Hipertireoidismo: Sintomas, Tratamento e Causas

Condição na qual a glândula tireoide está hiperativa e produz um excesso de hormônios, o hipertireoidismo afeta cerca de 5% da população adulta brasileira (ou 300 milhões de pessoas ao redor do globo).

Sexo (mulheres têm até uma probabilidade oito vezes maior de desenvolver a doença), idade (mulheres entre 20-40 anos estão mais suscetíveis) e hereditariedade são alguns dos fatores de risco para o hipertireoidismo.

Entenda o que é o hipertireoidismo

ABAAAAfTYAD-1

Como é possível observar na imagem acima, a glândula tireoide é um órgão que está situado na parte da frente do pescoço.

É ela quem libera hormônios que controlam o metabolismo (o modo como o corpo absorve e utiliza a energia dos alimentos) e funções básicas como controle das frequências cardíaca e respiratória, temperatura corporal, peso, funcionamento do sistema nervoso e muitas outras tarefas.

Quando a glândula está hiperativa, ela passa a produzir os hormônios tiroxina e tri-iodotironina (conhecidos como T4 e T3, respectivamente) em excesso. Como resultado, há um aumento do metabolismo, redução do peso, aceleração dos batimentos cardíacos, sudorese, nervosismo e ansiedade.

Quais são as causas do Hipertireoidismo?

A principal causa do hipertireoidismo é a doença de Graves (ou bócio difuso, como também é conhecida), um tipo de doença autoimune. Nela, os anticorpos do próprio corpo estimulam a tireoide a secretar mais tiroxina.

Pessoas que tenham alguém na família com a doença têm maior probabilidade de vir a sofrer com a condição. Outras causas do hipertireoidismo incluem:

  • inflamação da tireoide (tireoidite), que pode ser resultante de infecções virais ou ter outras causas, como o pós- parto;
  • tumor nos ovários ou testículos;
  • consumo excessivo de iodo (causa bastante rara);
  • ingestão excessiva (através do uso de suplementos ou medicamentos) de tiroxina;
  • tumor benigno na tireoide.

Sintomas

exoftalmia

Inicialmente, muitas pessoas podem não apresentar quaisquer dos sintomas do hipertireoidismo citados abaixo. Assim, acabam não recebendo o diagnóstico e só vão descobrir que são portadores da condição muito mais adiante.

Os sintomas que caracterizam o hipertireoidismo são:

  • Fadiga e fraqueza muscular;
  • Perda de repentina, sem outra causa aparente;
  • Elevação da frequência cardíaca;
  • Maior dificuldade para dormir;
  • Aumento do número de evacuações;
  • Alteração no ciclo menstrual;
  • Nervosismo, ansiedade e irritabilidade;
  • Dificuldade para se concentrar;
  • Acentuadas alterações de humor;
  • Sudorese;
  • Tremores.

Outros sintomas do hipertireoidismo incluem diminuição da libido, alterações na visão, aumento visível da glândula tireoide, queda de cabelo, intolerância ao calor, náuseas, exoftalmia (os olhos ficam saltados, como na imagem acima) e aumento do apetite.

Diagnóstico

Como os sintomas do hipertireoidismo podem ser confundidos com os de outras doenças, o médico irá realizar um exame físico para detectar possíveis alterações anatômicas na tireoide e a elevação da pressão arterial ou da frequência cardíaca.

Um exame de sangue poderá revelar uma alteração nas concentrações dos hormônios T3, T4 e TSH (hormônio estimulante da tireoide) e também das taxas de colesterol (o aumento do metabolismo aumenta a taxa de oxidação das lipoproteínas).

Em alguns casos, poderá ser necessária a realização de um teste de captação de iodo reativo (CIRA) ou um exame de cintilografia da tireoide.

Prevenção

O único tipo de hipertireoidismo que pode ser prevenido é aquele causado pelo excesso de medicamentos para a tireoide. Pessoas que precisam fazer uso destes remédios devem fazer testes regularmente a fim de detectar possíveis alterações no funcionamento da tireoide.

Já o hipertireoidismo que ocorre naturalmente não tem como ser prevenido, embora possa ser tratado sem muitas complicações.

Tratamento

Existem basicamente três tipos de tratamento para o hipertireoidismo. Medicamentos antitireoidianos e a ingestão do iodo radioativo são aqueles utilizados com maior frequência pelos médicos. Em alguns casos raros, poderá haver indicação para cirurgia.

– Iodo Radioativo

Após ser ingerido, o iodo radioativo é absorvido pela tireoide. Uma vez na glândula, o isótopo causa uma remissão dos sintomas do hipertireoidismo (efeito de poderá ser observado em 3-6 meses), mas como consequência há uma destruição das células que produzem hormônio.

Como esse tratamento altera drasticamente o funcionamento da tireoide, é possível que o paciente precise tomar medicamentos para hipotireoidismo para toda a vida.

– Tratamento medicamentoso

O tratamento mais comum para o hipertireoidismo envolve o uso de medicamentos que evitam que a tireoide volte a produzir hormônios em excesso.

A droga comumente utilizada para esse fim é o metimazol, mas em alguns casos de intolerância ao medicamento o médico poderá prescrever o propiltiouracil (que se diferencia do metimazol por ser ainda mais tóxico ao fígado).

Enquanto a tireoide não é “desativada” por completo, a maioria das pessoas com hipertireoidismo pode necessitar de medicamentos betabloqueadores. Drogas como o propranolol ou o nadolol ajudam a controlar alguns dos sintomas do hipertireoidismo, como a taquicardia, os tremores e a ansiedade.

– Cirurgia

Gestantes ou pessoas que por algum motivo não podem se submeter ao tratamento com iodo radioativo ou medicamentos podem receber indicação médica para remover a tireoide.

Pouco comum, a cirurgia tem, além dos riscos de qualquer outra cirurgia, o inconveniente de poder causar danos às cordas vocais e às glândulas paratireoides (quatro pequeninas estruturas situadas na parte de trás da tireoide, e que têm como função controlar os níveis de cálcio no sangue).

Pacientes que passam pelo procedimento de remoção da tireoide deverão tomar levotiroxina (de nome comercial Puran T4 ou Synthroid) para sempre. No caso de retirada em conjunto das paratireoides, será necessário tomar remédio para normalizar a concentração cálcio na corrente sanguínea.

Prognóstico

O diagnóstico de hipertireoidismo deve ser encarado com seriedade, mas sem pessimismo exagerado. Isso porque a condição é totalmente tratável, e raramente traz risco de morte. Em alguns casos, é até possível que o problema desapareça por completo mesmo sem tratamento.

Com orientação médica adequada e algumas pequenas alterações nos hábitos, é possível manter a qualidade de vida.

No caso do hipertireoidismo causado pela doença de Graves, os sintomas podem piorar com o tempo. Algumas complicações da condição podem afetar a qualidade de vida, e por esse motivo exigem maior cuidado médico.

Complicações

A crise de tireoide – ou tempestade tireoidiana, como também é conhecida – ocorre quando há um agravamento dos sintomas do hipertireoidismo, causada geralmente por algum tipo de estresse ou infecção.

Nessa situação, podem ocorrer episódios febris, dores abdominais ou diminuição ou redução no nível de alerta. Demais complicações do hipertireoidismo incluem problemas cardíacos, elevação do risco de osteoporose e hipotireoidismo.

Cuidados suplementares

Após o início do tratamento para o hipertireoidismo, fazer pequenas alterações na dieta pode melhorar o prognóstico da condição. Tente manter uma alimentação saudável, com fontes variadas de cálcio e sódio, e certifique-se de tomar Sol por alguns minutos (10-15) todos os dias.

Ao lado do cálcio, a vitamina D é o nutriente mais importante para a formação dos ossos – que ficam mais predispostos à osteoporose como efeito colateral do hipertireoidismo.

Outros cuidados a serem tomados para evitar problemas na tireoide:

  • não utilize hormônios tireoidianos para emagrecer (estes na verdade promovem maior perda de músculos do que de gordura propriamente dita);
  • se você é mulher e tem mais de 40 anos, faça a dosagem do TSH regularmente;
  • deixe o cigarro de lado;
  • o sal iodado e as algas marinhas são as melhores fontes de iodo na dieta.

Caso note uma perda de peso repentina, alteração no apetite, elevação dos batimentos cardíacos e fadiga extrema, procure um endocrinologista. Não faça uso de medicamentos para hipertireoidismo sem indicação médica.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você já percebeu sintomas do hipertireoidismo? Já procurou as possíveis causas e tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...

1 comentário em “Hipertireoidismo: Sintomas, Tratamento e Causas”

Deixe um comentário