Serrapeptase

Serrapeptase – Para Que Serve, Benefícios, Efeitos Colaterais e Como Tomar

As substâncias naturais produzidas de origem mineral, vegetal e animal são alvos de estudo e pesquisa há centenas de anos ao redor do mundo. O conhecimento sobre as propriedades terapêuticas destas substâncias cria fascínio em pesquisadores que buscam identificar novas formas de aplicação de produtos inovadores na prevenção e no tratamento de doenças.

A serrapeptase ainda é uma substância pouco conhecida, mas que já tem diversas aplicações na medicina tradicional. Conheça abaixo para que serve esta substância, quais os benefícios que ela apresenta, conheça também os possíveis efeitos colaterais de seu uso e como tomar. 

O que é a serrapeptase?

A serrapeptase é uma enzima proteolítica produzida por uma bactéria não patogênica chamada de Serratia que vive naturalmente no intestino do bicho-da-seda e que ajuda na quebra das paredes do casulo. Esta substância foi descoberta na década de 70 e é essencial para a sobrevivência do bicho-da-seda, pois este está preso aos fios de seda do casulo e só conseguirá efetivamente sair com o auxílio desta enzima.

Esta enzima, também conhecida por serratia peptidase, já vem sendo utilizada há mais de 30 anos na Europa e na Ásia como auxiliar no tratamento de inflamações, para redução da quantidade de muco e secreções produzidas pelo organismo, ajudando também a reduzir a dor. Existem muitos estudos em andamento sobre a serrapeptase, pois esta enzima apresenta uma enorme variedade de aplicações clínicas.

Mais de 40 ensaios clínicos e estudos mostraram que a serrapeptase possui diversos benefícios à saúde, contendo propriedades analgésicas e anti-inflamatórias parecidas com substâncias como o ibuprofeno, os salicilatos e também os anti-inflamatórios não esteroides, tornando-se, inclusive, uma alternativa para o tratamento da artrite reumatoide e a osteoartrose.

A ação anti-inflamatória desta substância ocorre em função da sua capacidade de reduzir, diluir e facilitar a drenagem do fluído tecidual. A ação analgésica da serrapeptase é devido à sua capacidade de inibir a liberação das aminas que induzem dor no organismo.

A ação da serrapeptase no organismo ainda está sendo estudada e esta apresenta uma capacidade surpreendente de somente digerir o tecido não vivo, atacando as camadas tóxicas que obstruem o sistema digestivo e o revestimento das artérias. Um dos estudos mais bem-sucedidos sobre a serrapeptase foi realizado pelo cientista alemão Dr. Hans Nieper, que teve muitos resultados positivos na aplicação desta enzima para a melhoria das condições cardíacas e da saúde do sistema circulatório.

Para que serve a serrapeptase?

Na Alemanha e em muitos outros países europeus, a serrapeptase é reconhecida e utilizada de forma eficaz no combate a diversas doenças inflamatórias e, principalmente, em tratamento de edemas pós-traumáticos. A serrapeptase já é utilizada com sucesso no tratamento de doenças inflamatórias da garganta, ouvidos e nariz, ajudando também em problemas como as sinusites, e outras doenças respiratórias, pois auxilia na eliminação das secreções broncopulmonares.

Em estudo realizado pelo hospital do Estado de Ulm, 66 pacientes que haviam sofrido uma recente ruptura do ligamento lateral, e que foram submetidos à cirurgia, foram divididos em três grupos e para cada grupo foi utilizada uma forma de tratamento (uso da serrapeptase, elevação da perna e aplicação de gelo).

No grupo que tomou a serrapeptase, o inchaço no local diminui em 50% após a cirurgia, ao passo que nos outros dois grupos não houve redução significativa da inflamação no local. Houve também uma redução bastante expressiva da sensação de dor, demonstrando a eficácia desta substância como analgésico.

Outros estudos já relacionaram esta substância ao tratamento de outros problemas, entre eles a síndrome do túnel do cárpico, as rupturas de ligamentos, a doença fibrocística da mama, os quistos ovarianos, a fibromialgia, a síndrome da fadiga crônica, asma, bronquite, doenças inflamatórias intestinais, além de auxiliar no tratamento de doenças autoimunes, tais como a diabetes e a doença celíaca.

Veja, a seguir, algumas das inúmeras aplicações da serrapeptase para a saúde:

1. Tratamento para a aterosclerose

A aterosclerose é uma doença inflamatória crônica caracterizada pela formação de placas dentro dos vasos sanguíneos. Estas placas crescem pelo acúmulo de gordura e tecido fibroso na parede destes vasos, aumentando de tamanho progressivamente e causando a obstrução total em alguns lugares, podendo ser fatal.

O Dr. Nieper conseguiu mostrar em seus estudos que esta enzima ajuda a melhorar o sistema circulatório e que esta possui a capacidade de remover as placas de aterosclerose sem danificar qualquer célula saudável presente nas paredes das artérias.

2. Auxilia no tratamento de lesões traumáticas

As lesões traumáticas podem ocorrer em função de ação violenta, causando traumas locais ou gerais para a estrutura do organismo. Estas lesões são responsáveis por mais 3 milhões de mortes todos os anos ao redor do mundo.

Ao longo dos últimos anos, a serrapeptase vem sendo utilizada para o tratamento de muitos problemas, possuindo aplicação também como suplemento para lesões traumáticas, ajudando na redução do inchaço e da vermelhidão em pacientes pós-cirúrgicos.

3. Ajuda a reduzir o edema, a dor e o inchaço

Na Europa, esta enzima já foi aprovada para ser utilizada como medicamento para redução do inchaço em muitos países. Um estudo na Alemanha verificou que esta enzima foi capaz de reduzir em até 50% o inchaço em pacientes após os procedimentos operatórios.

Além disso, estes pacientes também apresentaram menor dor do que o grupo de controle, ficando totalmente livres de dor após 10 dias de uso da enzima durante o estudo.

4. Redução dos sintomas causados por infecções na garganta, ouvido e nariz

Os problemas de infecções relacionados aos ouvidos, nariz e garganta são bastante comuns, atingindo tanto adultos quanto as crianças. Outro estudo realizado com a aplicação de serrapeptase mostrou regressão progressiva dos sintomas causados por infecções. Esta foi capaz de diminuir a viscosidade do muco presente, facilitando, assim, a drenagem e limpeza dos canais infeccionados.

5. Ajuda no tratamento da síndrome do Túnel do Carpo

A síndrome do túnel do carpo é causada pela compressão do nervo mediano que passa no punho em um canal chamado de Túnel do Carpo. Esta doença é bastante comum em pessoas que realizam trabalhos repetitivos e manuais, podendo também estar associada à menopausa e à gravidez.

Estudos confirmaram que esta enzima ajuda na redução de sintomas causados pela síndrome do túnel carpo, principalmente na dor que pode ser bastante intensa, auxiliando muito no tratamento deste problema.

6. Auxilia no tratamento de inúmeras doenças

Esta enzima também apresentou resultados bastante positivos no tratamento de diversos problemas, sendo utilizada com finalidades terapêuticas para os danos nos nervos, na esclerose múltipla, em problemas pulmonares, na laringite, rinite, dor crônica, em problemas de próstata, da diabetes, osteoporose, em úlceras, na artrite reumatoide, em cicatrizes e lesões pós-cirúrgicas, no tratamento de varizes, nas doenças arteriais, angina, coágulos, entre muitas outras aplicações.

Como tomar e quais os efeitos colaterais?

Pesquisas mostraram que a serrapeptase é segura para o uso em adultos e a dose recomendada desta substância, via oral, é de 10 a 60 mg por dia, com o estômago vazio ou com pelo menos duas horas de antecedência das refeições.

Não se deve utilizar a serrapeptase por mais de quatro semanas. Esta enzima é vendida como suplemento em lojas de medicamentos em forma de comprimidos e pílulas.

A segurança e utilização desta substância no longo prazo não são conhecidas, devendo-se evitar que ela seja utilizada por mulheres grávidas ou em amamentação. Sabe-se que a serrapeptase pode interferir na coagulação do sangue, e pesquisas mostraram que os distúrbios hemorrágicos podem ser um dos efeitos colaterais do seu uso.

Em caso de cirurgia, o uso desta enzima deve ser interrompido por pelo menos duas semanas após a mesma, já que pode haver um aumento do sangramento e dificultando a coagulação do sangue.

A serrapeptase também não deve ser utilizada em conjunto com medicamentos que retardam a coagulação do sangue, tais como os anticoagulantes e antiplaquetários, pois esta pode aumentar os riscos de hemorragias e hematomas. Entre estes medicamentos estão a aspirina, o ibuprofeno, a heparina, entre outros.

Embora esta enzima tenha vários benefícios, já foram relatados possíveis efeitos colaterais, entre eles reações alérgicas como erupções na pele, dermatites, dores musculares, dores nas extremidades e, em casos mais raros, insuficiência hepática.

Você já tinha ouvido falar da serrapeptase e para que serve essa substância? Pretende consumi-la para obter seus benefícios? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,82 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*