O Que é Retenção de Líquidos – Sintomas, Causas e O Que Fazer

O corpo humano é formado por aproximadamente 60% de água. Ela é vital para ajudar o organismo a funcionar adequadamente, a absorver os nutrientes e eliminar os resíduos. Quando o corpo não consegue eliminar o excesso de líquidos, isso é chamado de retenção.

A retenção pode ser temporária e facilmente tratada, ou pode ser um sintoma de uma condição médica mais séria. Então, se você está sofrendo com a retenção por mais de uma semana, é importante consultar seu médico para determinar a causa e descartar possíveis problemas de saúde.

Para os casos em que a retenção de líquidos não é o resultado de uma condição médica grave, o desconforto pode ser aliviado de forma rápida e fácil. Vamos entender melhor o que é retenção de líquidos, quais são os seus principais sintomas, as principais causas e o que fazer para combatê-la?

O que é retenção de líquidos?

Retenção de líquidos, também conhecida como edema, retenção de água e hidropsia, é uma condição médica em que há um acúmulo incomum de líquido claro nas cavidades e tecidos do corpo. Geralmente é mantido sob controle por vários hormônios e substâncias como as prostaglandinas, que regulam o volume de água no corpo. Em conjunto com os rins, que excretam o excesso de água através da micção, essas prostaglandinas são responsáveis ​​por manter o equilíbrio da água no corpo em um nível saudável.

No entanto, quando há um distúrbio ou problema com esse sistema hormonal, o excesso de líquido pode começar a se acumular nos tecidos causando inchaço nos pés, tornozelos, pernas ou abdômen e qualquer parte do corpo.

Causas

São várias as causas que podem desencadear a retenção de líquidos. O nosso corpo é composto principalmente de água e quando o seu nível de hidratação não está equilibrado, ele tende a se agarrar a essa água, causando a retenção. Veja outras causas que podem provocar:

– Capilares

A retenção de água é possível quando a pressão dentro dos vasos sanguíneos muda. Um fluido rico em nutrientes, vitaminas e oxigênio passa continuamente de minúsculos vasos sanguíneos para os tecidos circundantes. Ele é conhecido como fluido intersticial e é responsável por nutrir as células e, eventualmente, retornar aos capilares. A retenção de água pode ocorrer se a pressão dentro dos capilares mudar.

A retenção de água também é possível se as paredes dos capilares ficarem muito vazadas. Se algo der errado com a pressão ou a parede ficar muito gotejante, o excesso de líquido será liberado nos espaços entre as células. Se muito fluido for liberado, mais dele permanecerá nos tecidos, em vez de retornar aos capilares, resultando em inchaço e retenção de água.

– O sistema linfático

O sistema linfático drena um fluido chamado linfa dos tecidos e o esvazia de volta à corrente sanguínea. No entanto, se muito líquido for liberado em primeiro lugar, o sistema linfático pode ficar sobrecarregado, incapaz de devolver o fluido rápido o suficiente, e isso se acumula ao redor dos tecidos.

Se o sistema linfático estiver congestionado, a taxa de retorno do fluido à corrente sanguínea pode mudar. Isso significa que o fluido pode permanecer nos tecidos, causando inchaço em várias partes do corpo, incluindo o abdômen, tornozelos, pernas e pés.

– O coração

A pressão normal dentro dos vasos sanguíneos é parcialmente mantida pela força de bombeamento do coração. No entanto, se o coração começar a falhar, haverá uma mudança na pressão arterial, que muitas vezes resulta em retenção de água grave, e normalmente, as pernas, pés e tornozelos vão inchar. O fluido também se acumula nos pulmões, dando ao paciente uma tosse prolongada ou dificuldades respiratórias.

A insuficiência cardíaca congestiva pode eventualmente causar problemas respiratórios, bem como estresse excessivo no coração.

– Os rins

O sangue é filtrado pelos rins. Resíduos, fluidos e outras substâncias são extraídos e atravessados ​​em minúsculos túbulos. A partir daí, a corrente sanguínea reabsorve qualquer coisa que o corpo possa reutilizar e os resíduos são excretados na urina.

Na maioria dos casos, os rins podem eliminar todos os materiais residuais que o corpo produz. No entanto, se o fluxo sanguíneo para os rins for afetado, podem ocorrer problemas. Por exemplo, na insuficiência renal, o material residual, incluindo fluidos, não pode ser eliminado do corpo adequadamente, resultando em retenção.

– Gravidez

O peso do útero nas principais veias da pélvis pode causar um acúmulo de líquido no corpo durante a gravidez. Na maioria dos casos, não é nada para se preocupar e geralmente se resolve após o nascimento do bebê.

– Falta de atividade física

A falta de atividade física pode causar retenção de água. O exercício ajuda as veias da perna a devolver o sangue ao coração, e se o sangue não circula com a frequência suficiente, ele começará a se acumular nas pernas, causando maior pressão nos capilares.

Essa pressão mais alta significa que o fluido deixará os capilares em um ritmo mais rápido. O aumento da pressão também dificulta o retorno dos fluidos posteriormente.

Praticar exercícios é fundamental para estimular o sistema linfático a realizar sua função de regular o fluxo, trazendo os fluidos de volta para a corrente sanguínea a taxas que podem regular os níveis de água no corpo. Permanecer muito tempo parado e sentado, como em um vôo de longa distância, também aumenta o risco de retenção, sendo assim procure realizar movimentos físicos, como levantar-se na ponta dos pés algumas vezes, girar os tornozelos e mexer os dedos dos pés.

– Proteína

Nós precisamos de proteínas para um balanço hídrico efetivo. Um indivíduo com deficiência proteica severa pode ter dificuldades para retirar a água dos espaços de tecido nos capilares. A barriga inchada de alguém que está morrendo de fome é causado principalmente pela falta de proteína em sua dieta.

– Histamina

Quando a inflamação está presente no corpo, a histamina é liberada. A histamina faz com que as lacunas entre as células das paredes dos capilares se alarguem, tornando-as mais vazias. O objetivo é facilitar que os glóbulos brancos, que combatem infecções, cheguem rapidamente ao local da inflamação.

No entanto, se a inflamação persistir por um longo tempo, a retenção de água pode se tornar um problema.

– Alterações hormonais

Um dos sintomas visíveis no período que antecede a menstruação é o inchaço e sensibilidade mamária. Isso pode acontecer por causa dos desequilíbrios hormonais e alguns fatores nutricionais, como a má alimentação, excesso de sal ou sódio, alergias e doença da tireoide.

Além disso, hormônios flutuantes, clima quente, queimaduras, deficiências alimentares, cirrose do fígado e pressão alta também podem provocar a retenção de líquidos.

Sintomas de retenção

Agora que entendemos o que é retenção de líquidos e quais são suas causas, podemos conferir os sintomas da condição. O principal, sem dúvidas, é o inchaço, que costuma ser mais presente na região abdominal, pernas, pés e tornozelos, face e quadris. Além disso, pode provocar rigidez articular, flutuações de peso e indentações na pele, semelhante ao que você vê nos seus dedos quando toma banho por muito tempo.

Pode aparecer também como um edema (inchaço de uma área com fluido), pele descolorida, dor nos membros, problemas de estômago ou constipação e cólicas.

Então, como reconhecer a retenção? Uma maneira de descobrir se você está retendo água é pressionando suavemente o pé, tornozelo ou panturrilha com pressão lenta e constante usando o polegar. Se houver edema, aparecerá um recuo na pele. Uma avaliação profissional para determinar a causa do inchaço nas pernas ainda é necessária. É possível reter até 2kg de água em média e a maioria é armazenada no fluido que envolve as células por todo o corpo.

As pessoas com excesso de peso tendem a reter mais líquidos porque consomem mais calorias e, como resultado, tendem a consumir maiores quantidades de sódio, o que também contribui muito.

Complicações da retenção persistente

Se o problema de retenção persistir, ele poderá provocar uma condição mais séria como, por exemplo:

  1. Baixos níveis de sódio: A água ingerida dissolve a quantidade de sódio no sangue, resultando em níveis mais baixos. Esta condição causa fadiga, dores de cabeça, fraqueza muscular, náusea, irritabilidade, inquietação e vômito. Em casos graves, baixos níveis de sódio causam confusão, alucinações, convulsões e perda de consciência.
  2. Dificuldade ao respirar: A retenção de líquidos pode causar um edema pulmonar, pois o líquido se acumula nos pulmões, dificultando a respiração e aumentando a pressão na artéria pulmonar. O edema pulmonar prolongado aumenta o risco de insuficiência cardíaca. Outra consequência é a ascite, ou retenção de água no abdômen, que faz com que o abdômen inche. Isso faz com que o fluido pressione os pulmões, dificultando a respiração adequada. Os médicos referem-se à falta de ar como dispneia, quando o líquido se acumula nos pulmões ou no abdômen, causando essa sensação. Se a dispneia ocorrer subitamente ou se tornar mais grave, procure atendimento médico. O médico irá realizar testes para determinar a causa da falta de ar.
  3. Feridas da pele: Geralmente a localização da retenção é o que determina as complicações. Um dos perigos da retenção de água nos pés e tornozelos são as feridas da pele, causadas principalmente pelo atrito com o calçado. Quando o calçado esfrega contra a pele, provoca bolhas e cortes. Em pessoas com risco aumentado de úlceras de pressão, como idosos, essas bolhas podem piorar. Nos casos mais graves, estas feridas desenvolvem-se em úlceras nos pés.
  4. Dor no peito: Se a retenção estiver concentrada no abdômen ou nos pulmões, a pressão que ela exerce pode causar dor e desconforto no peito. Esse tipo de retenção é mais comum em pacientes com doença hepática, insuficiência cardíaca, infecção cardíaca e doença renal. Alguns medicamentos também causam retenção de água como efeito colateral. Estes medicamentos incluem esteróides, pílulas anticoncepcionais, medicamentos para pressão arterial e antidepressivos.

Se você apresentar esses sintomas, será preciso buscar ajuda médica, que poderá receitar o medicamento correto para aliviar os efeitos.

O que fazer para reduzir a retenção de líquidos?

Sabendo o que é retenção de líquidos e identificando a condição, com a ajuda de um diagnóstico médico, o que fazer para combatê-la ou reduzi-la?

1. Diminua a ingestão de sal

O sal é feito de sódio e cloreto e se mistura à água do corpo para manter o equilíbrio dos fluidos dentro e fora das células. Se as refeições são muito salgadas ou repletas de alimentos processados o seu corpo pode reter água.

A recomendação nesse caso para reduzir a retenção de água é diminuir a ingestão de sódio na dieta.

2. Aumentar a ingestão de magnésio

O magnésio é um mineral muito importante e está relacionado a mais de 300 reações enzimáticas que mantêm o funcionamento do corpo e aumentar sua ingestão pode ajudar a reduzir a retenção de líquidos.

Um estudo descobriu que 200 mg de magnésio por dia reduziram a retenção em mulheres com sintomas pré-menstruais. Boas fontes de magnésio incluem nozes, grãos integrais, chocolate amargo e verduras. Também está disponível como suplemento.

3. Vitamina B6

A vitamina B6 é importante para a formação de glóbulos vermelhos e reduz a retenção de líquidos. Alimentos ricos em vitamina B6 incluem bananas, batatas, nozes e carne.

4. Potássio

Aumente a ingestão de alimentos ricos em potássio. Ele é um mineral responsável por funções importantes como, por exemplo, enviar os sinais elétricos que mantêm o corpo funcionando. Pode também beneficiar a saúde do coração e ajudar a reduzir a retenção de água de duas maneiras: diminuindo os níveis de sódio e aumentando a produção de urina. Bananas, abacates e tomates são exemplos de alimentos com alto teor de potássio.

5. Evite carboidratos refinados

Comer carboidratos refinados leva a picos rápidos nos níveis de açúcar no sangue e insulina. Altos níveis de insulina fazem com que o corpo retenha mais sódio, aumentando a reabsorção nos rins e isso aumenta o volume de fluido dentro do corpo. Exemplos de carboidratos refinados incluem açúcares e grãos processados, como a farinha branca.

6. Mantenha seus pés elevados

Elevar os pés pode ajudar a mover a água para cima e para longe das extremidades inferiores.

7. Use meias de compressão ou leggings

Meias de compressão estão se tornando populares e mais fáceis de encontrar. Elas estão disponíveis em lojas de roupas esportivas e em muitos sites on-line. O objetivo do vestuário de compressão é apertar as pernas e evitar que o líquido se acumule.

Outras formas de reduzir a retenção de líquido

Além das dicas relacionadas acima, existem outras maneiras potencialmente eficazes para reduzir a retenção de líquidos, porém essas sugestões são apoiadas em evidências anedóticas, e não por estudos.

– Mexa-se

A movimentação regular também é necessária. Atividades como andar de bicicleta e caminhar também podem ajudar a bombear toda a água ou qualquer outro fluido nos tornozelos e pernas. O exercício físico realmente ajuda na ampliação dos vasos sanguíneos.

A retenção de água também pode se desenvolver em pessoas em vôos de longa distância, leitos hospitalares e cadeiras de rodas, porque há falta de movimento regular do corpo, portanto o excesso de fluido dos espaços de tecido não é drenado. Pessoas que trabalham por muito tempo sentadas ou em pé devem fazer pausas.

– Beba mais água

A água sozinha não combate a retenção, mas ajuda muito na sua redução. A recomendação pode ser feita para que a pessoa urine e elimine o fluido. Os chamados diuréticos também têm sua contribuição, pois ajudam o corpo a se livrar da água e do sódio, condicionando os rins a excretarem mais sódio na urina, e o sódio retira a água do sangue.

Isso diminui a quantidade de líquido que flui nos vasos sanguíneos, o que reduz a pressão nas paredes das artérias. Geralmente, deve-se ter cautela no uso de diuréticos devido a seus prováveis ​​efeitos colaterais. Se o edema não for tratado, resultará em alongamento da pele e poderá causar problemas maiores.

Alguns alimentos também têm um efeito diurético, por exemplo, a adição de suco de limão à água causa micção mais frequente e diminui a quantidade de retenção de água. Suco de cranberry, alimentos ricos em vitamina C e a cafeína também podem reduzir a retenção de água, mas muita cafeína pode ter o efeito oposto, resultando em desidratação.

A retenção pode ser uma condição de saúde dolorosa e potencialmente perigosa, portanto, reconhecer o que é retenção de líquidos e os seus sintomas é muito importante. Vale reforçar que seguir essas sugestões pode ajudar a reduzir a retenção de líquidos, mas sempre consulte seu médico antes de tomar uma ação ou mudar sua rotina de saúde. 

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referencias adicionais:

Você já conhecia o que é retenção de líquidos e já reconhecer ou teve diagnosticada a condição por um médico? Como foi tratada? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,89 de 5)
Loading...

Deixe um comentário