Óleo de coco

O Óleo de Coco é Realmente o Mais Saudável?

Recentemente, muitos especialistas andam dizendo que o óleo de coco pode ajudar seus esforços para perder peso, melhorar a sua saúde cardíaca, e afastar o risco de doenças crônicas como diabetes tipo 2 e doença de Alzheimer.

Porém, antes de abandonar todos os outros óleos vegetais e ingerir somente o de coco, vamos dar uma olhada no que dizem as pesquisas.

O que é o óleo de coco?

Para criar o óleo de coco, remove-se a “carne” ou o material branco de um coco amadurecido e usa-se máquinas para pressionar e extrair o líquido desta carne, diz Wesley Delbridge, R. D., porta-voz da Academy of Nutrition and Dietetics.

Esse líquido, também conhecido como óleo de coco, é em grande parte constituído por gordura saturada. Na verdade, 84% de suas calorias são provenientes de gordura saturada.

Para efeitos de comparação, 14% e 63% das calorias de azeite e manteiga, respectivamente, são provenientes de gordura saturada.

Mas nem tudo relacionado a gordura saturada precisa ser uma coisa ruim. Afinal, as mais recentes pesquisas de suporte sugerem que a gordura saturada não é nem prejudicial para seus esforços de perda de peso, nem para a saúde do coração, diz Jim White, R. D., proprietário de Jim White Fitness & Nutrition Studios, na Virgínia.

A maioria da gordura saturada do óleo de coco é composta por triglicéridos de cadeia média (MCT). Em comparação com os triglicéridos de cadeia longa (LCT), que são encontradas em outros óleos vegetais, os MCTs são facilmente digeridos pelo corpo, e podem fornecer alguns importantes benefícios de saúde.

Por exemplo, em um estudo da McGill University com homens com excesso de peso, aqueles que comeram uma dieta rica em MCT perderam mais gordura corporal do que aqueles que comeram LCT de óleo de oliva. No entanto, é necessária maior investigação para determinar se o óleo de coco, especificamente, pode ajudar na perda de peso.

E em um estudo de 2013 da European Journal of Nutrition, o consumo de MCT foi responsável por aumentar temporariamente, mas substancialmente, as taxas metabólicas das pessoas – o que consequentemente implica na maior perda de peso.

No entanto, algumas das afirmações de que os MCT combatem a doença de Alzheimer ou melhoram a saúde do coração podem ser prematuras, se não exageradas, segundo Wesley Delbridge, R. D., porta-voz da Academy of Nutrition and Dietetics.

No entanto, há um fato sobre o óleo de coco que lhe dá uma vantagem definitiva na cozinha sobre os outros óleos vegetais: ele mantém-se a temperaturas relativamente elevadas, diz White.

Todos os óleos e gorduras têm um “ponto de fumo”, uma temperatura na qual eles oxidam, ou essencialmente queimam. Uma vez que os óleos atingem esse ponto e começam a exalar fumaça, é um sinal de que todos os seus antioxidantes estão sendo expelidos e radicais livres potencialmente causadores de câncer estão se formando rapidamente.

Apesar de que o ponto de fumo exato de cada óleo varia de acordo com meios de produção e da marca, o óleo de coco tende a ter um ponto de fumo mais elevado que o azeite de oliva extra-virgem, que a manteiga e alguns óleos não refinados de nozes e sementes como açafrão, noz, e óleo de linhaça, de acordo com White.

Entretanto, o óleo de canola (especialmente o refinado), óleo de cártamo refinado, óleo de gergelim, óleo de soja e óleo de amendoim refinado têm seu ponto de fumo mais elevado do que o óleo de coco, e é por isso que eles são muitas vezes utilizados para frituras, diz ele.

Como cozinhar com o óleo de coco

Apesar de que os estudos não sugerem comer o óleo de coco pela colher ou mexendo em seu café – uma colher de sopa ainda contém aproximadamente o mesmo número de calorias (cerca de 120) de outras gorduras – o óleo pode ser uma ferramenta saudável na cozinha. Especialmente se você estiver fritando, saltear ou preparar alimentos que pedem um sabor puxado para o “tropical”.

Especialmente o óleo de coco virgem pode ter um leve sabor de coco, mas a maioria das pessoas descrevem-no como um sabor doce ou amendoado. Isso o torna ideal para utilizar na cozinha do mar e em sobremesas. Para outros pratos, você pode preferir ficar com o azeite de oliva mesmo.

E quanto ao ponto de oxidação, contanto que você não esteja cozinhando sua comida em fogo alto por um longo período de tempo, tudo bem, diz Jaime Mass, R.D., nutricionista de Fort Lauderdale, na Flórida.

Quanto maior a variedade de gorduras não-hidrogenadas você incorporar em sua dieta, melhor, de acordo com a American Heart Association. Isso inclui o óleo de coco como parte da variedade, não como a única fonte.

Você costuma utilizar algum óleo vegetal em sua cozinha? Qual é o seu preferido e o que acha do óleo de coco? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (17 votos, média: 4,06 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*