34 mulheres faziam 50 minutos de hidroginástica três vezes por semana, apontou a publicação. Conforme a revista, apenas 27% das que faziam hidroginástica solicitaram analgésico na hora das contrações, ao passo que 65% das restantes pediram pelos analgésicos.

“A hidroginástica, na maioria dos casos, está indicada a partir dos três meses de gestação, que é o período em que diminui o risco de abortar e, normalmente, pode ser praticada até ao final da gestação. Porém antes de iniciar a prática de hidroginástica, a mulher deve consultar o obstetra”, aconselhou o personal trainer Bruce.

Por outro lado: é preciso ter cuidados

Quando falamos se a grávida pode entrar na piscina, um cuidado que logo vem em mente é o de não entrar em piscinas que estiverem lotadas, uma vez que com muita gente por perto fazendo movimentos de saltos e nados, existe o risco de que a futura mamãe leve um esbarrão, escorregue e se machuque, o que pode ser bem perigoso, especialmente se o acidente envolver a região da barriga. Falando em riscos de acidentes na gestação, aproveite para saber se a grávida pode subir escada.

O ginecologista Yuri Andrei Dutra Sampaio afirmou que durante a gestação o banho de lazer na piscina deve ocorrer sem que seja uma atividade física, servindo somente para relaxar. O especialista advertiu que as grávidas que desejarem fazer exercícios físicos na piscina devem procurar as aulas de hidroginástica com um profissional especializado.

Outro alerta passado é que a gestante não deve ficar com a roupa de banho molhada por muito tempo no corpo. Isso pode provocar infecções na vulva e na vagina de qualquer mulher, no entanto, a roupa de banho molhada é mais perigosa para as grávidas porque elas são mais vulneráveis a desenvolver doenças como a candidíase vaginal.

“Embora a hidroginástica seja benéfica para a maioria das gestantes, também tem a desvantagem de aumentar as chances de desenvolver infeções urinárias e, por isso, é importante escolher uma piscina que realize diariamente a limpeza da água”, alertou o personal trainer pós-graduado em treinamento de força e atividade física Carlos Bruce.

A questão do cloro

Mas esses não são os únicos problemas possíveis – o cloro é outro ponto que já levantou preocupações sobre a relação entre as gestantes e as piscinas.

Pesquisadores britânicos apontaram que um subproduto do cloro, que é uma substância encontrada em quantidades elevadas nas piscinas, onde é usada para desinfetar, pode ser perigoso tanto para as grávidas quanto para os seus fetos.

Um dos cientistas envolvidos no estudo que chegou a essa conclusão, o pesquisador de ciência ambiental Mark Nieuwenhuijsen, citou que aborto, baixo peso ao nascer, defeitos do tubo neural, defeitos do trato urinário, entre outros problemas foram associados à exposição a esse subproduto, mas ponderou que até então as evidências eram inconsistentes e inconclusivas.

Segundo o pesquisador, existe a necessidade de mais estudos para entender a associação entre o subproduto e os riscos para a saúde, entretanto, os donos de piscinas deveriam diminuir os níveis do subproduto o máximo possível, ao mesmo tempo em que mantenham um controle eficiente contra as doenças microbiológicos transmitidas pela água.

O consultor ambiental da Divisão de Saúde Pública da Geórgia, nos Estados Unidos, Tom Bennett avaliou o estudo de Nieuwenhuijsen. Para ele, a questão é mais um problema de qualidade da água do que um problema com as piscinas em si.

Bennett mencionou que salva-vidas gestantes são conhecidas por sofrerem de doenças como determinados problemas do pulmão em decorrência da exposição contínua à água clorada. Entretanto, o consultor ambiental afirmou que a partir do estudo dos pesquisadores britânicos não dá para concluir se o tal subproduto do cloro representa um risco para as gestantes que não são salva-vidas.

Outros estudos

Outras pesquisas mais recentes avaliaram a exposição das gestantes aos subprodutos das substâncias usadas para desinfetar a piscina. Uma delas, de autoria de cientistas dos Estados Unidos e da Espanha, sugeriu que nadar em piscinas durante a gravidez pode influenciar as circunferências das cabeças dos nenéns ao nascer e alterar as subpopulações de células no sangue do cordão umbilical do recém-nascido.

Para chegar a essa conclusão, os estudiosos analisaram os efeitos do nado maternal em relação aos resultados observados no nascimento dos fetos e as mudanças epigenéticas do sangue do cordão umbilical no New Hampshire Birth Cohort Study, um coorte (um tipo de estudo observacional) sobre gestantes com residência em locais com sistemas privados de água. Já a informação sobre a natação em piscinas ao longo da gravidez foi coletada a partir de 1033 mulheres por meio de questionários.

“Estudos futuros com acompanhamento mais longo das crianças ajudariam a elucidar os potenciais impactos para a saúde dessas observações. Dados os positivos impactos gerais para a saúde de se exercitar durante a gravidez, os benefícios de reduzir a exposição aos subprodutos dos desinfetantes merece consideração”, escreveram os pesquisadores.

Outro estudo, de autoria de um pesquisador da Dinamarca ao lado de mais quatro colegas, analisou a associação entre nadar durante a gestação e o nascimento prematuro, o nascimento pós-termo, as medidas do crescimento fetal, o fato do neném ser pequeno para a idade gestacional e as malformações congênitas.

Os cientistas usaram dados autorrelatados acerca da prática de exercícios durante a gestação, que foram coletados duas vezes ao longo da gravidez de 74.486 mulheres com gestação unifetal, e compararam as nadadoras com as grávidas fisicamente inativas. As gestantes ciclistas foram incluídas como um grupo de comparação adicional para separar um possível efeito específico da natação de um efeito dos exercícios em geral.

Ao término do experimento os pesquisadores concluíram que os dados coletados por eles não indicaram que nadar em piscina está associados com resultados reprodutivos adversos.

Portanto

Com as possíveis vantagens e desvantagens associados ao uso da piscina durante a gestação, o ideal é que seja o médico de cada mulher quem dê a palavra final sobre essa dúvida se a grávida pode entrar na piscina ou não.

Se você está esperando um neném e tem o desejo de entrar na piscina para simplesmente relaxar ou quer fazer aulas de hidroginástica, consulte o médico que acompanha a sua gestação para verificar se isso é indicado e seguro para o seu caso em particular.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia se grávida pode entrar na piscina? Conhece alguém que possa confirmar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário