Publicidade

 

Pessoas acima do peso

As 10 Principais Causas de Ganho de Peso e Obesidade

A obesidade é um dos maiores problemas de saúde no mundo. Ela viaja com várias outras doenças, que combinadas matam milhões de pessoas por ano. Essas doenças incluem diabetes, doença cardiovascular, câncer, derrame, demência e várias outras.

Publicidade

Obesidade e Força de Vontade

Nas discussões sobre ganho de peso e obesidade, muitas pessoas parecem pensar que é puramente uma questão de força de vontade.

Essa ideia não é justa. Se ganhamos peso (ou não) é um resultado de comportamento, nesse caso de comportamento alimentar. Se nós comemos mais do que gastamos, ganhamos peso. Se comemos menos e nos exercitamos, perdemos peso.

Entretanto… o comportamento humano é complexo. Ele é dirigido por vários fatores biológicos como genética, hormônios e circuitos neurais. O comportamento alimentar, assim como o comportamento sexual e de sono, é dirigido por processos biológicos.

Dizer que esse comportamento é simplesmente questão de força de vontade (“A força de vontade para seguir as decisões, desejos, planos”) é simples demais.

Isso não leva em conta todos os outros fatores que determinam o que fazemos e quando fazemos. A força de vontade da maioria das pessoas é destruído sob a força de outros sinais, internos e externos.

Aqui estão 10 fatores que são as principais causas do ganho de peso, obesidade e doença metabólica, que realmente não têm nada a ver com força de vontade.

Publicidade

1. Genética

A obesidade tem um forte componente genético. Filhos de pais obesos têm muito mais chances de se tornarem obesos que filhos de pais magros.

Isso não quer dizer que a obesidade é completamente predeterminada, porque nossos genes não estão gravados em pedra como você pode pensar… os sinais que enviamos a nossos genes êm um grande efeito em que genes são expressados e quais não são.

Sociedades não industrializadas rapidamente se tornaram obesas quando começaram a comer uma dieta tipicamente ocidental. Os genes deles não mudaram, o ambiente e os sinais que eles mandaram a seus genes mudaram.

Parece claro que há componentes genéticos que afetam nossa suscetibilidade ao ganho de peso. Estudos em gêmeos idênticos demonstraram isso muito bem.

2. Alimentos Não Saudáveis “Hiper Saborosos”

Hoje, alimentos são frequentemente pouco mais que ingredientes refinados misturados com vários químicos.

Publicidade

Esses produtos são feitos para serem baratos, durarem muito na prateleira e ter um sabor tão incrivelmente bom que nós não conseguimos parar de comer.

Ao tornar alimentos “hiper saborosos”, os fabricantes de alimentos garantem que vamos comer muito e decidirmos comprar mais e comer de novo.

A maioria dos alimentos processados hoje em dia não se parece nada com alimentos. Eles são produtos altamente processados, com orçamentos enormes para gastar fazendo com que eles tenham um sabor tão bom que fiquemos “viciados”.

3. Vício em Comida

Esses alimentos altamente processados causam um grande estímulo nos centros de recompensa do seu cérebro. Você sabe o que mais faz isso? Drogas como álcool, cocaína, nicotina e maconha.

O fato é que alimentos podem causar vício em indivíduos suscetíveis. Pessoas perdem o controle sobre seu comportamento alimentar, da mesma forma que alcoólatras perdem o controle sobre seu comportamento de bebida.

Vício é uma questão complexa com uma base biológica que pode ser muito difícil de superar. Quando você se vicia em alguma coisa, você perde a liberdade de escolha e bioquímica do seu cérebro começa a dar as ordens.

4. Marketing Agressivo (Especialmente Direcionado a Crianças)

As companhias de alimentos são muito agressivas na propaganda. Suas táticas podem ser antiéticas às vezes e eles constantemente anunciam produtos que não são saudáveis como se fossem.

As companhias de alimentos fazem afirmações enganosas e gastam grandes quantidades de dinheiro patrocinando cientistas e grandes organizações de saúde para influenciar suas pesquisas.

Essas empresas parecem ser até piores do que as companhias de tabaco jamais foram, porque eles focam suas propagandas especialmente em crianças.

Crianças estão se tornando obesas, diabéticas, e viciadas em comida muito antes de serem velhos o bastante para tomarem decisões conscientes sobre o ganho de peso e suas complicações para a saúde.

5. Insulina

Insulina é um hormônio muito importante que regula o armazenamento de energia, entre outras coisas. Uma das funções da insulina é dizer às células de gordura para armazenarem gordura e para manterem a gordura que já carregam.

A dieta ocidental causa resistência à insulina em muitos indivíduos. Isso eleva os níveis de insulina pelo corpo todo, fazendo com que a energia seja armazenada nas células de gordura ao invés de ficarem disponíveis para uso, o que configura o ganho de peso.

Publicidade

A melhor forma para diminuir insulina é cortar os carboidratos, que geralmente leva a uma redução automática na ingestão de calorias e perda de peso, sem precisar contar calorias ou controlar porções.

6. Certos Medicamentos

Há muitos medicamentos que podem causar ganho de peso como efeito colateral. Exemplos incluem medicação para diabetes, antidepressivos, antipsicóticos, etc.

Esses medicamentos não causam uma “deficiência de força de vontade” – eles alteram as funções do corpo e do cérebro, fazendo com que ele armazene gordura ao invés de queimá-la.

7. Leptina

Outro hormônio que é crucial na obesidade é a Leptina. Esse hormônio é produzido pelas células de gordura e deve mandar sinais para o hipotálamo (a parte do nosso cérebro que controla a ingestão de comida) que estamos cheios e precisamos parar de comer.

Pessoas obesas têm muita gordura e muita leptina. O problema é que a leptina não está funcionando como deveria, porque por alguma razão o cérebro torna-se resistente a ela. Isso é chamado de resistência a leptina e acredita-se que seja um fator causador da obesidade.

8. Disponibilidade de Comida

Um fator que influenciou a circunferência abdominal do mundo todo é um grande aumento da disponibilidade de alimentos.

Comida (especialmente não saudável) está em todo lugar agora. Até mesmo postos de gasolina vendem comida e mercados colocam produtos tentadores em áreas que maximizam a chance de compra por impulso.

Outro problema relacionado à disponibilidade é que alimentos não saudáveis são mais baratos que comida de verdade. Algumas pessoas, especialmente em locais mais pobres, nem sequer têm a opção de comprar alimentos reais. As lojas de conveniência nessas áreas vendem apenas refrigerantes, doces e alimentos processados e embalados.

Como pode ser uma questão de escolha se você literalmente não tem escolha?

9. Açúcar

Açúcar é a pior parte da dieta moderna. A razão é que quando consumido em excesso, o açúcar muda hormônios e a bioquímica do corpo, contribuindo para o ganho de peso.

Açúcar adicionado é metade glicose, metade frutose. Nós ingerimos glicose em todo tipo de alimentos, incluindo amidos, mas ingerimos a maior parte da frutose de açúcares adicionais.

Excesso de frutose causa resistência à insulina e níveis elevados de insulina. Também pode causar resistência a leptina, pelo menos em ratos. Ela também não causa saciedade da mesma forma que a glicose. Tudo isso contribui para o armazenamento de energia, causando ganho de peso e, em última instância, obesidade.

10. Informações Erradas

Pessoas ao redor do mundo recebem informações erradas sobre saúde e nutrição. A principal razão para isso é que companhias patrocinam cientistas e grandes organizações de saúde ao redor do mundo.

Por exemplo, a Academia de Nutrição e Dietéticos (a maior organização de profissionais de nutrição no mundo) é altamente patrocinada por companhias como Coca Cola, Kellogg’s e Pepsico.

A Associação Americana de Diabetes é patrocinada por companhias farmacêuticas com milhões de dólares por ano, companhias que se beneficiam diretamente do conselho falho sobre pouca gordura.

Mesmo os guias oficiais promovidos pelo governo parecem ser feitos para proteger os interesses das corporações ao invés de promover a saúde dos indivíduos. Como as pessoas devem fazer as melhores escolhas se o governo, as organizações de saúde e os profissionais mentem para elas?

Mensagem Para Levar Pra Casa

Não estamos sugerindo que as pessoas usem esse artigo como uma desculpa para desistir e decidir que seu destino está fora de seu controle. De jeito nenhum. A menos que haja uma condição médica no caminho, está no poder de qualquer indivíduo controlar seu próprio peso. Isso pode ser feito.

Geralmente é preciso trabalho duro e uma mudança drástica de estilo de vida, mas muitas pessoas têm sucesso, apesar de terem as possibilidades contra elas.

O ponto desse artigo é abrir a mente das pessoas para uma coisa além da “responsabilidade individual” que pode estar causando o ganho de peso e a epidemia de obesidade.

O fato é que a forma como os alimentos e a sociedade são processados são fatores importantes que devem ser corrigidos se vamos reverter esse problema em escala global. A ideia de que tudo isso é causado por falta de força de vontade é exatamente o que as empresas de alimentos querem que acreditemos, assim eles podem continuar com suas propagandas antiéticas em paz.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você consegue identificar nas 10 causas listadas acima algum motivo para o seu ganho de peso? O que você tenta fazer e não consegue para mudar seu estilo de vida? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×