Micose – Tipos e como tratar

Especialista da área:
atualizado em 23/08/2021

Conhecer os sinais da micose é fundamental para distinguir a infecção de outras doenças de pele. Além disso, como a micose é contagiosa, é importante tomar medidas de prevenção para evitar que a infecção se espalhe pelo corpo.

  Continua Depois da Publicidade  

A micose na pele não tratada pode deixar manchas brancas e cicatrizes na pele. A micose na unha ou no couro cabeludo também pode causar deformidade nas unhas e perda de cabelo.

Por isso, saiba quais são os tipos e as suas opções de tratamento e prevenção da micose.

Micose

micose nas costas

A micose (chamada também de tinea ou dermatofitose) é uma infecção causada por fungos que pode afetar várias partes do corpo.

Geralmente, a erupção cutânea que se forma na pele tem o formato de um anel. Além disso, sintomas característicos dessa infecção são:

  • Coceira;
  • Pele escamosa;
  • Bolhas;
  • Manchas.

A infecção vai se instalando aos poucos na pele e, por isso, pode levar até duas semanas para que você perceba os primeiros sintomas da micose.

No primeiro estágio da micose, a pele fica irritada, avermelhada, ressecada e escamosa. Já no segundo estágio, a micose começa a se tornar mais visível e com uma borda mais elevada do que o resto da pele.

Tipos de micose

micose

A principal diferença entre os tipos de micose é o local onde ela se instala. Além disso, existem três tipos de fungos principais que podem causar a micose: Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton.

O contato com esses fungos pode acontecer por meio de pessoas, animais, objetos ou solo contaminado.

Esses fungos se alimentam da queratina presente na pele, unhas ou couro cabeludo, e por conta disso, a pele fica bastante ressecada. Sendo assim, é uma boa ideia usar cremes para pele seca assim que a infecção for tratada.

  Continua Depois da Publicidade  

Micose do couro cabeludo

A tinea capitis é a micose que afeta o couro cabeludo. Ela é mais comum em crianças pequenas e se espalha rapidamente em ambientes urbanos em que as pessoas convivem mais próximas umas das outras. Geralmente, essa infecção causa coceira e descamação do couro cabeludo. 

Além disso, os cabelos ao redor da infecção podem quebrar ou cair, deixando “buracos” no couro cabeludo.

Micose de pele

Chamada também de tinea corporis, a micose na pele é bastante comum e pode afetar qualquer pessoa e qualquer parte do corpo. Há também a tinea barbea em que a infecção atinge a pele da barba e a tinea manus em que afeta as mãos.

Micose de unha

micose de unha

Quando afeta as unhas, a micose pode deixar a unha descolorida, rachada ou mais espessa. Esse tipo de infecção também é chamado de onicomicose dermatofítica ou tinea unguium.

Pé-de-atleta

A tinea pedis é uma infecção fúngica que afeta os pés. A infecção é transmitida principalmente em locais públicos em que as pessoas andam descalças, como em vestiários e áreas ao redor de piscinas.

Micose na virilha

A micose na virilha, ou tinea cruris, é mais comum nos homens. Além da virilha, a região das coxas e das nádegas também pode ser afetada. 

Como tratar

As pessoas que têm um sistema imunológico mais fraco podem ter mais dificuldade para tratar a infecção. Mas ainda assim, os tratamentos disponíveis são bastante eficazes.

É importante ir ao dermatologista já que os sintomas da micose podem ser parecidos com os de outras condições na pele, como as dermatites e a psoríase, por exemplo.

  Continua Depois da Publicidade  

Remédios

Os antifúngicos podem ser usados no tratamento da micose. No caso do couro cabeludo, as melhores opções são os remédios de uso oral. Por outro lado, a micose na pele pode ser tratada com cremes antifúngicos.

Conheça os remédios antifúngicos mais usados para a micose.

Cuidados com a pele

mulher cuidando da pele

Durante o tratamento da micose, também é importante cuidar da pele para acelerar a recuperação. Os seguintes cuidados costumam ajudar a não espalhar a infecção e a se livrar dela mais rapidamente:

  • Lavar a pele com cuidado e com um sabão neutro;
  • Sempre secar bem a pele, mas sem esfregar;
  • Usar toalhas bem macias nas áreas mais sensíveis da pele;
  • Trocar meias e roupas íntimas com mais frequência para evitar a umidade na pele;
  • Usar roupas confortáveis e preferir as roupas íntimas de algodão;
  • Evitar roupas de tecido sintético;
  • Observar as dobras da pele e as áreas entre os dedos após o banho para ter certeza de que estão bem secas.

Para se prevenir de uma nova micose, as seguintes dicas podem ajudar:

  • Evitar compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Usar chinelos sempre que usar um banheiro ou vestiário compartilhado;
  • Evitar o contato próximo com animais ou pessoas contaminadas;
  • Manter as medidas básicas de higiene pessoal.

Geralmente, a micose melhora em cerca de 2 a 4 semanas. Por isso, é fundamental ter paciência e seguir o tratamento indicado pelo dermatologista até o final.

Fontes e referências adicionais

Você já teve micose em alguma parte do corpo? Como foi o tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dra. Alessandra Drummond

Dra. Alessandra Drummond é médica dermatologista, graduada em medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós graduada em dermatologia no Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay. Felowship no Hospital Arcispedale Santa Maria Nueva, Reggio Emília, Itália. Tem diversas publicações em revistas científicas indexadas, participa constantemente de congressos e conferências nacionais e internacionais, na área da dermatologia clínica, cirúrgica e cosmiatria. Para mais informações, entre em contato com ela no seu site.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário