Mazindol Emagrece Mesmo?

Especialista:
atualizado em 29/01/2015

Comercializado até 2011 no Brasil como Absten S, Moderina ou Fagolipo, o Mazindol é um remédio para emagrecer que está atualmente proibido pela ANVISA.

O Mazindol é classificado como um medicamento anorexígeno, ou seja, inibe o apetite e leva à perda de peso pela diminuição no consumo de calorias. Durante muitos anos, foi um dos remédios mais receitados por médicos para tratar a obesidade, mas acabou sendo proibido em diversos países por apresentar diversos efeitos colaterais.

No Brasil, o Mazindol foi vendido legalmente de 1999 a 2011, ano em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária decidiu seguir os órgãos de saúde de outros países (como a FDA dos Estados Unidos) e baniu o medicamento por não considerá-lo seguro para a saúde.

Apesar da proibição, o medicamento ainda encontra vias irregulares para entrar no país, o que leva muitas pessoas a terem acesso a esse remédio de maneira relativamente simples. Se você é uma dessas pessoas com acesso ao medicamento, provavelmente deve estar se perguntando se Mazindol emagrece e quais são seus efeitos colaterais.

Antes de sabermos se o Mazindol emagrece mesmo e se você deve ou não tomá-lo para emagrecer, vamos entender o que esse medicamento faz no organismo. 

Como funciona?

O Mazindol é um medicamento semelhante à anfetamina, que por sua vez é uma droga estimulante do sistema nervoso central e que provoca um aumento nas capacidades psíquicas e físicas. Seu uso era indicado como tratamento auxiliar no combate à obesidade e seus efeitos colaterais, como diabetes, pressão alta e elevação dos níveis de colesterol.

Ao lado da sibutramina, dietilpropiona e femproporex, o Mazindol era um dos medicamentos anorexígenos mais utilizados no Brasil. No entanto, quando comparado ao femproporex e à dietilpropiona, o Mazindol possui um efeito anorexígeno mais prolongado.

Embora seu mecanismo de ação não seja inteiramente compreendido, pesquisadores acreditam que o Mazindol emagrece atuando no centro de controle do apetite, elevando os níveis de neurotransmissores responsáveis pela comunicação da saciedade no cérebro.

O Mazindol atuaria ao mesmo tempo inibindo o centro de estímulo da fome e estimulando o centro de saciedade no hipotálamo. Isso aconteceria pela inibição da recaptação de serotonina, da dopamina e da noradrenalina.

Na prática, isso significa que o Mazindol contribui para evitar que você receba um estímulo de fome e para que se sinta saciado por mais tempo, diminuindo assim o consumo de calorias.

Estudos

Alguns estudos comprovam que o Mazindol emagrece mesmo, sendo eficaz no tratamento da obesidade e de algumas condições a ela associadas. Em uma pesquisa publicada no Japão, 59% dos participantes relataram uma diminuição no apetite e uma melhora nos níveis de colesterol e triglicérides após o uso de Mazindol.

Durante o estudo, 53,3% dos voluntários perderam peso após o uso do medicamento associado a uma dieta de baixas calorias. Esse número caiu para 20% no grupo controle que apenas fez dieta mas não recebeu tratamento com Mazindol.

Uma diminuição da pressão sanguínea e também uma significativa melhora na tolerância à glicose foram dois outros importantes aspectos observados em pacientes após o tratamento prolongado com Mazindol.

Mazindol Emagrece

Como o Mazindol tira o apetite, a fome e a vontade de comer diminuem muito, levando consequentemente a um menor consumo de alimentos. Ou seja, o Mazindol emagrece, mas somente se for combinado com um controle na ingestão comida. Isso porque muitas pessoas podem até não ter apetite, mas continuam comendo por questões emocionais, e nesse caso o Mazindol não funciona, pois o consumo de calorias é exagerado.

O efeito do Mazindol é maior nas primeiras semanas, já que a partir de algum tempo o corpo passa a se acostumar com o medicamento e o resultado é uma diminuição no seu efeito.

Embora seja possível afirmar que o Mazindol emagrece mesmo, é importante lembrar que seu uso pode vir acompanhado de efeitos colaterais e de riscos à saúde.

Indicações

Originalmente, o Mazindol foi desenvolvido para auxiliar no combate à obesidade em pacientes que não conseguiam emagrecer de outras maneiras. A sua prescrição era feita para casos em que os benefícios da perda de peso com Mazindol fossem maiores que os riscos de efeitos colaterais causados pelo medicamento.

Pacientes obesos com contraindicação para a prática de atividades físicas ou que tinham muita dificuldade para seguir dietas estavam entre aqueles que poderiam receber uma receita médica para o uso de Mazindol para emagrecer. Pacientes diabéticos também poderiam fazer uso de Mazindol, uma vez que o medicamento poderia ajudar a baixar as taxas de glicose na corrente sanguínea.

Como o Mazindol pode causar dependência, era recomendado que seu uso fosse restrito a um curto período de tempo (no máximo três meses) e que suas doses fossem reduzidas gradualmente após uso prolongado, para evitar problemas com a dependência do medicamento.

Contraindicações

Embora o Mazindol ainda seja irregularmente utilizado para emagrecer, seu uso é especialmente perigoso para pessoas com:

  • Arteriosclerose (endurecimento da parede das artérias);
  • Pressão alta ou doenças cardíacas;
  • Glaucoma;
  • Histórico de alcoolismo ou uso de drogas;
  • Ansiedade;
  • Problemas na tireoide.

Como os efeitos do Mazindol na gravidez ainda são desconhecidos, é altamente recomendável que você evite tomar o remédio durante a gestação ou na fase de amamentação.

Efeitos colaterais

Como os demais medicamentos anorexígenos, o Mazindol também apresenta o risco de diversos efeitos colaterais após uso prolongado.

Principais efeitos colaterais do Mazindol para emagrecer:

  • Depressão;
  • Pânico;
  • Taquicardia;
  • Tontura ou dor de cabeça;
  • Boca seca ou gosto ruim na boca;
  • Agressividade;
  • Insônia;
  • Constipação ou diarreia;
  • Impotência ou variações no desejo sexual;
  • Nervosismo ou agitação psicomotora.

Durante o tratamento com Mazindol para emagrecer, é importante evitar o uso de equipamentos perigosos, pois os reflexos podem estar alterados. Dirigir e beber também devem ser evitados durante a utilização do mesmo.

Proibição no Brasil

A partir de 09/12/2011, os medicamentos Mazindol, anfepramona e femproporex tiveram sua comercialização proibida no Brasil. Esses medicamentos tiveram seus registros cassados pela ANVISA, e estão ainda hoje proibidos de serem manipulados, comercializados, produzidos e utilizados no Brasil.

Tome cuidado antes de tomar remédios para emagrecer

Quando o Mazindol foi lançado, o objetivo dos médicos e demais profissionais da saúde era que seu uso fosse combinado com uma mudança no estilo de vida. Ou seja, o remédio teria a função de servir como um apoio à mudança nos hábitos alimentares e na prática de atividades físicas.

No entanto, muitas pessoas começaram a ver o Mazindol (e também os demais remédios para emagrecer) como uma pílula mágica para emagrecer sem dieta e sem fazer atividade física. Isso pode até funcionar no começo, mas à medida que o organismo se acostuma com o medicamento (ou assim que o tratamento é interrompido), a tendência é a pessoa voltar a engordar novamente, pois ela não fez as alterações em seu estilo de vida.

Portanto, o caminho mais curto dos medicamentos pode não somente não fazer você emagrecer em longo prazo, como também pode trazer sérios riscos à sua saúde. Mudanças graduais na alimentação e hábitos simples, como estacionar o carro mais longe do destino e caminhar algumas vezes na semana, já produzem ótimos resultados e não trazem efeitos colaterais.

Fontes e Referências Adicionais:

Você conhece alguém que tenha tomado o Mazindol quando ele era permitido no país? Essa pessoa atesta que realmente o Mazindol emagrece? Você o tomaria? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (234 votos, média: 4,02 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário