Nutricionistas Revelam os 9 Erros Mais Comuns Cometidos por Seus Pacientes

Especialista:
atualizado em 30/01/2020

Para quem tem dificuldades em montar um cardápio saudável e equilibrado em suas refeições, que ajude a promover a perda de peso e a manter uma boa saúde, uma alternativa excelente é buscar a orientação de um nutricionista. É esse profissional que avaliará como anda a alimentação de seu paciente e indicará que mudanças devem ser feitas para que o seu objetivo seja alcançado.

No entanto, apesar dessa contribuição ser extremamente importante para o processo de perda de peso, é a atitude dos pacientes em relação às recomendações de seus nutricionistas que determinará se a tentativa de emagrecer dará certo ou não. Ou seja, se ele não obedecer ao que o profissional diz, dificilmente alcançará a meta que deseja.

Por isso, é preciso fazer o máximo para fugir dos erros clássicos cometidos por aqueles que visitam o consultório do nutricionista em busca de ajuda. Para te ajudar a não cometer esse tipo de equívoco, reunimos quais são as mancadas mais comuns que o pessoal costuma dar – e que você deve evitar, reveladas pelos nutricionistas Stephanie Clarke, Willow Jarosh e Mitzi Dulan.

1. Não planejar

Você não pode adivinhar quando é que aquela fome incontrolável surgirá, mas pode se preparar para não atacar doces, guloseimas e besteirinhas quando isso acontecer. De acordo com a nutricionista Stephanie Clarke, é justamente nesse momento em que a fome bate que as pessoas acabam optando por consumir comidas não tão saudáveis e que não contribuem com a perda ou manutenção do peso.

Para não permitir que isso aconteça, é fundamental planejar as refeições com antecedência e ter sempre por perto lanchinhos mais saudáveis como frutas ou chips de vegetais. Assim, quando o estômago roncar você não terá nenhuma desculpa para atacar a comidinha que não deve.

2. Manter a dieta em segredo

Seguir uma dieta diferente da habitual não é exatamente a tarefa mais simples do mundo. E isso pode se tornar ainda mais complicado quando os seus familiares, amigos e colegas de trabalho vivem te oferecendo docinhos ou te convidando para tomar um sorvetinho depois do final do expediente.

Para evitar que isso ocorra, tenha certeza de que todos eles sabem que você está passando por um processo de mudança na alimentação e que não pode saborear essas guloseimas a todo o momento. Só assim eles terão noção de que não devem ter essas atitudes e quem sabe até te chamarão para um programa mais saudável como uma ida à academia ou uma caminhada no parque.

3. Falta ou excesso de proteínas 

Se por um lado é importante ter proteínas presentes em todas as refeições, como explicou a nutricionista Mitzi Dulan, tendo em vista que o nutriente ajuda a manter a saciedade do organismo, controlando assim o apetite e a quantidade de calorias que são consumidas, por outro enfatizar exclusivamente no seu consumo não é uma boa ideia.

Por mais que as dietas que focam no consumo excessivo do componente em detrimento de outros nutrientes funcionem e até sejam famosas, é importante saber que elas não são saudáveis a longo prazo, já que privam o organismo de outros nutrientes que ele precisa para funcionar bem. Conforme o que a nutricionista Willow Jarosh disse, consumir uma variedade de alimentos saudáveis como frutas, vegetais, grãos, nozes, sementes e grãos integrais mantém as bactérias do intestino em ordem, deixa o sistema digestivo sob controle e deixa o corpo saciado.

4. Usar os exercícios físicos para compensar a comilança

O alerta feito pela nutricionista Stephanie Clarke é que não resistir e cair na comilança de alimentos não saudáveis e utilizar os exercícios físicos como forma de compensação não somente estimula a criação de um relacionamento nada saudável com a comida como também pode promover o ganho de peso.

Se você come uma sobremesa de 300 calorias e corre no final da tarde, pensando que vai eliminar tudo isso, saiba que está enganado. Isso porque uma corrida de 30 minutos queima aproximadamente 250 calorias, o que não é suficiente para compensar o estrago.

É essencial ter em mente que a prática de atividades físicas não está ali apenas para compensar os excessos na alimentação, mas que é um hábito positivo que não apenas serve como complemento da dieta no processo de emagrecimento mas também faz bem à saúde.

5. Trocar uma refeição por bebidas

Trocar uma refeição completa por algumas doses da sua bebida alcoólica preferida não é uma ideia muito inteligente. Por mais que isso pareça diminuir a quantidade de calorias ingeridas, se você beber demais pode acabar perdendo a clareza de pensamento, esquecer que não ia comer nada e pedir comidas calóricas e nada saudáveis do cardápio do bar ou restaurante.

E mesmo que você consiga sair do local sem comer nada, saiba que isso é bastante maléfico para a saúde, já que você terá deixado de fornecer nutrientes necessários ao seu organismo. Isso também fará com que os níveis de açúcar no seu sangue elevem muito e que você fique bastante faminto. E há ainda a possibilidade que você sofra uma intoxicação.

Já se você é daquelas pessoas que gostam de comer enquanto bebe algo alcoólico, o puxão de orelha de Mitzi Dulan é para você: segundo ela, as bebidas acrescentam centenas de calorias às refeições, o que torna o controle ou perda de peso mais difícil.

A dica para reverter esse problema é limitar ao máximo o número de calorias líquidas que você consome e quando for sair para um bar com os amigos, limitar a sua ingestão a uma dose e passar o resto da noite bebendo água.

6. Proibir-se de comer guloseimas e besteirinhas

As guloseimas e besteirinhas que tanto gostamos de comer realmente prejudicam a nossa forma física, mas proibir-se de saboreá-las também pode fazer mal ao nosso processo de emagrecimento. Como? É que uma hora ou outra a gente pode não conseguir resistir mais ao desejo e comê-las em excesso, causando um mal bem maior do que se tivéssemos consumido porções pequenas delas de vez em quando.

Por isso, não exclua completamente da sua vida o chocolate, a batata frita, a pizza, o bolo, o pudim, o vinho ou o sorvete, mas aprenda a controlar a quantidade desses itens que você ingere. Você pode separar de 150 a 200 calorias do seu consumo diário para essas comidinhas ou pesquisar formas de substituir os ingredientes em suas receitas e torná-los mais saudáveis.

7. Ter dias de comilança

Depois de ficar a semana toda fazendo apenas refeições saudáveis, você resolve que merece um descanso e que pode comer todas as guloseimas, besteiras e comidas fast food que desejar, afinal um dia não vai destruir todo o esforço dos outros cinco ou seis dias, não é mesmo?

Errado. De acordo com o que Willow Jarosh explicou, as coisas não são tão simples assim: “Um dia pode desfazer todo o esforço pela perda de peso que você teve durante a semana. Isso não é bom em curto ou longo prazo.”

Sendo assim, o ideal é que você satisfaça o seu desejo pelas guloseimas com pequenas porções a cada dia do que destruir o seu trabalho duro de tanto tempo em um único dia.

8. Não monitorar o próprio progresso

Para Mitzi Dulan uma chave para a perda de peso é controlar a quantia de calorias que são consumidas diariamente. E para a nutricionista uma das melhores formas de fazer isso é manter um diário, seja no papel, seja no caderninho, seja no computador, seja em aplicativos no smartphone.

“Pesquisas já mostraram que isso é crucial para o sucesso de pessoas que perdem peso e o mantêm longe”, disse.

9. Comer alimentos diet

Os três nutricionistas concordam que não vale a pena trocar os alimentos integrais pelos rotulados como diet, pois os últimos não são tão saudáveis como os primeiros e nem conseguem satisfazer o organismo da mesma forma. Ou seja, para saciar-se será necessário comer uma porção maior da versão diet da comida, o que aumentará a ingestão calórica.

Mas esses não são os únicos problemas. Um produto diet com menor teor de calorias pode compensar com outros ingredientes que não contribuem com a saúde e boa forma quando consumidos em excesso, como sal e açúcar, para manter o sabor em relação às suas versões originais.

Você acaba cometendo algum desses erros enquanto está em um processo de perda de peso? O que é mais difícil para você evitar? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

 

Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário