Refrigerante

Refrigerante Faz Mal Para os Rins?

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que o refrigerante favorece o aumento de peso corporal. Entretanto, você já parou para pensar se e como ele pode afetar outros aspectos da saúde do nosso organismo?

Por exemplo, será que podemos afirmar que é verdade que o refrigerante faz mal para os rins?

A importância dos rins

Antes de entrarmos na questão se o refrigerante faz mal para os rins, que tal conhecermos alguns dados a respeito da importância do órgão para o nosso organismo?

Os rins trabalham na produção de hormônios, na absorção de minerais, na filtragem do sangue, na produção de urina, na excreção de resíduos do corpo, no equilíbrio do nível de água no organismo e na regulação da pressão arterial, de glóbulos vermelhos e de ácido no corpo.

Mas então, será que o refrigerante faz mal para os rins?

Uma pesquisa divulgada na publicação Epidemeology (Epidemeologia) no ano de 2007 indicou que o consumo de dois ou mais refrigerantes de cola por dia, sejam eles normais, sejam eles diet, pode aumentar os riscos de desenvolvimento de doença renal crônica.

E ainda que o estudo seja preliminar e exista a necessidade da realização de mais pesquisas para comprovar os resultados, a pesquisa recomenda não ingerir mais do que um refrigerante de cola diariamente para evitar aumentar as chances de ter a doença renal crônica.

Formação de cálculos renais e disfunção renal

Esse mesmo estudo publicado no Epidemeology informou que o refrigerante de cola é composto por uma substância conhecida pelo nome de ácido fosfórico, que pode contribuir com uma maior formação de cálculos renais.

A página informou que ainda que nem todos os refrigerantes tenham o ácido fosfórico, a maior parte deles pode colaborar com a maior formação de cálculos renais e com a disfunção renal.

O estudo também explicou que o ácido fosfórico auxilia a formação de cálculos renais porque cria um ambiente ácido no trato renal – quando a urina torna-se muito ácida, os cálculos renais são formados com maior facilidade.

Uma revisão publicada no Journal of the American Society of Nephrology (Jornal da Sociedade Americana de Nefrologia) explicou que isso acontece por conta da frutose, que é o adoçante mais notável dos refrigerantes e que pode aumentar a formação de cálculos renais e danificar as células dos rins.

Um alerta deixado pelos estudiosos é que quem já teve cálculos renais no passado possui um risco mais alto de desenvolver o problema novamente. Quem toma muito refrigerante de cola (ou de outros tipos que contenham o ácido fosfórico) provavelmente ingere uma quantidade elevada de ácido fosfórico diariamente, segundo eles.

Assim, a recomendação é tomar esses refrigerantes com moderação como forma de diminuir a probabilidade da formação de cálculos renais.

Doença renal 

Há outras maneiras pelas quais o refrigerante faz mal para os rins, especialmente os que possuem a frutose, em particular o xarope de milho com alto teor de frutose.

Em 2007, um grupo de especialistas renais relatou no Journal of the American Society of Nephrology (Jornal da Sociedade Americana de Nefrologia) que a ingestão exagerada de bebidas com frutose era um fator de risco para a doença renal e para a inflamação e danificação dos rins.

Os especialistas explicaram que ainda que a maior parte da frutose seja absorvida pelo fígado, até 30% da substância vai para os rins, o que pode resultar em uma elevação dos níveis de ácido úrico, um composto produzido pelos rins para decompor os alimentos.

Os pesquisadores explicaram que esse efeito é o principal processo pelo qual as bebidas com frutose provocam a chamada doença cardiorrenal. Para os especialistas, as pessoas com doença renal devem ter restrições no que se refere ao consumo de bebidas e alimentos contendo frutose.

Segundo a dissertação de mestrado de Andreia Raquel Dias da Silva para a Universidade da Beira Interior, a síndrome cardiorrenal (SCR) trata-se de uma condição caracterizada pela existência simultânea da disfunção cardíaca e da disfunção renal, em que a falência aguda ou crônica de um dos órgãos precipita a falência aguda ou crônica do outro.

Os fosfatos

Uma publicação de 2015 do Livestrong relatou que o livro “Contemporany Nutrition: A Functional Approach” (Nutrição Contemporânea: Uma Abordagem Funcional, tradução livre), de autoria de Gordon Wardlaw, explica que todos os refrigerantes possuem compostos chamados fosfatos, mas que eles estão presentes em maiores quantidades nos refrigerantes escuros, incluindo as suas versões diet.

Segundo a página, o consumo de refrigerantes com fosfatos está associado com a formação de cálculos renais porque isso causa a mobilização de minerais como cálcio e magnésio dos ossos até o sangue e outros fluidos corporais – uma vez na urina, os minerais são filtrados pelos rins e se a sua quantia for excessiva, pode ocorrer o desenvolvimento de cálculos renais.

De acordo com o site, quando a função renal é diminuída por conta dos cálculos renais pode haver o aparecimento de dores renais.

O sódio

A mesma publicação do Livestrong alertou que o consumo elevado de sódio já foi associado por uma série de pesquisas ao declínio progressivo dos rins. O livro “Nutritional Sciences” (Ciências Nutricionais, tradução livre), de autoria de Michelle McGuire, informou que os refrigerantes diet apresentam um teor elevado de sódio, que é superior à versão normal da bebida.

Para você ter uma ideia, uma porção de 200 ml de guaraná diet apresenta 40 mg de sódio, enquanto a versão regular do mesmo guaraná contém 11 mg do mineral a cada 200 ml.

Em quantidades elevadas, o cloreto de sódio (o componente principal do sal de cozinha), que está presente em produtos industrializados, é tóxico para os rins, podendo provocar problemas como dano renal ou nefrite, que é uma condição caracterizada por inflamação e dor. 

De acordo com informações da Fundação Pró-Rim, a nefrite é a inflamação dos glomérulos renais, que são responsáveis pela filtragem dos rins.

Adoçantes artificiais

O refrigerante faz mal para os rins também por conter adoçantes artificiais. Conforme um artigo publicado no Science Daily, a American Society of Nephrology (Sociedade Americana de Nefrologia) divulgou no ano de 2009 a conclusão de um estudo de 11 anos de duração que demonstrou que as mulheres que tomaram duas ou mais bebidas com adoçante artificial por dia duplicaram as suas chances de sofrer com um declínio rápido de sua função renal.

Porém, os pesquisadores relataram que apesar de ter sido estabelecida uma associação entre os adoçantes artificiais e o declínio rápido da função dos rins, não foi encontrada uma relação entre as bebidas adoçadas com açúcar e a função renal.

Você já imaginava que o refrigerante faz mal para os rins? Costuma consumir muito refrigerante no seu dia a dia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*