Tomate e Ácido Úrico – É Bom ou Ruim?

Especialista:
atualizado em 23/12/2019

O ácido úrico é uma substância produzida a partir da decomposição natural das células do organismo e dos alimentos que são consumidos.

A maior parte desse composto é filtrada pelos rins e sai do corpo por meio da urina, enquanto uma pequena quantidade sai do organismo através das fezes. Entretanto, quando há uma produção elevada de ácido úrico, ou os rins não conseguem retirar como deveriam a substância do organismo, os níveis do composto no sangue aumenta.

E o problema disso é que quando os níveis de ácido úrico encontram-se elevados, pode ocorrer o desenvolvimento de cristais sólidos dentro das articulações, em uma condição dolorosa conhecida pelo nome de gota.

Quando essa doença não é tratada, esses cristais podem se acumular nas articulações e nos tecidos que ficam próximos a ela e formar depósitos duros e grumosos (granulosos). A ausência de tratamento para os níveis altos de ácido úrico também pode provocar cálculos renais e insuficiência renal.

A relação entre tomate e ácido úrico

Mudanças alimentares podem contribuir com o tratamento do ácido úrico elevado. Obviamente, você deve seguir todas as recomendações passadas pelo seu médico em relação à alimentação, o uso de medicamentos e demais aspectos levantados por ele para tratar a condição.

Mas como será que funciona a relação entre tomate e ácido úrico? Será que esse fruto que aparece em saladas, sucos, tortas, lanches e pizzas faz bem ou mal para um quadro de níveis elevados de ácido úrico?

Assim como grande parte das frutas e vegetais, o tomate é um alimento bastante rico em água. E teoricamente, consumir altas quantidades de fluido pode auxiliar o organismo a eliminar o excesso de ácido úrico por meio da urina. Além disso, o tomate é pobre em açúcares e rico em nutrientes.

Pesquisa mostrou que a relação entre tomate e ácido úrico pode não ser tão boa assim

Por outro lado, segundo o que o Science Daily informou em publicação do ano de 2015, em uma pesquisa, cientistas da Nova Zelândia agruparam e analisaram dados de mais de 12,7 mil homens e mulheres que participaram de três estudos de saúde de longo prazo dos Estados Unidos.

Os dados indicaram que a ingestão de tomate está associada a níveis mais elevados de ácido úrico no sangue.

De acordo com o Science Daily, uma das autoras da pesquisa, a então estudante de PhD em genética Tanya Flynn, afirmou que o que ela e os outros pesquisadores descobriram foi que a associação positiva entre tomate e ácido úrico estava no mesmo nível do que a relação entre a condição e o consumo de frutos do mar, carne vermelha, bebidas alcoólicas ou bebidas com açúcar adicionado.

Flynn concluiu ainda que evitar consumir tomates pode ser útil para indivíduos que já experimentaram um ataque de gota depois de consumir o alimento. Entretanto, ela acredita que com o tratamento adequado, não é preciso evitar ingerir o fruto em longo prazo.

De qualquer forma, caso você sofra com níveis elevados de ácido úrico no sangue e/ou a gota, é fundamental que converse com o médico responsável por seu tratamento para saber se e por quanto tempo deve evitar o tomate em suas refeições.

Segundo o que o médico N. Lawrence Edwards disse ao Med Page Today, os pacientes com gota não devem tentar controlar o seu quadro de gota somente com a dieta. Ele explicou que não é possível que os pacientes entrem em uma dieta restritiva que seja capaz de diminuir os níveis de ácido úrico ao ponto de não sofrerem riscos de ter crises de gota.

De acordo com Edwards, também é necessário que eles utilizem os medicamentos padrão para tratar a doença (que deve ser indicado por um médico, obviamente). O médico defende a tese de que se os pacientes permanecerem nesse tipo de terapia não estarão suscetíveis a essas crises.

Mais sobre o ácido úrico elevado e a gota 

Um ataque de gota aguda traz um desenvolvimento rápido de dor na articulação afetada, seguido de calor, inchaço, vermelhidão e sensibilidade. Para algumas pessoas, a dor aguda pode ser tão intensa a ponto de até mesmo o toque do lençol da cama causar dor severa.

Geralmente esses ataques diminuem dentro de algumas horas a alguns dias, porém, existem casos raros em que podem persistir durante semanas.

A área mais comum de ser atingida por um ataque de gota é a pequena articulação que fica na base do dedão, ainda que outras regiões como os tornozelos, os joelhos, os pulsos, os dedos e os cotovelos também possam ser afetadas.

Depois de anos de repetidos ataques de gota, os cristais de ácido úrico podem começar a formar espécies de caroços por debaixo da pele. Eles geralmente aparecem nos dedos, nas mãos e nos cotovelos e não causam dor. Durante um ataque de gota, esses caroços podem ficar inchados e sensíveis.

Assim, ao perceber os sintomas associados à gota em seu corpo, não demore para buscar ajuda médica, descobrir se realmente tem a condição e ouvir do médico as recomendações para o tratamento.

No entanto, algumas pessoas com níveis altos de ácido úrico, que é o que leva ao desenvolvimento da gota, podem não experimentar sintoma algum. Portanto, vale a pena fazer visitas periódicas ao médico para checar como anda toda a saúde, de modo que o profissional possa verificar se o seu nível de ácido úrico encontra-se elevado, antes que isso torne-se um caso grave de gota.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar dessa relação entre tomate e ácido úrico que pode não ser boa? Sofre desses sintomas e precisa rever sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

7 comentários em “Tomate e Ácido Úrico – É Bom ou Ruim?”

  1. Doutora muito boa tarde!
    Eu não faço particularmente o almoço sem que tenha o molho de tomate com bastante cebola e alho.
    os exames de controle feitos recentemente sobre Acído úrico, indicam o seguinte resultado:
    Resultado/Unidades Intervalos de referência
    6.7 mg/dl 3.4 7.0
    Que concelho tem a Doutora para mim?
    posso receber a resposta por esta via

  2. Tinha algumas crises de gota no passado mas nada muito intenso. Mas agora estou tendo problemas nos dedos das mãos, punho e nos pés. Já conhecia o assunto sobre o tomate por alto, inclusive alguns dizem que é bom para o ácido úrico. Mas fiz alguns testes preparando e consumindo alimentos com molho de tomate caseiro e senti que realmente intensifica o problema. Esse estudo mostrado é muito interessante, se puderem enviem o link do artigo para que eu possa me aprofundar mais. Atuo indiretamente com pesquisas na área da saúde pública federal e seria de grande valor para mim.
    Obrigado

  3. Tenho gota….mas só vem as crises quando bebo destiladose. …..como tomates todo dia e nunca tive crise por causa desse alimento….inclusive carne vermelha também. ….mas se eu beber cerveja associada com a carne em excesso aí sim ela aparece com muita dor mesmo.

  4. tenho ácido úrico elevado, sempre consumi tomates, e nunca tive uma crise de gota após comer salada de tomates. O bom mesmo é evitar alimentos que contenha grandes quantidades de puniras.

  5. Eu nao sabia jamais que uma fruta tão gostosa dessa fizesse tão mal para quem sofre de gota É uma pena, mas vou ter que parar de comer meu tomatinho.

  6. Há muito tempo já observei que tenho crises de gota sempre que faço ingestão de tomate, seja o fruto ou o extrato.