O Que é Bom para Dor de Barriga?

Especialista:
atualizado em 21/02/2020

Descobrir o que é bom para dor de barriga é essencial para evitar esse infortúnio que pode acabar com o seu dia. Podemos chamar de dor de barriga, ou diarreia, a condição médica em que se verificam pelo menos três movimentos intestinais aquosos ou pouco consistentes por dia. Você aprenderá a seguir o que é a dor de barriga, quais as suas principais causas, quais tipos de remédio existem para diarreia e dicas de como evitá-la.

O problema de dor de barriga é muito comum na população adulta e também infantil, podendo estar relacionado a doenças diversas. Apesar de muitas pessoas não darem a correta atenção a este tipo de sintoma, optando muitas vezes pela automedicação, este pode estar associado a outras doenças que, quando não tratadas corretamente, podem trazer problemas mais graves para o paciente.

Como você já deve ter percebido, muitos alimentos podem dar diarreia por motivos diferentes – pode ser pela intolerância de quem está ingerindo aquela substância ou até mesmo pela sua natureza. A boa notícia é que muitos outros alimentos podem ser utilizados para cuidar desta condição. Você gostará de conhecer os 10 melhores alimentos para diarreia.

Indigestão, intoxicação alimentar e intolerância alimentar são apenas 3 das muitas causas que podem fazer você ter dor na barriga. Dores na parte superior do estômago pode indicar, por exemplo, alguns problemas no esôfago, enquanto dores na parte inferior podem indicar uma doença inflamatória pélvica. Descubra o que pode ser a sua dor na barriga.

Mas se o seu caso for infecção intestinal, não há problema. Outra forma natural e milenarmente conhecida pode te dar uma forcinha. Conheça os chás para infecção intestinal. Os chás são utilizados e estudados pela medicina há centenas de anos e você não vai deixar de conhecer os citados acima.

Vamos conhecer quais são as principais causas e entender o que é bom para dor de barriga, aprendendo mais também sobre tipos de remédio caseiro e chás que possam ajudar a resolver o problema.

O que é a dor de barriga?

O sintoma de dor de barriga pode estar associado a inúmeros problemas de saúde, normalmente acontecendo devido ao aumento da atividade intestinal e também devido ao aumento das evacuações.

Dor de barriga e diarreia podem ser sintomas relacionados a alguns tipos de infecções causadas por vírus e bactérias, podendo também estar associados a alguma irritação do intestino que pode ser gerada pelo uso de medicamentos como os antibióticos, por problemas de intolerância alimentar e também ao uso abusivo de bebidas alcoólicas.

Em conjunto com a dor de barriga e diarreia, podem existir outros sintomas como enjoos, vômitos, náuseas, febre, dores de cabeça, entre outros. A realização do correto diagnóstico é fundamental para que se verifique a causa e também para que se possa indicar o melhor tratamento que, normalmente, deve incluir repouso, aumento da hidratação corporal e também o uso de alguns medicamentos para redução e alívio dos sintomas.

Outra questão importante que o médico precisa verificar é a região em que o paciente está sentindo a dor de barriga. Quando esta dor está presente no lado esquerdo, pode indicar que está relacionada a problemas de digestão, gases, prisão de ventre ou até mesmo distúrbios como a apendicite e a doença de Crohn.

Quando a dor está localizada na região superior ou inferior, pode indicar também outros tipos de problemas como obstruções intestinais, cistos no ovário, gastroenterite, endometriose, diverticulite, úlcera, gastrite, pancreatite e doenças mais graves.

É importante que o médico faça um exame completo para verificar a real causa do problema e para que também possa recomendar o melhor tratamento possível. Veja, a seguir, algumas das principais causas da dor de barriga:

– Infecções no intestino

Os vírus, as bactérias e outros micro-organismos podem causar infecções no intestino que normalmente provocam dores de barriga em conjunto com outros sintomas. Nestes casos, a dor de barriga e diarreia podem estar presentes juntamente com vômitos, náuseas e febre alta. Em geral, os sintomas duram por volta de 3 a 5 dias, podendo levar mais dias caso a infecção seja grave.

Problemas como úlcera péptica, gastrite, esofagite e diverticulite podem ser desencadeados por infecções. Na esofagite que é uma inflamação no revestimento do esôfago, por exemplo, a causa pode ser uma infecção causada pelo vírus herpes simplex ou pela Candida. No caso da gastrite (inflamação no revestimento do estômago) ou da úlcera péptica, a condição pode ser desencadeada pela bactéria H. pylori.

– Intolerância e alergia a alimentos

Outro problema bastante comum são as alergias a alguns alimentos como a proteína do leite, o ovo, glúten e a lactose, por exemplo. Nestes casos, a dor de barriga pode ser bastante intensa, com o aumento da produção de gases e também com o aumento das evacuações. Em geral, os sintomas começam a aparecer logo após as refeições e tendem a reduzir nas 48 horas seguintes. Justamente por este motivo, é importante saber o que é bom para dor de barriga e também o que pode causar problemas maiores.

A intolerância à lactose, por exemplo, é uma das intolerâncias alimentares mais comuns. Nesse tipo de intolerância, o organismo não é capaz de produzir lactase (enzima responsável por digerir a lactose), inviabilizando a digestão do açúcar do leite. Um estudo publicado em 2015 na revista Nutrients indica que quem sofre de intolerância à lactose pode ter sintomas como gases, dor abdominal, inchaço ou diarreia pouco depois de ingerir alimentos derivados do leite.

Um tipo de alergia alimentar bem conhecido é a doença celíaca, que é a alergia ao glúten. Esse tipo de alergia pode causar dor abdominal, inchaço e diarreia. Com o passar do tempo, pode ocorrer até mesmo desnutrição, perda de peso e fadiga extrema.

– Estresse e ansiedade

Estudos mostram que o aumento do estresse e da ansiedade pode gerar diversos sintomas físicos, entre eles a dor de barriga. Quando o paciente tem um destes problemas, pode haver o aumento natural da produção de ácido no estômago e também um aumento na atividade do intestino, que irá provocar sintomas de dor de barriga e diarreia, além de reduzir a capacidade de absorção dos alimentos.

Sentir certo desconforto abdominal e até mesmo uma diarreia passageira antes de um acontecimento importante para você pode ser um sinal de ansiedade. Se isso acontecer uma vez ou outra apenas nesses momentos de grande estresse ou ansiedade, está tudo bem. 

Mas se a dor de barriga surgir com muita frequência, mesmo sem motivo aparente, é indicado procurar auxílio psicológico e psiquiátrico, pois você pode estar desencadeando um transtorno sério de ansiedade que precisa ser tratado.

– Problemas inflamatórios

Alguns tipos de inflamações podem causar dores de barriga a partir de lesões no intestino e dificultar a realização das atividades exercidas por este órgão. No início podem surgir sintomas como diarreia e excesso de gases, podendo evoluir para um quadro de perda de peso, anemia, sangramento e até produção de muco nas fezes.

Um sinal de que seu corpo está enfrentando uma inflamação mais séria é a duração dos sintomas. Se eles persistem por mais de 2 dias, você pode estar com alguma inflamação no intestino ou no estômago.

Exemplos de condições inflamatórias que podem ser a causa da dor de barriga são: doença inflamatória intestinal, gastrite, doença do refluxo gastroesofágico, úlceras estomacais ou pépticas, doença de Crohn, doença celíaca, endometriose ou cólicas menstruais.

Quais os tipos de remédios para dor de barriga?

Saber o que é bom para dor de barriga pode ajudar bastante na recuperação do paciente e também na redução dos sintomas. Alguns tipos de remédio caseiro como chás, por exemplo, podem contribuir para a melhoria da saúde e também podem reduzir a dor causada por infecções e inflamações.

Veja, a seguir, alguns tipos de remédios para dor de barriga, mas lembre-se de que antes de utilizar qualquer medicamento você deve consultar um médico para saber se o remédio em questão realmente é indicado para o seu caso e certificar-se de que ele não pode fazer mal.

1. Medicamentos antidiarreicos

Alguns remédios podem ajudar a reduzir os sintomas de diarreia gerados pela dor de barriga. Existem muitos medicamentos no mercado, entre eles a Loperamida ou Racecadotril que podem ser encontrados comercialmente com os nomes de Diasec, Diarresec ou Tiorfan.

A Loperamida é um antidiarreico bem conhecido que é um obstipante, ou seja, ele atua diminuindo os movimentos intestinais e evitando a diarreia. 

O uso de antidiarreicos deve ser acompanhado por um médico, pois interromper a diarreia pode ser mais perigoso do que a desidratação causada por ela em alguns casos. Daí a necessidade de consultar um profissional da saúde.

2. Medicamentos antiespasmódicos

Estes medicamentos são indicados para reduzir o movimento do estômago e do intestino, diminuindo o desconforto gerado pela dor de barriga. Nesta categoria estão os medicamentos Butilescopolamina, Mebeverina ou Tiropramida, também conhecidos no mercado como Buscopan, Duspatal ou Maiorad.

Os antiespasmódicos agem inibindo os espasmos musculares que causam a cólica abdominal. Essas contrações musculares são involuntárias e geram muita dor e os antiespasmódicos como o Buscopan atuam diretamente sobre tais estruturas evitando os espasmos.

São ótimas opções para quem está com dor de barriga sem sinais de diarreia.

3. Medicamentos antimicrobianos

Muitas vezes as dores de barriga são causadas por infecções intestinais provocadas por bactérias e estes medicamentos podem tanto combater estas infecções como ajudar na melhoria da flora intestinal. Entre eles, estão os medicamentos Biovicerin ou Rifaximina.

Os antibióticos são remédios controlados que precisam ser prescritos por um médico apenas em caso de infecção causada por bactéria. Uma vez confirmado o diagnóstico, o antibiótico agirá contra as bactérias causadoras da infecção, eliminando os sintomas desagradáveis.

É importante tomar todas as doses do antibiótico prescrito no horário certo para garantir que todas as bactérias serão eliminadas e que elas não se tornarão resistentes, o que dificulta tratamentos futuros. 

4. Medicamentos anti-inflamatórios intestinais

Estes medicamentos ajudam a combater a inflamação das paredes do intestino causadas pelas dores de barriga, podendo ser associados a diferentes outros tipos de medicamentos. Entre eles, o principal medicamento dessa classe é a mesalazina.

A mesalazina é um anti-inflamatório que age no intestino. Ele é geralmente indicado no tratamento de doenças inflamatórias intestinais.

5. Simeticona

Medicamentos que possuem a substância simeticona em sua composição (por exemplo Luftal) podem auxiliar em relação às dores de gases.

A simeticona e a dimeticona são medicamentos da classe dos antiflatulentos que servem para eliminar os gases que estão causando a dor de barriga. Eles destroem as bolhas de gases ainda dentro do intestino, diminuindo a flatulência e o inchaço abdominal. 

6. Subsalicilato de bismuto

Medicamentos compostos por essa substância podem fazer com que quem sofre com cólicas em decorrência da diarreia sinta-se melhor. 

Trata-se de um potente antiácido que ajuda a aliviar desconfortos sentidos no abdômen devido a problemas como indigestão e azia.

7. Suco de cenoura com hortelã

Este é um dos remédios caseiros para dor de barriga mais recomendados. A cenoura ajuda a aumentar a quantidade de nutrientes no organismo que pode estar debilitado em função da dor de barriga. A hortelã, por sua vez, ajuda a acalmar a dor de estômago, pois esta contém propriedades analgésicas naturais.

O mentol encontrado na hortelã ajuda a aliviar a dor além de prevenir contra a diarreia e o vômito e a reduzir os espasmos musculares intestinais. A vantagem de adicionar a cenoura nesse suco é a reposição dos eletrólitos perdidos por causa de vômitos ou diarreias anteriores.

8. Limão

O limão é outro item excelente para quem busca o que é bom para dor de barriga. O suco do limão estimula o estômago a produzir mais ácido, ajudando bastante nos casos de dores de barriga causadas por problemas de digestão. Ele pode ser consumido na água quente e com um pouco de mel. Se quiser, pode juntar algumas folhas de hortelã para potencializar o efeito da bebida.

Estudos como o publicado em 2015 no International Journal of Pharmacy & Life Sciences mostram que uma mistura de limão, bicarbonato de sódio e água pode aliviar vários desconfortos digestivos. Isso acontece porque o ácido carbônico formado pode ajudar na redução dos gases, diminuindo a indigestão. 

9. Chá de erva-doce com camomila

Os chás de erva-doce e de camomila são excelentes opções para auxiliar na redução da dor de barriga, pois estes possuem um efeito calmante, além de auxiliar na melhoria da função digestiva, servindo para diminuir os problemas intestinais.

O chá de camomila pode contribuir com o alívio da dor de barriga graças ao fato de possuir propriedades anti-inflamatórias, que auxiliam o estômago a relaxar, algo que pode diminuir a dor das cólicas e os espasmos.

Este chá pode ser preparado com um sachê de cada em água fervente para uma porção individual ou pode ser feito com uma colher sopa de camomila e uma colher de sopa de erva-doce. Basta colocar tudo para ferver e deixar descansar com pelo menos 10 minutos. Beba esta mistura ao longo do dia.

10. Chá de boldo

O chá de boldo é um dos mais recomendados para os problemas de cólicas intestinais e má digestão. O boldo também ajuda a desintoxicar o fígado, aliviando os sintomas da dor de barriga e também diminuindo os gases intestinais. 

Assim, se a sua dor estiver relacionada com problemas hepáticos ou for causada pelo consumo excessivo de álcool, o chá de boldo pode ser exatamente o que você precisa para ajudar o fígado a funcionar melhor, aliviando o seu desconforto.

O chá pode ser feito com um sachê por pessoa ou pode ser utilizada uma colher de sopa de folhas secas de boldo. Prepare com água fervente e deixe descansar por pelo menos 10 minutos. Beba ao longo do dia.

11. Chá de erva-cidreira

Este chá também é um dos melhores itens para quem busca o que é bom para dor de barriga. Ele possui propriedades calmantes, analgésicas e antiespasmódicas, promovendo um alívio no desconforto causado pela dor de barriga.

O chá de erva-cidreira pode ser feito com um sachê por pessoa ou pode ser utilizada uma colher de sopa de folhas secas de erva-cidreira. Prepare com água fervente e deixe descansar por pelo menos 10 minutos. Beba ao longo do dia.

12. Vinagre de maçã

O vinagre de maçã possui inúmeras propriedades e é utilizado como remédio popular há muitos anos. Entre muitas outras funções, acredita-se que ele ajuda a reduzir a dor na barriga. Misture uma colher de sopa de vinagre de maçã com uma xícara de água morna e uma colher de sopa de mel. Esta mistura irá ajudar no alívio dos gases e também na redução da dor de barriga. É recomendado tomar bem devagar a receita.

Os ácidos presentes na composição do vinagre de cidra de maçã podem diminuir a digestão dos amidos (um tipo de carboidrato). Isso permite que os amidos cheguem aos intestinos e mantenham saudáveis as bactérias intestinais.

13. Gengibre

Desde os tempos antigos, o gengibre, que é conhecido como um anti-inflamatório natural, é utilizado como um remédio da medicina popular para auxiliar o tratamento de diversos problemas como dores e náuseas.

O alimento pode ser mais do que um simples truque popular, tendo em vista que uma revisão sistemática do ano 2000 sobre evidências de experimentos controlados aleatórios, conduzida por um pesquisador do Reino Unido ao lado de outro colega, analisou seis estudos e identificou que existem pesquisas que apontam para a eficiência do gengibre em relação a alguns tipos de náusea.

