Intolerância à Frutose – Sintomas, Diagnóstico, Dieta e Cuidados

Especialista:
atualizado em 22/10/2019

Neste material você irá conhecer mais sobre a intolerância à frutose, saber como identificá-la e conferir quais são os cuidados recomendados. Você sabia que ela pode ser identificada por meio de um teste de bafômetro?

As frutas são alimentos conhecidamente saudáveis. Essa máxima, no entanto, nem sempre é verdadeira, já que em alguns casos, pessoas podem manifestar alguns sintomas negativos ao ingerirem frutas. Conheça mais sobre este quadro conhecido como frutosemia.

Mas antes de entender como funciona a intolerância à frutose, é muito importante que você entenda o que é a frutose e se ela faz mal à saúde. Dessa forma, você estará apto a se aprofundar nessa questão como um todo, já que boa parte das pessoas não sabe o que é a frutose e nem a diferença dela para outros açúcares.

O Que é Intolerância à Frutose

A intolerância à frutose é um quadro mais comum do que parece, mas pouco divulgado. Nos últimos anos ele vem recebendo especial atenção devido a novos estudos, mecanismos e protocolos de atendimento.

Além da frutose propriamente dita, a intolerância pode ser em relação ao frutano, um polissacarídeo classificado como fibra alimentar solúvel encontrada em banana, alho, cebola, trigo e raízes tuberosas. Os frutanos são sintetizados a partir da sacarose.

Os seres humanos têm uma capacidade de absorção limitada para metabolizar a frutose. No entanto, esta capacidade varia de pessoa para pessoa e quando um ser humano apresenta quadro de intolerância, os sintomas podem ser mais brandos ou mais severos.

Quando um ser humano possui deficiência de enzima aldolase B, ocorre o acúmulo da frutose-1-fosfato. Isto fará que a gliconeogênese e a regeneração da adenosina trifosfato sejam afetadas e, consequentemente, a frutose não será metabolizada adequadamente.

Como Identificar

Pessoas acometidas pela intolerância à frutose podem apresentar sintomas como inchaço, dores abdominais, arrotos, gases, sudorese, agitação e até mesmo vômitos e diarreia. Se você já percebeu que sofre com alguns desses sintomas após ingerir alimentos ricos em frutose, pode ser um indicativo de intolerância.

O diagnóstico efetivo de frutosemia, no entanto, pode ser feito mediante alguns exames, tal como o de urina, além do teste de H2, que é uma espécie de bafômetro, que deve ser aspirado após a ingestão de frutose. Este teste vem sendo amplamente adotado em diversos países.

Em um estudo recente, foram comparadas três doses de frutose (15, 25 e 50g). Constatou-se que 100% dos voluntários saudáveis ​​absorveram 15g de frutose, 90% absorveram 25g de frutose e 20-30% absorveram 50g.

O teste de tolerância à frutose também é uma opção e é feito administrando este açúcar na veia do paciente, de forma que os níveis de glicose, frutose e fosfato no sangue podem ser monitorados.

Os resultados podem causar certa confusão ao serem interpretados. Por isso é de extrema importância que haja acompanhamento médico, uma vez que o profissional é apto a identificar possíveis alterações e orientar o tratamento mais adequado para cada paciente.

Possíveis Tratamentos

O único tratamento possível para quem sofre com frutosemia, ou intolerância à frutose, é a suspensão de ingestão deste elemento. Esta medida deve ser adotada pelo resto da vida.

Suplementar a alimentação com vitamina C é importante, pois, ao cortar a frutose, muitos alimentos fontes de tal vitamina deixam de ser consumidos.

Fatores de Risco

Pessoas que têm distúrbios intestinais como a síndrome do intestino irritado, doença de Crohn ou doenças celíacas são mais suscetíveis a apresentarem quadros de frutosemia. Esta não uma relação obrigatória, mas estas condições são consideradas fatores de risco, ou seja, situações que aumentam a probabilidade de o quadro de intolerância à frutose estar presente.

Em um estudo feito com 209 pacientes que tinham síndrome do intestino irritado, cerca de um terço apresentou intolerância à frutose. Além disso, notou-se que os pacientes que estavam seguindo as restrições à frutose tiveram os sintomas consideravelmente melhorados.

Alimentos Proibidos

Na dieta de quem tem frutosemia, muitos alimentos devem ser restringidos. Para muitas pessoas, se privar destes alimentos é mais difícil do que enfrentar os sintomas. O fato é que para que os desconfortos não se manifestem, alimentos com alto índice de frutose devem ser evitados, tais como:

  • Refrigerantes;
  • Ervilha;
  • Mel;
  • Frutas como ameixas, peras, cerejas, pêssegos, maçãs e melancia;
  • Bebidas de maçã e pera;
  • Doces: sorvetes, bolos industrializados;
  • Alguns alimentos industrializados, tais como sucos de caixinha ou em pó, pudins, embutidos, ketchup, maionese, mostarda, molhos industrializados, caramelo, chocolates e demais alimentos adoçados com frutose.

Este açúcar, no entanto, pode estar camuflada nos rótulos sob os ingredientes:

  • Néctar de agave;
  • Xarope de milho rico em frutose;
  • Sorbitol;
  • Mel;
  • Frutooligossacarídeos (FOS);
  • Polióis;
  • Sacarose.

Alimentos Permitidos

A causa para uma pessoa apresentar intolerância à frutose pode ser hereditária. Sendo assim, até mesmo bebês podem manifestar sintomas quando são acometidos por esta condição ou as pessoas podem adquirir ao longo da vida.

Dentre os alimentos liberados para a dieta estão:

Lácteos

Leite, margarina, manteiga queijo e iogurte natural são liberados para consumo e representam fonte de cálcio para o organismo.

Cereais

Trigo, centeio, arroz, tapioca, cevada, aveia e seus derivados, como pães, biscoitos, bolachas e cereais, mas que não sejam adoçados com frutose, sacarose, sorbitol, mel ou xarope de milho.

Os cereais são ótimas fontes de energia e podem integrar o cardápio e a rotina de pessoas com frutosemia.

Vegetais

Até mesmo alguns vegetais possuem frutose em sua composição. Dentre as opções disponíveis estão a acelga, cogumelos, brócolis, aipo, alface, alcachofras e espinafre.

Adoçantes Sem Frutose

Ter que restringir o consumo de açúcar pode ser muito desagradável para muitas pessoas. A glicose, no entanto, é o adoçante liberado durante o preparo de doces ou bebidas doces que pode substituir a sacarose.

O Que Fazer ao Ser Diagnosticado Com Frutosemia?

A restrição total e absoluta da frutose pode ser muito complicada, principalmente por estarmos rodeados por alimentos que contenham este ingrediente, industrializados ou feitos em casa.

Sendo assim, a principal recomendação é que a pessoa com frutosemia faça acompanhamento com nutricionista para que um cardápio que atenda às suas necessidades possa ser desenvolvido, de maneira individual e personalizada.

O controle deve ser rigoroso. Pessoas que não respeitam a restrição à frutose podem ser acometidas por graves consequências a longo prazo. Insuficiência renal ou do fígado são alguns possíveis quadros que pessoas que negligenciam as restrições podem apresentar.

O mais importante é procurar adequar o cardápio que melhor enquadre em sua rotina para que não requeira grandes esforços. Manter os alimentos proibidos longe de seus armários é uma garantia que o paciente não sucumba à tentação.

Converse com o nutricionista para que um cardápio balanceado e nutritivo seja prescrito.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha conhecimento da intolerância à frutose? Conhece alguém que sofre com isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário