Home » Saúde » Outras Condições » 11 Importantes Sintomas da Insuficiência Renal

11 Importantes Sintomas da Insuficiência Renal

Insuficiência renal

Os rins são órgãos muito importantes para a saúde pois eles são os responsáveis por filtrar resíduos encontrados no sangue. Não bastasse isso, eles também têm relação com a regulação da pressão arterial, com o equilíbrio de eletrólitos e com a síntese de glóbulos vermelhos, que são essenciais para o transporte adequado de nutrientes por todo o corpo.

  Continua Depois da Publicidade  

A insuficiência renal se dá quando, por algum motivo, os rins não são capazes de filtrar esses resíduos, fazendo com que eles se acumulem no corpo. O excesso de fluidos e resíduos em geral no sangue e em outros órgãos pode causar diversas complicações de saúde.

Os mais importantes sintomas da insuficiência renal serão tratados nesse artigo para que você possa identificar por meio dos sinais que seu corpo dá diariamente se há algo de errado com seus rins e a partir disso poder iniciar o tratamento adequado o quanto antes.

Algumas funções dos rins

Embora uma pessoa possa viver bem com apenas um rim, é importante que o órgão exerça plenamente todas as suas funções.

Os rins desempenham um papel muito importante no organismo, já que eles filtram o sangue e eliminam resíduos, além de ajudar a equilibrar os níveis de eletrólitos no corpo, controlar a pressão arterial sanguínea e estimular a produção de glóbulos vermelhos no sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

Quando o sangue flui até os rins, alguns sensores presentes nas células renais regulam a quantidade de água que deve ser eliminada pela urina em conjunto com uma determinada concentração de eletrólitos.

Se uma pessoa está desidratada, por exemplo, os rins regulam a quantidade de urina e retêm uma maior quantidade de água para evitar uma grande desidratação, o que faz com que a urina fique mais concentrada e com coloração mais escura. Já quando a pessoa está bem hidratada, a quantidade de água excretada pela urina é maior e ela se torna mais diluída e mais clara.

Os rins também são uma fonte de eritropoietina, um hormônio responsável por estimular a medula óssea a produzir glóbulos vermelhos que ajudam a manter um nível adequado de oxigenação no sangue. Assim, se os níveis de oxigênio no sangue estão baixos, por exemplo, a quantidade de eritropoetina aumenta nos rins para que o organismo produza mais glóbulos vermelhos.

Insuficiência renal

A insuficiência renal, chamada também de doença renal terminal, é o último estágio da doença renal crônica.

Quando os rins param de funcionar de forma repentina, a condição é chamada de insuficiência renal aguda, que geralmente é causada por ataque cardíaco, problemas no trato urinário, uso ilegal de substâncias ou falta de sangue suficiente para os rins. Nesses casos, os rins podem voltar ao normal com o tratamento adequado, desde que o paciente não tenha outros problemas graves de saúde.

Causas

Muitas podem ser as causas de uma insuficiência renal. Algumas delas podem ser tratadas com tranquilidade. No entanto, existem alguns tipos da doença que são progressivas e tendem a piorar ao longo do tempo. Já em outros casos ainda mais graves, os danos nos rins são tão graves que não há como revertê-los.

  Continua Depois da Publicidade  

Geralmente, a insuficiência renal é decorrente de algum dano agudo que prejudica os rins ou por causa de doenças crônicas que vão afetando o funcionamento dos rins aos poucos até que ele pare de funcionar.

Algumas possíveis causas incluem:

  • Baixo volume de sangue (hipovolemia) por causa de uma grande perda de sangue;
  • Baixa ingestão de líquidos;
  • Uso de certos medicamentos como os diuréticos que podem levar à perda de fluidos em excesso;
  • Problemas no trato urinário;
  • Síndrome nefrótica;
  • Condições que causam desidratação como vômito, diarreia, sudorese ou febre intensos;
  • Obstrução de artéria ou veia renal, causando um fluxo sanguíneo anormal até os rins;
  • Diabetes;
  • Hipertensão arterial;
  • Doenças autoimunes como nefropatia e lúpus;
  • Doenças genéticas como a doença renal policística;

Importantes sintomas da insuficiência renal

Há casos em que a insuficiência renal não resulta em nenhum sintoma, o que acaba atrasando o diagnóstico e permitindo que a condição progrida. Desta forma, é muito importante procurar apoio médico ao sentir algum ou vários dos sintomas abaixo para que o diagnóstico seja obtido o mais rápido possível.

  Continua Depois da Publicidade  

Os sinais de que algo está errado com os rins tem a ver com a incapacidade do órgão de regular os equilíbrios de água e de eletrólitos, com a dificuldade de eliminar resíduos e com a produção de glóbulos vermelhos prejudicada.

Os sintomas aos quais você deve ficar atento são:

1. Fadiga e cãibras musculares

A redução da contagem de glóbulos vermelhos pode levar à anemia, cujo principal sintoma é a fraqueza generalizada. Isso ocorre porque quando os rins não estão funcionando bem, eles produzem pouco do hormônio eritropoetina, que é quem estimula a produção de glóbulos vermelhos. Com a redução de glóbulos vermelhos para transportar oxigênio, o cérebro e os músculos ficam cansados muito rapidamente, podendo levar à anemia.

Além disso, a redução da função renal pode resultar em um acúmulo de toxinas e impurezas no sangue, o que pode deixar as pessoas mais cansadas do que o normal e fazer com que elas tenham dificuldade de concentração.

Cãibras musculares também podem ocorrer devido aos desequilíbrios eletrolíticos como baixos níveis de fósforo e cálcio causados pela insuficiência renal.

2. Falta de ar

A falta de ar, mesmo após pouco esforço, pode ter relação com a insuficiência renal. Isso porque a retenção de fluidos no órgão pode fazer com que fluidos se acumulem também nos pulmões, dificultando a respiração.

Além disso, a falta de glóbulos vermelhos pode deixar o organismo com pouco oxigênio, resultando em falta de ar.

3. Micção frequente

Pessoas com doença renal sentem mais necessidade de urinar com frequência, principalmente durante a noite. Isso ocorre porque os filtros dos rins ficam danificados, fazendo com que a pessoa sinta vontade de urinar o tempo todo.

Devido à maior frequência de micção, também pode ser observada uma certa dificuldade para urinar em alguns momentos.

4. Inchaço generalizado

Chamado também de edema, o inchaço generalizado – principalmente ao redor dos olhos – pode indicar que há excesso de proteína na urina devido a uma falha nos rins, que deveriam manter as proteínas dentro do organismo.

Alguns sintomas da insuficiência renal também podem ser a retenção de sódio e a consequente retenção de fluidos, fazendo com que os pés e os tornozelos fiquem inchados.

5. Perda de apetite

A perda de apetite é mais um sintoma referente ao acúmulo de toxinas no sangue devido à insuficiência dos rins.

6. Confusão mental

A falta de oxigenação adequada devido à baixa produção de glóbulos vermelhos pode fazer com que o cérebro se sinta esgotado, o que leva a quadros de confusão mental, problemas de memória e pouca concentração.

7. Alterações na urina

Se sua urina se tornar espumosa ou se sangue for observada nela, pode ser um sinal de danos renais. Os rins saudáveis costumam filtrar os resíduos do sangue para que as toxinas sejam eliminadas através da urina, mas quando os rins apresentam problemas, algumas células sanguíneas podem vazar para a urina.

Já a urina espumosa ou com bolhas pode indicar a presença de proteína na urina, que não é filtrada pelos rins danificados.

8. Alterações no ritmo cardíaco

Devido à incapacidade dos rins de remover o potássio da corrente sanguínea, distúrbios no ritmo cardíaco como a taquicardia ventricular e a fibrilação ventricular são possíveis sintomas da insuficiência renal.

9. Problemas para dormir

A presença de toxinas no sangue que deixam de ser filtradas pelos rins podem dificultar o sono. Também existe uma relação entre a obesidade e a doença renal crônica, sendo que a apneia do sono é muito mais comum em pessoas que sofrem de doença renal crônica quando comparado com o resto da população.

10. Coceira e ressecamento da pele

A pele seca e a coceira podem ser sinais de doença mineral óssea que normalmente acompanha pacientes com doença renal avançada. Quando isso acontece, os rins não são capazes de manter o equilíbrio correto de minerais e nutrientes no sangue, enfraquecendo os ossos.

11. Gosto metálico nos alimentos

O acúmulo de toxinas e resíduos no sangue, condição conhecida como uremia, pode alterar o sabor dos alimentos que pode adquirir um leve gosto metálico além de causar mau hálito. Também é possível que a pessoa deixe de gostar de ingerir certos alimentos como a carne ou que perca peso com mais facilidade do que antes.

Tratamento

Antes de iniciar o tratamento, é necessário diagnosticar a causa do problema. O diagnóstico geralmente consiste em uma bateria de exames de sangue que medem parâmetros como níveis de nitrogênio na ureia, a quantidade de creatinina e a taxa de filtração glomerular.

Os exames de uma pessoa com insuficiência renal podem apontar para:

  • Altos níveis de potássio no sangue, condição conhecida como hipercalemia;
  • Acidose metabólica, quando o pH no organismo está ligeiramente abaixo do normal;
  • Níveis elevados de ureia no sangue, o que também é chamado de uremia e que pode causar complicações de saúde como encefalopatia cerebral e pericardite;
  • Níveis baixos de cálcio no sangue ou hipocalcemia.

Um quadro de insuficiência renal só é considerado se ambos os rins forem afetados. Se apenas um rim for danificado, é possível remover o rim doente e deixar a pessoa viver apenas com um rim saudável. Quando ambos estão extremamente danificados, as únicas soluções são a diálise ou o transplante de órgãos.

– Diálise

A diálise ou hemodiálise é um procedimento em que um equipamento é utilizado para bombear o sangue através de um filtro para que possam ser removidos todos os seus resíduos e impurezas. Em seguida, o sangue filtrado é bombeado de volta para o corpo.

Ou seja, trata-se de um procedimento em que o trabalho dos rins é executado por uma máquina. Geralmente, o tratamento é feito até 3 vezes por semana em uma clínica.

– Diálise peritoneal

Esse tipo de diálise pode ser feito em casa ou em um ambulatório. Nesse caso, um médico implanta um catéter na barriga do paciente para que ele possa realizar o procedimento com mais facilidade. Na diálise peritoneal, é utilizada uma bolsa contendo uma solução de diálise – normalmente composta por água, sal e outros aditivos – que é acoplada ao catéter.

A solução vai para o catéter dentro da barriga, onde absorve resíduos e fluidos em excesso no corpo. Depois de um período de tempo, os resíduos são drenados do cateter para a bolsa vazia que fica fora do corpo, podendo então ser descartados em um vaso sanitário.

É sempre importante usar soluções de diálise frescas e esvaziar a bolsa sempre que necessário, o que deve ser feita cerca de 4 a 6 vezes por dia.

Quando o paciente precisar fazer alguma atividade em que não pode ficar andando com uma bolsa de diálise ao lado, ele pode esvaziá-la e colocar uma tampa no catéter, evitando qualquer tipo de vazamento.

– Transplante de órgão

O transplante de órgão é uma opção quando nem com a diálise o paciente apresenta melhoras. É preciso encontrar um doador compatível e se submeter a uma série de exames antes da cirurgia.

Depois de feito o transplante, a recuperação é delicada e o paciente deve tomar diversos medicamentos para evitar a rejeição do novo rim pelo sistema imunológico.

– Dieta

Talvez a parte mais crucial do tratamento seja a alimentação do paciente. É muito importante ingerir muitos líquidos – principalmente a água – quando se tem sintomas da insuficiência renal. A presença de nutrientes, minerais e sais no organismo permitem que o tratamento seja mais eficiente.

Alimentos ricos em minerais como cálcio, fósforo, potássio e sódio devem ser ingeridos com cautela, já que quando os rins não estão funcionando da maneira correta, pode ocorrer um acúmulo dessas substâncias no organismo.

Rins danificados também têm dificuldade maior em processar proteínas. Dessa forma, um nutricionista deve montar um plano alimentar que contenha uma quantidade moderada de boas fontes de proteínas e que contemple todas as outras restrições alimentares para evitar que o órgão fique sobrecarregado.

Dicas de prevenção

É normal que a função renal vá diminuindo gradualmente conforme envelhecemos, mas é possível tomar algumas precauções para evitar doenças renais e, consequentemente, a insuficiência renal.

Evitar ingerir bebidas alcoólicas e tratar outros problemas de saúde que podem afetar a saúde dos rins indiretamente é importante para evitar sintomas da insuficiência renal. Assim, pessoas com diabetes, pressão arterial alta ou qualquer tipo de dano leve nos rins devem seguir as orientações médicas para evitar complicações de saúde.

Por fim, ter um estilo de vida saudável baseado em uma boa alimentação e na prática de exercícios físicos é indispensável para ter não só rins saudáveis como também o resto do corpo.

Viver com insuficiência renal pode ser difícil no início, mas realizar o tratamento adequado e adotar um estilo de vida mais saudável pode melhorar muito a função renal. Assim, é muito importante ingerir alimentos saudáveis e fáceis de digerir para que seus rins precisem fazer pouco esforço e respondam bem ao tratamento, sem nunca deixar de seguir as recomendações de um profissional da saúde.

Referências adicionais:

Você já sentiu sintomas da insuficiência renal? O que seu médico lhe recomendou ao fazer o diagnóstico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*