O gengibre pode ser encontrado na forma de suplemento ou em bebidas como os chás.

A mestra em bioquímica Naomi Parks alertou que o chá de gengibre não pode ser consumido por pessoas que sofrem com a diabetes, por mulheres que estejam grávidas ou mulheres que se encontrem no processo de amamentação de seus bebês.

A Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos alerta que pessoas que fazem uso de medicamentos diluidores do sangue (anticoagulantes) devem evitar os suplementos de gengibre, e que mulheres que estejam amamentando e pessoas com distúrbios hemorrágicos, condições cardíacas e diabetes também devem evitar os suplementos de gengibre.

Quem tem histórico de problemas na vesícula biliar deve consultar o médico antes de tomar o chá de gengibre.

Com isso, para quem está grávida ou amamentando, crianças, adolescentes, idosos e pessoas que têm qualquer doença e condição de saúde, também vale a pena consultar o médico antes de utilizar qualquer forma do gengibre. Para os outros, é importante não exagerar no consumo de qualquer forma da raiz. A regra geral consiste em não consumir mais do que 4 g de gengibre diariamente.

14. Hortelã

Já mencionamos aqui a mistura de hortelã com cenoura em suco que nutre e alivia. Vejamos agora o papel da hortelã sozinha.

A hortelã costuma ser mencionada como uma ajuda rápida para a náusea e para quem busca o que é bom para dor de barriga. Tudo por causa da presença de uma substância conhecido como mentol nas folhas de hortelã – acredita-se que o mentol atue como um analgésico natural, ou seja, promova um alívio da dor, completou a publicação.

Uma publicação de 2013 do periódico científico Ancient Science of Life indica que a hortelã é um remédio tradicional para melhorar sintomas como indigestão, diarreia e gases em países como a Índia, o Irã e o Paquistão.

Se você estiver com dor e não puder preparar um chá de hortelã, chupar uma bala de hortelã pode ajudar a diminuir o mal-estar.

15. Iogurte natural

O iogurte natural é um excelente probiótico e contém bactérias vivas. Ele pode ajudar a aliviar os sintomas do desconforto digestivo e também estimula o fortalecimento do sistema imunológico. O ideal é que se escolha um tipo de iogurte natural com baixa quantidade de açúcares e de gorduras para evitar que a dor de barriga aumente.

Porém, é preciso tomar cuidado pois apesar de melhorar a saúde da flora intestinal, o iogurte pode causar um pouco de diarreia, principalmente se você já estiver se sentindo mal. Talvez seja melhor tomar apenas um pouco de iogurte ou então esperar a diarreia passar (se for o seu caso) antes de ingerir o iogurte.

16. Aqueça a barriga

Usar uma bolsa térmica para aquecer a barriga pode ser outra forma de aliviar as dores de barriga. Em geral, o calor da bolsa irá relaxar os músculos que podem estar contraídos, gerando maior desconforto no estômago e no intestino.

Além disso, o calor na região da barriga vai fazer com que a pessoa se distraia da cólica e da dor e o aquecimento pode auxiliar a relaxar os músculos e diminuir a náusea.

Entretanto, não se deve aquecer a barriga por muito tempo para não provocar danos à pele em decorrência do uso excessivo de bolsas ou outros objetos para aquecer a barriga.

17. Massagem abdominal

A massagem abdominal pode ajudar a reduzir as dores de barriga, principalmente nos casos em que há prisão de ventre. Esta massagem pode ser aplicada em torno do umbigo, tanto na parte inferior quanto superior, fazendo movimentos circulares de forma a reduzir o inchaço e auxiliar no movimento natural do intestino.

Quando a dor é causada por constipação ou estresse, por exemplo, a massagem abdominal pode realmente ajudar. Mas em outros casos como infecções, o ideal é ir ao médico mesmo para obter a receita de um antibiótico.

18. Procure a ajuda do médico ou de um serviço de emergência

Esta é a atitude mais segura e garantida para quem busca o que é bom para dor de barriga, principalmente se ela for persistente e estiver acompanhada de outros sintomas, já que o médico é habilitado para indicar qual o tratamento que a dor em questão exige.

Até porque uma dor de barriga pode ser resultado ou sintoma de uma série de problemas de saúde.

Procure o auxílio do médico especialmente quando experimentar dor de estômago ou náusea e desconforto por mais de 48 horas e a informe o profissional caso perceba que tem problemas no estômago (ou barriga em geral) depois de consumir determinados alimentos ou realizar certas atividades.

A dor de barriga exige a procura do auxílio médico especialmente quando:

  1. é severa ou dura muitos dias;
  2. quando a pessoa tem náusea, febre e não consegue reter os alimentos há diversos dias;
  3. quando as fezes têm sangue;
  4. quando dói para urinar;
  5. quando a urina contém sangue;
  6. quando a pessoa não consegue fazer as fezes, principalmente se também vomitar;
  7. quando a pessoa sofreu uma lesão na barriga dias antes da dor começar e/ou quando a pessoa tem azia que não melhora com remédios ou que tem uma duração maior do que duas semanas.

O serviço de emergência médica deve ser acionado quando a dor estiver localizada no abdômen direito inferior, for sensível ao toque e estiver acompanhada de febre ou vômito (podem ser sinais de apendicite); quando a dor estiver acompanhada de vômito de sangue; quando a dor estiver acompanhada de dificuldade para respirar e/ou quando uma gestante sentir dor na barriga ou tiver sangramento vaginal.

Mesmo se a dor de barriga passar ou aliviar com uma das estratégias que conhecemos aqui, vale a pena consultar o médico para saber o que é bom para dor de barriga e ter certeza de que a tática em questão não serviu somente para mascarar um problema.

Isso porque pode ser que a sua dor de barriga não seja algo preocupante, mas também pode ser que ela seja sinal de uma doença ou condição mais série que exige um tratamento específico – e só indo ao médico para descobrir em qual dessas alternativas a sua dor de barriga se encaixa.

Tenha em mente que este artigo serve somente para informar e jamais pode – e nem se propõe – a substituir o diagnóstico ou a prescrição de um médico.

Além disso, a conversa com o médico também é fundamental para saber se uma das estratégias mencionadas não é contraindicada ou pode fazer mal para você. Além dos medicamentos, remédios naturais como chás e ervas e até certos alimentos podem provocar reações indesejáveis ou ser contraindicados para algumas pessoas. Portanto, aja com segurança e sabedoria e consulte o médico antes de utilizar qualquer um deles.

Diminua a probabilidade de sofrer com dor abdominal

As principais estratégias para diminuir as chances de sofrer com o problema são:

  1. Fazer diversas refeições menores ao dia no lugar de apenas três refeições maiores;
  2. Mastigar bem e devagar os alimentos;
  3. Manter-se longe das comidas e bebidas que costumam te incomodar, em particular;
  4. Aliviar o estresse com exercícios físicos, meditação ou yoga, por exemplo.

Conclusão

O sintoma de dor de barriga pode estar associado a inúmeros problemas de saúde, normalmente acontecendo devido ao aumento da atividade intestinal e também devido ao aumento das evacuações. Dor de barriga e diarreia podem ser sintomas relacionados a alguns tipos de infecções causadas por vírus e bactérias, podendo também estar associados a alguma irritação do intestino que pode ser gerada pelo uso de medicamentos como os antibióticos, por problemas de intolerância alimentar e também ao uso abusivo de bebidas alcoólicas.

Saber o que é bom para dor de barriga pode ajudar tanto na redução dos sintomas quanto na recuperação do paciente. 

Fontes consultadas:

Você já conhecia em detalhes o que é bom para dor de barriga? O que costuma geralmente tomar quando está com esse problema? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário