8 Dicas Para Escolher uma Boa Barra de Proteína

Especialista:
atualizado em 12/12/2019

Alimentar-se com proteína é importante para a manutenção do peso e uma dieta saudável e equilibrada. A barra de proteína pode ajudar o seu corpo a queimar gordura e fortalecer músculos e é uma aliada nos treinos, seja consumida antes ou após os mesmos.

Alimentos ricos em proteínas incluem carnes, ovos, peixes e nozes, mas se eles não são suficientes para as taxas de proteínas que precisa para melhorar seu desempenho, ou se não for muito fã desses alimentos, você pode optar por consumir de vez em quando uma barra de proteína que ajudará a elevar as taxas de consumo desse nutriente e elevar outros valores nutricionais essenciais para o funcionamento do corpo. Essas barras podem ser compradas em lojas de alimentos naturais, lojas online e até mesmo em supermercados.

1. Substituição ou complemento

A primeira coisa é decidir se utilizará a barra de proteína como substituição de ingestão de alimentos proteicos ou como complemento. Escolha uma barra com alto nível de proteína e baixo nível de carboidratos e gordura se você estiver comendo proteína nos intervalos entre as refeições ou após os treinos. Neste caso, a barra deve conter 10 a 20 gramas de proteína e no máximo 120-200 calorias.

Agora, se você estiver utilizando a barra para substituir refeições, você deve escolher uma barra com nutrientes e calorias extras. O ideal, neste caso, é optar por uma barra com 30 gramas de proteína e que contenha outros componentes como cálcio, fibras e outras vitaminas para fazer com que seu corpo funcione perfeitamente sem escassez de nenhuma vitamina.

2. Proteína de qualidade

De nada adianta adquirir qualquer barra de proteína acreditando que trará todos os benefícios que seu corpo precisa. É importante verificar se a proteína principal é whey protein, já que esta é de boa qualidade. O organismo conseguirá aproveitar melhor esta proteína para construção muscular.

Uma barra de proteína que possua uma mistura de proteínas diferentes pode até ser boa também, mas saiba que whey protein, caseína e albumina são as melhores fontes. Sendo que a albumina não é tão facilmente digerida quanto o whey e a caseína. A proteína isolada da soja também tem proteínas completas, assim como as outras que acabamos de citar. Ou seja, possuem todos os aminoácidos essenciais. Já proteínas do colágeno ou outras fontes vegetais não têm o mesmo perfil proteíco.

Alguns especialistas afirmam que é preciso ter cuidado com as barras que listam proteínas da soja pois geralmente elas têm um pouco de perfil completo e muito de proteínas incompletas de má qualidade da soja.

3. Teor de açúcar e gordura

Além de ficar atento à qualidade e quantidade de proteína na barra, lembre-se de verificar o teor de açúcar presente na tabela nutricional. Algumas barras têm elevado teor de açúcar em sua composição, o que não é o mais indicado, principalmente para pessoas que realizam treinos e estão em uma dieta.

Para se ter uma ideia do mais correto, verifique se a quantidade de proteínas é maior do que a de açúcar e esta não deve ter mais do que 10 gramas por porção. Avalie também a quantidade de gorduras, uma boa barra de proteína não deve possuir gorduras saturadas.

4. Degustação

Se possível, prove as barras antes de adquiri-las, prove sabores diferentes para saber aquele que mais agrada ao seu paladar. Pergunte nas lojas de produtos naturais que você frequenta se existe alguma amostra para degustação antes de comprar o produto que mais agradar. Você também pode pedir por indicação dos vendedores, geralmente eles são treinados para melhor orientá-lo e dar dicas sobre os produtos mais completos e saborosos. Algumas lojas reservam alguns pedaços em um recipiente para degustação dos clientes.

5. Marcas

Faça uma pesquisa prévia na internet, pergunte aos seus amigos, personal trainer, nutricionista ou vendedores de lojas naturais sobre as melhores marcas de barra de proteína disponíveis no mercado. Existe uma variedade de marcas no mercado e saber qual é a melhor pode ser um grande desafio. Se possível, experimente diferentes marcas e sabores para avaliar textura, gosto e outros atributos. Ler opiniões de clientes online, assim como insatisfações no Reclame Aqui podem ser muito interessantes para fazer a escolha certa. 

6. Locais de compra

Supermercados costumam vender barra de proteína, mas nem sempre possuem uma variedade de opções, além de que em supermercados prioriza-se o auto atendimento, sendo muito difícil encontrar alguém disponível ou com conhecimento para orientá-lo. Se não tiver certeza sobre qual produto adquirir, prefira visitar uma loja de produtos naturais e vitaminas com profissionais mais preparados para atendê-lo. Uma terceira opção são as farmácias, mas elas podem não ter muita variedade de produtos e não permitem a possibilidade de degustação. 

7. Seleções online

O Google sempre salva. Você pode realizar pesquisas e conferir listas online dos melhores sabores, índices de vitaminas e marcas. Além disso, é a melhor forma para comparar preços e ser direcionado para a loja da marca, realizando as compras online com facilidade e recebendo o produto no conforto do lar.

8. Quanto menos ingredientes melhor

Uma barra de proteína que possua uma extensa lista de ingredientes em sua composição pode ser pior do que aquela que possui os ingredientes básicos. Assim, se você encontrar uma barra com uma enorme lista de 20 ingredientes que você nunca ouviu falar ou sequer sabe pronunciar seus nomes, deixe para lá. A não ser que você tenha disposição de pesquisar item por item dos ingredientes para saber qual sua função no produto e que benefícios ele traz.

Neste caso, o menos é mais e o básico sempre basta. Se a barra de proteína tiver pouca gordura saturada, tiver menos açúcar e carboidratos do que a quantidade de proteína ofertada e se tiver origem do soro do leite (whey protein e caseína), ao invés de fazer uma mistura vegetal, pode adquirir sem medo, pois quer dizer que os ingredientes são de alta qualidade e serão completamente benéficos.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Que barra de proteína você costuma consumir com mais frequência? Como você a insere em sua alimentação? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (41 votos, média: 3,90 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

1 comentário em “8 Dicas Para Escolher uma Boa Barra de Proteína”