Jejum Intermitente e Diabetes – Pode Fazer? Implicações e Cuidados

Uma prática e dieta cada vez mais popular para a perda de peso, várias pesquisas estão sendo feitas relacionando o jejum intermitente e diabetes para conhecer todas as implicações, cuidados e como fazer.

Nos últimos anos, a popularidade do jejum intermitente cresceu rapidamente, e por isso o mundo da ciência, na mesma velocidade, começou a pesquisar sobre os efeitos dele na saúde, chegando a resultados divergentes. Mas afinal, o que é o jejum intermitente?

O que é o jejum intermitente?

É uma dieta que envolve ciclos alternados de jejum e alimentação, ou seja, é um padrão alimentar em que você alterna entre períodos de alimentação e jejum e que não trata sobre quais alimentos comer, mas sim quando deve comê-los.

Existem vários métodos de jejum intermitente que são divididos durante o dia (24 horas) ou a semana em períodos de alimentação e jejum. Você pode fazer isso pulando o café da manhã, comendo sua primeira refeição ao meio dia e a sua última refeição às 20h da noite, por exemplo.

Sendo assim, você está tecnicamente jejuando por 16 horas todos os dias e restringindo sua alimentação a uma janela de 8 horas. Este é o método mais popular, conhecido por 16/8.

Nenhum alimento é permitido durante o período de jejum, mas você pode beber água, chá, café e outras bebidas não calóricas. Suplementos geralmente são permitidos, desde que não tenham calorias.

Há outros métodos, como o que a pessoa come normalmente por cinco dias da semana e segue um jejum modificado por dois dias, em que ela come apenas 500-600 calorias, conhecido como 5:2, o Leangains, que se alimenta somente dentro de um período de 8 a 10 horas todos os dias e jejua inteiramente pelas 14 e 16 horas restantes, o que jejua um dia inteiro de um a dois dias por semana, ou a conhecida como a Dieta do Guerreiro, onde há apenas uma grande refeição todas as noites e jejum por 20 horas.

Jejum intermitente e diabetes

Há várias pesquisas sendo realizadas sobre sobre a relação entre jejum intermitente e diabetes, e os resultados são dos mais variados. Há aqueles que notam aspectos positivos e outros negativos para a saúde.

Em maio de 2018, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) apresentaram novas pesquisas sobre os efeitos do jejum intermitente no encontro anual da Sociedade Europeia de Endocrinologia em Barcelona, na Espanha.

Neste estudo realizado com ratos descobriu-se que, embora possa fazer com que as pessoas atinjam a perda de peso, o jejum intermitente também pode danificar o pâncreas e prejudicar a ação do hormônio regulador do açúcar, algo que pode levar à diabetes.

Eles analisaram os efeitos do jejum sobre o peso corporal, a função da insulina e os níveis de radicais livres ou substâncias químicas altamente reativas que podem danificar as células do corpo de ratos adultos em dias alternados durante três meses e descobriram que, mesmo os ratos perdendo peso e comendo menos, a quantidade de gordura em torno de suas barrigas aumentava.

As células secretoras de insulina do pâncreas também mostraram alguns danos, e os pesquisadores observaram um aumento nos níveis de radicais livres e marcadores de resistência à insulina, um “sinal de alerta precoce de rumo ao diabetes”, disseram.  “Este é o primeiro estudo que mostra que, apesar da perda de peso, as dietas de jejum intermitente podem realmente danificar o pâncreas e afetar a função da insulina em indivíduos normais e saudáveis, o que poderia levar à diabetes e sérios problemas de saúde”, disse Ana Bonassa, principal autora do estudo.

De acordo com esses cientistas, eles pedem que as pessoas tomem uma “consideração cuidadosa” antes de optar por seguir esta dieta. Bonassa disse: “Devemos considerar que as pessoas com sobrepeso ou obesas que optam por dietas de jejum intermitente podem já ter resistência à insulina, portanto, embora essa dieta possa levar à perda rápida de peso, a longo prazo pode haver efeitos prejudiciais para a sua saúde, como por exemplo o desenvolvimento de diabetes tipo 2.”

Por outro lado, muitas pessoas criticaram esse estudo afirmando que nele as pessoas ficaram muito tempo em jejum, mais do que o normal nas dietas de jejum intermitente.

O que disse o criador do jejum intermitente 5:2 – Michael Mosley

Michael Mosley, o criador do jejum 5:2 disse que, neste estudo, os ratos foram colocados em “jejum absoluto”, ou seja, não comiam nada durante o período de três meses, diferente do que acontece no plano 5:2.

Disse ter ficado surpreso com as descobertas dos pesquisadores em relação ao aumento do tecido adiposo ao redor do abdômen dos ratos: “Isso contradiz muitos outros estudos animais e humanos de jejum intermitente. Não recebi detalhes sobre o que os ratos comeram em dias de não-jejum, mas se eles pudessem engolir, isso sem dúvida distorceria qualquer resultado”, afirmou Michael Mosley.

Ele acrescentou: “De qualquer maneira, eu não recomendaria um jejum absoluto todos os dias, já que você precisa de níveis adequados de proteína para manter a massa muscular”.

“Eu apontaria para um estudo aleatório controlado realmente importante de 298 diabéticos tipo 2 publicado há alguns meses no The Lancet”, disse ele. “Aqueles alocados para uma dieta de 800 calorias todos os dias durante 12 semanas não só perderam grandes quantidades de gordura abdominal, mas quase metade foi capaz de eliminar todos os medicamentos para diabetes. Varreduras do pâncreas e do fígado mostraram que estavam muito mais saudáveis do que no início do julgamento”.

Benefícios potenciais do jejum intermitente para diabetes

Embora essa pesquisa aponte para uma relação negativa entre jejum intermitente e diabetes, há outros que sugerem que ele traz benefícios para a saúde, inclusive para pessoas com diabetes, como o estudo publicado em agosto de 2017 no jornal acadêmico Autophagy, que descobriu que essa dieta ajudou a preservar as células beta em camundongos que foram manipulados para ter diabetes induzida pela obesidade.

A combinação de perda de células beta e resistência à insulina leva ao alto nível de açúcar no sangue que marca a diabetes tipo 2, de acordo com um artigo publicado em março de 2013 na revista Frontiers in Endocrinology.

Esse estudo foi feito apenas em roedores, o que não significa necessariamente que os mesmos benefícios seriam vistos em humanos – nem prova que a dieta seria segura para pessoas com diabetes.

Mas outra pesquisa oferece pistas: Um estudo observacional muito pequeno, publicado em abril de 2017 no World Journal of Diabetes, sugere que o jejum intermitente de curta duração feito diariamente pode ajudar a melhorar a glicemia, o peso e o nível de açúcar no sangue pós-refeição em pessoas com diabetes tipo 2.

Embora o estudo tenha envolvido apenas 10 participantes e não tenha sido um ensaio clínico randomizado e controlado – o padrão de outro para a pesquisa – as descobertas podem conter a verdade com base no que já sabemos sobre a perda de peso.

Porém, novas pesquisas ainda precisam ser realizadas para poder chegar a uma conclusão dos reais benefícios ou malefícios da relação entre jejum intermitente e diabetes, por isso, o mais indicado é que você consulte o seu médico de confiança para que ele te examine, e caso queira seguir essa dieta, te acompanhe para que não tenha problemas de saúde.

Você possui a condição e já testou a relação entre jejum intermitente e diabetes? O que seu médico diz a respeito dessa prática? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...

3 comentários em “Jejum Intermitente e Diabetes – Pode Fazer? Implicações e Cuidados”

  1. Iníciei o jejum intermitente em dezembro de 2018. Sou diabético 2 à 10 anos e tenho 54 anos. Ao longo dos 10 anos fui aumentando a medicação por necessidade. Agora estava numa fase em que não conseguia baixar a baixo dos 200. Agora estou a baixar o peso lentamente e com regularidade encontro 120 em jejum. Melhor que tudo, esta dieta é muito fácil de praticar. Não tenho nenhum problema com a escolha da comida. Na próxima consulta, em maio de 2019, vou ponderar a redução de medicamentos. Para já continuo a tomar um pouco antes da primeira refeição. Almoço às 13h e janto às 20h. Em dia de festa quebro o jejum das 16h. Obrigado José

    • Oi José, estou incentivando minha mãe a fazer o jejum, mas me preocupa a possibilidade de hipoglicemia. Qual modo de jejum você fez? 16:8 ou outro tipo? Depois se puder dar uma atualização da sua consulta em maio também agradeço.

      Obrigado, Carlos.

      • Olá, eu nunca baixo demasiado a diabetes. A consulta correu muito bem. Perdi 7 kg e tinha a média da diabetes em 6.4. também ajudou muito o jardiance. Bebo muita água desde manhã até as 20h. Depois desta hora evito. Em relação a medicação tomo icandra 1 almoço, oito jantar de 1000. E o Jardiance logo que acordo. No teste que faço diariamente tem dias com 110 (mais raro) e 150. Raramente passa dos 150. Espero ter ajudado

Deixe um comentário