Dieta enlouquecedora

8 Dicas de Emagrecimento Que Nunca Dão Certo

Publicidade

Basta você fazer uma pesquisa rápida, dar uma olhada nas revistas especializadas em saúde e mundo fitness ou simplesmente conversar com os seus amigos do trabalho ou da academia, que provavelmente lerá e escutará diversas dicas supostamente infalíveis para perder peso. Enquanto algumas das recomendações passadas podem até ser boas, outras realmente não ajudam em nada a perda de peso, mesmo que a intenção de quem as passe seja a melhor possível.

É por isso que antes de aceitar todas as sugestões e métodos miraculosos que se ouve ou se lê, é preciso ter um pouco mais de atenção e senso crítico. Para te ajudar com isso, vamos apresentar oito dicas de emagrecimento que você pode receber por aí mas que nunca dão certo:

1. Adotar uma dieta sem glúten

É claro que quem possui alergia ou intolerância ao glúten precisa obrigatoriamente seguir uma dieta desse tipo. Entretanto, quem decide ter esse tipo de alimentação com o objetivo de emagrecer corre o risco de não alcançar o resultado que almeja, já que algumas comidas sem glúten podem ser ricas em calorias e possuir poucas fibras, que contribuem para a sensação de saciedade do organismo.

Além disso, retirar o glúten da alimentação somente para perder peso é algo que não possui respaldo da ciência da nutrição e significa excluir itens como cevada, trigo, centeio, malte e aveia, que fazem parte da pirâmide alimentar humana, que foi aprovada por instituições de renome como a Universidade de Harvard e a Universidade de São Paulo (USP).

E por mais que os alimentos com glúten tenham potencial para engordar, se consumidos de maneira equivocada, eles também possuem nutrientes importantes para o corpo, como vitaminas, minerais e carboidratos. Assim, a melhor saída para quem deseja perder peso não é excluir a substância da dieta, mas buscar tem uma dieta equilibrada e fazer uma reeducação alimentar.

2. Pular refeições

Ao deixar de tomar o café da manhã ou almoçar e privar o seu corpo de parte da energia e dos nutrientes que ele precisa, você corre o risco de comer mais do que deve quando finalmente for se alimentar e acabar extrapolando na quantidade de calorias consumidas no final das contas.

É mais sábio comer de três em três horas, fazer todas as refeições que tem direito e consumir porções mais moderadas do que ficar um intervalo muito grande sem comer nada e no final das contas consumir ainda mais alimentos. Até porque você apenas causará sofrimento ao seu organismo e não conseguirá diminuir o número de calorias ingeridas de qualquer maneira.

Uma prova de como isso pode realmente dar errado é uma pesquisa divulgada no Journal of Nutritional Biochemestry (Jornal de Bioquímica Nutricional, tradução livre) que mostrou que deixar de fazer uma refeição faz com que a gordura abdominal aumente.

3. Cortar todos os alimentos não saudáveis da dieta

Por mais que para emagrecer seja necessário diminuir o consumo de comidas que não sejam muito saudáveis, cortar todas da dieta pode não ser uma atitude que renda bons frutos no final das contas.

Isso porque além de fazer com que você se sinta privado e a alimentação se torne algo chato em sua vida, ser quase impossível seguir a dieta à risca, fazendo com que você corra o risco de não conseguir continuar com ela até o fim e ver seus esforços irem por água abaixo, há ainda a chance de desenvolver um distúrbio alimentar chamado de ortorexia, que é quando uma pessoa fica extremamente obcecada em manter uma alimentação estritamente saudável e pensa exclusivamente nisso quase o tempo todo.

Desse modo, em vez de botar na cabeça que você nunca mais na vida comerá um pedaço de pizza ou um brigadeiro de festinha de criança ou que fugirá dos carboidratos como um rato foge de um gato, passe a equilibrar a sua alimentação. Assim, de vez em quando, comer uma guloseima não fará tão mal assim à dieta.

4. Beber apenas líquidos

Tomar um suco verde no café da manhã ou no intervalo entre uma refeição e outra contribui com a dieta. Entretanto, se submeter a um plano de emagrecimento que visa a ingestão de apenas esse tipo de líquido pode ser perigoso.

Além de resultar em perda de definição muscular, o fato de ficar longe dos alimentos sólidos priva o seu organismo de receber os nutrientes que precisa para funcionar bem e também causa problemas no sistema digestivo, que podem resultar em dores estomacais, inchaço, diarreia e até cálculo biliar.

5. Cozinhar todas as suas refeições

Esse conselho é até positivo, mas apenas se você realmente tiver tempo e disposição para preparar todas as suas refeições. Antes de escolher um plano de dieta, é preciso ter certeza que será possível seguir tal plano até o fim. Caso contrário, será mais uma tentativa de perder peso frustrada.

Mas existe uma alternativa. Que tal estabelecer a meta de cozinhar as próprias refeições algumas vezes por semana ou aos finais de semana quando costuma-se ter maior tempo livre? É uma forma de aliar as refeições caseiras saudáveis com o tempo que você tiver livre.

6. Comer as besteirinhas em dias pré-determinados

O problema de aderir a uma dieta que determina em quais dias você pode comer uma guloseima é que você pode não resistir à tentação e comer todas aquelas comidas que ama e se priva durante bastante tempo em um único dia.

O resultado disso poderá ser um consumo calórico muito alto, além de uma baita dor de barriga no final do dia. Por isso, o melhor ainda é se liberar comer uma porção pequena doce ou um salgado mais calórico uma vez por semana do que consumir tudo o que desejar em um único dia do mês.

7. Comer as versões com baixo teor de gordura dos alimentos

Engana-se quem pensa que é possível emagrecer comendo os alimentos engordativos em suas versões com baixo teor de gordura. Apesar das embalagens chamativas e com cara de fitness que esses produtos geralmente possuem, não dá para ignorar o fato de que eles geralmente contêm altos teores de açúcar.

Portanto, antes de levar para casa uma comida que promete uma baixa quantidade de gordura, não deixe de olhar a tabela nutricional para ver se ela não compensa na quantidade de açúcar e se o número de calorias não continua tão alto como o da versão tradicional.

8. Seguir dietas populares

Desconfie das dietas que prometem resultados milagrosos em pouco tempo ou que demandem um esforço tremendo, mesmo que todo mundo esteja seguindo-as. Antes de tudo, procure um plano que possa se encaixar na sua vida e rotina, que você seja capaz de seguir e que apresente poucas chances de você falhar e se decepcionar no meio do caminho.

E não é porque algo deu certo para a sua amiga ou para a famosa da televisão que necessariamente funcionará no seu caso. Além dos diferentes estilos de vida que cada pessoa leva, cada organismo trabalha de um modo e poderá responder de maneira distinta a uma dieta.

É por isso que, caso seja possível, é bem importante ter o auxílio de um nutricionista na hora de mudar a alimentação para emagrecer.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você já caiu em algum desses mitos relacionados à dieta e perda de peso? Como foram seus resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Publicidade
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*